Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

O quanto é apaixonante ser Atleticano

BLACKOUT NOTEBOOK 300X250Um Atleticano incomoda muito não-atleticano, dois Atleticanos incomodam… incomodam ainda mais, três atleticanos incomodam… incomodam… incomodam muito mais. Imaginem, então, 8 milhões de Atleticanos espalhados por todo o Brasil. E ainda aquele tanto de adeptos pelo resto do mundo, seja em países das Américas, Ásia e também no Velho Mundo como o blog vem mostrando.Ontem, após postar sobre o episódio R10 x Galo, as mensagens dos incomodados continuaram chegando. Alguns até reclamando da não-publicação de suas queixas. Será que terei de desenhar? “Aqui é SÓ Galo”! De qualquer maneira, obriGalo pela visita e continuem interessados nos assuntos de time que está no G4.

Mas, como diz o título acima, ser Atleticano é algo realmente que difere a condição de simples torcedor. O Atleticano não torce, ele vive o Galo. Quem veste uma camisa preta e branca, como dizia Roberto Drumond, “torce contra o vento durante a tempestade”. E numa das homenagens mais bonitas relacionadas à conquista da Copa Libertadores, o fotógrafo Gabriel Castro eternizou o momento “E o vento perdeu”.

e o vento perdeu
Fotos: capa: UAI/EM e interna: Gabriel Castro

Um jogador, que a exemplo de Marques, jamais perde seu vínculo com o Galo é Diego Tardelli. Embora a temporada ainda esteja longe de terminar, o atacante que já passou por dois períodos no clube – assim como “olê Marques” – poderá chegar a sua terceira passagem pela Cidade do Galo. O namoro entre o jogador e o Galo é inabalável. Ele tem e percebe esse desejo entre seus companheiros, diretoria, comissão técnica e, especialmente, o Torcedor. O sentimento é recíproco. O reencontro pode ser selado em 2017.

Outro fato delicioso chegou ao conhecimento deste blog. É de uma menininha de apenas três aninhos. Filha de pai mineiro, mas torcedor do São Paulo, tem na família tios e primos Atleticanos. Numa reunião familiar, dessas em que colocam as crianças na berlinda, a pequena Mayara, para não desagradar ao papai Hugo, afirmou ser são-paulina enquanto criança, mas que quando crescer será Galo. Arrancou aplausos não só da mãe Marília como de quase toda a família.

É este sentimento que é difícil de explicar e fazer com que terceiros entendam. Por isso, a massa sempre cresce e incomoda muita gente.

13 thoughts to “O quanto é apaixonante ser Atleticano”

  1. Ontem, dia 18/08, enterrei aquela que foi minha companheira por muitos anos. Deu-me cinco filhos maravilhosos. O neto mais velho, junto ao túmulo, antes de baixar o caixão, disse algumas apaixonada palavras para a avó. El vestia o manto sagrado no caminho para seu encontro com o Salvador e sobre o caixão estendia uma bandeira do glorioso. Meu neto disse algumas palavras e puxou o hino do Galo que foi cantado por todos os presentes. Agora ela vai torcer lá daquele assento etéreo para onde subiu…Galo, por Ana Maria, vamos ganhar Galô…

    1. Caro amigo Iraq, associo aos votos de sentimentos, extensivo a seus filhos. Soube agora do ocorrido. Meu fraternal abraço.

  2. Conheço um amigo torcedor do time do barro preto, que até hoje é frustrado e muito arrependido, por ter levado seu único filho homem ao Mineirão quando ele tinha sete anos de idade para assistir o “clássico”, vestiu o filhão com as cores celeste e muito entusiasmado adentrou o gigante da Pampulha todo orgulhoso, Mineirão “dividido” 70% Galo, o garoto claro ao ver o show da massa ficou enlouquecido, ainda dentro do estádio disse ao pai; Pai eu queria ter ficado na torcida de lá, esse lado aqui tá muito sem graça. Hoje o garoto já homem é um fervoroso atleticano e agradece ao pai por tê-lo levado ao Mineirão naquele dia. Tem coisas que só a paixão pelo Galo explica.

  3. Jogo de volta pela libertadores Galo x Racing. Eu e um amigo a trabalho em BH (nunca tinha tido a oportunidade de ir a um jogo do Galo) e conversando com o pessoal da SEGOV-MG encontrei uma sócia GNV Black que nos colocou em contato com o Jorge (presidente da GaloPacho) que se desdobrou a nos conseguir 02 ingressos a R$-100,00 cada. Nos encontramos nas imediações do Independência e, mais que uma transação, fizemos uma amizade. Grana curta (só nós 2 sem envergar o manto sagrado, mas no caso, ele é são paulino). Sonho realizado. Tudo ao contrário do que eu imaginava (empurra-empurra, torcida sem educação, tratamento inadequado, etc). Fiquei impressionado com a amizade que se faz com pessoas estranhas, educação e cortesia são marca registrada na torcida do GALO, a energia que vem da MASSA é algo indescritível. Não dormi direto e no outro dia estava rouco e com as mãos doendo de tanto aplaudir e incentivar o time. Felicidade pura! Meu amigo já tinha ido a jogos do time dele e ficou boquiaberto e só não virou atleticano, porque ninguém vira atleticano JÁ NASCE. O próximo sonho a se realizar é levar meu garoto de 10 anos pra vermos o GALO de perto novamente. Eu entendo porque a MASSA incomoda tanta gente!

  4. Novas lesões atormentam o GALO. Agora Erazo e Jr.Urso estão fora das próximas partidas. Sobre Jr.Urso, não me preocupo, considero Lucas Cândido muito melhor que ele, agora quanto ao Erazo é realmente um problema. Não só pela saída do zagueiro, que não tem nem metade da categoria do antigo titular Jemerson, mas que não tem reserva à altura. Ronaldo e Edcarlos são fracos. Gostaria que Marcelo escalasse um dos garotos da base. Gabriel, mais técnico ou Jesiel, mais veloz e com mais imposição física. Nossa zaga é a única posição que não tem substitutos do mesmo nível

  5. Datena ontem narrando o jogo de vôley … entre Brasil e Argentina vou começar a gritar “eu acredito” igual a torcida do galo …aliás o eu acredito deveria ser patenteado isso sim …

  6. Ser atleticano vem de berço, vem do coração aberto, muito amor no coração. Meu tio que torce para o tima da enseada das garças teve este dilema em família, seu sobrinho ganhava tudo azulate completar seus 6 anos e ai vem a grande surpresa, pediu ao tio e padrinho para não mais dar nada do time da enseada, pois seu coração era atleticano, foi chorro do padrinho, que assutado perguntou como isso aconteceu? Veio a resposta simples, já nasci atleticano, ver aquela torcida cantando sei lindo hino ate chorro de emoção. Assim somos nos, não importa onde e sim vem a paixão maior de ser galo sempre..

  7. Prezado Eduardo, como já me permitiu anteriormente de usar seu blog como palanque de meus poemas, estou lhe enviando mais um, para aproveitar o tema:

    “CAMISA DO GALO”
    Dizem que todos temos direito,
    De fazer um último pedido,
    Fica aqui o desse sujeito,
    Na certeza de que serei atendido.

    O time, às vezes, não fazia por merecer,
    Mas o amor é pela instituição.
    Somente sendo um pra crer.
    É que a força vem do coração.

    Por vezes um sofrimento,
    Na maioria garra e emoção.
    Buscamos explodir em sentimento,
    A alegria de primeiro campeão.

    Assim, como em final de campeonato,
    Quando estiver deixando essa vida,
    Com a vibração de Mineirão cheio e sensato.
    Em minha última e decisiva partida.

    Esta certeza eu tenho e não me engano.
    Agora lhes escrevo e vos falo.
    Nasci e morro Atleticano.
    Enterre-me com a tradicional camisa do Galo.

    Antônio de Pádua Elias de Sousa
    16/08/10
    Formiga-MG

  8. Américas, Ásia e também no Velho Mundo… espero que no velho mundo esteja não só a Europa, mas também a África ou vai decepcionar a imensa torcida do GALO aqui de Angola !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.