Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Agência Brasil

Até que os democratas nos separem

Victória Farias Fins de relacionamentos são sempre complicados e dolorosos. Algumas pessoas preferem fazer um escândalo – gritar para todo o mundo que “nada quebra como um coração”. Já certos Chefes de Estado, que alimentavam um relacionamento extraconjugal entre si, preferem o silêncio. Dizem as más-línguas que um diálogo até tentou ser restabelecido entre eles […]

Leia Mais

Alusão

Victória Farias Lunação Prólogo A Lua, depois de pedir conselhos para cinquenta astros e estrelas diferentes, ouviu exatamente o que queria. Finalmente – pensa – enquanto as palavras saem da boca do seu interlocutor. As mesmas palavras que brilhavam em sua mente constantemente como uma supernova. Estava aliviada. Um redentor, transvestido de razão, levou embora […]

Leia Mais

Independência ou morte - Pixabay

Independência ou morte

O que era para ser uma cópia da Revolução Francesa, com pessoas tomando as ruas e ocupando lugares em uma comovente e profunda revolução social, acabou sendo uma reuniãozinha para duas ou três pessoas que estavam passando no bairro e ouviram o que ia acontecer. No quadro, pintado de cabeça por quem viu tudo, é perceptível uma mistura de espanto e assombro no rosto dos expectadores, como se dissessem: o que esse cidadão está fazendo, pelo amor de Deus?

Leia Mais