Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Galo incendiando as cinzas do futebol brasileiro

O futebol que muitos de nós vimos chegar aos cinco títulos mundiais continua avançando rumo à sua derrocada. Pude assistir o tri, tetra e penta. O dois primeiros títulos não tenho registro de memória, afinal, embora já antigo, meu nascimento data de 1957. Parecia que a magia da bola era privilégio do brasileiro, terra do samba, até que interesses econômicos cuidaram de nivelar essa arte pelos andares subterrâneos da nossa inocência.

Tempos atrás discutíamos uma possível “esponholização” (lá só existem Real, Barça e o Atlético fazendo sombra) no futebol em nossas terras, em função dos privilégios que a TV – dona das transmissões – oferecia a paulistas e cariocas, notadamente Flamengo e Corinthians. Bem ou mal, os demais vinham sobrevivendo e – ainda que eventualmente – beliscando um ou outro título nacional.

A CBF, sempre serviçal aos interesses da emissora de televisão, já vinha mantendo o futebol nacional na UTI. Nem vou entrar nas questões particulares Atleticanas, especialmente aqueles erros de arbitragem, mudança nas tabelas e regulamento com competição em andamento, decisões estranhas do tribunal desportivo; mas no privilégio dado aos clubes de interesse da televisão. Não foi acidentalmente que numa semifinal de Copa do Mundo, no Brasil, tomamos de sete a um dos alemães. Fruto dessa má gestão.

Não bastassem todas essas “maracutaias” oficiais, das duas gestoras do futebol nacional – CBF e TV – agora através de uma Medida Provisória para atender exclusivamente ao Flamengo, entra em campo ações políticas para acabar de vez com a grande alegria e maior paixão dos brasileiros. Em meio a esses tempos das considerações que faço, existiu uma tentativa de moralização e até de normatização e equilíbrio entre as equipes.

Foi o assassinado “Clube dos 13”, que tinha como ideal principal fortalecer o esporte bretão e a gestão independente dessa esdrúxula dupla formada pela entidade e televisão. Alguns clubes, como agora está ocorrendo, se entregaram aos interesses de momento e liquidaram com a própria associação que ajudaram a criar. Autofagia, que agora mostra o equívoco daqueles dirigentes traíras da época. Teve mineiro neste imbróglio, conhecido no meio como “anão de jardim”. Ou “de circo”!

O vice-presidente do Galo, Lásaro Cândido, ontem, em postagens nas redes sociais faz essa advertência. Têm dirigentes de outros clubes hipotecando apoio a essa descalabro e não percebendo o buraco que estão cavando para suas próprias equipes. Tudo em nome de “puxar o saco” ao interesse momentâneo.

Para Lásaro, o ideal sempre foi e continuará sendo a criação de uma Liga dos clubes, onde se negocie a venda de toda a competição e não apenas dos jogos de interesse de cada um. Vendendo os direitos de transmissão do campeonato, aí sim, através de regras internas e próprias a divisão do bolo deste contrato. Parte em divisão igual entre todos, outro quinhão pela classificação e até mesmo uma parcela pelo público e/ou sócio torcedor.

Enfim, a maneira que a MP do Flamengo foi editada é outro passo enorme para o buraco e falência do futebol brasileiro. Clubes menores e até ditos grandes estão com seus dias contados. Não bastasse isso, ontem essa “maracutaia” recebeu apoio do Paranaense, Bahia, Ceará, Coritiba, Fortaleza, Internacional, Palmeiras e Santos. O Baêa, quem diria, cantado em verso e prosa como tendo uma diretoria interessante, progressista e que alguns Atleticanos cobravam da gestão Sette/Lásaro posicionamento dessa ordem. Pois é! O atraso bate à porta do futebol brasileiro outra vez.

Enquanto isso, para o desconforto de gente como essa acima, o Galo segue ativo no mercado. Ontem confirmou finalmente a contratação do Junior Alonso. Parece ser um zagueiro interessante, que manifestou em sua escolha (tinha proposta milionária da China) pesou as referências do Galo através do Otamendi. Sucesso a ele aqui, pois precisamos muito mesmo de um “xerifão” para a nossa zaga.

Por outro lado, o goleiro Michael foi liberado por empréstimo para o clube português Paços de Ferreira. Ele teve oportunidades, até começou o ano como titular, mas não transmitia confiança ao time em campo e nem ao Torcedor. Tomara que tenha êxito em solo europeu, uma vez que o Galo estipulou o valor de 70% numa eventual transferência, podendo ainda ter um acréscimo com o restante numa futura transação.

Em tempo: ontem à noite, no Canal do Nicola, uma live recorde dele no YouTube. Nosso Rubens Menin, com muita simpatia, fidalguia e Atleticanidade, conversou de maneira simples e sincera sobre essa nossa paixão. Assistam neste link. Vale a pena.

Atleticano como a gente!

*fotos: 1) Redes sociais; 2) UAI/EM

27 thoughts to “Galo incendiando as cinzas do futebol brasileiro”

  1. Entendo que a MP foi benéfica. Vamos lá, primeiro é grande chance de se resolver o calendário. Acabando os estaduais, o BR pode começar em Março e terminar em Novembro, com jogos só aos finais de semana, abrindo o meio da semana para as competições mata-mata (CB e LA). 30 dias de férias em dezembro e 60 dias de pré-temporada (JAN e FEV). Segundo, a concorrência é ótima em qualquer negócio. Clubes que assinaram com outras emissoras poderão transmitir os jogos do Galo e não apenas a Globo. Abre possibilidade de negociação em 2025. Quem sabe a CNN… Terceiro, cada um pede o que acha que vale, se achar alguém que pague, é mérito. Futebol atualmente é profissional, acabou a era amadora.
    Mas, e o problema dos times pequenos que jogam só Estadual? Primeiro, o modelo como conhecemos atualmente merece ser rediscutido. Clubes de série A e B não podem disputá-lo. Poderia apenas prever classificação para as competições nacionais. E o dinheiro que recebia dia da emissora? Aqui vai uma sugestão, a FMF que recebe uma boa grana da CBF, não poderia subsidiar este novo formato?
    Ah, mas times de série A fora do eixo ou até dentro do mesmo Estado também serão afetados. Olha, não existe só a Globo no Brasil. Várias emissoras gostariam de transmitir o BR. E não só TV, atualmente existem outras plataformas digitais para tal.
    Vamos ver.

    1. Concordo com vc. só mudaria uma coisa. os estaduais seriam jogados no meio de semana por times que não estejam em competições sulamericanas, porém sem perder sua vaga na devida série. No mais é brasileiro o ano todo no final de semana. tem como fazer, basta os times quererem!

  2. Bom Tarde,

    Assunto que não vou me arriscar por estar muito no início e ainda não possuo opinião totalmente formada.
    Mas, uma coisa é interessante, o monstro se rebelando contra seu criador, isto pode trazer atritos e separação benéficas ao futebol no âmbito moral. Financeiro creio que não.
    O contra ataque da Globo foi a altura, jogou todos os 11 times do carioca contra o Flamerda, agora é ver no que dá.
    O Menim já deixou claro que se essa colar por aqui no Galo ele também pode ajudar, CNN comprando direitos de transmissão, então, temos que verificar como a coisa caminha, mas, saber que teremos retaguarda é sempre bom.
    Quero mesmo é saber como fica meu Pay per view, ano passado não assisti ao jogo do Atletico-MG x Palmeiras e também contra o Athletico-PR e fiquei muito p….., aumentando a quantidade de clubes daqui a pouco temos que cancelar porque ficará inviável.

    Boa Sexta-Feira a todos!

  3. A minha opinião sobre a matéria está colocada
    no post anterior .

    Mas vamos lá : nada justifica a bancarrota a que
    foram levados os clubes brasileiros , reféns que
    ficaram, de maneira HUMILHANTE , da entidade
    máxima do esporte e da emissora de televisão ,
    os quais têm seus dirigentes investigados nas
    Cortes Internacionais por CORRUPÇÃO

    O modelo vigente até ontem ( assim espero ) é
    o responsável direto pela falência do futebol .

    Questionar aqui como ficam o Bangu , a URT ,
    a Portuguesa , é problema deles , porque não
    é mais possível que clubes que investem uma
    fortuna fiquem a sustentar sonhos amadores
    apenas por capricho de uma classe dirigente .

    Ela que banque os festivais !

    Eu nunca aceitei tanto disparate financeiro no
    futebol , mas como não há como combater as
    correntes milionárias que fizeram do esporte
    seu novo filão , fazer o quê ?

    Deixar de torcer pelo seu time ?

    De minha parte , procuro me adaptar e deixar
    de lado os bastidores e me ater ao campo de
    jogo , enquanto ainda me resta um pouco da
    paixão pelo clube , que agora tem DONOS .

    Pra terminar , o que esse vice-presidente vem
    a público expressar , PRA MIM ele que guarde
    PARA SI as suas posições ideológicas .

    Esta é a MINHA OPINIÃO !

  4. E vamos enaltecendo o GALÃO. Chegou o JÚNIOR ALONSO, o xerife da nossa zaga. A live do MENIN muito esclaredora, bateu recordes de audiência. Ficamos livres de HULK e MICHAEL, de partida para Portugal, e ainda podem render uma grana. SAMPAOLI, com certeza, mineiramente, sem alarde, tá ajeitando esse time, por partes, que é o estilo dele: primeiro a DEFESA, depois o MEIO e finalmente o ATAQUE. Estratégias, tática, estudo dos adversários, condicionamento físico, compromisso, o pacote é grande e tem tudo para dar certo. Sobre esse assunto que tá rolando da MP, penso que é mais uma distração do governo de plantão para fugir dos reais problemas do povo brasileiro. Como já fomos massacrados por esses aí, que se explodam juntos. Nós, continuemos a nossa caminhada, respeitando o que foi assinado, de olho no que vem por aí.

  5. Bom dia. Uma conta de padeiro: para quem tem patrimônio de 20 Bilhões, investir 200 milhões é um por cento. Seria quem tem mil reais ajudar o galo com dez reais. Então nao vejo motivo para ficar preocupado com a ajuda do Menim. E ele foi claro: o empréstimo é sem juros e correção. Se vender os jogadores que ele ajudou contratar ele recebe o seu dinheiro de volta. Se nao vender ele fica no prejuizo. S

  6. Bom dia Massa Guru

    Uma coisa interessante que ninguém fala: o Flamerda só chegou a este patamar de fazer o que quer da CBF e da própria Globo, porque sempre encontrou na famigerada emissora o seu suporte! Então minha gente: “em briga de marido e mulher, não se mete a colher”. Prefiro aguardar os próximos capítulos. E o mais engraçado é que dia destes tinha gente aqui questionando porque não copiávamos o Bahia e agora o Bahia é mau exemplo.
    Ao invés de entrar nesta briga prefiro enaltecer justamente a live do Nicola com o nosso Messias (como alguns gostam de postar), que quebrou todos os recordes e melhor, mais que dobrou o número de acessos simultâneos cujo recorde era de 5.000 e na do Messias chegou a 12.000. Fruto novamente da força de nova torcida.
    #AQUI É GALO P%$#@!!!!

  7. Meu querido Amigo, Galo Roberto, o que pensa sobre a observação feita pelo Victor Martins “Globo não vai transmitir mais o carioca. Fico imaginando a “felicidade” de clubes como Bangu e outros mais que recebiam mais de R$ 4 milhões de cota. Sim, os pequenos do Rio recebiam pelo estadual mais do que várias equipes da Série A nos seus respectivos torneios locais.”?

    E a live do nosso Amado Mecenas, que alento aos corações Atleticanos. Hoje acordei com dezenas, ou centenas, de citações sobre a live. “Menin disse isso, Menin disse aquilo, Menin, Menin, Menin”.
    Resumo a MINHA opinião em duas frases:
    “NADA que você faz pelo Atlético é loucura. Loucura é o que você não faz.” Rubens Menin.
    “Me engana que eu gAsto, Atlético!” Rodrigo Rayner

    P.S.: Um abraço ao José Antônio.

    1. Minha querida amiga, brilhante! Se o dito cujo está preocupado com o Bangu, eu não estou nem um pouco…rs. Eu quero é que a profecia do Menin se cumpra e que em cinco anos estejamos brigando nas cabeças com o nosso rival e que coelho e raposa briguem bem lá embaixo. Ah…quanto à globolixo, quero estar vivo pra vê-la fechando as portas.

  8. Bom Dia! No meu entendimento o Fla deu um “tiro no próprio pé”. Sabemos da preferência que a Globo dá ao clube. Inclusive, segundo consta, do “lobby” que faz para o mesmo. Salvo engano, até 2022 a Globo tem contrato para transmissão do C. Brasileiro. Portanto existe o chamado “Ato Jurídico Perfeito”. Assim sendo, se a MP for aprovada, os Tribunais serão acionados. Difícil prever o final. Sabemos da dependência que os clubes (em geral) tem com a mesma. Há pouco tempo alguns Clubes (parte deles acima citados), entraram “pelo cano”, assinado com a Turner, em detrimento à Globo. Deu no que deu! Toda concorrência é saudável. Embora o mercado seja traiçoeiro. Quanto ao CAM, espero que os investimentos feitos pelos nossos “protetores”, tragam os efeitos desejados. SOBRETUDO TÍTULOS!

  9. Pior texto que li nesse espaço!
    Com todo o respeito.
    Em relação a MP.
    Ou é falta de conhecimento do autor,ou mau caratismo mesmo…
    É a salvação de TODOS os clubes.
    Grandes e pequenos.

    1. Interessante. Não imaginei que o meu sentir, liberdade que me sugere abrir espaço ao bom debate, abrisse espaço a “régua de medir caráter”. Até porque nunca me utilizei de qualquer ferramenta para contrapor a quem pensa diferente. Não julgueis para não ser julgado. Enfim, posso estar equivocado com o meu pensar, se me provarem o contrário sei rever posições. Jamais imaginaria que o pensamento diferente seja mau caratismo, afinal não tenho esse aparelho medidor e tampouco me atrevo em fazer julgamento.
      Sigamos respeitando o contraditório. Muito mais saudável. Com a mesma cara que Deus me colocou no mundo.

  10. Bom dia a todos!
    Essas brigas na mudança das transmissões ainda vão longe. No Brasil não se pensa no coletivo, somente no próprio umbigo. Diante da oportunidade oferecida pela Tv do flamengo e vasco, acompanhei os dois jogos, e fiquei até impressionado com a qualidade da transmissão (exceto a narração, que óbvio, enaltece sempre o time que está transmitindo. Olhando para o nosso lado, como ainda não há uma data confirmada para retomada do futebol mineiro, acho que seria interessante a TV GALO anunciar um treino do nosso time. Estou louco para ver o Galo em campo, mesmo que seja um jogo treino. Pode ser o time considerado titular contra o time reserva. Se o Galo quiser, pode até faturar um din din com doações e até novos sócios mediante promoção.

  11. Parece que o urubu é um clube a parte. De tal modo que a solução é bem simples: se o urubu é de outro planeta, que jogue o campeonato a que pertence. Ele se basta, que jogue sozinho. Monte vinte urubus (mas, por favor, não monte vinte ninhos como aqueles que dizimaram a vida de crianças sob sua (dele) responsabilidade), e faça seu próprio campeonato. Que dificuldade há em que os demais clubes apenas se neguem a jogar contra os urubus? Eles que se danem…

  12. AMP veio exatamente pra quebrar o monopólio da globolixo mas a cegueira e esquerdopatia infelizmente é descarada nesse espaço que era pra ser só do Galo

    1. Interessante. Sempre critiquei a Globo, inclusive no texto de hoje, minha resistência à essa emissora vem de décadas. E também sobre a CBF.
      Defender e pensar diferente não sugere ideologiar o debate. Aqui somos Atleticanos. Independente de raça, ideologia política, crença religiosa ou classe social.
      Minhas convicções pessoais nestes campos, jamais determinaram minha relação com Atleticanos.
      Sobre o tema, ao meu sentir, estão condenando times pequenos ao desaparecimento. Preocupa muito como será o futuro. Se me convencer diferente, tenho humildade em reconhecer.
      O debate se faz com argumentos sobre o tema e não com sugestão e condenação a quem pensa diferente.
      Grato! Bom tê-lo de volta neste espaço Atleticano. Deus seja louvado sempre!

      1. CARO BLOGUEIRO ,

        eu sempre defendi espaço para campeonatos
        regionais , pois no meu entender deveria ser
        uma ótima vitrine para descoberta de valores
        técnicos , como sempre aconteceu em priscas
        eras .

        Hoje não :
        esses clubes passaram a ser recebedores de
        refugos profissionais que nada acrescentam
        ao futebol

        Se tivéssemos dirigentes ousados criar-se-ia
        um modelo de disputa regional entre eles ,
        todos necessariamente com investimentos
        em novos valores , e trazendo dois a quatro
        finalistas para a disputa de um torneio com
        os grandes da capital .

        Não vejo outra saída , infelizmente .

        Foi-se o tempo em que nos deslocávamos
        em grupos para Sabará onde , entre um pé
        de jabuticaba “alugado” e outro , ficávamos
        à espera de atravessar a ponte para chegar
        ao Estadinho da Praia do Ó onde iríamos
        enfrentar o poderoso Siderúrgica ( que nos
        revelou Ernani , Silvestre , Noventa e Tião )

        1. Apesar dos pesares, nas que dá saudades, isto dá! O torneio início, onde os times eram apresentados, era uma festa. Você, caro Barata, falou do siderúrgica. Mas não posso esquecer do famoso clássico: ME-ME, Meridional versus Metaluzina.
          Mas o tempo atual é outro e precisa ter imaginação para o campeonato possa sobreviver. Você deu uma ideia interessante: um torneio entre os times do interior, do qual sairia o campeão, que juntamente com o Atlético, Cruzeiro e America, disputaria o título mineiro, num quadrangular. Desta forma, poder-se-ia amenizar prejuízos.

      2. Caro blogueiro!
        Me desculpe se fui àspero em me posicionar em relação à MP.
        Você sabe que sou seu fã!
        Abraços!
        Seja sempre louvado o Deus Bendito!!
        Galo sempre!!

  13. Não acho que a MP do framengo será interessante para todos os clubes. Uma coisa tenho certeza, os enfadonhos e desinteressantes estaduais estão com os dias contados. Ontem, a globo rescindiu o contrato para transmissão do carioca. Penso que os outros estaduais irão pelo mesmo caminho. Nenhuma empresa vai investir num produto horrível como são os estaduais (todos eles), sem garantia de que terá exclusividade. Por esse lado, é uma chance única de extirparmos de uma vez essa coisa chamada campeonato regional de nosso calendário. Penso, tbm, que o framengo, clube sujo e parceiro contumaz da tbm suja cbf (7 foi pouco, torci pra ser 14!), agiu traiçoeiramente ao fazer lobby para a MP, que ao meu ver, pode aumentar ainda mais a diferença econômica entre os clubes. framengo ( sempre minúsculo) já recebe muito mais grana do que os outros clubes, principalmente em pay per view, se a MP virar lei (será que passa no Congresso? Antes, eu duvidava, agora, com a proximidade vergonhosa entre o PR e o Centrão, já vejo ser possível, infelizmente). Recomendo prudência no julgamento, para aqueles que viram a Mp como um fato positivo. frmanego implodiu o clube dos 13, e, como sempre, defende apenas seus interesses. Clube sujo. Ao meu ver, toda discussão envolvendo o futebol brasileiro, deveria ser tomada em conjunto, com a participação de todos. SAN

  14. Prezados Ávila, Atleticanas e Atleticanos.
    Bom dia!
    Fugindo do post de hoje, permito-me, revendo os meus alfarrábios nesta quarentena, postar este relato que gostei e copiei. Complementando as regras anteriormente disponibilizadas alusivas à década de 60, algumas podem ser repetitivas como a nossa memória, essas eram as 10 regras do Futebol de Rua, o verdadeiro futebol dos craques!
    1 – A bola
    A bola poderia ser qualquer coisa remotamente esférica. Até uma bola de futebol servia, mas as de borrachas pura eram as preferidas, quem controlava uma daquelas até hoje é bom de bola, pulavam muito. No desespero, usava-se qualquer coisa que rolasse, bola feita com “meia de mulher” recheada de papéis, pano ou com a camisa dos jogadores ou com as meias dos próprios participantes, até uma lata vazia ou a lancheira do irmão menor serviam.

    2 – O gol
    O gol poderia ser feito com o que estivesse à mão: tijolos, paralelepípedos, camisas emboladas, chinelos. A grande área, o círculo do meio-campo e a marca de pênalti, quando tinha asfalto, eram desenhadas com um pedaço de tijolo.

    3 – O campo
    O campo poderia ir até o meio-fio(guia) da calçada e rua; rua e calçada do outro lado e, nos grandes clássicos, o quarteirão inteiro.

    4 – A duração do jogo
    O jogo normalmente virava em cinco e terminava em 10, podendo durar até a mãe do dono da bola chamar ou escurecer. Nos jogos noturnos, até alguém da vizinhança ameaçar chamar a polícia. E em muitas ocasiões, a bola era simplesmente esfaqueada por alguma severa moradora ou soltavam os terríveis cães pastores, que costumavam encerrar os jogos.

    5 – Formação de times
    Variava de 3 a 70 jogadores de cada lado (sempre escolhidos pelos dois “craques” da turma). Ruim (normalmente o dono da bola) ia para o gol. Perna de Pau jogava na ponta, à esquerda ou à direita, dependendo da perna que faltava. De óculos era meia-armador, para evitar choques. Gordo era beque.

    6 – O juiz
    Não tinha.

    7 – As interrupções
    No futebol de rua, a partida só poderia ser paralisada em quatro eventualidades:
    a) Se a bola caísse no quintal da vizinha chata. Neste caso, os jogadores deveriam esperar três minutos pela devolução voluntária da bola. Se isso não ocorresse, os jogadores deveriam designar voluntários para bater na porta da casa e solicitar a devolução, primeiro com bons modos e depois com ameaças de depredação.
    b) Quando passava na rua qualquer idoso(a), gestante ou garota bonita.
    c) Quando passavam veículos pesados. De ônibus para cima. Bicicletas e Fusquinhas podiam ser chutados junto com a bola e, se entrassem, era Gol.
    d) Quando alguém quebrava o vidro da janela de um morador, aí todo mundo se escondia.

    8 – As substituições
    As substituições eram permitidas nos casos de:
    a) Um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer a lição;
    b) Um jogador que arrancou o tampão do dedão do pé. Porém, nestes casos, o mesmo acabava voltando à partida após utilizar aquela água santa da torneira do quintal de alguém.
    c) Em caso de atropelamento.

    9 – As penalidades
    A única falta prevista nas regras do futebol de rua era atirar o adversário dentro do bueiro.

    10 – A justiça esportiva
    Os casos de litígio eram resolvidos na porrada, prevalecendo a opinião dos mais fortes ou quem pegasse uma pedra antes.

    Quando terminavam os jogos, fazíamos uma vaquinha, e íamos para uma quitanda ou vendinha e pedíamos uma tubaína e 10 copos…bons tempos.

    Quem nunca jogou, perdeu um dos melhores momentos da vida. Todos que jogavam naquela época sabiam sem errar.
    Tempos bons que não voltam mais!
    Bom final de semana para todos!
    Hoje e sempre, galo!

  15. Bom dia Eduardo, Lucy, atleticanos e atleticanas,
    acho que ainda é cedo para avaliarmos as consequências dessa MP para o futebol brasileiro, mesmo poque por ser “provisória”, pode ser alterada e até mesmo extinta…
    Para os times de não assinaram com a Globo ,Paranaense, Bahia, Ceará, Coritiba, Fortaleza, Internacional, Palmeiras e Santos, parece que é um ótimo negócio porque se antes só jogos entre eles podiam ser transmitidos agora podem transmitir todos os jogos nos quais são mandantes… Por exemplo o Palmeiras que antes não podia transmitir um jogo contra o Galo em São Paulo agora pode e, do mesmo jeito, o Galo também vai poder transmitir quando o jogo for aqui… Penso que também os times poderão definir os horários dos jogos, o que seria um mudança muito boa, ter que esperar novela ou BBB acabar pra começar o jogo é muita subserviência….
    Mas ainda não tem nada definido então o caminho é os times começarem a fazer levantamentos e estudos para melhor se adaptarem à essa nova realidade, caso ela vingue…
    Acho que você se esqueceu de colocar o link da entrevista do Menin….
    Boa sexta a todos….

      1. Ok Eduardo,
        valeu a dica da live… Assisti na íntegra e acredito demais no projeto de modernização do Galo!!!! Rubens Menin se mostrou um grande atleticano e , na minha opinião, está muito empenhado em contribuir pro sucesso do Galo….
        Continuo acreditando e agora, mais ainda, que estamos no caminho certo…
        um abraço

        1. Parece que na semana que vem o entrevistado vai ser o Lásaro Cândido… Vale a pena conferir…
          O Nicola viu o que dá audiência, ahahhahahahahhahahahhahahhahahahah

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.