Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

O cinismo nosso de cada dia

Dizem que a distância entre o amor e o ódio é mínima, assim como percebo que a valentia e covardia também moram lado a lado. Falo isso de maneira generalizada, valendo tanto para questões políticas e aqui no futebol – que é o que nos interessa. Qualquer torcedor “de bem” (tá em voga essa expressão), Atleticano ou não, que tenha acompanhado aquela loucura de quinta-feira na Colômbia avalia que foi um crime a realização da partida.

Apesar dos gases que paralisaram o jogo durante quase todo o primeiro tempo, chegou ao fim a batalha frente a desorganização e a covardia imposta aos jogadores das duas equipes. Menos mal para nós, Atleticanos, que voltamos pra casa com um ótimo resultado e a classificação assegurada para a próxima fase da Copa Libertadores das Américas.

Entretanto, em que pese a nossa comemoração – incluindo a minha pessoal – esse fato não pode passar impune. Quando afirmo que merece punição, evidentemente, não será imposta pela organização da competição. Ou seja, a Conmebol não fará uma autopunição. Sequer reconhecimento de seu abuso de poder em marcar a partida para um local que não deveria e tampouco de se acovardar perante o calendário e patrocinadores pela continuidade do confronto.

Sim, uma dupla disputa, em campo Galo e América de Cali – que deslocou-se numa viagem mais longa que se tivesse ido para o jogo noutro país vizinho – e os colombianos em protesto contra reformas que o governo vem implementando. Do lado de cá, longe da confusão, recebíamos informações do quanto estava difícil a prática do futebol no gramado. Imagens do jogo pela TV e do lado de fora pelas redes sociais.

Desumano aquilo. No intervalo, imaginei que seria suspensa a continuidade. Porém, ao que as poucas informações trouxeram, parece que o árbitro tentou paralisar, encontrando resistência no delegado do jogo. Insisto, foram as informações via rádio e TV, embora não estivéssemos no local. Fato é que seguiu e, para nosso deleite, vencemos e asseguramos a vaga para a sequência da Libertadores.

Ontem, sexta-feira, dia seguinte ao jogo lendo e conversando com outras pessoas, confesso que me impressionou o nosso cinismo – daí coloco no coletivo – sobre o episódio. Tivesse um atleta, em função de tudo aquilo, sido vítima de algum mal maior? Ou até mesmo o resultado, algo possível de ter ocorrido, não ter sido favorável ao Galo ao final dos 90 minutos? Noventa não, cento e tantos, contando com as paralisações, afinal o apito de encerramento foi pouco antes da meia-noite. Estaríamos nós, todos os Atleticanos, como se fosse empate ou derrota?

Daí, com todo respeito que tenho pelo treinador Cuca e sua história no Galo, teria ele elogiado o árbitro que “teve coragem” de não suspender a partida. Concordo com o nosso comandante quando diz que, mesmo com essa dificuldade o time foi grande e isso valorizou o resultado. Entretanto, não sejamos cínicos, pois tivesse sido qualquer outro final, estaríamos todos reclamando do próprio árbitro que deixou seguir. Eu, muitos Atleticanos, o próprio Cuca, a diretoria, os jogadores e muita gente. Quem bateu e continua batendo naquela vergonha são colegas da imprensa, muitas vezes criticados por nós Torcedores.

Espero que esse fato sirva de alerta para o futuro e que situações como essa não se repitam nessa e nas próximas competições organizadas pela Conmebol. Se querem seguir os protocolos FIFA e UEFA, que também tenhamos procedimentos similares do primeiro mundo. O que vimos na Colômbia foi algo inadmissível e que merece sim ser reprendido pela opinião pública. Por fim, caro Cuca – de quem espero o segundo título da Libertadores e ainda conquistas regionais e nacionais – estou gostando mais do time agora que nos seus primeiros jogos. Quanto à sua declaração sobre o juiz, vou guardar comigo, foi exclusivamente pela vitória e não pela falsa coragem de quem – na verdade – quis e deveria ter suspendido a continuidade daquela partida em meio a um campo de guerra fora do estádio.

Em tempo: Hoje, pelo campeonato brasileiro, série A2 (aqui sim é essa a denominação), o Galo estreia as 14hs no SESC Venda Nova frente à Aliança de Goiás. O grupo E, que tem além dos dois clubes, ainda Juventude (BA), Mixto (MT), SERC (MS) e CREESPOM (DF). São seis grupos de seis equipes, classificando para a fase seguinte as duas primeiras e mais quatro melhores terceiros colocados.

Nessa segunda fase, num total de 16 equipes, começa o mata-mata, daí seguem oito, depois quatro, até a final entre os dois que decidirão o título. Os quatro semifinalistas terão acesso à série A1 de 2022, a elite do futebol brasileiro feminino. Força às nossas garotas. Vamos mostrar que o Galo é bom de briga em todas as modalidades do futebol brasileiro.

*fotos: Bruno Souza/Atlético

27 thoughts to “O cinismo nosso de cada dia”

  1. Deixo uma reflexão: Criticar a realização do jogo do Galo, mas achar normal as aglomerações, a não utilização de máscaras, ou a infame nebulização assassina, não seria, no mínimo, o mínimo?! A culpa eh do Cuca!? Pelo jogo ou pela nebulização? Camisa do Galo ou da cbf? Lacrimogêneo não pode, mas o outro pode? Quem for capaz, reflita! SAN

  2. Boa tarde E. Ávila e demais Atleticanas e Atleticanos.

    “E que Deus nos livre dos maus olhos, de toda inveja e do cinismo no mundo!” – (Paula Monteiro).

    Acho que às vezes a gente pega pesado com o Galo, com os Presidentes do Clube, técnicos, jogadores e até com alguns torcedores.
    Muitas vezes exageramos nas críticas e condenações de alguém sem nem mesmo fazermos análise mais profunda, ampla e abrangente.
    Às vezes forçamos a barra em coisas que não precisam e podem gerar discórdias nunca bem-vindas.

    Galo viajou, venceu, convenceu e se classificou. Segue o jogo…!

    Que amanhã contra o América o Galo continue evoluindo e vença.
    “Aqui é Galo”!

  3. O Galo achou sua melhor formação. Só trocaria o Tche tche pelo zaracho.
    Classificou, ok. Todavia, se quer brigar de fato pelo titulo, PRECISA URGENTE DE 2 ZAGUEIROS (O Alonso pode desfalcar o Galo em até 13 jogos… ). Outra coisa, precisa dar uma enxugada no elenco, diminuir a folha. Tem uns 6 a 7 jogadores que não estão sendo utilizados, podem jogar a série B, boa vitrine.
    Terminada a fase de grupos da Libertadores, é hora de agir, Sr. Rodrigo Caetano.

  4. Caros,

    Boa REFLEXÃO!!!

    ‘Ah! Se o Galo tivesse perdido na Colômbia!’…

    Q GROSELHA das GROSELHAS!!! O time ñ perdeu e se perdesse qnd o se ñ entra em campo ñ poderia de forma alguma ser considerado tal resultado q Ñ ACONTECEU atribuido ao jogo realizado por um simples fato, qual?: havia um ADVERSÁRIO submetido às mesmas condições. FATO!

    Ora, quem levou NOSSO CLUBE ATLÉTICO MINEIRO à Colômbia foi o seu direito de jogar aquele jg, naquelas condições. NOSSO GALO tinha q jogar aquele jogo, ñ sejamos HIPOCRITAS!!…se era prá “CORRER DO JG covardemente”, q n fosse à Colômbia, pq a situação naquele pais é sabida até pelo comedores de alfafa do lado de cá da fronteira (EU ACREDITO!). FATO!

    NOSSO GALO fez bem em ir à Colômbia, demonstrou ser um Clube Aguerrido, REPRESENTANTE DE UMA NAÇÃO, e qq outra consequência do q aconteceu ou poderia ter acontecido deve ser feita à direção e Ñ ao CUCA!

    …(O resultado foi BOM, então a gente perdoa o CUCA – A libertadores quem ganhou foi Gilberto Silva fazendo hr extra no vestiário , o Mundial quem perdeu foi o CUCA!)
    HIPOCRISIA é mato! FATO!!!

    Então, PARABÉNS, sim Srs, Sras & Afins, parabéns à direção q Ñ tirou o time de campo (seria VERGONHOSO!)!!!…………………………………………………………………….
    .
    Será tudo tão simplista assim???

    GRAÇAS A DEUS temos o NOSSO GALO na NOSSA EXISTÊNCIA para nos fazer refletir!!! VIVA O CAM!!!

    Agora vamos ao NADA A VER com o acima e tudo a ver com SÓ NOSSO GALO e nada mais!:

    Alguns LOROTEIROS tão defendendo NOVAMENTE E RENOVAMENTE q o papel da torcida é só torcer: ERRO CRÁSSICO!!!…a função da torcida é tb DESAPROVAR o Perna de Pau, o prezepero, ou seja, ñ adianta SÓ VESTIR CAMISA e Beijar escudo e LENGALENGA mil…É a história do NOSSO CLUBE a nos ensinar: a maioria dos TÍTULOS q deixamos de conquistar são INQUESTIONÁVEL: ação criminosa da ARBITRAGEM BRASILEIRO a mando da CBF/Globo. FATO. …mas tb pq houve DECISÕES ERRADAS, tanto da NOSSA CARTOLA (levar a partida para o Serra Dourada com UM RATO soprador de apito), qnt de alguns TÉCNICOS (Barbatana deixar IZIDORO fora da final 77 – qnd entrou a cara do jg mudou, tardiamente), qnt da ATUAÇÃO de certo e determinados JOGADORES em algumas partidas históricas decisivas…FATO em q basta pegar por exemplo e com ABSOLUTO respeito, JOAO LEITE, nos confrontos com o flamengo em 80/81, em o decano FALHOU GROTESCAMENTE, mas q é muito famoso por pegar penais numa final q ñ levamos! FATO!!!

    Para continuar na REFLEXÃO de outra forma!:

    se vamos continuar com O MÃO DE QUIABO prezepero até o fim, BLZ, é com ele q vamos (nenhum ATLETICANO torce contra o cara, BOBAGEM de torcedor “TÔ NEM AÍ!”)…e é por isso q citei JOAO LEITE, por quem tenho o maior respeito…da mesma forma, tb temos q considerar q há outras posições cujas PEÇAS (zaga/volante, ex.) são inconfiáveis (vejam, ñ se trata de exigir q o cara ñ erre, pois há muito fatores num jogo de bola q inferem numa ação, mas apenas SABER q o sujeito vai errar: isso é ABSURDO!)…Futebol ñ é só TORCIDA!

    A propósito dessa LENGA LENGA acima na parte sobre jogador PREZEPERO, jamais considerei SILVESTRE (Bom jogador) culpado pelo 3º gol de 80 (Um Fantasma criado)…já o mesmo ñ posso dizer de Catatau (83), nem de Curê (99) e muito menos de Lucas Cândido (13), jogadores FRACOS…Pq algum FILÓSOFO declarou, ñ sei se o Nem Prancheta ou mesmo o NOSSO MESTRE KAFUNGA: “Uma hr eles serão utilizados, normalmente na hr da Onça beber Água!…

    Hj é hj, amanhã é amanhã, e VIVA AMANHÃ, Nosso Ano Q vem IMEDIATO!!

    Segura CALEBRE, q eu quero ver!!!

    Abs e GALO SEMPRE!!!

    1. VIANA ,

      em que pese o respeito que o ÁVILA sempre
      nos pede para manter aqui no blog , certas
      coisas EU NÃO VOU OUVIR CALADO .

      Defender sua ideologia aqui e querer tratar
      MARGINAL como POPULARES é uma falta de
      respeito para com a FAMÍLIA brasileira .

      Se o blog acolhe esse tipo de manifestação é
      o momento de exigir o mesmo espaço para
      que outros expressem a sua bandeira .

      Tenham, você e todos que porventura leiam
      esse comentário , um bom fim de semana .

      p.s,.
      ÁVILA , publique se quiser .
      O moço passou de todos os limites .

      1. Lhe dou total e absoluta razão no registro. Porém a responsabilidade é minha e não deke, useiro e vezeiro como hoje, em abusar de eventuais distrações do blogueiro.
        Já contei aqui, muitas vezes que em função da correria do dia (e hoje estive fora de 8 as 18h), libero comentários no sinal de trânsito. Com isso a provocação, que foge ao nosso propósito, passou despercebida. Só agora, alertado, pude editar.
        Uma pena, no caso específico, terei de ler e reler, lamentavelmente. Fica evidente a utilização do espaço a causas que aqui não nos interessa. Serei mais cuidadoso com criança vadia.

    2. Viana, meu brother, concordo com o que vc disse, não li a outra parte (q vc tbm disse). Penso, q, apesar do q aconteceu, ainda bem que o jogo foi finalizado, e com vitória do Galo. Todo respeito ao Cuca. Que ele jogue as camisas pro alto e estique o dedo medio. Que os melhores jogadores vistam a camisa, e que os babatas “abracem” o dedo. Uma dos melhores shows q fui na vida (e fui em muitos, muitos), foi do Planet Hemp em Brasilia, qdo rolou uma pequena desavença com a lei (nao bulo com governo, nem polícia, nem censura) e o gás lacrimogêneo rolou na alta. Grande vitória do Galo, grande Cuca! Merece todo o respeito! Sigamos, meu velho! SAN PS: podia ser pior, imagine se ao invés do lacrimogêneo fosse qualquer outra coisa sem efeito, sem comprovação, sem sentido! Emas? Asnos? Baba as? Ambos? Galo?

  5. Parabéns nobre blogueiro, por falar a verdade e expor o cinismo dessa gente. Se o Galo tivesse perdido ou até empatado o jogo, o hipócrita covardão do Cuca, assim como nós torcedores, estaríamos indignados com a continuidade do jogo, estaríamos falando que foi um absurdo, que o jogo teria que ser remarcado e etc.

  6. E segue a fantástica EVOLUÇÃO do time , está
    num “crescendo” espetacular , e as certezas
    de cada um de nós começam a tomar forma e
    as cornetas a soarem freneticamente .

    De minha parte tenho como causa :
    – o esporro do Hulk e sua assumida condição
    de líder do elenco
    – como consequência, a afinada que o Chorão
    deu e sua acomodação como distribuidor de
    camisas para aqueles mais qualificados
    – isso levou a campo, ora vejam, lateral sendo
    lateral, zaga sendo zaga , meio sendo meio , e
    atacante sendo atacante .

    FUTEBOL NÃO TEM MISTÉRIO , e à exceção de
    uns poucos na beira do campo que ousaram
    criar algo diferente – como Barbatana e Rinus
    Michels – o resto é só treinar e treinar .

    Sobre o Keno , muito falado aqui desde o ano
    de 1500 , quando marcou três gols no Atlético
    de Goiás , de lá pra cá justificou o codinome
    DENOREX , aquele que parece mas não é .

    Mas, quem sabe um dia ele volta com aquele
    futebol arrasador , demolidor , arrebatador ,
    digno de um Quebra-Linhas e portento no tal
    um contra um .

    1. JOSÉ EDUARDO BARATA,
      Esse Keno nunca me enganou também,desde o dia que ví esse rapaz enfrentando o Galo pelo Atlas do México no indepa pensei: como pode um jogador brasileiro ser tão ruim e ser vendido pra fora do país. Depois de algum tempo apareceu esse moço no Palmeiras e depois aqui no Galo. Concordo com tudo que você sempre falou desse denorex.
      Saudações,

  7. BOM DIA EDUARDO E MASSA ATLETICANA.
    O QUE NÃO CONSEGUI ENTENDER FOI O PORQUÊ OS COLOMBIANOS QUE ESTAVAM PROTESTANDO ESCOLHERAM JUSTAMENTE O ESTÁDIO EM QUE O JOGO ESTAVA ACONTECENDO , PARA TRANSFORMAREM NAQUELE CENÁRIO DE GUERRA.
    ORA BOLAS , O QUE O JOGO , E O ATLÉTICO TEM A VER COM A INSASTIFAÇÃO DELES.
    PODERÍAMOS MUITO BEM TER PERDIDO PONTOS POR CONTA DAQUELA GUERRA.
    E AÍ , O GALO TEM NÃO TEM NADA A VER COM AQUELA GUERRA SERIA PREJUDICADO.
    ACHEI MUITO ESTRANHO PORQUE ESCOLHERAM O CENÁRIO DO JOGO PARA AQUELA BARBÁRIE.
    NOSSOS JOGADORES POR EX. FORAM ATINGIDOS POR EFEITOS DAS BOMBAS , HULK POR EXEMPLO PERDEU UM GOL CLARO AO SER ATINGIDO POR GASES PROVACADOS PELAS BOMBAS.
    SE ESSA MODA PEGA……….

  8. Não podemos esperar nada de uma entidade suspeita e cheia de “não me toque”…

    A Conmebol é a cara do Terceiro Mundo, só quer saber dos interesses dela e foda-se o resto…

    Felizmente esse lamentável jogo de Quinta acabou com a vitória Atleticana e bola pra frente porque amanhã tem mais GALO em campo valendo CANECO!!!!!!

  9. Prezados Ávila, atleticanas e atleticanos!
    Respeitando e entendendo as opiniões divergentes, sigo caro blogueiro, o seu posicionamento a respeito dos fatos ocorridos na Colômbia. Aliás, ontem me manifestei sobre a infelicidade do Cuca ao indicar a coragem do juiz na condução do jogo até o seu final. Ainda bem que nada de mais aconteceu.
    Hoje e sempre, galo!!!

  10. Bom dia , Canto do Galo!
    O que esperar de uma instituição corrompida como a Conmebol. Desde a semana passada já se sabia que não tinha condições de jogo em território Colombiano.
    O episódio do gás é mais um fato abominável que vem a somar aos desmandos que sempre ocorreram na disputa da Libertadores e outros torneios dessa instituição- campos sem condições de segurança, torcidas agredindo jogadores adversários com pedradas e pauladas, jogadores atuavam dopados, juízes venais, diretores enriquecendo ilicitamente e por aí vai.
    “A Libertadores é uma guerra”
    é uma frase comum na boca dos locutores que transmitem os jogos. Por isso os times europeus pararam de vir disputar o torneio intercontinental, no final da década de 70.
    Quem deveria tomar atitudes contra essa instituição são os “dirigentes do bem” que administram os clubes brasileiros. Só que não, cada um vai lá na Conmebol cuidar do que é seu , dentro das regras que são colocadas à mesa por essa instituição.
    Eles deitam sua cabeças nos travesseiros, dormem tranquilamente e acordam como se nada tivesse acontecido.

  11. Bom dia!
    O que me interessa é o Galo em campo. Foi lá, ganhou e ganhou bonito.
    Já amanhã, creio que o ameriquinha vai pro jogo da vida deles. Que o time do Galo entre com a mesma fome de vitória que vimos na Colômbia. Quero o “urbano” a todo custo.
    Quanto ao futebol feminino, não me interessa!

  12. Na minha opinião, depois do que aconteceu com o Fluminense, a diretoria do Atlético tinha que ter se posicionado de forma firme e corajosa. Tipo: vamos entrar em campo, mas ao menor sinal de ameaça à integridade física da delegação, voltaremos imediatamente ao hotel. Os clubes brasileiros rastejam demais pra essas entidades falidas que comandam o futebol aqui e no continente. O que seria dessa porcaria dessa conmebol sem os times do Brasil e Argentina?

  13. O proprio cuca, caso tivessemos perdido aquele jogo, estaria chorando , maldizendo o arbitro , elaborando complôs contra nós, fabricando teorias da conspiração contra nosso amado clube. É do DNA dele, todos sabemos. O jogo não poderia ser realizado naquele olho do furacão ? Ponto. Quem tinha poder pra decidir a realização ou não da partida ? A famigerada commebol , que carrega , igualmente em seu DNA o objetivo unico do, lucro de qualquer forma , cujo unico deus pra esta entidade são os patrocinadores e que encara o futebol e seus torneios como a galinha dos ovos de ouro , esporte que rende a ela , bilhoes e bilhoes. Ponto. As ameças de punições, veladas e diretas, se constituem em verdadeiro pavor dos clubes ,que seguem pianinho, a cartilha desta suja entidade. Não existe cinismo nem hipocrisia , comemorarmos o resultado positivo, contra o valente, aguerrido e limitado time do america de cali , que valorizou ao maximo nossa vitora, outra bela apresentação do time de cuca ,que nos enche de esperanças para a continuidade da temporada. Morreu o assunto, não podia ter jogo, poré, aconteceu o jogo, ganhamos e bem .Ponto final

  14. Salve massa e Guru!

    Realmente Guru a declaração de Cuca foi infeliz e veio totalmente em desencontro com a postura que o momento exigia, mas creio que o treinador na verdade quis externar o seu alivio diante do cenário que o esperava para os próximos dias.
    Final do Mineiro, jogo pela liberta no Paraguai, ida a Belém pela Copa Brasil, início do Brasileirão, ufa! Imaginem o time ter que se deslocar numa viagem internacional, para jogar os 45 minutos restantes da partida? Como motivar os jogadores para isto?
    Mas por falar em motivação, alguém tem que chegar no Keno e perguntar se isto está faltando à ele. Nitidamente este jogador vem se destacando negativamente frente ao elenco, superando inclusive Vargas e Allan nas críticas. Seria o sistema de jogo implantado por Cuca que está comprometendo seu futebol? Se for, que ele tenha personalidade e converse com o técnico, pois no fim das contas ele e o time é que estão saindo perdendo. Mas antes desta conversa ele precisa realmente se auto avaliar e entender que ele precisa fazer em campo as coisas mais simples ao invés de fazer firulas como em alguns lances. Se o time já melhorou, imagine se ele começar a jogar como no ano passado?
    Tá fazendo falta no time Keno, quando vai voltar a jogar?

  15. Bom dia, sr. Eduardo. Nessas questões propostas pelo senhor hoje, acredito que vivemos num tempo inédito – ao que me parece, o mundo inteiro está “um pouco” caótico. Nunca antes, que eu saiba, a coisa ficou feia desse jeito pra todo canto. Nós, que vivemos dia após dia sem saber de nada, vemos cada coisa, não? Indo pontualmente ao que foi postado hoje, nada a dizer além de que infelizmente não acho que vá mudar. E todo mundo sabe o porquê. O futebol nos dá ânimo de vez em quando, mas os bastidores são como sempre foram… e eu não vejo mudanças pela frente. Alguém vê? Tomara que alguém veja.

  16. Há poucos dias, estávamos criticando, xingando, execrando alguns e amaldiçoando outros jogadores do Galo que entravam em campo e ficavam dormitando e aparentando total desinteresse pelo jogo, resultado ou consequências. Agora estamos vendo um time lutador, buscando a todo custo se acertar e melhorar, colocando o Galo em posição de destaque e querendo como a muito tempo não víamos, conquistar títulos. Vamos simplesmente torcer, lutar, lutar, lutar junto com o time e vencer, vencer, vencer, tudo e todos que tentem atrapalhar essa caminhada. Jogadores que se unem em campo para enfrentar contratempos buscando a vitória merecem todo o nosso aplauso.

  17. Bom dia, Eduardo, atleticanas e atleticanos que viram um jogo tumultuado por questões extra campo que fugiram de qualquer regramento esportivo. Na minha opinião o que acontece na Colômbia fica na Colômbia. Eu não tenho nada a ver com aquilo. Só lembrei daquele país porque o Galo estava lá, e eu só me interesso pelo Galo e suas aventuras. Não me considero cínico, nem covarde, nem valente, Só estou feliz com mais uma vitória do Galo. Também não me interessa o que o Cuca disse ou deixou de dizer depois do jogo. Me interesso é pelo que ele faz com o time do Galo e isso está me agradando muito.

    Não sou juiz e nem justo o bastante para imaginar que posso ficar julgando as razões alheias, desde que elas não afetem o Galo. Sou contra tudo e todos que pensam ou agem contrariando os interesses do meu time. E eu não percebi lá na Colômbia, nada que tenha afetado os interesses do Galo, tanto que ele foi lá, jogou, lutou, enfrentou as dificuldades de uma longa viagem, suportou os incômodos do gás lacrimogêneo, tornou-se ele mesmo um Galo lacrimogêneo e deixou muita gente chorando por lá.

    Suportou tudo porque é um time preparado para tal. Porque julgar que jogadores super alimentados e condicionados fisicamente estariam sofrendo horrores com partículas do gás que atingiram o campo por alguns poucos minutos e não se importar com o povo oprimido que estava exatamente no campo de batalha com a polícia e enfrentando diretamente o gás jogado sobre si?

    Não entendo como cinismo o povo atleticano vibrar e comemorar a excelente vitória contra o América de Cáli. O jogo foi realizado porque havia condições para tal e o fato de nenhum jogador dos dois times não ter sofrido qualquer tipo de problema físico é prova disso.
    Julgar as razões alheias e imputar-lhes comportamento imoral, antiético e covarde, não está na agenda de torcedor.

    O GALO ESTÁ VIVO E ATIVO, JOGANDO CONTRA TUDO E TODOS, ENFRENTADO O GÁS E DANDO MUITO GÁS DENTRO DE CAMPO E PROVANDO QUE CINISMO, COVARDIA E VALENTIA SÃO MERAS EXPRESSÕES SEMÂNTCAS E NÃO ENTRAM EM CAMPO.

    1. Prezado AmiGalo Paulo
      Estou contigo mais uma vez. E GALO LACRIMOGÊNEO foi de matar. Ficará no meu imaginário de expressões atleticanas. Se enfrentamos até o gás que venham os adversários, de escudos, de porretes, mascaras anti-gases,etc. Derrotaremos todos. Vamos à Glória Eterna, como diz a Comenbol.

    2. Bom dia,

      Hoje vou deixar de escrever porque acho que o que o Paulo escreveu me representa.
      Parabéns!

    3. É isso aí meu caro Paulo Silva!
      Futebol é assim, não existe cinismo, ganhou bate palmas, comemora elogia. Perdeu, reclama xinga e despeja a culpa pra todos os lados, torcedor é isso!
      Lamento muito a situação e torço para q termine logo e q o povo
      colombiano seja o vencedor!
      Abraço
      Galo sempre

      1. Caros amiGalos, ROBERTO, WELLINGTON E SOUZA e ROBSON. Saudações atleticanas. Lembram-se do jogo contra o São Caetano debaixo daquele temporal? Pois é, os “cínicos” até hoje reclamam porque o árbitro não parou a chuva para que o Galo vencesse. Ou será que era o jogo que devia parar? O São Caetano bravamente jogou com a chuva e venceu. Agora o Galo joga contra o gás e bravamente vence e nós somos cínicos porque aplaudimos e comemoramos? Cinismo é uma merda, viu, vai entender. Com o Galo vencendo eu sou cínico, hipócrita, valente e feliz. Tmj,

  18. Bom día Avila. Bom día a todos. Existem algumas situacoes na vida que podem ser um divisor de aguas. As adversidades servem tambem para unir as pessoas. Eu vi nos jogadores do atlético este espirito de uniao diante daquela adversidade. Se for bem utilizado esse comportamiento pode servir de motivacao para vencer essa libertadores . Mas a Diretoria tem de ajudar e contratar uns tres reforcos para esse time que deu uma demonstracao clara de estar com apetite de conquistar essa libertadores.

    1. Não quero ser pessimista, mas só vi dois times realmente unidos na vida: o Galo com Ronaldinho Gaúcho em 2013, em que tentavam criar intrigas e quem estragou tudo, estragou justo no Mundial de Clubes, pensando em encher os bolsos. Nada contra a escolha pessoal da pessoa em questão, nada contra a pessoa em si, muita gente não queria ela de volta (já sabem de quem eu falo), e eu, particularmente, queria de volta sim, pois é bom no que faz e conhece bem o trabalho. Torno a dizer: tentavam criar intrigas o tempo todo e nada. Não deu, a Libertadores veio. Graças a Deus! O outro time foi uma seleção, a Bulgária de 1994, que devia ter ido a final, não fosse um pênalti não marcado (acredito que na prorrogação a Bulgária faria um ou dois gols na Itália, que já estava quase sentada em campo de tanto calor). Ali entraram, novamente, questões nas quais eu não me meto. Aconteceu e foi. Eu acho muito difícil jogadores de hoje em dia, a era do narcisismo extremo das redes sociais, do individualismo louco, do fanatismo egóico, se unirem em prol do bem do time. No caso de acontecer, ótimo. Quem ganha somos nós, e acho que eles também, e não falo de dinheiro, falo de humanidade. No entanto, não vejo isso acontecendo. Acho que a proposta do sr. Eduardo hoje foi mesmo a de falar da questão social da coisa. O que aconteceu nos arredores do estádio foi de espantar até quem via pela TV, e não falo apenas do fator imediato, o barulho e a tensão do momento, mas dos desdobramentos de tudo. Hoje eu acho que a pauta não é “reforço”, mas entendo o que disse e concordo que o Galo precisa de um meio-campista pra fazer dupla com o Nacho, ou mesmo entrar no lugar dele, quando ele precisar ser poupado em um jogo ou outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.