O elo perdido

Peter Rossi Sempre achei o Tio Allan o máximo. Alto, esguio, magro e, sobretudo atento ao mundo ao seu redor. Gostava de conversar com ele, da sua risada contida, dos seus gestos à moda inglesa. Era um homem muito bonito e certamente encantou as meninas de sua época. Existiam e existem histórias e lendas mil a seu respeito, mas falar nisso demandaria páginas e páginas … Continuar lendo O elo perdido

Simplesmente

Peter Rossi Nada melhor que uma boa sesta, estirado no sofá da varanda, depois de um lauto almoço. Nosso corpo parece se derramar de tanta preguiça. Fechei os olhos e sonhei. Não me lembro o tema, só que acordei assustado. Deve ter sido algo aterrador pois meu corpo, arrepiado, temia por uma rajada de vento. Continuei deitado do sofá, olhando pro teto, com pensamentos absolutamente … Continuar lendo Simplesmente

O QR CODE

Peter Rossi A pandemia, embora ainda recente, já “comemora” quatro ou cinco anos. Muitas mudanças foram introduzidas em nossos hábitos, sendo as mais conhecidas os seguidos passeios a farmácias e supermercados. De fato, muitas coisas mudaram desde então. Estamos vivos para contar essa história. Além do uso contínuo das máscaras, que entupiam o porta-luvas dos nossos carros, não largávamos os potinhos de álcool-gel. Um parêntesis: … Continuar lendo O QR CODE

Uma esquina vazia

Peter Rossi Acabei de receber a notícia que o Marquinho, morador de rua, que ficava na esquina da Rua Alvarenga Peixoto com Rua São Paulo, faleceu essa madrugada. Foi espancado ontem. Ninguém dá notícia de quem fez essa atrocidade. Até o presente momento, nenhuma das câmeras espiãs deu notícia de nada. Veio a polícia e ele foi internado no hospital. De lá não saiu, os … Continuar lendo Uma esquina vazia

A tal inteligência artificial

Peter Rossi Muito se tem falado sobre a tal inteligência artificial. Nós, mais rodados, ficamos a princípio com medo: medo de que a máquina substitua o homem — realidade já existente, ainda que de forma parcial; medo de que a máquina adquira vontade própria e, como nos antigos filmes de ficção científica, acabem destruindo umas às outras e de resto todo o mundo. Por outro … Continuar lendo A tal inteligência artificial

Recolhimento

Peter Rossi Diante da ameaça de nova mudança de rumos pelas quais estamos sujeitos a passar, dessa vez por causa da dengue, mergulhei nos sentimentos vividos por todos nós nos últimos anos. À minha direita uma janela fechada. Ouço através dos seus vidros, o barulho de uma chuva insistente. Isolado de frente ao computador, fico pensando no que resultou todo esse recolhimento a que fomos … Continuar lendo Recolhimento

As horas, o relógio

Peter Rossi   Quando somos crianças um dos momentos mais felizes é quando descobrimos como “olhar” as horas. Era mágica essa ocasião. Às vezes, meninos, usávamos os relógios só para ornar nossos bracinhos, mas não tínhamos a mínima noção do que estavam a marcar. Até que chega um dia que nossas mães pegam um prato de bolo, daqueles de festa, feito de papel, e no … Continuar lendo As horas, o relógio

Teatro dos sonhos

Peter Rossi   A infância de qualquer menino em Nova Lima teve momentos em que encenada na escuridão de uma sala de cinema, na verdade uma sala de espetáculos das mais belas. Uma arquitetura ainda mantida – coisa das mais raras hoje em dia – na esquina de uma igreja das mais belas. O Teatro Municipal, esse prédio imponente em que a função virou nome. … Continuar lendo Teatro dos sonhos