Fotojornalismo: Filme Guerra Civil

Sandra Belchiolina O terceiro olhar sobre a trilogia que me propus escrever com temática fotógrafos de guerra é sobre o filme recém-lançado no Brasil, Guerra Civil. As outras crônicas são – A foto do ano, horror que nos assola e Fotojornalismo: crianças e as mazelas do mundo. Hoje o fotojornalismo será abordado pela ficção desse filme distópico, onde o cenário de guerra transcorre em um … Continuar lendo Fotojornalismo: Filme Guerra Civil

Fotojornalismo: crianças e as mazelas do mundo

Sandra Belchiolina Na crônica A foto do ano, horror que nos assola faço referência a foto que ficou em primeiro lugar no concurso World Press Photo. É um click que denuncia as mortes de crianças na guerra entre Israel e Hamas. Outra foto denúncia que causou polêmica e também premiada é aquela que retrata uma criança agachada e um abutre na espreita. A foto mencionada … Continuar lendo Fotojornalismo: crianças e as mazelas do mundo

Pra onde tenha Sol É pra lá que eu vou

Sandra Belchiolina Essa é a introdução da música “O Sol”, da banda Jota Quest. A crônica de hoje poderia ser muito bem sobre viagens, mas dessa vez não. Refere-se à lembrança de uma jovem que atendi no consultório de psicanálise. A chamarei de Sol, como o personagem da sua cantiga de ninar. Ela, jovem, bonita, com seus 19 anos, chega até mim relatando sua trágica … Continuar lendo Pra onde tenha Sol É pra lá que eu vou

A foto do ano, horror que nos assola

Sandra Belchiolina A foto do ano (2024) prêmio concedido pelo concurso World Press Photo foi de uma mulher Palestina abraçando o corpo de uma criança. É uma premiação do fotojornalismo, aquele em que a imagem fala por si só, retratando a realidade. Click registrado por Mohammed Salem da agência de notícias Reuters. Quando a vi na internet, a visão do horror me trouxe memórias e … Continuar lendo A foto do ano, horror que nos assola

Eterno Menino Maluquinho

Sandra Belchiolina Na poesia O embalo A luz ascendeu para krenak Lá na Academia Brasileira de Letras O planeta agradece A luz apagou para Ziraldo espera aí Continua a brilhar E Meninos Maluquinhos a brincar Ziraldo agora é estrelinha no meio de muitas outras estrelinhas preciosas que passaram por nossas vidas. Ele nos deixa um legado enorme com seus muitos personagens, com sua resistência e … Continuar lendo Eterno Menino Maluquinho

Encontros e despedidas

Sandra Belchiolinasandra@arteyvida.com.br Semana de Páscoa — renascimento, flores e frutos que se abrem no hemisfério norte. Sementes semeadas no hemisfério sul, promessas de frutos e flores futuras. Entre esses momentos de comemorações e brindes à vida, há aqueles que partem. O que me faz lembrar da canção de Milton Nascimento “Encontros e despedidas”. Todos os dias é um vai-e-vem A vida se repete na estação … Continuar lendo Encontros e despedidas

Lutas que valem as vidas

Ailton Krenak, da etnia que seu nome carrega, foi o primeiro indígena eleito para a Academia de Brasileira de Letras. Mineiro que desde os anos 80 ele foi um dos expoentes da causa indígena no Congresso Nacional. O escritor e filósofo é um grande divulgador da visão cosmopolita do universo que os povos originários possuem. Considera que o consumismo desenfreado, falta de respeito com o … Continuar lendo Lutas que valem as vidas

Uma vila que respira música – Cumuruxatiba

Uma crônica comporta relato além do que vivenciamos na realidade. Contudo, o que vou falar é pura realidade de uma vila. Certa manhã, acordei para fazer uma filmagem/recitação da minha poesia A terceira margem das águas. Escolhi recitá-la à beira do mar, onde o rio Barrinha deságua no oceano Atlântico – cenário perfeito para o poema. Nascer do sol, os barcos que levam os pescadores, … Continuar lendo Uma vila que respira música – Cumuruxatiba