Utilidades e inutilidades das redes sociais

Eduardo de Ávila Refratário que sou com todas essas ferramentas e avanços tecnológicos, assumo minha condição de crítico dessa doença que tanto mal faz a todos nós, usuários ou não destes recursos. Sou um verdadeiro jurássico. Confessamente resistente, porém usuário de parte dessa parafernália que – ao que sinto – tem me feito mais mal que os benefícios e agilidade que proporciona. A todo dia … Continuar lendo Utilidades e inutilidades das redes sociais

O sentimento dos animais

Eduardo de Ávila Nunca neguei minha dificuldade em relacionar com bichos e mesmo bichinhos domésticos. Quando eu era criança, motivado pelo papai, cheguei a ter muitos passarinhos e até mesmo de outras espécies menos comuns. Mas era ele, papai, quem cuidava das gaiolas e da alimentação que deveria ser feita diariamente. Eu só posava de dono daquele tanto de aves e até mesmo de um … Continuar lendo O sentimento dos animais

Girondinos e Jacobinos dos tempos contemporâneos

  Eduardo de Ávila Desde 2013, quando teve início uma ação da elite conservadora – que contaminou grande parte da sociedade brasileira – estamos assistindo e vivenciando uma silenciosa luta de classes. Sem entrar em teorização com os fatos históricos, a realidade é que aqueles com poder financeiro, e, consequentemente de manipulação da mídia, contaminaram a classe média e ainda os fiéis de pragmáticas igrejas … Continuar lendo Girondinos e Jacobinos dos tempos contemporâneos

Tragédia e oportunismo eleitoral

Eduardo de Ávila Desde sábado, muitos entre nós passamos horas grudados na televisão (sou confessa e assumidamente resistente em assistir qualquer das emissoras), rádios e redes sociais em busca de entender melhor essa catástrofe que se abateu sobre Minas Gerais. Comigo começou cedo com a interrupção da BR 262, que liga Belo Horizonte à minha doce e querida Araxá. Logo depois, com o transbordamento da … Continuar lendo Tragédia e oportunismo eleitoral

Que feliz ano podemos esperar?

Eduardo de Ávila Foram inúmeros os votos de paz, sucesso e alegrias no ano que começou no final de semana. Lá nos idos da infância, no meu caso anos 60, era crível imaginar que os bons propósitos tinham o poder de mudar o curso de hábitos que incomodavam nossos dias. Talvez pela inocência da idade, no embalo de novos tempos, nós, crianças, começámos bem comportados … Continuar lendo Que feliz ano podemos esperar?

Que venha 2022

Eduardo de Ávila Estamos na última semana do ano, que se não foi tudo o que desejávamos, serviu para boas e profundas reflexões. Diferente da temporada anterior, embora boa parte ainda em isolamento social, pudemos experimentar bons avanços no trato com a pandemia e nas relações pessoais. A ciência e medicina avançaram no combate, prevenção e tratamento dessa doença que pegou a nós todos de … Continuar lendo Que venha 2022

Amar em tempos de ódio

Eduardo de Ávila Desde nossa infância, no meu caso já se passam mais de seis décadas, ouvimos que o Natal e Ano Novo são momentos de renovação. Além dessa reta final de dezembro e ano que se finda, também o aniversário sugere um recomeçar. São tempos de reflexão e de doação, onde fazemos votos de uma nova fase cheia de alegria e amor. Já faz … Continuar lendo Amar em tempos de ódio

Papai Noel chegou

Eduardo de Ávila Quem me conhece e também me acompanha sabe que todo dezembro, desde 2012, visito creches, asilos e escolas de inclusão. Somente em 2013 e 2020, o primeiro em função de uma viagem (com o meu Galo para o Marrocos) e o outro pela pandemia (isolamento social), essa missão ficou comprometida. Ainda assim, nas duas ocasiões, tive a oportunidade de alegrar algumas criancinhas. … Continuar lendo Papai Noel chegou

Nem isso e nem aquilo

Eduardo de Ávila Faltando menos de um ano para as próximas eleições estaduais e federal, o quadro começa a se delinear. Em 2018, sob o efeito e efetiva participação da rede de televisão que – ao longo de décadas – vem manipulando a opinião pública, tivemos um pleito contaminado por mentiras e até mesmo decisões judiciais. Com isso, no conluio, mídia e judiciário afastaram o … Continuar lendo Nem isso e nem aquilo

“Lembra-te que és pó, e ao pó hás de voltar”

Eduardo de Ávila Essa frase, nos meus tempos de criança lá na minha saudosa Araxá, era marcante e ficava bem na porta de entrada do cemitério. Naquela fase da vida, já comentei aqui em postagens anteriores, detestava essa afirmação de que um dia todos nós vamos partir para a eternidade. Aliado ao fato insano de quem insinuava que os mortos iam puxar os pés dos … Continuar lendo “Lembra-te que és pó, e ao pó hás de voltar”