Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Sofrido e épico, como em 2013

Se no ano da primeira conquista o que mais marcou foram os jogos e classificações – fase a fase – que colocaram nossos corações à prova, a partida de ontem (4 de maio) já deu a senha do que será nossa busca ao segundo título das Américas. Dizia ontem, aqui neste nosso espaço de resenha diária, que o time tinha de ir em busca da vitória e que nem o empate sem gols – que levaria a penalidades – passava pela cabeça do Atleticano.

O primeiro gol, logo no início da partida, colocou mais fogo na massa, que já foi para a Catedral do Horto no maior embalo. O empate, cruel, numa penalidade discutível, jogou tensão na arquibancada e nos Atleticanos espalhados pela cidade, pelo interior, em outros estados e por todo o mundo. Para garantir a vitória, esse estado de espírito – felizmente – não teve lugar entre os jogadores.

galo 050516 AA

Lá do meu lugar eu pude observar as caras e os olhares, especialmente dos torcedores que ficam no Galo na Veia. A cada minuto que corria, era um olho no campo e outro no relógio. A cada novo erro do Robinho – talvez tenha sido sua pior partida no Galo – o Atleticano coçava a cabeça, mas, jogando com o time, cantava e tentava embalar os onze jogadores em campo. A resposta veio na metade da segunda etapa. Pratto, que já havia acertado uma bola na trave, colocou o Galo nas quartas de final e incendiou definitivamente o Atleticano dentro e fora do estádio.

A partir daí, mesmo com toda festa, o relógio que vinha marcando o tempo numa velocidade irritante, parece que travou e passou a funcionar em câmera lenta. Quando tivemos chance de desafogar, Pratto perdeu uma penalidade, para manter nossa ansiedade e pressão acima dos 12/8. Ano passado, numa partida, a minha chegou a 20/12.  Júnior Urso também teve a possibilidade de aliviar a todos, mas precipitou e o tempo continuava conspirando com o sofrimento. Os descontos foram uma eternidade.

Ao final, diferentemente de paulistas (nem falo de cariocas que estão barrados nesta festa da Libertadores) que se consideravam favoritos ao título, o Galo garantiu a vaga. Já o Corinthians, tão badalado pela grande imprensa, amargou sua segunda eliminação em poucos dias. Que falta devem estar sentindo daquelas “arbitragens brasileiras” que, “sorrateiramente”, erram a seu favor durante as competições da CBF.

galo 050516 AD
Fotos: Atlético/Bruno Cantini

A propósito, como nosso próximo adversário será o São Paulo, que agora virou a “coqueluche” dessa tendenciosa organização do futebol brasileiro – aqui eu misturo entidade que comanda o futebol e veículo de comunicação que banca a competição –, é bom que a diretoria se previna. Como aconteceu em 2013, coincidentemente com o mesmo São Paulo, o Galo deve exigir juiz estrangeiro. Os nacionais, via de regra, tendem a beneficiar o eixo RJ/SP. Galo escaldado… Desde que não seja o mesmo uruguaio da partida com o Racing. Péssimo!

Quanto ao time argentino, como peixe morre pela boca, coube ao infeliz goleiro motivar Torcida e jogadores Atleticanos. O boquirroto de vestiário, tal como seu colega de posição de certo time mineiro, “vomitou” asneira e se “borrou”, dando lugar ao seu reserva. Tem quem diga que, na verdade, Saja não borrou, mas tremeu. Se for verdade, certamente foi afetado pelo ambiente de onde o time argentino se hospedou. A Enseada das Garças fica nas proximidades da região que teve abalo sísmico esta semana na grande BH. Tá tudo explicado.

Caros, nada melhor do que uma grande vitória, da importância e significado que esse jogo teve. Não dormi à noite, passei a madrugada lendo, revendo lances, ouvindo música e preparando essa postagem para o “Canto do Galo”. Confesso que tudo ficou mais leve e mais bonito. O desvio do Carlos, a cabeçada do Pratto, a falta inexistente que originou o gol do time azul da Argentina, as melodias que ouço, tudo está suave. Tudo bem, mas amanhã é sexta-feira e no domingo tem decisão do Campeonato Mineiro. Como já disse, sou igual à massa Atleticana: guloso. Quero ser campeão!

26 thoughts to “Sofrido e épico, como em 2013”

  1. O campeonato Brasileiro ainda não começou e já começou as canetadas da CBFLUCORINTIA/STJD contra o Atlético. O Leandro Donizete está fora dos próximos 3 jogos do Atlético no Brasileirão, começou as armações. (ele realmente agrediu o cara do Grêmio) mas podiam ter dado uma multa. Presidente Daniel Nepomuceno liga a antena.
    Prá cima deles GALOOOOOO……

  2. Quando o Pratto perdeu o pênalti eu quase tive um treco. Tem que ser sofrido mesmo, não tem outro jeito. Vamos, Galo!

  3. Fala, Galera! Não é clichê, mas é realmente parafraseando o nosso Caixa: Por que que tem ser tão sofrido, meu Deus? Passamos muito sufoco, especialmente no primeiro tempo, quando o 1 a 1 ficou barato pra nós, já no segundo tempo merecemos não só a vitória e a classificação mas uma virtual goleada, se os dois Ursos não tivessem perdido dois gols claros, um de pênalti oficial e outro “quase pênalti” que o Urso original, o volante, podia escolher o canto e bateu em cima do goleiro enceradeira. Concordo com o Eduardo, juiz péssimo, o tal goleiro enceradeira deveria ter recebido “la tarjeta amarilla” desde o primeiro tempo. Agora, discordo quanto ao pênalti deles: foi falta claríssima e burra do Donizete. Onde já se viu dar carrinho por trás na área? Se o lance tivesse seguido, provavelmente não teríamos tomado o gol de empate. Outra coisa: precisamos treinar pênaltis, tanto para bater quanto pra defender. É o terceiro pênalti seguido que perdemos dentro de um jogo, vamos treinar, moçada! Numa hora de decisão na marca da cal, esses erros podem nos eliminar. Victor, não é só com o pé milagroso que já nos deu um título, que vc pegará pênaltis, espelhe-se em Dida e outros grandes pegadores. Nunca, absolutamente nunca pule antes do jogador definir o canto, pois sempre quem faz isso, pula pro lado errado. Fique no centro do gol e depois do chute, aí veja a direção e tente agarrar! Tirando isso, o jogo e principalmente a vitória foi espetacular, se tivéssemos mais dois ou três Prattos, o bi da Libertas já seria nosso! Aula de raça, de superaçao, vontade, dedicação, tática e até técnica, apesar do pênalti perdido. Marcos Rocha desta vez foi bem no jogo e não teve culpa direta nos lances de perigo, a zaga tá batendo muita cabeça, Robinho foi irreconhecível, mas melhorou quando deixou de jogar centralizado. Precisamos urgente de um armador seja Cazares, Dátolo ou Carlos Eduardo. No mais, agora é matar dois bichos: primeiro, coelho e depois bambi. Como dizia Ronaldinho Gaúcho, respondendo ao falastrão borrador do goleiro argentino bem como o imbecil zagueiro americano: “Quando tá valendo, tá valendo.”

  4. Este Alissom é um mala. Mesmo nas vitórias vem cornetar o técnico e até o Victor! Já o conheço do blog do Chico Mala. Chato demais!

  5. Brincadeira, depois de Aranhas, carinis, juninhos, entre tantas outra babas, ainda tem corneteiro para São Victor ? pelo amor de Deus que atleticano é esse ?

  6. Estive no estádio ontem e posso afirmar que essa torcida é fantástica. Apoiou o time o jogo inteiro. Parabéns à massa!
    Quanto ao jogo, muita raça e pouca técnica. O time entrou ligado, bem diferente do domingo. Porém, falta ainda aquele toque de qualidade no meio campo. Jogar com três volantes é interessante quando for na casa do adversário, mas aqui não dá, o time fica sem inspiração. Vamos torcer para que uma das opções do elenco (Cazares, Dátolo ou Carlos Eduardo) assuma o papel de meia.

    Lucas Pratto foi o destaque do time ontem. Jogou muito. Exemplo de profissional.

    Marcos Rocha não foi mal, apesar da cobrança exagerada da torcida. Aguirre deveria pensar em colocar Patric como ala D em alguns jogos, mesma função que o Luan fazia, uma espécie de “secretário” do Rocha. Certamente o rendimento dele melhoraria muito.

    Léo Silva está mal, perdendo divididas e chegando atrasado. Ele é ídolo, mas a idade está pesando para o nosso capitão.
    Erazo é fraco. Não confio nele.

    Robinho precisa se explicar. Tem qualidade, mas ontem foi abaixo da crítica.

    O restante do time foi de razoável pra bom.

    No Racing, os destaques foram Lisandro Lopes e Romero. Queria vê-los com a camisa do Galo, os dois são craques!

    Pra terminar, sugiro à diretoria do Galo que coloque a volta das quartas-de-final no Mineirão. Mais gente apoiando e pressionando o São Paulo, que não é nenhum bicho papão.
    Avante, Galo!!!

  7. Semana de festa pra Massa. É realmente muito preocupante a questão da arbitragem contra o São Paulo. A máfia do futebol brasileiro se voltará contra o Galo. Mídia paulista (fortíssima), CBF e “aquela emissora de televisão” farão de tudo para monitorar o resultado. Confiemos em Nepomuceno. Domingo Robinho deslancha e o Pratto do dia será coelho assado.

  8. Amigos podem falar que sou chato, mas Aguirre definitivamente não é treinador para o Galo, mesmo com este escalação deveria pressionar mais o Racing, parece que o problema do Cazares é extra campo dele, do Lauro e mais 3 isso tem limitado op treinador mas, convenhamos, mesmo quando o tinha um meia disponível vinha com Patrick de meia esuqerda, Sr. Eduardo mais uma vez vi um pênalti defensável, peço que veja o pênalti pela câmera que mostra a visão por trás do Lisandro Lopez com base naquele texto que lhe enviei e verá que era um daqueles pênaltis defensáveis, no mais que venha o São Paulo mesmocom as limitações do Galo acho que dá para passar

  9. onten senti os mesmo sintomas quando na final da libertadores estava no mineirao esta olhando e obeservando o jogo nâo vi o gol do Leonardo Silva fruto de tamanho nervorsimo que estava,ontem mais uma fez assistindo pela tv não consegui ver o gol do prato,deste jeito galo no final da libertadores teremos menos um atleticano para contar a historia,mais mesmo assim serei o mais feliz de todo atleticano,vamos galo ser campeão e nos encher de tamanha emoçao porque se nao for sofrido nao e Galooooooooooooo

  10. Excelente o resultado obtido pelo GALO. Agora, nossos jogadores têm que treinar chutes a gol, principalmente de fora da área. O Júnior Urso está perdendo gols incríveis, simplesmente porque chuta em cima do goleiro. Ele precisa treinar esse tipo de jogada, e aprender a chutar por cobertura. E viva o GALO!!!

  11. Bom dia Canto do Galo ! Corre o boato que já na madrugada,os SAC’s do Procon estão congestionados,tudo por conta das inúmeras reclamações de secadores com defeito rsrs Brincadeiras à parte, mais um de nossos mantras cabem bem no que foi o jogo ontem : se não for sofrido não é GALO e estamos conversados . Virado até agora,quase sem voz e uma certeza : VALEU A PENA ÊH ÊH VALEU A PENA ÊH ÊH … GALOOOOOOOÔ

  12. Valeu GALOOOOOO. Vamos continuar neste embalo, vamos para cima deles domingo e na semana que vem (provavelmente) em SP.
    Mesmo o Robinho não jogando bem impunha respeito e os demais se superaram.

  13. Jogo típico de Libertadores. Somos diferentes de 2013, vamos construir uma nova história, mas o sofrimento está garantido até o fim!
    Pratto levou 9,9. Robinho, zero. Sem um armador de ofício, Aguirre deverá tirar leite de pedra (como aliás, penso que vem fazendo frente a tantos problemas). A depender de Cadu, muita reza deve ser dirigida aos deuses do futebol. Outra grande preocupação é nossa defesa, quanta insegurança! Tá aí um departamento que vai dar muito trabalho ao técnico. Mas passamos, neste momento é o que importa, comemorei muito!
    Não poderia deixar de abordar o tema do babaca da banana. Esse coitado pertence a uma classe de gente pequena, inferiorizada e complexada, que precisa de atitudes assim p/ se sentir melhor. É uma praga que assola o mundo contemporâneo e está cada vez mais florescendo em nossa sociedade: O FASCISMO. NÃO PASSARÃO!

    1. Velho,pior foi a filha do presidente do Racing ,quis fazer média com o povo da enseada e voltou prá casa com o rabinho entre as pernas.Carne de GALO é dura e a bobinha achou que ia ser fácil cozinhar-nos ontem hehehe … e teve os seis dedinhos tbm .Blue – não falo o nome, nem a cor daquilo lá a cor da derrota .SAN

  14. O GALÃO DA MASSA cantou forte no Horto. Numa noite duplamente feliz, o “Bebezão” ajudou o dia terminar perfeito.
    No domingo, contra o Ameriquinha, vamos exigir que o nosso treineiro não venha com uma “aguirrada”, poupando jogadores. Afinal, “final é final” e nada de dar mole aos coelhos.
    É isso!

  15. Gaaaaaalllllloooooooooooooooo! Vitória na raça !
    Amigos gostei da formação do ataque que iniciou com o Carlos . Acho que o Aguirre foi feliz nessa. E falar em Aguirre , o cara pode ser o que for , teimoso , inventeiro , mas gostei da vibração atleticana dele . Ele também tem sangue nas veias . E isso agrada a massa.
    Agora , nossa defeza está uma lástima . Como resolver a fragilidade na lateral direita? E o elemento de ligação do meio campo ? Cazares sumiu?

  16. Meus amigos, ontem meu coração quase parou, assistia o jogo sozinho no meu apartamento e me consolava com eu filho no celular e é lógico tentando escalar o time a todo momento. Foi sofrido mais uma vez, ser Galense é assim mesmo, sofrer faz parte. Os quatro minutos de acréscimo parecia uma eternidade. Graças a Deus estamos na semifinal , que venha o São paulo e o próximo. “Uma vez Galo, sempre Galo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.