Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

A uma vitória do pódio

Mar do Caribe 300x250Considerando que começamos a rodada na quarta posição e a quatro pontos atrás do líder, os resultados até o momento (faltando apenas o jogo entre Corinthians e Vitória) foram favoráveis às nossas pretensões na competição. Afinal, reassumimos a segunda colocação, agora a apenas dois pontos do eventual líder. E mais, o resultado do jogo de logo mais à noite em nada afetará a nossa condição na tabela.

O Corinthians, que recebe o desesperado Vitória, que agora entrou na zona da degola, mesmo vencendo não ultrapassa o Galo. Outro resultado, caso ocorra, seria de interesse apenas de times que rondam o Z4, com o Vitória tomando fôlego e podendo respirar até a próxima rodada. Para o Galo, significaria apenas que os paulistas ficariam ainda mais distantes. Pouco interesse para a nossa Torcida.

As derrotas do Santos e Grêmio, que estavam à nossa frente, aliadas ao empate do Palmeiras, que ensaiava tomar uma dianteira, foram determinantes ao nosso acesso à segunda colocação. Na próxima rodada, o líder vai ao Rio pegar o Fluminense, enquanto a turma que segue colada também terá compromissos complicados na rodada. Enquanto Flamengo e Corinthians saem para pegar Chapecoense e Ponte Preta, o Santos recebe o desesperado Figueirense. Daqui pra frente todo jogo é decisivo.

E não seria diferente com o Galo, que vai a Porto Alegre enfrentar o chato e difícil time do Grêmio. No primeiro turno, no reencontro do treinador Marcelo Oliveira com a Torcida Atleticana, fomos goleados na Independência por três gols. Ao que sinto, temos de ir a Porto Alegre com espírito de time que quer ser campeão. Sem revanche do primeiro turno, mas com determinação para buscar a vitória. Os gaúchos estão colados no G4 e têm um jogo a menos. Empate seria interessante, mas a vitória pode e deve ser perseguida. Concorrente direto.

O time terá, ainda, antes disso, o confronto com a Ponte Preta em Belo Horizonte, pela Copa Brasil. São dois jogos complicados, nos quais a determinação pela vitória será fundamental. Se lá no Sul um gol basta para os três pontos, aqui se recomenda vencer e fazer saldo para encaminhar a vaga no jogo de volta em Campinas.

Para os dois compromissos, o treinador terá à disposição Rafael Carioca e Fred, importantíssimos para buscar os resultados. Ontem, o substituto de Carioca, no caso Lucas Cândido, chegou a me encantar durante parte da partida. Admitia até que passaríamos a ter três titulares para duas vagas de volantes, até que começou a errar e a assustar o apavorado Torcedor no Horto.

Outro que também não convenceu foi o zagueiro Ronaldo. Em que pese ter tirado o sobrenome Conceição, exatamente pelo pavor que causa no Torcedor, Conceição – na verdade – não saiu dele. O tempo é curto, mas seria de bom grado a chegada de um zagueiro que acalmasse o sistema defensivo e, por conseguinte, ao Torcedor no estádio e/ou em casa.

Ótero - Galo x Atl PR 21-08-16
Fotos: Bruno Cantini/Atlético

Faria mais uma consideração, ainda sobre o jogo com o xará do Paraná, relacionada às opções do treinador. Sobre a escolha de Carlos, em detrimento a Otero, manifestei neste espaço, ontem, depois do jogo. Fico imaginando o venezuelano no banco percebendo ser preterido e sentindo-se terceira opção. Ele, inclusive, acabou de ser convocado para defender o seu país nas eliminatórias s Copa do Mundo. O que deve passar na cabeça dele? Até hoje só entrou com jogo em andamento. Houve quem contestasse o blogueiro, mas reafirmo minha preferência.

Também sobre a dupla substituição antes dos 30 minutos do segundo tempo, quando saíram Robinho e Maicosuel, dando lugar a Clayton e Yago. Se o segundo tempo já vinha sendo sufocante, as alterações deixaram o adversário ainda mais ousado. O Galo ficou encolhido e o nosso coração saltando à boca até o final do jogo. E teve quem entendeu que a entrada do venezuelano que determinou isso. Cada um tem sua opinião. Quem escolhe é o treinador. Enfim, apesar de tudo, vencemos e estamos coladinhos no líder. Que venham Ponte Preta e Grêmio! Vencer, vencer, vencer!

20 thoughts to “A uma vitória do pódio”

  1. Alô Marcelo, vamos estudar mais os adversários e preparar mudanças táticas no time para surpreender durante as partidas. O time está muito previsível. Com todo o respeito, não adianta insistir com Carlos e Clayton. Quanto ao Otero, prefiro aguardar um jogo em que inicie para melhor avaliar. Sobre o Ronaldo, melhor dar nova chance ao Gabriel. É possível ganhar o BR este ano, basta que o Marcelo ouça mais a torcida e não invente.

  2. Resumo da ópera: mais uma vitória, mais três pontos, a vice-liderança do Brasileirão a apenas dois pontos do líder Palmeiras, e os mesmos torcedores de sempre achando que está tudo péssimo e errado no Galo, a começar pelo treinador (que está fazendo campanha muito superior ao Levir e aos Aguirres da vida, mas isso pouco importa). Quanto a mim, desejo que o Galo ganhe sofrido todas as partidas restantes por um a zero, pois nos quarenta anos que acompanho o Clube Atlético Mineiro de perto, aprendi que o que ficam são os títulos, e não “derrotas gloriosas” jogando o fino da bola, como em 1977 e 1980. Vamos que vamos, que esse título será nosso, Gaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaalôôôôôôôôôôôôôôôôô!

  3. Tenho a mesma opinião do colega que diz que: sem vibração não se ganha campeonato brasileiro. Essa história de melhor elenco do Brasil não cola….Ainda vou além: Se ao menos não empatar com o Grêmio em Porto Alegre vamos no máximo segurar uma vaguinha na Libertadores 2017 e o título ficará pra mais de 45 anos…..Um abraço e mais raça nesse time!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  4. Concordo que o Carlos não fez um grande jogo ontem, assim como os demais atletas também não o fizeram, e acho aceitável as criticas, porém é bom ressaltar que a vitória do Galo se deu em boa jogada do Carlos, constantemente ele vem sendo acionado e na maioria das vezes correspondendo, é sim um jogador que carece de mais recurso técnico, mas não acho justas as criticas de que ele não serve para jogar no Galo. Quanto ao Ronaldo me pareceu sem ritmo e muito nervoso, mas acredito que ele possa evoluir. Acho que a contratação de um outro zagueiro seria providencial, mas quem seria esse zagueiro? Prefiro amenizar nas criticas e apoiar o que temos no momento.

  5. Bom dia Eduardo, O Galo , tem partidas que não joga bem, ontem foi uma destas partidas, o MO precisa ver esta inconstância depressa, o próximo jogo do fim de semana será o Grêmio, parada dura, mas vamos chegar lá. Aqui é Galo!

  6. Estou preocupado com o Carlos e o Otero não , me preocupa é saber que a titularidade do tal de Ronaldo – pior do que o outro conceição – é pela sua compleição física – altura – e não pela bola que não tem . Piada ouvir esta metáfora de nosso treinador . O camarada além de ser alto ,é fraquíssimo por cima e mais ainda por baixo .Com sua escalação ,o futebol do Leo Silva cai e muito , só não vê quem não quer . Outra preocupação é a lateral esquerda ,segunda partida abaixo de Fábio Santos . Quando falo que tecnicamente o Marcelo tem de melhorar – ele é fraco – , passa muito por situações como estas que se viu na partida ontem, o cara é um cego tecnicamente e a gurizada dos falsos – falei aqui dias atrás que a base deles é tão boa qto a das sardinhas – tocou terror em nossos domínios .Põe estes três pontos na conta do Victor e vamos GALO ,quem sabe faz a hora ,não espera acontecer . O Adenor Leonardo chamou o Rafael Carioca para defender o time da cbf ,vamos ver como nosso treinador vai se virar com mais uma baixa de última hora . SAN

  7. Excelente resultado, péssima atuação. Preocupou-me muito a fraca atuação do time ontem. Imagino que contra adversários mais gabaritados, com atacantes que não percam os gols que eles perderam ontem, teremos problemas. Volto a dizer, nosso treinador é samba de uma nota só. Não muda durante a partida, não “lê” o jogo, não tem conhecimento tático para alterar o andamento duma partida. Sua qualidade é escalar os melhores e não inventar. Pode ser que sejamos campeões assim, Marcelo já o fez 2 vezes no time da enseada das garças, porém prefiro um treinador que tenha a capacidade que Marcelo não tem. Enfim, se é com ele, então vamos com ele. Achei que alguns jogadores foram muito mal individualmente, como Fábio Santos e Donizete, outros, como Lucas Cândido, iniciaram muito bem e no fim andaram dando sustos na Massa. Ronaldo mais uma vez mostrou ser muito ruim. Otero mais uma vez não mostrou nada. O pior momento do time na partida foi quando Carlos (sofreu o pênalti e fez gol mal anulado) saiu pra entrada do Venezuelano. Convenhamos meu caro Eduardo, o cara ser convocado pra seleção da Venezuela (é reserva), não é vantagem nenhuma. Quanto ao Carlos, não o considero um craque, mas acho que tem seu valor. Na base (a qual acompanho de perto, muito perto), foi artilheiro implacável, mas jogava de centroavante. Levir, aproveitando sua força física e depois Aguirre e agora Marcelo, o escalam no lado do campo, para marcar por ali. Por ali, ele perde sua grande qualidade, que é a finalização. Carlos é jogador de apenas um toque na bola, não é jogador habilidoso nem de grande técnica, mas tem seu valor. Foi titular na campanha do título da Copa do Brasil, fazendo gol decisivo na semi final contra o urubu e correndo muito naqueles jogos, junto com Luan, para que Tardelli, Dátolo e outros pudessem jogar. Se for vendido, beleza, ajudará o clube, mas se ficar, espero que não seja desvalorizado por nós torcedores, tenhamos sabedoria pra entender que é um jogador de apenas 21 anos, jogando fora de sua posição, com passagem de sucesso pela base e que pode render ao clube, seja tecnicamente jogando, ou seja numa negociação. Agora, não dá pra entender mesmo, é desqualificarem nosso atleta e valorizar um venezuelano, emprestado ao clube e que até agora, nos poucos minutos que esteve em campo, foi muito, muito mal. Cada vez que vejo o Otero, me lembro do Cárdenas. Após a Libertadores de 2014, quando fomos eliminados pelo Atlético Nacional da Colômbia, com golaço do Cárdenas, e começou o burburinho para contratação do jogador, avisei que não era ele o craque do time, que se fosse pra contratar, contratássemos outro jogador (se não me engano o Copete, que hoje está no Santos). Cárdenas veio, mostrou que não era jogador pro GALO. Agora o GALO vai e traz esse Otero, que é reserva do Seijas (meia do Internacional) na seleção venezuelana. Seijas já não é essa bola toda, imagina o Otero. SAN

  8. Parabéns Tiago Lúcio, ou “lúcido”. Vejo que tem comentaristas aqui que realmente assistem o jogo. Somos todos atleticanos, afinal AQUI É SÓ GALO, mas temos que ter racionalidade em comentar. O jogo foi exatamente isso que você descreveu, e os jogadores citados são precisamente “enquadrados”. Parabéns!

  9. Se discordei quanto à crítica ao Carlos que, reafirmo, foi fundamental na vitória do Galo frente ao Paraguaiense, concordo com você quanto a Clayton e Yago. Principalmente sobre o Clayton, que chegou badalado e hoje é terceira opção. Vou além; em caso de possível transação, sem qualquer sombra de dúvida, manteria o Carlos e venderia o Clayton, cujo valor se deprecia cada vez que ele entra em campo. Quanto ao Otero, ainda não se mostrou útil. Mas prefiro ser prudente e esperar até que ele tenha a oportunidade de jogar 90 minutos antes de tecer qualquer crítica, positiva ou negativa…positiva, espero.

  10. Ávila, ao que entendo e diferente do seu comentário, o Fred não poderá entrar em campo na quarta pois já jogou pelo florminese na competição.

    1. Antônio, veja a resposta da vossa pergunta no minuto 11:50 na coletiva do Marcelo à TV GALO … SAN

  11. Saudações Alvinegras. Foi um jogo muito displicente do Galo. Não gostei da postura do time e da falta de vibração e garra dos jogadores. Semana passada defendi o zagueiro Ronaldo aqui e pedi uma sequência para avaliarmos melhor, mas parece que a maioria está certa e eu errado, Ronaldo vem demonstrado ser abaixo da média. Lucas Cândido ao meu ver não é jogador para o time do Galo e sempre demonstra um futebol fraco, respeito sua opinião sobre ele Eduardo, mas a meu ver ele é muito fraco tecnicamente. Quando eu vejo Carlos em campo, sinceramente já começo a me preocupar. Porque essa benção não vai logo pra Rússia ganhar um bom dinheiro e ainda render algo para os cofres do Galo, ontem ele ganhou a camisa número 100 , relativos ao jogos pelo Galo, ai descobri o motivo do aumento dos meus cabelos brancos, 100 jogos aturando Carlos, faz eu com meus 37 anos já ter muitos cabelos brancos, ninguém aguenta. Time do Galo jogou sem coração ontem mas faturou os 3 pontos, que no fim é o que importa, mas com esse futebol sem vibração, ser campeão se torna mais difícil. Que nos próximos jogos o Galo volte a jogar com o coração a técnica e a raça que nós Atleticanos estamos acostumados a ver. Bica Bicudo.

  12. Eduardo, primeiramente PARABÉNS pelo post diariamente. Somente para lembrar que não vamos poder contar com o Fred na Copa do Brasil pois o mesmo já jogou a competição pelo Flucbf. Abraços.

  13. Caro Profeta alvinegro! Algumas correções: Fred não pode jogar contra a Ponte, já atuou pelo Fluminense na Copa do Brasil. E o Palmeiras enfrenta o Flu no Mané Garrincha, em Brasília.
    Concordo com as ponderações sobre o Otero. Merece mais chances mesmo porque os demais atletas são velhos conhecidos, e Otero tem potencial mas não entrosamento. Acho que vamos vê-lo contra a Ponte.

  14. O cone Fred não joga a Copa do Brasil pelo GALO, já atuou pelo CBFlu. Quanto ao Carlos, é jogador de definição, sempre se apresenta para concluir, e tem ajudado na marcação, embora não seja sua característica. Prefiro valorizar o prata da casa, que enaltecer jogadores que ainda não justificaram a contratação. Pode ser que o Otero venha a fazer grandes jogos, mas ainda não demonstrou isso (talvez na chamada fase de adaptação). O Ronaldo, gostaria de saber qual a profissão dele, pois atleta de futebol não é. Por fim, a situação do Carlos Eduardo exige mesmo uma explicação. E pensar que o Aguirre colocou esse jogador em campo no jogo decisivo da Libertadores…..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.