O fracasso do Diabo

Guilherme Scarpellini Daniel se afastou de Deus. Bebia demais, vadiava demais e de mais a mais, se metia em toda sorte de confusão. Atento às transgressões de Daniel, o Diabo encontrou nele as condições perfeitas para se manifestar. Tratou de materializar na vida do jovem infrator os seus truques imundos, seus jogos obscuros e suas tramas cheias de maldade. Uma noite dessas, Daniel dirigia bêbado. … Continuar lendo O fracasso do Diabo

Dia do Rei

Guilherme Scarpellini Li que o governo brasileiro cogitou trazer o coração de Dom Pedro I, que está preservado em formol e guardado em uma igreja de Portugal, para as comemorações do bicentenário da Independência. O que me levou a recordar a história do povo de São Benedito do Padecimento, um pequeno povoado na divisa com o fim do mundo, onde as antigas tradições são firmes, … Continuar lendo Dia do Rei

Doze horizontes, um mirante. Crédito: Anaísa de Ávila

Doze horizontes Um mirante

Daniela Piroli Cabral contato@danielapiroli.com.br Ontem foi um dia muito especial para nós do blog Mirante pois foi o lançamento do nosso livro “Doze horizontes, um mirante”, pela editora Sete Autores. Mas antes de começar escrevendo sobre o nosso filho que nasceu ontem eu preciso começar dizendo que não sei se estou mais feliz de ter um livro publicado ou de ter podido comemorar o fim … Continuar lendo Doze horizontes Um mirante

Dia especial para os miranteiros

Eduardo de Ávila Somos doze, os autores dos livros, porém já chegamos a 14 e – acredito – vamos ficar nesse número oferecendo duas leituras por dia. Sem repetir autor, nossa confraria literária conseguiu reunir uma turma plural e engajada, que hoje – culminando – lança um compilado com algumas das crônicas já publicadas ao longo desse tempo que estamos juntos. Convém registrar a fundamental … Continuar lendo Dia especial para os miranteiros

Assassinatos em vida

Guilherme Scarpellini Nunca uma questão havia tirado o sono de Jorge como esta: como matar a mulher com quem dividiu o colchão, o espaço na frente do espelho do banheiro e até mesmo a torrada no café da manhã, ao longo dos últimos cinco anos? Jorge não fazia ideia de como deveria proceder. Mas sabia que tinha de fazê-lo por uma via rápida, indolor, eficiente … Continuar lendo Assassinatos em vida

Farsa

Guilherme Scarpellini Li em algum lugar que a mente ocupada é inimiga da criatividade. Pura verdade. Em semanas como esta, que não parei para ouvir música, ler ficção e olhar para o meu umbigo, eu não consigo escrever. Não por acaso escritores se isolam. O melhor lugar para escrever é onde se ouvem os grilos. Com a mente inquieta, nada de produtivo vem a ela. … Continuar lendo Farsa

Onde habitam os fantasmas

Guilherme Scarpellini Alguém precisa fazer o trabalho sujo, e Sebastião o fazia de mau humor. Limpar os banheiros da rodoviária certamente não é o tipo de serviço que você faz sorrindo. Com pouca saúde, quase nada de instrução e menos ainda de dinheiro, foi o que sobrou para Sebastião. Não bastasse ter de pôr a mão na merda, o maldito lugar era ainda mal-assombrado, pelo … Continuar lendo Onde habitam os fantasmas

A última refeição

Guilherme Scarpellini Dois ovos mexidos são indispensáveis no café da manhã de Décio. Ele apanha sempre os mais graúdos na porta da geladeira, quebra a casca na quina da frigideira e despeja clara e gema na manteiga quente. Foi justamente ao quebrar o ovo pela manhã que Décio quase morreu de susto. Lá dentro não havia clara nem gema, mas um filhotinho de réptil. Isso … Continuar lendo A última refeição

Nosso Livro

Nascemos como nascem todos. Em 2018, duas pessoas resolveram se juntar e chegaram à conclusão que o que tinham à vista já não era o suficiente. Para preencher o vazio com o qual a existência nos sufoca dia a dia, era necessário olhar para o Horizonte. Como todas as junções onde o amor impera, a multiplicação foi apenas mais um traço do destino. Quando os … Continuar lendo Nosso Livro

A simbologia da bofetada

Guilherme Scarpellini Will Smith desceu uma bofetada contra o rosto de Chris Rock durante a cerimônia do Oscar, e diversas análises surgiram. Um episódio de inaceitável violência, disseram alguns. Uma violência de um inaceitável episódio, disseram outros. Mera encenação, concluíram os mais céticos. Fato é que o tabefe foi simbólico, seja ele real, fictício, desprezível, heroico, a depender do gosto da freguesia, que ainda consome … Continuar lendo A simbologia da bofetada