Bebeu? Se drogou? Cuidado! Para um certo jornalista, o de bêbado não tem dono

Rodrigo Constantino é demitido da Jovem Pan. A própria rádio também deveria ser demitida pela parte civilizada dos ouvintes
Imagem: Reprodução/Google Images
 
Pois é. Apesar de ter sido brilhantemente criado pelos meus pais; de ter sido brilhantemente talhado por amigos, parentes, esposa e filha, ex-chefes etc; de ter sido brilhantemente orientado por professores e médicos especialistas fui burro, irresponsável, imprudente, idiota mesmo, e enchi a lata (fiquei bêbado) de tal forma, domingo passado, véspera de feriado, que fui parar, em plena madrugada, em um hospital, levado por minha sobrinha querida, e até hoje sinto os reflexos físicos da cachaçada maluca.
 
O ponto, meus caros — e este é o motivo da minha confissão pública — , é que, com tudo isso, quase inconsciente por aí, na casa dos outros (leia-se: amigos muito próximos), ninguém introduziu nada — nem o pipico nem brinquedinhos eróticos — em meu pobre ânus. Apesar do espírito esfacelado, o corpo permaneceu intacto, hehe. Prova de que as pessoas que me encontraram naquele estado deplorável são decentes, e mesmo que um ou outro maluco sofresse de sérias perturbações sexuais e tenha tido desejos libidinosos sobre mim, não se arriscou a infringir a lei e não manteve relações sexuais com um vulnerável.
 
Eu não sei, de fato, o que houve com a tal moça lá do sul. Mas sei, com absoluta certeza, que bêbada ou não; drogada ou não; vestida como stripper ou não; comportando-se como vadia (seja lá o que isso signifique) ou não, manter relações sexuais com ela, sem seu claro consentimento, é crime, sim, senhor! E o imbecil do rádio, idolatrado por uma horda de imbecis — tão comum nestes dias de brutalidade plena — , referindo-se ou não diretamente à garota da Santa Catarina, é um completo selvagem. Pobre de sua filha que, se um dia for estuprada (que Deus a livre!), ainda que bêbada e drogada, não contará com o colo e o carinho de quem mais precisará em um momento tão dramático.
 
O asqueroso jornalista é um dos reflexos de uma sociedade doente, que ganhou voz pelas redes sociais, estimulada por trogloditas como Jair Bolsonaro e afins, e que posa de liberal e conservadora enquanto pratica crimes horríveis contra a honra e integridade física das pessoas, apenas por estas discordarem politicamente delas. Essa malta não participa do debate político para aprender ou ensinar, mas para agredir e tentar se livrar das frustrações de uma vida medíocre e miserável. E que se note: selvageria e estupidez não têm partido nem ideologia. Hoje são os bolsonaristas, mas até ontem eram os petistas.
 
Tampouco, creio eu, se pode eximir de culpa a própria Rádio Jovem Pan. Não pelas declarações pessoais do jornalista, é claro. Mas por ter se tornado porta-voz de uma época bruta e brutal. Por ter adotado uma linha editorial que alimenta discursos preconceituosos, xenófobos, deslocados e descolados da realidade. Rodrigo Constantino não era o único selvagem da Rádio, outrora um veículo de imprensa dedicado à música e entretenimento, casa do genial Pânico, do não menos genial Emílio Surita. Hoje, é mera caixa de ressonância do bolsonarismo e do extremismo de direita.
 
Que o episódio sirva de lição para outros jornalistas e veículos. E para alguns políticos também!! Talvez — e só talvez — a virtual derrota de Donald Trump para os democratas resida justamente no enfaro brutal que sua selvageria, e dos seus, causa à sociedade civilizada. Em que pese toda sua eficiência na condução da economia e dos interesses americanos, é insuportável para um país viver sob eterna guerra política. Sob eternos impropérios e arrogância. Sob o mais puro obscurantismo em nome de uma ideologia falsa como nota de três reais. Liberalismo, conservadorismo e pensamentos de direita não têm nada a ver com o que pregam — e babam! — Trump, Bolsonaro, Orbán e sua malta na internet.
 
Leia mais artigos meus em: IstoÉEstado de Minas e Facebook
 
** Atenção: Este texto não reflete a opinião do Portal UAI, e é de responsabilidade exclusiva do seu autor**

13 thoughts to “Bebeu? Se drogou? Cuidado! Para um certo jornalista, o de bêbado não tem dono”

  1. “Liberalismo, conservadorismo e pensamentos de direita não têm nada a ver com o que pregam.” Não precisa dizer mais nada. Resumiu perfeitamente o que seria a antítese da ala ideológica, miliciana, terraplanista e neopentecostal do bolsonarismo, que se esconde atrás de palavras como liberdade e patriotismo.
    Espero que também tenham consciência de que Chavismo, Castrismo, Stalinismo, Maoísmo e sobretudo Lulismo, não são as únicas bandeiras levantadas pela Esquerda.
    Desta forma, não desumanizaremos os que não pensam como nós.
    Arte da Política. “O mais importante não é o amor, o mais importante é a gentileza” Dostoiévski.

  2. O blogueiro Ricardo Kertzman como todo bom esquerdista-de-boutique corre atrás do caminhão, mas quando o caminhão para não sabe o que fazer.
    Liberdade de expressão é somente para os que pensam como ele e sua tropa? Não! Ela tem que existir para todos, até para idiotas e trogloditas, claro desde que fiquem dentro das leis. E falar bobagens e absurdos, até onde eu sei, não é ilegal – caso fôsse, 90% da Esquerda estaria atrás das grades.
    Tenha resignação e auto-crítica, vocês perderam a eleição… tentem novamente em 2022.

    1. O blogueiro deve estar surpreso (para dizer o mínimo) ao saber que despertou a ira de um povo que talvez pensasse nem existir.
      Mais, ser considerado de esquerda.

  3. Olá Inundado, o valoroso ator Bemvindo Sequera tem um personagem chamado Ildeglan (o pobre de direita). Até então eu pensava que fosse pura ficção mas é forçoso concluir que ele se baseou num blogueiro das Alterosas. Não para nas semelhanças, é quase igualdade.

  4. Os melhores eleitores do mundo são os americanos que sempre trocam democratas por republicanos e vice versa como que revezam os comandantes para não permitir a instalação de quadrilhões no poder e o regime feudal existente no Brasil.
    Exemplo? Só no Maranhão são 60 anos de capitania hereditária, ocupação do Legislativo e sem contar as filiais loteadas e dominadas por governantes forasteiros na longínqua Roraima e região.
    Agora, passar por cima do Maluf para dizer que o Bolsonaro também incentiva estupros já é por demais.
    Aliás, ao contrário de doloso, o homicídio culposo, a direção culposa e estupro culposo não quer mais dizer sem intenção?
    E do jeito que a coisa anda solta por aí, não custa nada exigir atestado médico de lucidez e exame de bafômetro prévios de cada um dos dos pombinhos antes de irem para os finalmente, né?
    Quem sabe algum projeto de lei da turma laboriosa do Maia se apresse em regulamentar a obrigatoriedade do fornecimento prévio desses atestados para por ordem nessa Casa da Mãe Joana alcunhada de Brasil.

  5. Comentário sobre a eleição nos EUA. Como dizia a música “Cartomante”: “Cai o rei de ouros, cai o rei de paus… cai, não fica nada…”
    O próximo a cair (pelo VOTO, senhoras) é o rei de paus.

    – Sr. Trump! You’re FIRED!
    – PRÓXIMO!

  6. Quarenta anos na política, com nota dez de mamata e zero de realização concreta. Assim é Joseph Robinette Biden e assim será seu governo do “chove não molha”.
    Como todo esperto negociador e parasitário que habita os corredores do Centrão e passa a vida em branco repartindo as oportunidades de se enriquecer em cargos públicos, o presidente plagiador Biden que se alterna em democrata e republicano, é uma espécie de José de Alencar dos americanos.
    A sua vice Harris teve um papel importantíssimo para vencerem a eleição, com certeza!

  7. Falta de competência, centralização das maracutaias e esperteza em criticar os outros nos microfones e palanques é a praga de saúva política que destrói o futuro do Brasil.
    Perdão a quadrilheiros, lentidão dolosa do judiciário, mídia e clubes parasitando cofres públicos.
    Combate à corrupção, só se for com troca pelo Toma lá dá cá.
    Apoio à democracia, só com a benção e ordens de países comunistas, que desde 2003 colonizam as propriedades agrícolas, florestas, possuem emissários e representantes no poder e conduzem o destino dos órgãos públicos e da economia brasileira.
    É por isso que a oposição ao governo brasileiro está indo à loucura com a troca do presidente americano, como se assim o nosso país será salvo pelo Sarney americano, um famoso parasita que se vende como o Superman da Gringolândia.

  8. Primeiro: Não foi isto que ele falou. Se voce está repetindo esta bobagem é ingenuo ou mal intencionado

    Segundo: Jornalista defendendo a censura? Isto deveria ser um escandalo bem maior, nao?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.