Skip to main content
 -
Ricardo Kertzman nasceu em 1967. Um homem inquieto, irrequieto e inundado de sentimentos.

Impeachment volta ao radar. Ou: o Brasil ainda vai conseguir matar o Brasil

Não foram poucas as vozes — a minha, inclusive — que alertaram para o risco que ora se avizinha. Bolsonaro foi eleito já com a cabeça a prêmio! O impeachment sempre esteve no radar, inclusive no do maior beneficiário, General Mourão. E o caso Queiroz, aliado às batatadas diárias do pai e filhos, convenhamos, não ajudaram em nada. Por isso, meus caros, é bom colocarmos as barbas de molho. Expurgar o lulopetismo e sua cleptocracia, que dominou o Brasil nos últimos 15 anos, nunca foi considerada tarefa fácil. O importante é não desistirmos. Com ou sem Bolsonaro.

Leia Mais

Babacas de Brasília brigam e o País que se lasca. Ou: adultos de fralda no comando

Aliás, o governo e seus opositores. Aliás, o governo, seus opositores e o resto do baronato dos Três Poderes de Brasília. Aliás, o governo, seus opositores, o resto do baronato dos Três Poderes de Brasília e os demais amigos colegas Brasil afora. Só quem vive mal por aqui, meus caros, são os trouxas que apoderam estes trastes. 

Leia Mais