Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

O que é saúde mental?

AAE Stress Resilience
AAE Stress Resilience
Daniela Piroli Cabral
contato@danielapiroli.com.br

O mês de Setembro acabou e, depois de envolvida em muitas atividades e palestras sobre prevenção ao suicídio – durante o Setembro Amarelo – , fico muito feliz em reiniciar a participação no blog Mirante, continuando a falar sobre o tema. 

Na verdade, sabemos que os dois principais fatores de risco para o suicídio são o histórico de tentativas, e a presença de transtornos mentais e comportamentais. Sendo assim, o suicídio pode ser compreendido como a triste e irreversível consequência de um processo prévio e complexo, que envolve o adoecimento mental.

Na semana passada, houveram diversas comemorações pelo Dia Mundial da Saúde Mental, celebrado no dia 10 de Outubro, e eu não poderia deixar de falar sobre o tema. 

Mas, espera um pouco. O que é Saúde Mental?

Assim como a Organização Mundial da Saúde define, a Saúde é o completo bem estar físico, mental e social, e não somente a ausência de doenças.

Nesse sentido, a Saúde Mental não pode ser entendida meramente como a ausência de algum tipo de transtorno, mental e comportamental. Ou seja, o fato de uma pessoa não ter o diagnóstico de depressão moderada, de ansiedade generalizada ou de transtorno afetivo bipolar, por exemplo, não assegura que esta pessoa tenha uma saúde mental estável.

O “Capítulo V” da lista de Classificação Internacional de Doenças (CID), que diz dos transtornos mentais e comportamentais é extenso. 

No entanto, o fato de não estarmos classificados em um dos seus inúmeros “CID F”, não significa que estejamos em pleno gozo da saúde mental.

A Saúde Mental vai além da ausência de transtornos mentais e comportamentais e passa por um estado de bem-estar em que o sujeito é capaz de reconhecer suas capacidades e limitações e de perceber o seu papel social, tornando-se agente de sua própria história. 

Esse estado passa pela satisfação no trabalho, por relações familiares e sociais igualitárias, sem abusos ou violência; passa pelo exercício cotidiano da cidadania, pelo direito de professar a fé ou praticar a sexualidade sem preconceitos ou julgamentos, entre outros.

Assim, o reconhecimento de sinais e sintomas, e a busca por ajuda é fundamental para a assistência em Saúde Mental, mas é preciso compreender que é muito importante trabalharmos na prevenção, na redução de estigma e tabus sobre o tema. Como disse em uma das palestras no mês passado, “deveríamos conseguir falar com naturalidade sobre saúde mental como conseguimos falar sobre a dengue e o sarampo.” 

Saiba mais: 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.