Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Contardo Calligaris: você está à altura

Foto: Instagram @contardocalligaris
Contardo Calligaris: você está à altura – Foto: Instagram @contardocalligaris
Sandra Belchiolina
sandra@arteyvida.com.br

Não dá para precisar a importância de Contardo Calligaris na minha formação psicanalítica. Identifico sua transmissão efetuada de forma sutil, humorada e profunda que me marcam. Ele foi e continuará sendo uma referência em pensamento crítico e científico para muitos de nós.

A primeira crônica que li, foi-me apresentada em tempos da formação em psicologia. Não sei o nome, mas até hoje a cito em conversas como a da semana passada com amigos.

O assunto é sobre a forma do brasileiro e seu “complexo de patinho feio”. O autor cita que os primeiro cidadãos que vieram de Portugal para o Brasil, em seus desejos e referências mantiveram como o bom lugar lá, além terra brasileira. 

Enfim, há mais de 25 anos os textos de Calligaris são reflexões para mim. A princípio por considerá-los inteligentes, posteriormente por admirar sua forma de transmitir a psicanálise em pequenas pinceladas e sutilmente inserir seu saber. Ele aborda temas delicados como em “Minha Covardia me da vontade de agredir quem ousa viver do seu jeito”¹. Nela ele apresenta o filme Divinas Divas de Leandra Leal:

“Qualquer uma das artistas, hoje idosas, poderia cantar que ela viveu ‘do seu jeito’, e o efeito em mim seria o mesmo: uma espécie de reverência diante da coragem de quem se aventura a viver encarando o que vier (do escárnio ao ódio) para respeitar seu próprio desejo.”

E termina a crônica: “Parêntese. Engraçado, é sempre assim: quanto menos a gente entende, tanto mais a gente parece ter ideias claras e definidas.” Isso é Calligaris – aberto para o saber e para transmissão.

Em 2020 pude assisti-lo numa entrevista junto a outros colegas. Em certo momento o assunto foi a minisérie da Netflix, Freud.  Alguns colegas torceram o nariz com relação ao conteúdo da película e Calligaris, numa de suas tiradas irônicas, diz que adorou e que Freud estava um “gato”. Relata que o pai da psicanálise teve uma vida de realizações e enfrentamento de suas angústias. Escrevi sobre em Freud no Tempo do Coronavírus². Creio que Calligaris deixou sua marca nisso e apresentou esse outro olhar para algo que vemos e que poderia ser igual, mas não é. Fiquei também com o que é aproveitável da ficção sobre Freud. 

Novamente sua influência aparece e o cito na crônica “A Revolução dos Bichos”³. Ele foi um homem politizado e que viveu muito enfrentamentos e seus escritos mostram isso.

Em plena pandemia, em entrevista, fala de seu desejo de menos necessidades materiais. Exemplifica se observando e coloca que tem dois carros na garagem e que precisaria apenas de um. 

Escreveu para Folha de São Paulo por mais de 20 anos. Sentiremos falta de suas ponderações. Quando o psicanalista percebeu que estava no final de sua vida disse: “espero estar à altura“. Ele mantém sua palavra viva.

Parêntese: escolhi a foto para o post pensando que ele iria gostar, pois está muito sensual.

*

Referências

¹https://www1.folha.uol.com.br/colunas/contardocalligaris/2017/06/1896755-minha-covardia-me-da-vontade-de-agredir-quem-ousa-viver-do-seu-jeito.shtml

²https://blogs.uai.com.br/mirante/2020/04/09/freud-no-tempo-do-coronavirus/

³https://blogs.uai.com.br/mirante/2020/07/16/a-revolucao-dos-bichos/

*

Curta: Facebook / Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.