Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Saudades de Ronan, Paulo e Luís…

Ricardo Galuppo

Habituado, em temporadas passadas, a procurar motivos que inspirassem algum otimismo com o Galo, custo a conter minha euforia com o desempenho atual do time. Toda hora em que me lembro de que somos líderes do Brasileirão, semifinalistas da Libertadores e da Copa do Brasil, me lembro também das palavras de Cuca, ditas depois de cada vitória. 

Graças a Deus, está acontecendo nas três frentes, de chegar bem e com força”, disse o treinador depois da vitória sobre o Fluminen-C na quarta-feira passada. “A gente não sabe o que vai acontecer, mas tem vontade de chegar no fim em todas as frentes”. 

Nada está ganho e a massa inteira sabe disso. Mesmo assim, temos que nos dar o direito de curtir esse momento. Até porque, todo Atleticano sabe o quanto custou apoiar o Galo nas situações difíceis que ele enfrentou antes que o vento da tempestade, ao invés de ameaçar a camisa preta e branca pendurada no varal, passasse a soprar a favor dela. 

Não trago a realidade dos anos difíceis de volta por alguma satisfação em revivê-la. Não. Menciono nosso passado de dificuldades pensando numa marca que foi alcançada na vitória por 3 a 0 sobre o Sport no sábado passado sem que ninguém prestasse atenção a ela. Não me lembro de quantas vezes que, em campeonatos anteriores, os tais 45 pontos que alcançamos nesse jogo foram comemorados com alívio. O número, para quem não se lembra, marca a linha mágica que elimina os riscos de queda para a Série B (e que uns e outros hoje perseguem na tentativa desesperada de se livrar da Série C)… 

Em temporadas anteriores, os 45 pontos foram alcançados, aos trancos e barrancos, na reta final. Meu amigo Marcelo Costa Braga até mantinha uma contagem regressiva que muitas vezes só zerava nas rodadas finais. Agora, a estatística que fica é a de Luciano Santos Marques, atualizada a cada partida. Em 2021 foram, até aqui, 51 jogos, 36 vitórias, nove empates e seis derrotas. 

No Brasileirão, faltam 18 partidas, ou 54 pontos em disputa. Mantida a média de aproveitamento de 75% alcançada até agora, a festa será inevitável. Acho que a lembrança dos momentos amargos que vivemos ajuda a tornar mais saborosa a situação atual. 

OS ISENTÕES DO FUTEBOL

Há, de qualquer forma, muitos obstáculos no caminho até os títulos — e nem todos estão dentro das tais quatro linhas. Temos que vencer, além dos adversários, a desconfiança que muitos ainda insistem em fomentar em relação ao Líder. Tem comentarista com ar de quem sabe tudo que não consegue abrir a boca sem falar mal do Atlético e consegue ver defeito até no dinheiro que o empresário Rubens Menin pôs dentro do Clube. (Os pesadelos financeiros dos times normalmente são causados por gente que tira deles tudo que consegue. O Atlético é o único, segundo os “isentões do futebol” que tem problemas porque alguém resolveu investir nele!)

A sensação é que existe por aí uma turma que não mede esforços para atribuir ao time do Galo defeitos que ele não tem só para, depois, ter como justificar as armações habituais… Ouvindo o noticiário da chamada “Imprensa Esportiva Nacional” — que talvez seja a mais bairrista e provinciana de todas — e as “análises” dos isentões do futebol sobre o desempenho do Atlético na temporada deste ano, a sensação que dá é oposta ao que vejo em campo, durante as partidas. 

Os jogos que eles vêem são muito diferentes dos que eu vejo. Já há algum tempo, acompanho as imagens dos jogos pela TV, com o som aberto no aplicativo da Rádio Itatiaia. Se é para ouvir opiniões comprometidas com um dos lados, que pelo menos sejam as do Mário Henrique Caixa e as do Cláudio Rezende em apoio ao Galo.

O fato é que, em se tratando da tal “Imprensa Esportiva Nacional”, perdi o ânimo. Dificilmente vejo os programas ou leio o que esse pessoal escreve. Já não imagino mais a possibilidade de que um sopro inesperado de profissionalismo venha bafejar de uma hora para outra a consciência dessa turma que fala do futebol na TV por Assinatura e a impeça de continuar puxando de forma tão desavergonhada a sardinha para a brasa dos clubes mais chegados do Rio de Janeiro e de São Paulo. 

Na questão do tal Flamengo, então, trata-se de um caso patológico. Falam do time sem olhar para os lados, justificam as atitudes oportunistas da diretoria com um  “peso político” que eles mesmos ajudaram a construir e demonstram um nível de arrogância que lembra a dos fabricantes do Titanic, antes que o barco zarpasse para sua única viagem. Assim como aquele navio, o time carioca é apontado como indestrutível. Do barco, falavam que era tão poderoso que nem Deus poderia afundá-lo. Deu no que deu…

“CATANDO AGRIÃO NA VALA”

Tudo o que sinto nos poucos momentos em que ainda me permito ouvir essa gente, além de um absoluto desinteresse pelas bobagens que falam com ar de quem está revelando um segredo, é saudade. Sendo mais específico, saudade de Ronan Ramos de Oliveira, de Luís Carlos Alves, de Paulo Celso, de Fernando Sasso, de Kafunga, de meu queridíssimo amigo Roberto Drummond… Fico por aqui com a lista, já me desculpando pelas omissões que cometi.

Foi por intermédio de profissionais desse gabarito, pelas ondas da Rádio Guarani, pelas imagens meio trêmulas da TV Itacolomi e pelas páginas do Estado de Minas que comecei, durante minha infância, em Corinto, a me informar sobre futebol. Ou melhor, sobre o Clube Atlético Mineiro. O Galo foi a chave que despertou minha curiosidade para o mundo que havia além dos horizontes acanhados de minha infância. Não foi a única, mas por muito tempo foi a mais frequente. 

Cada um dos profissionais que mencionei tinha uma característica marcante e eu poderia ficar horas falando deles. Mas vou chamar atenção para um, que certamente foi o menos jornalista de todos: Kafunga. O lado folclórico e as expressões singulares que ele criava eram capazes de puxar o torcedor para dentro do jogo. 

Jogador flagrado em impedimento, para Kafunga, estava “catando agrião na vala”. O atacante que entrava com bola e tudo, embu&$t@va para dentro do gol. Mas, como ele dizia, embu&$t@va “no bom sentido”. Quem fazia besteiras, segundo ele, era um “braquicéfalo”. A palavra originalmente se refere às pessoas com o crânio em formato ovalado. No linguajar peculiar de Kafunga, porém, era sinônimo de tolo, bobo ou algo que o valha. Mesmo com todos os cacoetes e maluquices, Olavo Leite Kafunga Bastos, além de um grande goleiro atleticano, foi o melhor comentarista de arbitragem que vi e ouvi em ação.

Para ele, as leis do futebol existiam para serem cumpridas, não para serem interpretadas. Gol legal era “gol barra limpa”. O contrário, lógico, era o “gol barra suja”. Os interesses que Kafunga levava em conta eram sempre os do jogo, dos jogadores e dos torcedores — nunca os da turma do apito.  

Hoje em dia, é comum que as emissoras mais poderosas da TV e do rádio deleguem a missão de falar de arbitragem a ex-apitadores, que agem mais como advogados de defesa do que como críticos das lambanças que a turma faz em campo. Transformados em comentaristas, adotam atrás dos microfones os mesmos critérios obscuros dos quais se valiam para fabricar resultados favoráveis aos interesses que defendiam. Ouvi-los falar me provoca uma certa preguiça… e uma enorme vontade de tirar o som da TV. 

O LADO POLÍTICO

Deixa essa gente para lá. Tenho dito com uma certa insistência que a maneira de o Galo superar o problema crônico do favorecimento do apito aos preferidos da cambada será por meio de uma demonstração inquestionável de superioridade em campo. E cuidar para não ser surpreendidos por decisões favoráveis aos “mais chegados”. O time tem que jogar o fino e, ao mesmo tempo, se mostrar atento à “parte política” do futebol e não ser vítima de armações e safadezas. Algo que ele, convenhamos, nunca soube fazer direito. Quando fez, fez mal. 

Prova disso é que, durante cerca de dez anos, o Galo foi representado junto à CBD e depois à CBF por um sujeito chamado Sérgio Pereira Ayres, conhecido como Sérgio Peralta. Era um carioca sem qualquer ligação com o clube, que passou para a história como um dos envolvidos no roubo da Taça Jules Rimet, em 1983. É bom ficarmos atentos a esse lado de nossa memória: o Atlético, que teve grandes times no passado, sempre achou que a superioridade em campo bastasse para fazer valer seus interesses junto às entidades do futebol. E assim, por nunca ter dado muita bola para o tal “lado político” sempre foi vítima das armações mais tenebrosas. 

Com tanto dinheiro investido no projeto de um time vencedor e poderoso, passou da hora de o Galo ficar mais atento, também, aos ambientes em que se tomam as decisões que o afetam. E de mostrar que, por mais que a turma esperneie e continue vendo com naturalidade as vantagens concedidas ao Flamengaço Classificadaço em função de suas “conexões políticas”, seria muito melhor se o futebol fosse disputado em situações em que os benefícios concedidos fossem estendidos aos demais. 

Ou, ainda, num ambiente em que os árbitros, além de serem honestos, parecessem honestos (o que não acontece nem com os que apitam nem com os que comentam as partidas). Enquanto esse dia não chega, o negócio é continuar torcendo e esperando que, em campo, o Galo faça o suficiente para passar por cima de tudo e de todos. Eu acredito!

42 thoughts to “Saudades de Ronan, Paulo e Luís…”

  1. TEOBALDO ,

    entendeu agora o motivo pelo qual o MANSO é considerado o maior técnico das galáxias ?

    Não adianta !
    Já foi lançado até o “vocês vão ter que engolir o Cuca” quando formos campeões .

    Seremos, como você disse , APESAR dele .

  2. MUITO BOA A REMISSÃO AO VELHO KAFUNGA. QUE FORA DO FUTEBOL DIZIA: “NO BRASIL O ERRADO É QUE ESTÁ CERTO”. SÁBIAS PALAVRAS.

  3. Boa tarde, risonhos e felizes atleticanos

    Parabéns Ricardo Galuppo pelo brilhante texto, que mistura saudosismo bem humorado de nossa história, com as mazelas da CBF e o bairrismo da imprensa do eixo Rio-SP com seus times de estimação.

    A solução é “simples”: ganhar os jogos de forma implacável.

    Como?

    Fazendo gols inquestionáveis e se defendendo de forma impecável.

    Aliás, fazer gol no Galo hoje em dia é tarefa hercúlea. Há muitos e muitos anos não víamos um sistema defensivo tão consistente. Bom demais.

  4. É PRECISO FRISAR TAMBÉM QUE ESSA IMPRENSA MINEIRA , PRINCIPALMENTE A ESPORTIVA TEM UM CERTO COMPLEXO DE INFERIORIDADE EM RELAÇÃO À MÍDIA DO EIXO.
    A IMPRENSA MINEIRA PARECE TER MÊDO , SE SENTEM INFERIORES A ELES.
    ONTEM , FOI UMA VERGONHA , DEPOIS DE 12 MINUTOS DE PRORROGAÇÃO , OS LOCUTORES E COMENTARISTAS DA GLOBOLIXO QUERIAM MAIS 5 MINUTOS E SAÍRAM CRITICANDO O JUIZ.
    NÃO PODEMOS ESQUECER O QUANTO JÁ FOMOS ROUBADOS POR ESSA GENTE.
    É SÓ DAR UM GOOGLE ,
    “”O MAIOR ROUBO DA HISTÓRIA DO FUTEBOL””.
    LÁ APARECE O NOME DE “JOSÉ ROBERTO RATO” , ASSALTANDO O GALO NO SERRA DOURADA , COM O APOIO DESSA EMISSORA CARIOCA.
    INCLUSIVE O “RATO” FOI RECOMPENSADO COM UM EMPREGO NA DITA CUJA.
    PORTANTO É HORA DE LIGAR O ALERTA MÁXIMO.
    TEMOS QUE GANHAR NO CAMPO E NÃO DEIXAR O APITO NOS TIRAR A VITÓRIA.

  5. Bom Dia. Cronica de hoje sessacional. Me levou ao passado, pelo que ja passamos e hoje estamos sonhando. Lembrar destes jornalistas foi espetacular. Alem Deles vale lembrar, Willy Gonzer, Paulo Roberto Pinto Coelho e do não jornalista o eterno dir. de futebol Fabio Costa. Obrigado por brindar a todos nós com este comentario de hoje e a todos os torcedores que comentaram depois, me deliciei com cada um deles. Obrigado AQUI É GALOOO

  6. Bom dia, Massa, Galuppo Guru,

    Caro Galuppo, como diz o ditado “antes ouvir merda do que ser surdo”. Estes ataques da imprensa do eixo, juntamente com a ajuda ao classificadasso deveriam ser utilizados nas preleções para que nossos jogadores sintam o que eles precisarão enfrentar, além dos seus pares em campo.
    Não, não é para colocar pilha até porque, o que mais precisamos no momento é tranquilidade e foco, mas este tipo de coisa pode ser um motivo a mais para mostrar a nossos jogadores o quanto precisamos destes títulos em jogo.
    E ontem ouvi o técnico do Palmeiras na maior cara de pau dizer que somos favoritos porque gastamos dinheiro montando nosso elenco. E eles não gastaram? Qual elenco é o mais valioso?

    Ai respondo pro português : quer me enganar me dá bala portuga!

  7. Eu sei que aqui é só Galo, mas como não comemorar a inauguração, no Maracanã, do Recreio dos Gaúchos? O Flamengaço classificadaço que de acordo como GALUPPO tem muito a ver com o Titanic, não conseguiu nem na prorrogação, livrar-se de mais uma derrota para os gaúchos. Toda soberba será castigada.

  8. Bom dia Amigalos….
    Galuppo…. citaria também o Hélio Fraga, que assim como Drumond, tinha uma coluna no Estado de Minas, que era pra mim e pra muita gente, leitura obrigatória…Falava de futebol de forma clara, direta e imparcial….
    Boas lembranças dessa turma do passado…..
    Abraço a todos

  9. Bom dia, Eduardo e demais alvinegros!
    A rodada só não foi perfeita para o galo, porque o Palmeiras venceu, mas de qualquer forma, estamos na liderança e com boa vantagem sobre o segundo colocado.
    Amanhã é dia de clássico pela Libertadores, o jogo vai ser o mais difícil pro galo até aqui.
    Que os nossos zagueiros estejam concentrados e os nossos atacantes inspirados. No mais, é torcer pra que saíamos do Allianz Parque com um ótimo resultado.
    Vamos Gaaaaaaaaalo.

    Boa semana a todos.

  10. BOM DIA EDUARDO , GALLUPO E MASSA ATLETICANA.
    12 MINUTOS , ISSO MESMO , FOI O ACRÉSCIMO DO JUIZ NO JOGO DE ONTEM ENTRE FLAMENGO E GRÊMIO.
    COM A GLOBOLIXO , SEU NARRADOR E COMENTARISTAS TORCENDO DESESPERADAMENTE PARA QUE VIESSE O EMPATE OU ATÉ A VITÓRIA DOS SEUS PROTEGIDOS.
    NO APITO FINAL , O NARRADOR E COMENTARISTAS DA GLOBOLIXO CONTINUARAM RECLAMANDO DA ARBITRAGEM , DIZENDO QUE OS 12 MINUTOS FORAM POUCOS , QUERIAM MAIS UNS QUATRO OU CINCO.
    É EXATAMENTE ISSO QUE IREMOS ENFRENTAR DE AGORA EM DIANTE.
    A MÁFIA DO EIXO DA MAL , COMANDADA POR ESSA EMISSORA E PELA CBF VAI ATUAR FORTEMENTE CONTRA OS INTERESSES DO NOSSO GALO.
    É GUERRA , CONTRA ESSA GENTE.
    FIQUEMOS ATENTOS.

  11. Prezado Ricardo, bom dia.

    Esse tipo de texto deveria estampar a primeira página do portal uai.com, ao menos toda semana, para repercutir a nossa indignação! Tenho vindo aqui, reiteradamente, criticar a passividade da imprensa mineira, a quem classifico de “anã midiática” frente à do eixo. Ao longo dos meus 50 anos de Galo, experimentei todo o tipo de sacanagem com que aquela turma maquiavélica do eixo RJ/SP nos brindaram no futebol, e não falo só do Galo. Ontem, então, foi inacreditável a parcialidade do Sportv (temos de dar nome aos bois, sim) pró Flamengo. O desespero do tal de PVC, que ativou descaradamente o “modo torcedor”, leva-o a gafes imperdoáveis, como a que, no lance do pênalti, disse “achei que era o Leo Pereira do Grêmio”, quando todos vimos que nenhum lance para análise da arbitragem do VAR ocorrera na área gremista. Patético! E há uma vergonhosa campanha explícita para emplacar na Seleção o tal de Gabriel Barbosa, vulgo Gabi, em detrimento do nosso Hulk, especialmente.
    Num exercício de futurologia lógica, prevejo o CAM atingindo um patamar de grandeza que irá sacudir as estruturas da mídia protetora do eixo. Com o Estádio, os aportes financeiros dos investidores, grandes jogadores, conquistas e Torcida apaixonada, o Galo fará frente ao que se denomina “eixo maldito”, inevitavelmente. Se Rubens Menin (que, pelo grande caráter, nunca será um Sílvio Berlusconi da vida) catapultar o Galo para a CNN e continuar lançando os seus tentáculos adquirindo veículos de comunicação, teremos um cenário esportivo de enfrentamento à grande mídia tóxica com armas que aniquilarão os atos de safadeza e mau-caratismo daquela turma. Sabedores disso, tentam desconstruir a imagem do CAM de todas as formas abjetas possíveis e impossíveis, e de tudo farão para impedir nossas conquistas. Fato é que o gigantismo inconteste do Galo é motivo de pavor para aqueles bairristas de meia-tigela, cujos nomes recuso-me a citar.
    É oportunidade única de impor respeito e frear o provincianismo barato de anos! Se isso não ocorrer, continuaremos a ser ludibriados e chacoteados por mais 50 anos, no mínimo.
    Hora de embu&$t@r aqueles sacanas mandá-los “catar agrião na vala”!
    Deveríamos falar disso, todo dia.

      1. Além de incluir umas 5 ou 6 chamadas para falas (de caráter duvidoso) daquele tal Mauro Cezar Pereira. Dar mais destaque para um carioca safado e flamenguista na página que é o” Portal dos Mineiros” é de lascar. E pior ainda que o MCP é um sujeito de interesses obscuros e de uma má-fé e desonestidade intelectual monstruosas. Como alguém disse aí, a nossa própria imprensa não ajuda.

  12. Bom dia Galupo. Bom dia a todos. Amanhã teremos um verdadeiro teste para nosso Galo. Eu penso que podemos ganhar este jogo pelo lado esquerdo. Escalaria Arana e Keno, com Diego Costa no Banco. O Marcos Rocha é a mina.

  13. LEONARDO ,

    ‘ … o futebol perdeu a magia que envolvia um jogo , por mais simples que fosse … ”

    Aplausos !!!!!

  14. Obrigado pela lembrança de meu nome. Também tenho saudades daqueles tempos, do incrível e inigualável Kafunga, excelente companheiro, do querido Fernando Sasso, amigo inesquecível, e do grande repórter e amigo pra sempre Ronan Ramos. Aliás, ambos somos Ramos, mas não somos parentes. E obrigado a você por me levar de volta aos bons e inesquecíveis tempos de tantos queridos amigos.

  15. Tenho notado que o Flamengo vive uma crise que podemos chamar de “fadiga de material” .

    Renight não vai conseguir colocar o time em céu de brigadeiro outra vez por conta desse desgaste e eles vão ter que conviver com a instabilidade.

    Portanto , fora do páreo .

    O Palmeiras , também , carece de explosão .

    Com os nossos caras voando em campo , não haverá arbitragem que nos tire os títulos esse ano .

  16. Bom dia, Eduardo, Ricardo Galuppo e felizes atleticanas e atleticanos.

    Obrigado GALUPPO pelas belas frases que uniram saudosismo e esperança num mesmo texto. Sempre digo que o CAM nunca soube operar com maestria as questões extra campo e concordo com tudo o que você disse a respeito.

    Existe uma região na Lua chamada Mar da Tranquilidade. Foi lá que os astronautas que passearam pelo solo lunar pousaram. A vida do CAM e consequentemente a do Galo me trouxeram à lembrança esse nome, pois, parece que o nosso clube e nosso time querido estão atravessando uma fase que também poderia ser chamada assim.

    A vida do CAM está um verdadeiro mar de tranquilidade. Planejamento administrativo de longo prazo sendo cumprido à risca. Expansão patrimonial e novos projetos para ampliar ainda mais as propriedades do CAM. Regularização das dívidas com pagamentos contínuos de compromissos atrasados por administrações incúrias que antecederam a atual e acordos que garantem a tranquilidade dos pagamentos o que gera uma sensação de conforto, criam uma aura de honestidade e sinceridade do clube que resplandece em seu entorno, criando um ambiente que atrai novos investidores e empresários que querem aderir as suas marcas à marca do CAM e do Galo. Continuamente novas empresas querem se associar a esse momento ímpar da vida atleticana. A CREDIBILIDADE DO CAM ALCANÇA NÍVEIS NUNCA IMAGINADOS.

    Esse mar de tranquilidade evidentemente não poderia estar dissociado do time de futebol que hoje navega tranquilo pelo campeonato brasileiro, e pelas copas do Brasil e Libertadores. O time em campo hoje, traz alívio ao meu coração doente que tantas vezes sofreu com os times ridículos que o Galo punha em campo. Hoje eu assisto os jogos em paz, com a tranquilidade de saber que temos um time dirigido em campo como o clube o é na sede e um mar de tranquilidade me envolve esperando os inevitáveis gols.

    Não resta muito mais a se falar desse time extraordinário que começa a encantar o Brasil e trazer desespero aos corações e línguas dessa imprensa “do eixo” corrupta que só tem olhos e ouvidos para seus interesses espúrios, sem compromisso com a verdade. Temos um time inteligente, magnificamente dirigido por um treinador excelente, que gradativamente vai envolvendo até os seus mais ferrenhos críticos, como eu, com um trabalho cada vez mais produtivo e efetivo. Sim, ainda não ganhamos nada, mas quem duvida que ganharemos?

    O GALO ESTÁ CADA VEZ MAIS VIVO E MUITO MAIS ATIVO, NAVEGANDO COM TRANQUILIDADE POR MARES DOMINADOS PELA INTRIGA, INVEJA E DESCOMPROMISSO COM A VERDADE.

  17. Em relação ao post de hoje, mando os seguintes pitacos:

    1) CUca é o estuprador dos meus sonhos. O que aquele bosta-rala fez no Marrocos, abandonando o clube no momento mais importante de nossa história, é imperdoável. Fui, sou e serei sempre contra a volta dele ao Atlético. Se perdermos tudo que ora disputamos a culpa será dele. Se vencermos tudo que ora disputamos, será apesar dele.

    2) Quando o Kafunga foi, pela primeira vez, candidato a vereador em Belo Horizonte eu, ainda criança, quase coloquei o meu pai maluco para votar nele. Tínhamos uma velha rural ano 1964, na qual colocávamos toda a molecada da rua pra passear aos domingos e íamos com aquela parte superior traseira aberta. No dia da eleição convidei todos os amigos para ir junto com o meu pai e nós fomos gritando o nome do velho Kafa pelo caminho. Até hoje, quando em família recordando aqueles tempos, damos gargalhadas desse assunto!

    3) Só pra lembrar um pouco mais do nosso ex-goleiro: quando o juiz apitava bem ele ganhava o apito de outro; quando apitava mal ganhava o “apito de chamar jacu no mato”. E o Kafunga ainda imitava o canto do pássaro…. Hilário! E já se passaram, no mínimo, 50 anos… Putz, como tempo pôde ter passado tão rápido!

    1. TEOBALDO ,

      O seu item 1 merece alguns incisos , tais como :
      I – explicar o 6 a 1
      II – explicar BR 2012 ( não adianta culpar a CBF ) ; pelo mesmo motivo o Roth foi execrado
      III – explicar o vestiário no intervalo da final de 2013 ( sim , fato incontestável , até porque Gilberto Silva falou e não foi retrucado )
      IV – explicar Guga/Rever até a chegada do Nathan , explicar Zaracho como terceira opção , explicar banco do Hulk até ser peitado pelo próprio
      V – explicar Lucas Cândido na lateral

      Isso daí é o que é contundente , fora o resto .
      E o cara é considerado Cirurgião, Leão de Vestiário, Estrategista…..

      É PRACABÁ !!!

      1. Deixa de ser chato, Barata (Rssssssss!)! Como é que o estuprador dos meus sonhos vai explicar o inexplicável, querido??!!

        Em relação aos 6 X 1 tenho uma história verídica (que não posso provar, evidentemente), mas lá vai: Eu era amigo do Eduardo Maluf e fui convidado por ele para acompanhá-lo na festa de entrega do Troféu Guará/2011 (festa em 2012). Ao final os Atleticanos premiados e seus convidados foram “intimados” para uma esticada até uma boate de Nova Lima. Quase de manhã, e com todo mundo com a caveira cheia de birita, um ex-jogador em atividade de 2021 foi-me apresentado pelo Maluf. De repente o cara abraçou o ex-diretor e, olhando pra mim, depois de dar-lhe um beijo no rosto, falou: “Teobaldo, esse é o único homem de caráter dentro do Atlético, o único que não participou da palhaçada do 6 X 1”.

        O Maluf, surpreso com a situação e muito sem-graça, pediu para o tal ex-jogador em atividade em 2021 “ficar na dele”, que ele estava bêbado, mas o cara, prá lá de Bagdá, continuou:

        – “Aquele fdp do XXXXXXX me falou que tínhamos que perder o jogo porque se o Cruzeiro não caísse o Atlético poderia receber uma grana no futuro pra contratar um craque. Fiquei puto e, na concentração, falei isso para o YYYYYYY (meu companheiro de zaga), um cara de extrema confiança. Ele ficou puto e queria jogar merda no ventilador. Queria chamar a imprensa e tal. No final, conversamos e combinamos: se é pra entregar, vamos fazer direito! Pode acreditar, Teobaldo, o XXXXX é um fdp”.

        Como não tenho provas, Barata, e omiti os nomes, exceto o Maluf que já não está entre nós e não pode me processar (Rssssss). No final da noite, como eu era o “motorista da rodada” (estava sóbrio, pode acreditar, senão teria vomitado) fui levar o Maluf em casa e ele pediu-me pra relevar o que o tal “ex-jogador em atividade em 2021” tinha falado, porque a esposa dele tinha sofrido um aborto e o cara não estava muito fragilizado e, ainda por cima, bêbado! Fingi que não acreditei e nunca toquei nesse assunto com o Maluf, mas posso te garantir: à exceção do nosso ex-diretor, todos os personagens desta história estão aí. Alguns deles gozando da fama de heróis da Massa.

        Abraços!

    2. Vou torcer pra que aconteça o seguinte: Cuca nos “abandone” em pelo menos mais duas disputas de mundial de clubes. O que acha?

      Outra pergunta: Você teria coragem de “abandonar” seu emprego atual caso fosse oferecido um salário 5 vezes maior em outro local? Cuca ganhava 300 mil no Galo em 2013 e foi pra China receber 1 milhão e meio por mês. Reflita.

      1. Resposta à 1ª pergunta: Quem deve achar alguma coisa é você, afinal de contas quem gosta de apanhar é mulher de malandro, mas esse não é o meu caso.

        Resposta à 2ª Pergunta: Eu nunca abandonaria o meu emprego se a empresa à qual eu presto serviço, dependendo muito de mim, estivesse às portas de conquistar o maior objetivo de sua história, mas sou obrigado a refletir e reconhecer: ética é pra poucos!

        Em tempo: o CUca largou o Santos alegando que “precisava cuidar da mãe dele” e na sequência assinou com o Atlético. Isso, sim, merece uma reflexão!

        Grato pela leitura e comentário!

        Abraços!

        1. Caro Teobaldo, não irei entrar em discussão com vossa excelência. Algumas coisas que você escreveu são tão absurdas e ofensivas que não merecem réplica.
          Siga assim como está e eu seguirei da mesma forma.
          Saudações!

        2. TEOBALDO ,

          entendeu agora o motivo pelo qual o MANSO é considerado o maior técnico das galáxias ?

          Não adianta !
          Já foi lançado até o “vocês vão ter que engolir o Cuca” quando formos campeões .

          Seremos, como você disse , APESAR dele .

        3. Prezado, apenas retificando informação equivocada: Cuca não abandonou o GALO no mundial (pra mim, um torneio mequetrefe, inferior à Libertadores e ao Brasileiro), ele comunicou que deixaria o Clube após o mundial, mas esteve lá representando o Clube quando ele precisou. Foi ético. Falta de ética e abandono seria se ele deixasse o Clube DURANTE a disputa, o que não ocorreu. Para mim, a comunicação de sua saída deveria ter sido posterior à disputa, mas não foi fator determinante para o resultado final. Telê Santana, o maior de nossa história (até o momento) nos abandonou durante a disputa dum brasileiro (1988), após derrota para o Criciúma, indo assumir logo o nosso maior rival (framengo), e nem por isso deixou de ter seus méritos reconhecidos pela Massa (justamente). SAN

        4. Meu caro Teobaldo!

          Certíssimo! Também não perdoo o abandono da equipe em Marrocos!

          Mas, convenhamos, o CUca ta fazendo um excelente trabalho, é fato!

          Quero o BR21 , o Galo só perde pra ele mesmo, escreve aí!!

          Forte abraço!

          Galo Sempre

          1. Meu caro Barros,

            o “abandono” foi exatamente isso, desmobilizou completamente a equipe no momento crucial da competição, foi assim tb no maldito 6×1. Não tem como esquecer!!!
            Abraço

            Galo Sempre!!!

  18. Bom dia Massa!
    O que me deixa p. da vida não é a imprensa do eixo falar o que fala. Já é previsível este comportamento no mínimo suspeito, Basta ignorar para não contaminar o bom humor do Atleticano em uma segunda como esta que vivemos. O que me deixa p. é os sites de noticia de MG, como o Superestportes, dar palco para essa gente, e mesmo, tentando ignorá-los, nos deparamos com esses sujeitos mal intencionados. Daqui a pouco vou ter ignorar os portais tradicionais das MG tb. Me refugio nestes portais, pois sou radicado em Sorocaba e já estou farto destes sujeitos na mídia diária daqui. Além disso, os mineiros, ditos Atleticanos, destes canais por assinatura não levantam uma pena para defender o Galo. Bando de isentões sem coragem.
    Dito tudo isso, vamos curtir a segunda que o Galo está consistente e passando confiança de que este ano tem tudo para ser o ANO DO GALO.

  19. Esqueça esse negócio de você querer ver mesa redonda falar bem do Galo!!! Quem tem que falar e jogar bem somos nós!!
    Jogador tem que entrar em campo preocupado em fazer gol. Se anular um gol legítimo, faz mais dois. Eu sei que é injusto essa situação mas quando foi justo???

  20. O Brasil inteiro respira aliviado com o término do jogo do mais favorecido x gremio. As bolsas de aposta do país , davam como certo o apito final depois que o brasileirão encerrasse . A cabine da rede que transmitia o jogo, em polvorosa , nori, pvc e pet , inconsoláveis. A central do apito amigo dizendo 14 minutos pouco, muito pouco, o certo, o correto seria o jogo acabar somente quando o mulambo empatasse , justo. Ontem deu tudo errado , uma noite pra esquecer, quase o segundo gol acontece , no interminavel desconto , no eterno desconto .Não aconteceu porque borrrra atrasou a bola pro goleiro. pvc gritando aos quatro cantos que o flamengo é cirurgico, cínico, armando uma arapuca pro gremio , uma armadilhuma . pet , numa mistura de servio com carioca , conjugando verbos que ninguem entende , nori desfilando os numeros de gols na era renato gaucho/carioca a cada gol perdido pelo asqueroso gabriel. Noite pra ser esquecida , mas nós não esqueceremos , nós comemoraremos.

  21. Prezado Galuppo, ótimo dia

    Suas lembranças sobre Kafunga, Sasso, Ronan Ramos, Drumond etc. Fazem parte da época de ouro do futebol, quem viu viu, hoje o futebol é business, perdeu grande parte do encanto, perdeu a arquibancada, perdeu a geral, perdeu a magia que envolvia um jogo, por mais simples que fosse.
    Lembra das narrações de Vilibaldo Alves na rádio Itatiaia, nos gols do Galo “advinhe………..”.
    Agora restaram as lembranças.

    1. LEONARDO ,

      ‘ … o futebol perdeu a magia que envolvia um jogo , por mais simples que fosse … ”

      Aplausos !!!!!

    2. Mais alguns a serem citados… Jairo Anatólio Lima, Tancredo Naves, e outros que traziam emoção, com dignidade e isenção. Imagino que muitos devem estar acompanhando e vibrando!

      Vi a entrevista que o Cesinha, que passou brevemente por aqui e virou ídolo na Coreia do Sul. Ele se referiu aos clubes pelos quais passou pelo nome, mas ao chegar a vez do Atlético MG, o chamou de … Galão da Massa! Mais um que virou torcedor.

      Bom dia e boa semana a nós!

  22. Bom Dia, Galuppo e Canto do Galo!!!

    Galuppo, quanta saudade do Kafunga…

    Para Kafunga no Brasil “o certo é o errado e o errado é o certo”…

    A Rodada 21:

    Muito boa a rodada para o Atlético pelo aumento da gordurinha, principalmente em relação ao Urubu.

    O Flamengo perdeu de 0 a 1 para o Grêmio no Maracanã. O Tricolor Gaúcho ainda perdeu um pênalti no finalzinho do jogo, mas conseguiu segurar o placar.

    O Grêmio jogou bem e o Flamengo nem tanto.

    No sábado, o Palmeiras jogando em Santa Catarina venceu a lanterna Chapecoense por 0 a 2.

    Com todos os titulares em campo, o Palmeiras fez ótimo 1ºT, quando fez 2 gols, e no 2ºT tirou o pé.

    Galo e Porco têm 20 jogos e o Flamengo 2 jogos a menos.

    Para o Palmeiras a distância são 7 pontos; para o Flamengo 11.

    Se o Flamengo vencer os dois jogos a menos, a diferença na pontuação para o Atlético ficaria, hoje, em 5 pontos.

    O G6 tem o CAM 45, Palmeiras 38, Flamengo 34, Fortaleza 33, Bragantino 33 e Corinthians 30.

    Em relação ao Galo, Fortaleza e Corinthians têm 1 jogo a mais.

    Os jogos do G6 tiveram os seguintes resultados:

    CHA 0 x 2 PAL;
    CAM 3 x 0 SPT;
    BAH 1 x 1 BGT;
    INT 1 x 0 FOR;
    COR 1 x 1 AME;
    FLA 0 x 1 GRE.

    O Atlético é a equipe que menos perdeu (3), mais vitórias tem (14), menos gols tomou (13) e melhor saldo de gols soma (19), além de estar com aproveitamento de campeão (75%).

    Bom alertar que o Galo ainda não ganhou nada e o melhor é focar sempre no próximo jogo e considerar toda partida uma final.

    De mais a mais, a Diretoria deve redobrar todos os cuidados para evitar manobras extracampo dos canalhas e da camarilha.

    Farão o di@6o$$$ para segurar o Atlético…

    O próximo jogo pelo BR21 é no sábado 25, contra o SP, no Morumbi.

    Vamo que vamo!!!

  23. Bom dia Galipo e amiGalos!!
    Realmente vários campeonatos entramos para fazer os 45 pontos.
    Graças a Deus e ao papai Menin tudo mudou..
    Hoje nossa Contagem é para ser Campeão!!
    Faltam 30 pontos para ser campeões vai me Galão bica bicudo, vacila não busca essa taça na raça!!!!
    Saudações!!!

  24. Bom dia!
    Há muito que essa imprensa perdeu a credibilidade. As únicas coisas que eu ainda via na tv eram os programas esportivos, mas definitivamente não dá. Além dos vômitos ideológicos, suas preferências clubisticas. Não vejo e não ouço mais.
    Galo campeão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.