Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

O Atleticano é e será sempre confiante

Nada como uma terça-feira, depois daquela segundona indigesta com as consequências do excesso do final de semana. Já fui obrigado a tomar muito engov no passado, para suportar a segunda-feira. Lá na minha terra, Araxá, tem uma água sulfurosa – com cheiro de ovo podre – que era ainda melhor do que o remédio e curava qualquer ressaca. Ficava novinho no mesmo dia, mas para a ressaca moral de um mau resultado do Galo, nem essa água milagrosa ajudava.

O meu e o nosso excesso, caro Atleticano, foi acreditar que o embalo da sequência de vitórias não fosse interrompido. Muito menos que acontecesse diante de um fraco time, como é o Figueirense. Em meio a esse turbilhão, olhando para a rodada seguinte, as sequelas se agravam. Afinal, no domingo teremos pela frente o Flamengo. Quem não se lembra dos clássicos do passado com interferências estranhas e externas, que pararam o Galo. Fossem no apito, decisão administrativa e interna da CBF e até mesmo julgamentos estranhos do STJD.

Fred jogo com o Figueirense 03-07-16

Em meio a isso, a cabeça e o corpo não apresentaram reação durante todo o dia de ontem. Não tinha engov e tampouco aquela água fedida lá de Araxá – mas que, podem confiar, cura todo e qualquer mal decorrente do abuso no final de semana – que curasse. Doeu demais para nós Atleticanos, mais do que o péssimo juiz, a apatia do time em campo. Enfrentar esses “erros”, sem entrar no mérito se são ou não intencionais, já está no nosso DNA. Afinal, são décadas de sofrimento e os caras de pau acham isso normal.

Para o próximo final de semana, sem estender sobre o assunto, temos de ficar ainda mais preocupados. Domingo, além do péssimo juiz – um paranaense que só havia apitado uma única partida na série A –, outro seu conterrâneo prejudicou o Flamengo frente ao Corinthians. Foi tão escandaloso quanto os erros de arbitragem que sempre recaíram sobre o Galo. Meu receio é que a fatura venha a ser quitada com os cariocas exatamente na próxima rodada. A expulsão do Fred foi, no mínimo, estranha.

Marcelo Oliveira jogo com o Figueirense 03-07-16
Fotos: Atlético/Bruno Cantini

Diante dessa realidade, sabedores de que a CBF e seus departamentos funcionam como se existisse futebol apenas para o Rio de Janeiro e São Paulo, nós temos de trabalhar e produzir dobrado. E, acredito, que esta semana com tempo para treinamentos e até possíveis retornos de lesionados, o Galo pode e deve apresentar melhor desempenho no jogo de domingo, que será realizado em Brasília. Isto, pois o charmoso e decadente futebol carioca sequer tem local para abrigar as partidas de seus clubes.

Já um pouco refeito, nós Atleticanos queremos, esperamos e confiamos na reação do time. Que o jogo de ontem sirva de lição para o time, depois de marcar um gol, busque o segundo e segure o ímpeto do adversário – sem novas ou antigas falhas como a tal da “linha burra” – evitando-se que mais pontos escoem pelo ralo da classificação.

Nem devemos entrar nessa pilha de discussão se o plantel é ou não é o melhor no atual futebol brasileiro. Temos, sim, bons jogadores e boas opções de banco. Sem improvisações de lateral no ataque. Reitero que, a se confirmar a contratação do Mina, o equatoriano, o elenco estará qualificado para disputar a primeira posição ao final do campeonato. Com ou sem “erros” da arbitragem.

O sentimento de confiança sempre volta depois do natural efeito de um revés, sobretudo numa partida aparentemente fácil.

 

23 thoughts to “O Atleticano é e será sempre confiante”

  1. Ontem mandei uma mensagem falando da falta de Atitude de Campeão do nosso time, sei que ninguém lê mesmo mas serve de desabafo, hoje vou divagar um pouco mais. Gostaria de levantar três tópicos que considero muito importantes para o nosso time podendo considerá-los de forma independente ou inter-relacionados, quais sejam: O primeiro diz respeito à filosofia de um time campeão que além da Atitude ou Postura sempre buscando o Gol do começo ao fim da partida, independente do local do jogo e do placar, precisa também de muita Intensidade tanto ofensiva como defensiva, todos os jogadores devem se entregar de corpo e alma o tempo todo participando de todos os setores do campo na defesa, na armação (transição) e ataque, de forma muito intensa, com velocidade e efetividade, e por fim um time que realmente busca ser campeão precisa também, além da Atitude e Intensidade, de Constância esforçando-se ao máximo para jogar com Atitude e Intensidade em todos os jogos, dentro ou fora dos seus domínios, atualmente vejo o Palmeiras jogar dessa forma, contra o Sporting, um time tradicional, de torcida, que jogando em sua casa foi o tempo todo ameaçado pelo Palmeiras que não se escondeu do jogo em momento algum, apesar de estar sempre em vantagem no placar, muito diferente do Galo contra o Figueira, além do Palmeiras cito a seleção Chilena que é muito intensa, mas o meu melhor exemplo de Atitude, Intensidade e Constância é o próprio Galo só que o de 1977 que o Marcelo Oliveira conheceu muito bem; O segundo aspecto que gostaria de relatar é a cultura do nosso CAM que gosta de apostar em medalhões, deu muito certo com o Ronaldinho mas na maioria dos casos não, sou da época que o Clube não tinha quase que nenhuma estrutura na base mas revelava em boa e grande quantidade e qualidade garotos muito bons de bola e não precisa de recorrer tanto às compras, com essa atual postura de contratar medalhões estamos comprometidos financeiramente mas o pior é que a nossa Média de Idade aumentou muito e talvez por isso não conseguimos a tão desejada Intensidade, acho que devemos aumentar e melhorar a área e a seleção de garotos, o garimpo deve abranger todo o território Nacional não somente BH; Por fim faço um questionamento que está na boca e nas mensagens de todos atleticanos, sempre que se discute o time do Galo fala-se em baixas médicas em rendimento físico, segundo as explicações dadas o número altíssimo de lesados vêm da grande quantidade de jogos, mas como então explicar os times de ponta do campeonato em especial o Corinthians que quase não tem problemas com os seus jogadores apesar de disputar o mesmo Brasileirão? E os casos do Guilherme, Giovanni e Renato Augusto que viviam no departamento médico, sendo dois egrégios do Galo, e agora não tomam nem mais remédio pra dor de cabeça, além do que o nosso time, principalmente o sistema defensivo (Volantes, Zaga e Laterais), não consegue acompanhar as arrancadas dos adversários e sempre falha no segundo tempo, será que não precisamos mandar os departamentos médicos e de preparação física fazerem um bom estágio no Corinthians, as vezes auto crítica e humildade fazem muito bem. Será que esse aspecto físico não está contribuindo também para falta de Atitude, Intensidade e Constância? Será? É claro que para um time atingir esse nível de excelência deve ser bem treinado e com um esquema tático bem definido. Desculpem pela viagem, mas pensem: mais Atitude, mais Intensidade e mais Constância. Galo Sempre.

    1. Bela dissertação a sua caro Robson ! Atitude + constância + planejamento [ aqui inclui-se treinamentos físicos, táticos e técnicos , definição de objetivos a serem alcançados ,logística , comprometimento, etc ] + sangue ‘nuzói ‘ = Clube candidato a grandes conquistas ,fato ! SAN
      OFF :Falando por mim , leio todas as opiniões aqui postadas , é que as vezes falta tempo para ampliar o debate . abc

  2. … Sinto de certa forma uma parcela de culpa da imprensa em tudo isso e explico:
    Diversos meios de comunicação (radio e tv) tem a oportunidade (e claro, de acordo com alinha de ação do veículo),
    de reproduzir e encaminhar o sentimento do torcedor aos treinadores e dirigentes, seja em entrevista após o jogo ou em participação dos responsáveis em programas de radio e tv.

    Dito isso, rogo que os profissionais da imprensa levem essas angustias aos responsáveis pelo Galo, de forma direta, sem firulas e citando, inclusive, nomes de jogadores que apresentam comportamento contrário ao peso da camisa que vestem.

    O que tenho percebido é que isso não ocorre por parte dos profissionais da imprensa, nas coletivas pós jogo.

    Os profissionais presentes não abordam as falhas com clareza e fundamentos e deixam que o discurso “politico” dos técnicos prevaleça.

    Isso ocorre, no meu entendimento, porque a imprensa evita “se queimar” no cara a cara com os entrevistados, para garantir futuros acessos a esses mesmos técnicos ou dirigentes, ou seja, acabam refens do “sistema”. Se, por exemplo, confrontarem devidamente o Marcelo Oliveira sobre os problemas de desempenho e falhas gritantes de escalação, acabarão sendo preteridos e até barrados em eventos futuros.

    Não é fácil, eu sei, mas precisamos causar saia justa nessa gente com URGÊNCIA!

    Fica aqui o pedido de que cada profissional que tenha a oportunidade, seja em particular ou publica, pontue e cobre com vigor ao técnico e aos dirigentes, para bem do futebol.

    O Galo é maior que todos nós e sempre será …desde que cuidemos dele com responsabilidades e profissionalismo.

    Bica todo mundo, Galo !!!

  3. Ninguem chama à atenção do Goleiro Victor, muito fraco. Não devem vestir a camisa do Galo, “manto Sagrado”, Carlos, Patric, Clayton, Eduardo, são jogadores medianos.

  4. Caro rabino Ávila! Time que está determinado e querendo ser campeão tem que fazer igual ao Palmeiras ontem, em Recife. Vai lá na casa do adversário, corre, encara e ganha. O galo foi lá, estava ganhando de 4 a 2, cedeu o empate e quase sai derrotado. Vamos cair na real, parar de viajar na maionese: o Galo não ficará nem entre os quatro primeiros com o futebolzinho mixuruca que está jogando. Na atual circunstância oitavo, nono ou décimo lugar seria a classificação final do Galo. Tá faltando comando do presidente para chamar o treinador “as falas. Domingo será o dia decisivo: uma derrota acachapante será o fim trágico de 2016……

  5. Acho que, apesar de sua dedicação e boa vontade, Patric pode continuar no elenco, mas SOMENTE para reserva da ala direita. Ainda assim prefiro o Carlos Cesar. Yuri também não vingou, deveria sair. Já São Victor precisa aprimorar, mesmo tendo feito tudo o que já fez pelo Galo. Aquele gol sofrido domingo foi típico de jogador de linha quando vai pro gol nas peladas. será que ele está vendo os jogos do mão de alface Fábio? Vamos Galo!!!!
    P.S.: quando votam Luan e Pratto???

  6. Eduardo, o Galo precisa jogar de forma mais intensa(marcação firme, com as linhas de defesa, meio e ataque mais próximas, troca de passes curtos e com velocidade). Assistindo aos jogos parece que falta um algo mais dos jogadores, principalmente nos jogos fora de casa. Espero com sinceridade que o MO não coloque mais Hyuri, Patric e Carlos, pois com eles em campo não há como vencer. #Hyuri, Patric e Carlos, NÃOOOOOOOOO!

  7. Há dias o Marcelo Oliveira, afirmou que o período de improvisações havia acabado. Pergunto: por que insiste em colocar o Patric como atacante (pelo lado,) meia , seja lá que posição for? Outro detalhe, os volantes (cabeças de área), tem por finalidade dar proteção aos zagueiros e cobertura aos laterais. Hoje nossos 2 volantes estão indo ao ataque, função que compete aos atacantes e armadores. Esporadicamente, até sou a favor que 1 dos volantes vá ao ataque (na boa). Em 2 gols do Botafogo e no do Figueira, Eduardo e J. Urso estavam no ataque. O reflexo do apetite dos “cabeças de área” pelo ataque, é o CAM ter a 2ª pior defesa do Campeonato.

  8. Eu também não entendi o nervosismo do time parece que ta com medo, dando chutão pra tudo quanto é lado, não temos psicólogos, comissão tecnica para tranquilizar os jogadores, e concordo com o comentário acima faz um gol e acha que ja ganhou será que a lição doSport ganhado de 4 a 2 deixa o time empatar. Tem que ir com fome todo jogo é o jogo da vida.

  9. A diretoria do CAM não pode ficar calada com os erros da arbitragem, SPFC foi ontem peitar a CBF. Já fomos prejudicados em vários jogos neste BR 16: Spot, Cruzeiro, Fiqueirense e ate na vitória sobre o Santos fomos prejudicados.

  10. Novamente excelente o seu comentário. Vou continuar insistindo contra a decisão do Clayton de não comemorar gol do Galo contra o Figueirense. Ele não merece vestir a camisa do Galo. Que volte logo para sua terra, pois aqui não nos ajudou com o seu medíocre futebol. E viva o
    Galo!!!

    1. Só que o Fiqgeuira não vai querer esse cara de volta. Vendeu o peixe pro besta do Nepomucneo e ainda pegou o Rafael Moura de contra-peso. Layton só tem um recurso. Empresta para ver se melhora…no Galo não dá para evoluir. A pressão é demias e ele não tem estrutura para joga em time grande. O Macos ROcha teve de sair por dois anos para voltar e tomar para si a camisa dois.

  11. Se entrar com Patric de novo é pedir pra perder. Patric e Marcio Araújo são 2 fenomenos do futebol, ambos são detestados por torcedores e com razão mas os técnicos os adoram. Se estiver errado me digam uma só jogada feita pelo Patric com efetividade nos últimos 5 jogos? Não duvido como disse alguém no blog daqui a pouco o Patric é presidente do Galo. Vendo o Palmeiras jogando ontem não dá pra negar esta a 1000 anos luz do Galo em termos de técnica e tática, o Cuca acertou o time. Gosto muito do MO mas não vi nada de diferente em comparação com Aguirre ta na hora de se explicar. Por onde anda o Berola alguém pode me informar, muito melhor que Carlos, Hyuri e Patric. No mais é torcermos por algo novo no esquema do Galo porque senão será mais uma derrota. E cuidado com a arbitragem.

  12. Certos comentários merecem replay, como esse do irmão Guilherme Bicalho, no dia de ontem:
    “A culpa não é do Marcelo, que nem teve tempo pra treinar. A culpa é de quem montou o elenco, que definitivamente está longe de ser o melhor do país. Temos várias deficiências, como ausência de zagueiros confiáveis, apenas 1 meia de qualidade e nenhum atacante de velocidade. Não podemos nos iludir com jogadores “consagrados” no passado. O futebol atual é dinâmico, com intensidade e força física. Nome não ganha jogo. Só não vê quem não quer”. Concordo plenamente. Quem assiste os jogos de nossos adversários diretos pela TV observa o abismo que nos separa e não dorme direito. Faz tempos que o Galo é lento, morno, cadenciado, previsível, pratica futebol da década de 70-80. Hoje, essencialmente, futebol é velocidade, é pegada, é jogador brigando pela bola que nem dois rottweilers brigando por um pedaço de carne. Foi assim o jogo do líder na noite de ontem. Estilo de jogo e modo de atuar requer cabeças pensantes, requer acima de tudo planejamento e entendimento de futebol. Só Nepomuceno aparece no topo do CAM. É muito pouco.

    1. Prezado Roger, fiz uma resposta ao comentário do Guilherme ontem, mas não consegui publicar. Então, essa proposta de reflexão servirá para ambos. Alias, a todos, inclusive ao Eduardo, “Chefe Maior”.
      Na minha opinião o elenco do Galo é o melhor do futebol brasileiro atualmente. Qual time possui melhor elenco? Contudo, devido a circunstancias das contusões, convocação e erros de escolhas (principalmente do Aguirre) criou-se a dúvida quanto a qualidade do elenco. Vejamos, já tivemos jogos em que a dupla de zaga foi Gabriel e Thiago, Lucas Cândido de Lateral, e no ataque, dois ou mais desses jogadores estiveram em campo: Pablo, Hyuri, Capixaba e João Figueiredo. E não estou me referindo a campeonato mineiro não. Estou revendo escalações no brasileiro mesmo! Mas basta revermos os jogadores citados para vermos que esses são jogadores que estão no grupo das ultimas opções do elenco. São os chamados “reservas dos reservas”. E como atuaram e os resultados não vierem, muitos jornalistas e comentaristas esportivos questionam a qualidade do elenco do Galo. Será justo? Fazendo um paralelo, a três meses atrás, ocorreu uma situação inusitada quando Vitor, Giovanni, e mais três goleiro do júniores estiveram machucados ao mesmo tempo. Então, o Galo contratou, de urgência, o Lauro (que já foi embora sem ter estreado) . A opção do Aguirre, o jovem Wilson, falhou no clássico e no equador. Seria justo afirmar que, devido a falhas do Wilson e a contratação de emergência, o Galo não possui bons goleiros? E mais: Vitor voltou da contusão e somente agora está começando a adquirir a melhor forma. Foi criticado, inclusive por mim, quando dos mals momentos. Mas é justo dizermos que Vítor não é mais um dos melhores goleiros do País?
      A reflexão se estende ao Robinho. Ainda que não tenha apresentado o melhor futebol, já fez 4 gols no brasileiro, e está em baixa, hein… É o mesmo número de gols do Vitínho e Sasha, do Inter, do Romero, do Corinthians, um a mais do que o Calleri do São Paulo. Contudo, é mais coerente esperarmos que o Robinho possa melhorar o rendimento do que todos os citados, que já estão rendendo o que podem. E não é só pelos gols não. O time perdeu muito com as substituições do Robinho nas partidas contra Sport e Botafogo, atuando relativamente bem, e contra o Figueirense, mesmo jogando mal. Mas os críticos só veem gols, pedaladas, assistências. Claros que são importantes, mas e a posse de bola, a cadencia, o trabalho de início da jogada, isso não conta? Pratto ano passado foi extremamente criticado pelos “poucos” gols marcados, em contraponto aos muitos perdidos. Mas, quem foi mais importante para a campanha em 2015: Pratto, Guilherme ou Giovanni Augusto? E quanto à situação ofensiva, não há dúvidas de que foi bem resolvida com a contratação do Fred. A média de gols está muito boa.
      Aliás… voltamos ao Pratto. Muitos ainda não se deram conta, mas ele não participou de qualquer partida no campeonato brasileiro ainda. Nem ele, nem Luan, nem o Maicossuel…
      Peço desculpas por me alongar na mensagem, mas ainda proponho mais alguns pontos importantes para análise. Estamos no período de abertura de janela internacional. As especulações dão conta de os olhos estrangeiros estão voltados, no elenco do Galo, para Pratto, Douglas Santos e Carioca. E o Galo possui, no elenco, substitutos de níveis parecidos. E as mesmas especulações indicam que Gabriel Jesus e Dudu, no Palmeiras, Gabigol e Lucas Limas, no Santos, Luan, do Grêmio, são nomes fortes para deixarem o pais nesse período de transferência. Suas equipes possuem substitutos? Ainda que não saiam nessa janela, alguns desses citados, assim como o Fernando Prass, umas das referências do elenco palmeirense, estão convocados para as olimpíadas, e suas ausências serão, certamente, sentidas nesse período de afastamento. O Fabio Santos será o substituo do Douglas Santos.
      Por fim, lembro a todos que o Palmeiras é dirigido pelo Cuca, que teve ótimo primeiro turno com o Galo em 2012, com elenco que contava com R49, Bernard, Jô. O treinador do Grêmio é o Roger, que ano passado, embora estivesse entre os 3 primeiros grande parte do campeonato, hora nenhuma foi apontado como candidato ao título, restrito ao Corinthians e Galo. Alias, o Corinthians tem como treinador o Cristóvão, e no elenco Guilherme, Giovanni Augusto, André… já vimo esse filme! Precisamos deixar o Marcelo Oliveira trabalhar.
      Não é otimismo, é análise.
      Saudações alvinegras.

      1. Assim como eu cumprimentei o Roger e o Guilherme, também te cumnprimento pelo excelente texto , Souza . Eu sou completamenet apaixonado pelo futebol ,pelo Galo efico felzi demais quando vejo gente como vocês que discutem o jogo com tanto embasamento .
        Eu , particularmente, fic o entre as duas visões. E ,claro, torcendo muito para que este você esteja certo no final .
        Tomara que o Marcelo consiga ajeitar o time e que esta comunhão torcida-tiem se consolide . Uma vez ela ocorrendo, ela nos faz muito fortes .

    2. Roger , você eo Guilherme estão de parabéns. Excelentes comentários . Independennte de concordar ou não com vocês , é ótimo manter este nível de discussão .

  13. Concordo plenamente ! Se o Galo quer, pretende e precisa ser Campeão ter que ter atitude para tal. É impressionante a mudança de comportamento do time quando joga em casa e fora. Ao que parece não há comprometimento dos jogadores já que se não obtiverem sucesso já tem a desculpa pronta e não haverá cobrança no jogo pois torcida está longe. Foi assim em 2012, 2015 e está acontecendo este ano. Cabe a Diretoria cobrar desempenho dos jogadores, exigir raça e profissionalismo

  14. A bem da verdade é que precisamos, urgentemente, de um bom volante, pois com a contusão de Donizetti e Rafael Carioca ficou nítida a deficiência no elenco nessa posição. Ainda assim eu acredito!!! VAMOS GALO!!! SAI PARA LÁ ZICA!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.