Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Dia de torcer contra o vento

“Caros, com a intenção de prestigiar o estimado leitor, eventualmente vou postar opiniões destacadas, como essa que o blog acaba de receber. Sejam as palavras do leitor Luciano seguidas por todos os Atleticanos”.

Por Luciano Gontijo

Mais um vendaval no meio da tempestade… mas o atleticano sabe torcer contra o vento!

Hoje é dia de esquecer birra com Aguirre, falta de paciência com Deustrick (fazedor de gols impossíveis) e corneta direcionada ao Marcos Rocha (melhor lateral do Brasil). Hoje é dia de buscar em nossa religião alvinegra e em nossa devoção a São Victor a tranquilidade necessária para fazer o placar mexer a favor do Maior de Minas. Se o placar marcar 0,1 % a nosso favor, assim como a nossa fé no “Eu Acredito”, levaremos o Galo para seguir às quartas-de-final, com jogo na próxima semana em São Paulo ou no México pela Libertadores 2016.

Vamos mostrar aos argentinos que aqui não tem “brasileños”. Tem, sim, ATLETICANOS.
Assim, eles se arrependem de terem reinvocado o mantra de 2013 que pintou o continente americano da cor preta e branca, provando mais uma vez aos ateus do impossível que os deuses do futebol ainda estão entre nós.

Iremos sim “borrar”, com o barro do Horto, mas o uniforme azul e branco, que temos a expertise de fazer tremer, e que hoje são as cores de nossos adversários de Avellaneda, demonstrando a raça e a garra arraigada no nosso DNA.

Os boludos argentinos de Avellaneda encheram dois estádios ao mesmo tempo durante uma partida de seu time, assim como o nosso, porém dificilmente encherão três. O nosso novo poleiro do Galo, no bairro Califórnia, nos dará como desafio encher o Mineirão, Independência e a nossa nova Casa, em breve.

“A verdadeira torcida do galo não assiste o Galo ganhar, FAZ o Galo ganhar”

galo 040516 BA

12 thoughts to “Dia de torcer contra o vento”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.