Um livro para ninar

Sandra Belchiolina de Castro
sandrabcastro@gmail.com

O lançamento do primeiro livro do Blog Mirante aconteceu nessa terça, dia 10 de maio. Daniela Piroli seleciona para seu post da semana o título homônimo ao livro: Doze Horizontes Um Mirante. Nele ela fala desse momento histórico e emocionante para nós. É um sonho sonhado por doze autores. Vivemos a alegria de receber nossas palavras e horizontes impressos e lançados ao mundo. E, junto serão acolhidos carinhosamente pelos convidados queridos, testemunhas de nossa jornada. 

Entre os meus queridos estavam minha filha Camila, genro Lucas, amigas(os), e, um muito especial: meu netinho de cinco anos – João. Ele quando soube que a avó iria lançar um livro ficou curiosíssimo. Que historinhas seriam essas? Queria saber.

Ele foi capturado pela magia dos livros, e também pelas histórias que sempre contamos para ele. Gosto de incentivá-lo. Esse é um momento de alegria para nós. Desde novinho, João escuta diversas historinhas e recebe todo mês um livro da sua Bisa Célia e  da avó Ana Clara, que assinaram numa editora esses envios mensais. Leio, conto, invento e assim entramos num mundo mágico. O momento ideal que achamos foi na hora em que ele vai dormir. Com o tempo começou a solicitar – “e a historinha?” Foi entrando no mundo das letrinhas que ele tomou gosto pelos livros. A hora de dormir tornou-se especial e lúdica para nós. 

Lembrei-me, também, das coletâneas infantis com as quais presenteei às minhas sobrinhas. Posso dizer que as que possuem a melhor escrita atualmente (já adultas), são aquelas que colocavam as mães para lerem infinitas vezes os contos ali presentes.

Assim são os livros, estimulam a linguagem e a imaginação, ampliam vocabulário, senso crítico e lúdico. Eles ajudam as crianças a elaborarem seus sentimentos e emoções que são conflituosos quando estão em desenvolvimento. Os bons livros apontam para questões éticas que na fase de crescimento são importantes.

Voltando ao nosso projeto, agora concretizado num livro, que além de nos ninar em sonhos, o ninamos nos braços. Acolhemos nossas palavras, e, como autografado por Luíza Bahia no meu Doze Horizontes Um Mirante, que elas sirvam de encanto e espanto. E tomo como meus, os dizeres:

Juro que nem nos meus melhores sonhos imaginei um momento como o de ontem. A pandemia nos tirou tudo, até os sonhos. E ontem estávamos lá. Todo mundo junto, celebrando o encontro e a escrita, livres de máscaras.” (Daniela Piroli).

“Letras e sonhos realizados.” (Peter Rossi)

“Obrigada pela companhia nessa jornada de palavras.” (Taís Civitarese)

Todos trazendo para seus autógrafos a alegria em compartilhar nossa obra e viagem. A Victória Farias, nossa editora, ficam meus agradecimentos pela paciência de receber meus textos no último toque do sino e pela gentileza em “obrigada pelas certeiras palavras das quintas.”

Agradeço a todos que me (nos) lêem e que chegaram e chegam para celebrar nossa conquista no mundo das letrinhas.

Estamos juntos nesse ninar de palavras, ou melhor, como diz João “de historinhas” – um acerto bem acentuado no segundo i.

E vamos que vamos… Estaremos na Bienal Mineira do Livro no dia 14 de maio entre 14h e 15h para mais comemorações.

Atéée!!!

*

Foto: Luísa Bahia

*
Curta: Facebook / Instagram

2 comentários sobre “Um livro para ninar

  1. Muito bom ler depoimentos de sonhos realizados. Somos movidos pelo desafio da conquista e saciados pelo doce sabor da realização.
    Sucesso para vocês, é meu abraço para Sandra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.