Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

No embalo da massa

Apesar do mau desempenho do time até a rodada anterior, o Torcedor Atleticano não abandonou o Galo. Mais de 16 mil pagantes, comprovando a máxima do “eu acredito”, incentivaram a equipe o tempo todo. A partida ainda estava no zero e o Atleticano não parava de cantar. Foi assim no melhor estilo e o conhecido fazer o adversário “tremer”, que saiu o primeiro gol. Donizete fez a festa e o goleiro da Ponte Preta só não levou “de costas”, mas a falha foi típica daqueles que temem o Galo quando o entendimento “arquibancada/gramado” funciona.
cazares
Fotos: UAI/Superesportes

Não demorou e veio o segundo gol. Golaço, diga-se. Com a marca do melhor em campo, Cazares. Os dois equatorianos atravessaram a noite a bordo de um avião e chegaram para pôr fim ao sofrimento da massa. Quando a união torcida/jogadores funciona, o resultado não pode ser outro, evidentemente. Quase uma goleada. E para tapar a boca de muitos, até do blogueiro, quem marcou o terceiro gol foi o Carlos, que acabara de entrar. Agora, já fora do desconforto do Z4, o Atleticano já sonha e projeta a reação iminente. Alguns já sinalizam com o G4 ainda ao final do primeiro turno.

Se isso ocorrer de verdade, ou seja, a reação ter sequencia numa série de vitórias, por que não jogar aquele pessimismo recente fora e passar a acreditar não só na classificação para a Copa Libertadores de 2017 e títulos ainda em 2016? Ao que pudemos sentir, a partir de agora, o treinador Marcelo Oliveira tem uma boa base para a sequencia da competição e ainda para a Copa do Brasil. Convocações e eventuais contusões e suspensões ainda irão acontecer, mas com os nomes anunciados e outros ainda para chegar, podemos voltar a sonhar. Sempre no embalo da massa.

8 thoughts to “No embalo da massa”

  1. Ótimo resultado pelas circunstâncias da partida. Com um time agora praticamente titular, depois de oito rodadas “perdidas” pelos muitos desfalques, saímos da “ZR”, deixando alguém lá com a lanterna na mão, e começamos a esboçar uma reação que cria motivação e confiança para avançar e recuperar pontos e o tempo perdido.
    Melhores em campo foram Erazo, Marcos Rocha, Douglas Santos, Cazares e Robinho.
    Clayton é ainda uma incógnita. É muito participativo e não se esconde do jogo, porém tem errado demais no passe final, sendo afobado e “fominha” nas conclusões.
    A torcida precisa ter paciência com esse jovem de vinte anos e promissor jogador, todavia deve ele parar de se achar um craque e buscar fazer o “simples” com mais objetividade e menos “firula”.
    Agora é MO arrumar e ajustar o time que não pode mais dar chances para maus resultados.
    Por fim, não podemos esquecer que o árbitro deixou de assinalar um pênalti claro no Robinho aos 15 minutos do primeiro tempo. Bom a Diretoria reclamar disso na Comissão de Arbitragem e na CBF.
    Afinal nosso Galo é o Clube mais “operado” pela arbitragem na história do futebol.
    Vamos ficar atentos!

  2. SAUDAÇÕES ALVONEGRA. Vem sendo voz muitas vezes solitária aqui de otimismo e esperança. Sei que todos nós atleticanos sempre temos essa fé e esperança pois isso é inerente à nos. Porém entendo os colegas quando questionam o comando a diretoria e os jogadores. Mas pessoal, 9 titulares fazem falta em qualquer time. Ainda mais o nível dos nossos desfalques. Claro que não é a maior maravilha do mundo que já estamos vivendo mas que é promissor com certeza isso é. Cazares joga muito , a zaga está sendo fortalecida e o ataque vai se entrosando. Vamos com fé lotar o mineirão é mostrar ao Brasil que com o Galo com um time mais encorpado vai sim brigar pelo título. BICA BICUDO.

  3. – Gracias, Equador!
    – Clayton trocou de chuteira e foi outro jogador. Ainda vai render muito mais.
    – Carlos é jogador pra dar dois toques na bola. O segundo pra dentro do gol. Que fique na reserva.
    – Pés no chão e confiança. Donizete precisava daquele gol. Cazares, Cazares, Cazares!
    – Time completo a partir de agora, até o próximo jogo das eliminatórias.

  4. Vamos devagar com os elogios. Ainda há muito que se melhorar. O time apenas fez o dever de casa goleando a fraca equipe pontepretana. Quarta-feira teremos um jogo duro e precisamos da mesma força que a torcida demonstrou hoje. Contamos também com um pouco mais de futebol da dupla de ataque badalada Robinho e Fred. Eles podem render mais.
    Os destaques desta vitória foram Marcos Rocha, Donizete e Cazares, jogaram muito!
    Agora é vencer os próximos três jogos em BH e encarar o campeonato de frente.

  5. definitivamente somos bipolares, em um dia falamos que esta tudo acabado no outro achamos que seremos campeões e por estas e outras que fui sou e serei eternamente atleticano galista dodo varrido por este clube que apesar de nao me dar tudo que quero é tudo que eu preciso parabéns galo pela vitoria rumo ao titulo de 2016

    1. Falou e disse. Bipolaridade, seu nome é Atleticano. O GALO que vinha jogando não era, obviamente, o GALO que disputará -para vencer- as duas competições que nos restam. Nenhum time escapa impune de desfalques de nomes como Luan, Datolo, Leo Silva, Erazo, Casares (Monstro! Aguirre era uma besta quadrada por não escalar o garoto!) e Pratto (volta logo, Urso! O ataque com Robinho, Pratto e Fred será mortal!). Voltando os titulares, o GALO é fortíssimo. Se podemos ser campeões? EU ACREDITO!

  6. A torcida foi a torcida do Galo e os jogadores, faram jogadores do Galo, necessariamente nessa ordem!
    Parabéns ao time, e especialmente aos equatorianos, que nao mediram esforços para contribuir e contribuiram muito.
    Vai Galo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.