Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Olhar pra frente

Sem perder, claro, o olhar crítico e necessário, mantenho minha posição de apoio ao time e as ações da atual diretoria. Meu primeiro contato com o presidente Sérgio – que gosto de dizer, assina Coelho, mas é Galo de alma – se deu em meados do ano passado. Mantenho com ele uma relação de absoluta fidalguia e respeito, sem que um interfira nas ações do outro. Cabe a ele a gestão do clube e a mim a produção de crônicas diárias do nosso Galo.

Quanto aos demais, reafirmo conhecer o Zé Murilo de outra gestão; com os benfeitores apenas uma única vez tive uma rápida prosa com o Ricardo Guimarães e os demais absolutamente nada – seguramente nem sabem da existência desse blogüeiro – e, já com os demais diretores, comissão técnica e elenco apenas os conheço pela minha Atleticanidade histórica e de arquibancada.

E, muito antes de estar blogüeiro, o que tem apenas seis anos e pouco, ao lado de muitos entre os leitores deste espaço, compartilhávamos e nos acotovelamos no cimentão e sol escaldante do antigo Mineirão. Sempre dando força ao time e apostando nas diretorias do Galo. Não será agora, com uma projeção otimista de futuro, que vou virar essa chave. Quem acreditava nas conquistas de 2021? Nem eu e nem muitos, talvez alguns sonhassem com essa possibilidade, mas continham até em contar esse sonho e ilusão.

Pois que, ganhamos tudo. Brasileirão, Copa do Brasil e até a Supercopa da cbf/tv, que ao lado do urubulino carioca sonharam para tentar apagar as conquistas do Galo. Deus é Atleticano e entrou em campo. Empatou aquele jogo e fez a cbf/tv/flamídia sofrer até a última penalidade. Foi cruel com o Belzebu que merecia esse sofrimento até reafirmar que Justiça Divina venceu aos desmandos dessa dupla que massacrou a credibilidade e o próprio futebol brasileiro.

E, neste momento que estamos vivendo, as forças do mal – capitaneadas pelas mesmas duas siglas – incomodadas com a reorganização administrativa e financeira do Galo, age nos bastidores – os porões imundos dessa gente no Rio de Janeiro, um na Barra e o outro no Jardim Botânico. Ambas cheiram a mofo e podridão. Agem às escondidas para manipular a opinião pública e até mesmo – no caso do futebol – aos interesses que passam à margem da moralidade.

E é contra esse sistema podre e nocivo que a reformulação de gestão e metodologia administrativa do Galo vem incomodando. Subliminarmente essa gente fomenta a discórdia entre os Atleticanos. Vou fazer uma conta matemática (aritmética como era nos meus tempos de primário), sobre a possível alienação dos 50% do Diamond que ainda pertencem ao Galo.

A renda anual que o clube recebe é de 10 milhões de reais (ao que sei é apenas nove e dez foi para arredondar). O Galo tem uma dívida onerosa e histórica que está acima dos 600 milhões, pagando juros decorrentes dela da ordem de 90 milhões anuais. Ao que ouço, essa metade do shopping vale 300 milhões que no caixa do clube e bem negociado (especialidade dos 4Rs e do presidente e seu vice) deverão abater consideravelmente e acima da metade desse passivo com terceiros, liberando e oxigenando a vida financeira do Galo.

Some-se a isso, segundo também o que tenho lido e ouvido, o estádio do Galo em pleno funcionamento irá gerar uma renda anual acima dos 100 milhões para serem investidos no time e – consequentemente – naquilo que a Massa mais quer. Vitórias, conquistas e muitos títulos. Então caríssimas e caros, embora para alguns ainda prevaleça a tese de que patrimônio não se vende e outros do gênero, penso que uma gestão profissional – como a que temos – sabe melhor que muitos palpiteiros sem argumentos próprios ou convincentes de que o futuro próximo e bem melhor está à nossa frente. Como dizem os mesmos que defendem “patrimônio não se vende” já ouviram e sabem que “cavalo arreado não passa duas vezes na mesma porta”.

É como penso, e reafirmando embora nem precisasse pois já deixei isso claro ao longo dos tempos, sem a pretensão em ser dono da verdade. Apenas um Atleticano querendo em vida viver dias melhores do nosso Galo.

*imagens: 1) blog; 2) divulgação

17 thoughts to “Olhar pra frente”

  1. Sou favorável à venda do Diamond, desde que seja muito bem esclarecido: quem comprou, qual a finalidade do dinheiro da venda, quem são os credores que serão pagos, quanto de juros conseguimos abater e, por fim, imprescindível que seja criado um novo estatuto que impeça a bagunça nas finanças do Clube futuramente.

    Salientando que metade do Shopping vale pelo menos 400 milhões de reais.
    Qualquer valor abaixo disso é manta pro Galo. Estamos de olho.

  2. Boa tarde !
    No buraco em que os dirigentes do passado nos colocaram, e não irão se haver com isso, parece que a venda do shopping irá acontecer. Uma pena que iremos perder esse patrimônio, que um dia foi o nosso estádio Presidente Antônio Carlos. Perdemos uma vez o terreno para prefeitura , devido a dívidas. Só não ficamos sem o terreno porque tinha uma condição que se a prefeitura não desse determinada destinação ao terreno ele voltaria para o Galo. Mesmo assim quase que não volta , não fosse a iniciativa de um abnegado Atleticano que correu atrás, porque se dependesse de dirigentes da época, ficaríamos sem o terreno.
    Parece que está escrito pelo destino que devemos ficar sem esse pedacinho do bairro de Lourdes.
    Espero que o mesmo não aconteça com a sede de Lourdes. Quando criança meu pai sempre nos levava a sede para ver as taças e quem sabe encontrar com algum jogador. Tinha orgulho de ir lá e saber que ali era nossa casa.
    O Galo já foi muito usado por dirigentes que só nos fizeram mal e ficou por isso mesmo.
    Se está certo ou errado a venda eu não sei. O sentimento que tenho é que aquele Galo que meu pai me consagrou na metade dos anos 60, está se esvaindo de suas tradições. O Galo vai ficando cada vez mais gourmetizado. Parece que quando as gerações com mais de 50 anos se forem, restará muito pouco da mística Atleticana dos tempos passados.

    1. Dois abnegados Atleticanos. Moreno Neto, pai do nosso querido Cacá Moreno, é Demétrio Mendes Ornelas, este foi meu professor e paraninfo na Faculdade Milton Campos.
      Moreno Neto faleceu recentemente. Este blog sugeriu uma homenagem a ele, em vida, mas a gestão da ocasião não teve essa sensibilidade. Demétrio também já nos deixou tem mais tempo. Merecem essa referência e deferência no caso da área.

      1. O tamanho desses dois Atleticanos é enorme nesse futuro do Galo. No terreno do antigo estádio ergueu-se o shopping, que hoje nos permite a construção do nosso novo e estádio e, possivelmente, o abatimento de uma dívida feroz do nosso capitalismo selvagem.

  3. No último jogo , com um pouquinho de tempo a mais , o meio campo SEM o Nacho fluiu muito melhor .
    Ele é o Ganso atleticano .

    Sem ele e sem o Allan o time iria voar em campo .

    1. Cara, você deve estar querendo apenas criar polêmica neste comentário.

      Comparar Nacho Fernandez com Ganso é dose.
      O argentino corre o campo inteiro, “aparece” livre toda hora, faz gols e assistências em sequência.
      Já Ganso joga o futebol de décadas passadas. Sai de campo com a camisa sem uma gota de suor.

      E o Allan, desde o ano passado mudou completamente a postura em campo. Deixou de ser um jogador violento e desligado. Não toma mais cartões bobos, marca bem, tem bom passe de média distância (nunca foi um primor em lançamentos) e passou a ser o ponto de equilíbrio entre a defesa e o ataque na saída de bola.

      Ou seja, dois jogadores que você detesta na verdade são pilares do meio campo Atleticano. Veja bem como analisamos o futebol de forma absolutamente oposta!

    2. Barata, boa noite! Agora e somente agora vejo alguns lampejos no argentino Nacho,…pra mim ele quase sempre apresentava sinais de jogador amador; reconheço que muito recentemente tem contribuído, só isto,….. não entendo esta paixão e discurso decorado de parte da torcida por este atleta,….

  4. BOM DIA EDUARDO E MASSA ATLETICANA.
    ATÉ TU , NOBRE BLOGUEIRO ESTÁ A DESVALORIZAR O PATRIMÔNIO DO GALO.
    DESCULPE , MAS DIZER QUE A OUTRA METADE DO SHOPPING SÓ VALE 300 MILHÕES , ACHO UM DESSERVIÇO AO NOSSO GALO .
    TUDO VALORIZA NESSE MUNDO , MENOS O PATRIMÔNIO DO GALO.
    PELA PARTE QUE FOI VENDIDA DO SHOPPING , O ATLÉTICO RECEBEU 300 MILHÕES.
    COMO DEPOIS DE TANTO TEMPO , INFLAÇÃO , GRANDE VALORIZAÇÃO DE IMÓVEIS EM TODO O PAÍS , A OUTRA PARTE CONTINUA A VALER OS MESMOS 300 MILHÕES ???????????.
    FRANCAMENTE NÃO DÁ PARA ENTENDER.
    ATÉ PODEMOS CONCORDAR QUE O ATLÉTICO POSSA VENDER O SHOPPING , MAS VENDER E NÃO DOAR…………
    VENDER PARA RESOLVER OS PROBLEMAS FINANCEIROS E NÃO SIMPLESMENTE VENDER PARA CONTINUAR ENROLADO E ENDIVIDADO.
    “”NA MINHA OPINIÃO , DEPOIS DE ALGUNS ANOS DE EFETUADA A VENDA DA PRIMEIRA METADE DO SHOPPING , VENDER O RESTANTE DESSE PATRIMÔNIO POR MENOS DE 600 MILHÕES , NÃO RESOLVERÁ O PROBLEMA””.
    ———— OU TUDO SE VALORIZA NESSE MUNDO , MENOS O PATRIMÔNIO DO GALO????????

    1. Perdão pela minha sub valorização, não tenho essa sua habilitação para essa avaliação. Entretanto, por razões do que acompanho, tenho confiança em quem conduz a gestão Atleticana.

    2. O Valor fechado em 2017 se não me engano era 250.000.000,00, se corrigido pela poupança(a pior forma de correção ), hoje seria próximo dos 300.000.000,00. Eu também penso que empresas especializadas em avaliar este tipo de imóvel, vão chegar a um valor próximo de 600.000.000,00.

  5. Bom dia!
    Embora eu torça pra que o Galo esteja sempre bem fora de campo, pra mim, o que importa mesmo é bola no gol adversário. Por isso não entro nessa discussão sobre shopping, já que sou completamente leigo no a$$unto. Embora eu não entenda também, como é que uma diretoria abre mão de um jovem e promissor zagueiro e fica com uma velharada cara.

  6. Bom dia Eduardo e amigos do Galo. Em relação ao valor da parte do Shopping que ainda pertence ao NOSSO GALO, o qual dizem ser de R$300.000.000,00, acredito que merece analise e AVALIAÇÃO POR PARTE DE EMPRESAS RECONHECIDAMENTE ESPECIALIZADAS em avaliação deste tipo de imóvel.
    Não sou corretor e nem é preciso ser, para concluir que pelas variações dos custos de construção e imóveis em geral, R$300.000.000,00 é um valor muito baixo por 50% do Shopping .
    Quanto ao futebol, o NOSSO GALO continua tendo o melhor elenco do Brasil e tem que jogar um futebol condizente a este elenco. Amanhã dá Galo 3×1

    1. POIS É , RICARDO DIVINÓPOLIS , 300 MILHÕES FOI O QUE O GALO RECEBEU PELA PRIMEIRA VENDA.
      VÁRIOS ANOS SE PASSARAM , COMO VENDER A OUTRA PARTE PELO MESMO VALOR ?????????? AÍ NÃO DÁ

  7. Bom dia. Não consigo mais olhar para aquele apresentador cruzeirense do GE de MInas, depois daquela palhaçada que fez, ao vivo, contra o Galo. Juíz nenhum dará mais penalti para o nosso time, sem pensar duas vezes, haja visto o jogo contra o Bragantino.

    Sobre o patrimônio , eu venderia o shopping e a vila olímpica para pagar dívidas e ficar livre de juros exorbitantes, mas não entendo muito disto. Tenho medo de diretorias futuras fazerem novas dívidas e não termos mais o patrimônio.

    Quanto a SAF, eu prefeira que fosse feita com empresários atleticanos e não europeus ou árabes. Para ter a quem reclamar depois, se o time estivesse ruim. Estes estrangeiros nem aqui viriam, exceto para levar os melhores do time para lá.

  8. O que voce pensa , caro blogueiro , sobre nosso futuro , o futuro do clube que amamos , bate com o que pensa os verdadeiros torcedores do nosso galo. Comentaristas, blogueiros, midia comprada, regional e nacional, movidas a interesses inconfessaveis e obscuros , plantam, no dia a dia , noricias que tentam nos diminuir , nos desagregar, plantar entre nos, a cizania. Logo que estes ilustres 4 R , ao lado de uma diretoria atuante e trabalhadora , assumiu nosso clube, foi dado uma largada , um ponto de partida que indicava uma nova hegemonia no futebol brasileiro. Hegemonia esta que perturba e tira o sono dos dirigentes e midia que ajudaram a levar nosso futebol pra lama . Quando viram a reorganizacao do clube, as contas mostradas como uma gigantesca ferida exposta, a transparencia e planejamento , se descabelaram. E no ano de 2021, nossa diretoria mostrou ao Brasil inteiro que o seu modus operandi , a roubalheira explicita a favor do podre eixo, nao seria tolerada. Em campo, encantando e empilhando trofeus, no extracampo , dando um basta, exigindo moralidade. Mas como lidamos com bandidos da pior especie , este ano ja estao se movimentando novamente. Nao iremos nos calar , nos nao nos curvamos , aqui se trava a boa luta, aqui , GALO sempre

  9. Bom dia meu amigo! Um pitaco sobre a venda do Diamond. De pleno acordo. Hoje todos os bancos, grandes empresas, super e hipermercado não tem patrimônio. Tudo alugado e o dinheiro aplicado na atividade fim. Nosso negócio é futebol. Então para quer ter um shopping que nos rende 10mi ao ano, quando pagamos 60 de juros? Não faz sentido! Ah, mas em 2.030 o Shopping passará e a ser do Galo e teremos uma renda de 50mi anuais.. Até lá teremos pago uns 5 shoppings só de juros. Essa é minha opinião!

  10. Prezados Ávila, atleticanas e atleticanos!
    Sacrificar um craque em prol de um futebol mais eficiente e de maior beleza, ótimo. Sacrificar um craque em em prol de um futebol pobre e de resultado questionável, para mim é burrice. Esse para mim foi o recado do Zaracho na sua entrevista. Deu a entender que a sua queda de produção está relacionada ao cumprimento da determinação de El Turco. Queremos o Zaracho espetacular de volta e não o Zaracho questionável por incompetência de treinador. Estão matando o craque, engessando o seu comportamento em campo.
    Vamos mudar enquanto há tempo !
    Hoje e sempre, galo!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.