Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Reactio quae sera tamen

Após duas rodadas e igual número de derrotas que nos jogaram, depois de cinco anos, naquele desconforto de zona do rebaixamento, finalmente o Galo reagiu e deu indícios de uma definitiva recuperação. Durante os últimos sete dias foi difícil conviver com a nossa própria bipolaridade. Lia, ouvia e sentia uma reação inadequada à nossa história e, especialmente, aos últimos tempos e ao elenco que o Galo tem no momento.

É bem verdade que as últimas atuações, para contribuir com tudo isso, vinham sendo decepcionantes. Notadamente nas duas derrotas consecutivas. Na primeira, perdemos para um time fraco, que disputa fugir das últimas posições nos últimos anos, e na outra – embora tenha sido para o líder – o Galo apresentou um futebol decepcionante.

jogadores comemorando gol na ponte preta - 19-06-16

Nada como um jogo após outro jogo. Se ainda não podemos dizer que o time foi impecável, ficou a certeza de que o compromisso com a camisa preta e branca voltou a determinar o ritmo dos jogadores em campo. Atribuo isso ao profissionalismo dos dois equatorianos. Erazo e Cazares viajaram horas durante a noite de sexta-feira e madrugada de sábado para se colocarem à disposição e em busca dessa reabilitação.

Ficou comprovado que os desfalques vinham sendo responsáveis pela péssima campanha até o momento. Bastou, embora ainda com duas baixas apenas, a volta dos jogadores de seleções e departamento médico para o time se reencontrar. Antes da partida, ao anunciar a escalação, alguns mais afoitos ainda criticaram as mudanças. Diziam que aquele time nunca havia treinado junto. Ora, para quem sabe jogar, basta deixar a bola rolar e o tempo correr. Taí o resultado.

time comemorando gol com a Ponte - 19-06-16
Fotos: Atlético/Bruno Cantini

Dissemos ontem, aqui no blog, logo após o encerramento da partida, e é necessário repetir: a Torcida Atleticana fez e faz a diferença. Imagine colocar mais de 16 mil pagantes num domingo pela manhã com o tempo instável (saí de casa todo agasalhado e quase tive insolação), que cantou o tempo todo em apoio ao time em campo. Teve time mineiro que colocou banda de rock e distribuiu caldinho de feijão e levou apenas 796 pagantes ao jogo. O outro talvez distribua caldo de mandioca para os seus torcedores. No caso do Galo, não – o Torcedor é motivado pela paixão. Foi nesse embalo que o placar foi sendo construído.

Com quase todos os titulares disponíveis, finalmente Marcelo Oliveira pode mostrar a que veio. Ainda temos muito que aguardar. Já na quarta-feira, o compromisso será frente ao instável Corinthians – sempre beneficiado pela arbitragem –, que acabou de trocar de treinador. Uma vitória no meio da semana, com certeza, recoloca o Galo no páreo para o ano. O time, aos olhos do Torcedor, deverá ser praticamente o que jogou com a Ponte Preta. Lógico que, com as recuperações de Pratto e Datolo e ainda o zagueiro Ronaldo e talvez Mina, as opções para o treinador serão mais qualificadas do que as que teve no início do seu trabalho.

Ainda é muito cedo para tanta projeção otimista, mas ficou evidente a mudança de astral do Atleticano. O domingo de Belo Horizonte, com frio ou sol quente, voltou a sorrir. As camisas Atleticanas nos bares, restaurantes e praças voltaram a circular. Sem cheiro de naftalina, como outra que eventualmente sai às ruas, pois a crise foi rápida. E a exemplo da bandeira de Minas Gerais, a “reação ainda que tardia” chegou e libertou o time do lugar que não lhe pertence.

15 thoughts to “Reactio quae sera tamen”

  1. Respeito a opinião de todos, porém concordar é outra história. O irmão Jadir parece não concordar com o General e o Capitão em campo, mas o time com o General no comando é outro. Pode lhe faltar perna, mas a raça e a dedicação ao time contagia o grupo. O M Rocha é muito instável, faz partidas impressionantes e outras muito abaixo, mas continua sendo o melhor LD do Brasil. Mas só de tirar o Patric e o Carioca já melhorou 300%. Não que o Carioca seja mau jogador, é muito talentoso mas tinha que descer do salto. Agora esse Robinho, por mim já teria ido pros quintos dos …….! Com Luan, Pratto, Cazares, Fred, General e o Rocha em campo não tem pra ninguém!

  2. Crédito o dois fatos(ou fatores): profissionalismo dos equatorianos e nova postura da equipe. Os equatorianos me lembraram o jogo contra o Corinthians, quando o Tardelli, jogou logo após ter servido a seleção brasileira…A atitude dele(Tardelli), contagiou o restante da equipe, que jogou muito. Ontem foi a mesma coisa. Com esse espírito, aliado a força da arquibancada, tenho certeza que iremos para o topo. TEM QUE MANTER!!!

  3. Treinador de futebol ganha 300 / 400 / 500 mil reais por mes para organizar um time. No Galo só precisávamos do básico
    Patric na reserva de Marcos Rocha
    Armador jogando de Armador
    Atacante jogando de atacante

    Marcel nao precisa inventar nada com elenco completo para ser adorado pela massa

  4. Muito bom dia, Eduardo!
    Como uma vitória nos faz bem. O ambiente se torna muito mais leve, as coisas fluem de maneira muito mais tranquila e agradável. Sobre o jogo de domingo, pegamos uma Ponte Preta bem complicada, é daqueles adversários que tiram pontos dos times grandes, tradicional escola do interior paulista de futebol.
    No transcorrer da partida, foi o próprio Galo que a tornou de certa forma “fácil”, esse time com um meio campo inteligente, jogando com o “camisa 10” de ofício que é o Cazares funciona muito bem. Gostei da qualidade do Robinho em campo, ele rende muito bem fazendo a sua, atacando e pedalando pela esquerda, sendo municiado por um meia da qualidade do jovem talento equatoriano, é uma arma e tanto. Fred fez bem o pivô, em uma dessas jogadas deixando o Clayton na cara do gol. Clayton que aos poucos vai perdendo a timidez. Os volantes foram firmes e eficientes, Donizete foi o melhor em campo, com um belo gol e Jr. Urso mais preso, deram segurança lá atrás.
    A linha defensiva titular realmente faz muita diferença, as laterais com Marcos Rocha roubando muitas bolas, com destaque para o segundo gol anotado pelo Cazares, oriundo de uma roubada de bola do camisa 2 e um passe. Douglas Santos possui uma sincronia interessante com o Rocha, quando um sai para o ataque, o outro se resguarda lá atrás, ótimo para o Galo ter jogadores inteligentes em campo e que saibam se posicionar.
    A zaga e o goleiro, quando o time passa a funcionar da maneira que foi ontem, ficam muito menos sobrecarregados, nossos bons zagueiros Leonardo Silva e Erazo juntamente com o Santo goleiro Victor agradecem, pois vão ter menos trabalho.
    Marcelo Oliveira, daqui em diante terá boas dores de cabeça, com a chegada de mais reforços vindos do departamento médico e as contratações, vamos encorpando ainda mais para quem sabe a tão esperada arrancada.
    Saudações.

  5. QUERIDOS QUERO AQUI SALIENTAR QUE QUANDO GANHAMOS ESQUECEMOS AS DORES QUE A JUIZADA NOS CAUSA ONTEM FOMOS GARFADOS DESCARADAMENTE EM DOIS GOLS UM QUE O ROBINHO FEZ E O OUTRO EM QUE O MESMO ROBINHO SOFREU O PENALT SE TIVESSE MARCADO NOS NAO ESTARÍAMOS HOJE DEVENDO DOIS GOLS DE SALDO

    1. Perfeita a observação. Realmente fomos prejudicados, mais uma vez. O gol mal anulado, foi aquela “musa” quem errou.

  6. O time tem tudo para ir bem este ano. Só precisa de mais alguns ajustes defensivos, pois continuamos tomando bola nas costas dos laterais e dando oportunidades de gols fáceis para os adversários. Quarta-feira é obrigação botarmos no mínimo 40 mil no Salão de Festas. Eu já comprei o meu. Saudações alvinegras.

  7. Dudu a massa e 1000 1uando quer torcer e sem ser chata, vaiando na hora errada alguns jogadores, mas ainda temos muito para buscar um time, chegou o fim do ciclo de alguns jogadores torcedores, que estão em nossos corações para sempre, serão eternizados como campeões. Mas infelizmente Donizete e Leo não podem mais jogar com a força de antigamente, alguns comentaristas esportivos encobrem erros por comodismo, e não dizem que se vê em campo, Donizete errando passes fáceis e fazendo da defesa o alvo de criticas por falta de controle de bola, fazer o simples, Levir sempre falou e fácil fazer um talento fechar o adversário, dificil é fazer um caneludo jogar o jogo com qualidade, que desejamos em um time, jogar ou fazer como a maioria do nosso fraco futebol. marcar e marcar, sem poder de fogo de ataque, sofrer na defesa, mas ser um time com DNA de atacar e fazer o adversário olhar o galo e temer se sair pra cima coisa que não temos aqui no brasileiro 16, parar de dizer que temos que marcar mais e sim atacar mais, jogar com alegria, saber fazer o jogo, atacar mas com qualidade de passes, qualidade nos jogadores, ver jogador tropeçar na bola, faz muito mau aos olhos, acabou a beleza do domínio de bola o drible, acerto no levantamento de bola, que hoje esta jogadores tem medo de jogar partir pra cima e fazer o simples. acertar passes e cruzar corretamente. Que desejamos de nosso galão da massa, jogar pra frente ou sempre fazer o mais simples, marcar e marcar e jogar por uma bola que sobre da defesa e empatar o jogo ou golear de 1 a zero, chega de cobrar de nossos treinadores, chega de pilhar o presidente pela internet, chega de ser mais chata torcida do brasil e sim ser a massa mais linda do mundo, que apoia e canta o hino com amor e a voz que vem da alma, apoiar nosso jogadores, gritar com toda força galooooooooooo, nosso maior orgulho nossa paixão, acreditar na força que vem da arquibancada, dizer que esta camisa branca e preta faz o mundo tremer, que nosso time faz diferença pela força de um time, jogadores e torcida fazendo minas ser ouvida .

  8. Verdade inconteste que o GALO melhorou e muito, mas o Clayton ainda destoa do elenco, e o Atlético venceu o jogo com menos um em campo. Não sei o que o treinador MO vê nesse Clayton.

    1. Caro JC, o Clayton custou 13 milhões aos cofres do CAM, participou da Seleção sub-23, foi revelação do Brasileiro 2015 e era o artilheiro do Figueirense. A mídia nacional o colocava nas alturas. Nepomuceno foi pessoalmente lá em Florianópolis para contratá-lo. Não deslanchou ainda por circunstâncias do futebol, mas Moliveira com certeza irá colocá-lo nos trinques. Ponho muita fé no garoto e ontem, com chuteiras mais adequadas que as brancas anteriores, teve um rendimento bem superior ao que vinha apresentando.

  9. Bom dia amigo Dudu,
    Estava de férias com a família, e por isso ausente dos comentários no seu Blog, porém lendo às suas resenhas todos os dias. Fico feliz em ver a reação do Maior time de minas, o nosso Galo. Mais uma vez, isso prova que aquele Professor Pardal do Inferno, por motivos ainda não sabidos, foi o responsável pela péssima campanha na Libertadores. A comissão técnica desse incompetente, deveria ser processada criminalmente por ter causado tantas lesões no nosso plantel. Agora é bola para frente, e como você mesmo disse, temos que repensar os planos para esse ano.
    Um abraço, Bica Eles Bicudo, VOLTA KALIL.

    1. Pelo amor de Deus né… Vamos ser sensatos, conseguiu uma vitoria encima de um cachorro morto, não consegue jogar contra time grande, esse Robinho é um tremendo de um safado, está no atletico para ficar mamando na teta. O Atletico só tem tres jogadores, Fred, Pratto e Cazares.. o resto é lixo. Sou Atleticano e vou dizer mais… Se esse Marcelo de Oliveira não sair vamos ficar brigando lá embaixo o campeonato todo.. O certo era mandar o Marcelo embora e trazer o Mano. O Palmeiras mandou o Marcelo embora e o time virou outro.

      1. Respeito sua opinião, tanto que está publicada, mas não concordo com a vossa avaliação. Não estamos mil maravilhas, mas longe desse seu pessimismo.

        1. Eduardo, esse aí é biba, ta falando tudo que deveria estar na outra página. Vontade de torcer pro MAIOR DE MINAS. Se a AAPP é cachorro morto então imagina o zerim?

  10. Eduardo, concordo com suas palavras. Grande MO somente agora está tendo o time que lhe foi prometido. Fico imaginando a capacidade ofensiva e tática da equipe quando tivermos Datolo, Luan e Pratto novamente. Abraços meu caro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.