Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Entretenimento barato

Imagem: Reprodução
Imagem: Reprodução
Victória Farias

Porque Amazon e Netflix custam menos do que um ingresso de cinema.

A sétima arte é uma coisa que me pega pelo pescoço. No meu tempo livre, aos finais de semana, gasto os minutos cronometrados em longas – e raramente em séries – que podem trocar minha preocupação pela politica brasileira por uma menos dolorida.

Me concentro na fotografia – por pior que seja, mas aprecio-a quando boa – e no roteiro. Rio sozinha de scripts ridículos e sinto meu coração derreter em diálogos profundos pensados por roteiristas inspirados nos mais intocáveis e inimagináveis sentimentos. Em outros casos, claro, me pergunto se alguma vez eles disseram aquilo em voz alta e pensaram: será que isso faz realmente sentido? Não tinha ninguém para avisar que não?

Geralmente não levo essa discussão sobre construção do entretenimento para fora da minha cabeça. Cada um aprecia as atuações como bem entender – fazendo outras coisas, prestando atenção na música de fundo, jurando que já viu aquela atriz em outro lugar, só não lembrando onde, até que isso o consuma por dentro e não consiga pensar em qualquer outra coisa. Alguém aí já ouviu falar da Paula Boudreau? Não? Pois acho que sim.

Contudo, tenho um problema com séries. No afã de querer saber o que acontece com meu personagem preferido, acabo me estrangulando em episódios eternos de temporadas intermináveis. Por isso, sempre que alguém me indica um conteúdo dividido em partes, digo: “vou adicionar a lista”. Que existe, só não está presente no plano físico e por isso não pode ser consultada. Mas acreditem, é enorme.

Essa fase da quarentena, a do entretenimento na tela para se distrair do trabalho na tela, chega para todo mundo. Mais cedo ou mais tarde, todos vão acabar xingando alto a relação de filmes indicados ao Oscar e pensando: será que o mundo do entretenimento acabou em 2017 e eu fui a última a saber disso? Bom Deus, não se fazem mais histórias como antigamente.

*
Curta: Facebook / Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.