Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Massa do Galo: A salvação do Clube Atlético Mineiro

Roberto Caldeira

No final do ano de 2018, às vésperas de um jogo com o Bahia, publiquei um texto exaltando e convocando a Massa do Galo, a única salvação do Clube, naquela temporada que estava quase indo pro espaço. Só nos restava brigar por uma vaga na pré-Libertadores, a qual só foi confirmada na última rodada, numa sofrível e magra vitória sobre o Botafogo.

Naquela época já era nítido que precisávamos discutir e repensar o futuro do Galo. Mudar esse estatuto retrógrado, pois o futebol atual não é mais lugar para Clubes Sociais Amadores. A Massa precisava e deveria ser melhor representada. Era urgente ter um Clube transparente, democrático e profissional.

Desde então, o que mudou no Clube? 2019 foi mais um ano de fracasso. Não vale nem a pena lembrar.

No começo desse ano, depois de dois vexames precoces, o caldo entornou e enfim começamos a ver mudanças. Agora temos um Técnico de ponta, um Diretor de Futebol que sabe o que faz, investidores confiantes e animados, obras da Arena a todo vapor, e o Presidente parece enfim ter começado a entender o que precisa ser feito.

Na semana passada, confirmando a tese do excelente artigo do Prof. Denilson Rocha, a campanha do Manto da Massa ultrapassou a marca de 100mil camisas vendidas, sem sequer ainda estarem disponíveis nas lojas. Nós, Atleticanos, compramos em pouco mais de uma semana 100mil camisas que só vimos em imagens e ainda vamos esperar 75 dias para receber.

Renova Galo
Renova Galo

Quando digo que democratizar compensa, essa campanha é a prova e só reforça o que venho falando desde 2018, que a Massa do Galo é a salvação do Clube Atlético Mineiro.

Algumas pessoas que ainda não conseguem enxergar isso, dizem ser muito saudosismo, clichê, que esse negócio de torcida não faz tanta diferença. Pobres de alma, ainda não perceberam que a razão de um Clube de Futebol existir é sua torcida, tudo gira em torno dela. E em se tratando de Atlético, é inegável que somos torcedores diferenciados. Somos uma torcida fanática, apaixonada e engajada.

Porém, isso ainda é pouco valorizado e explorado por quem o deveria fazer.

Felizmente, como falei, parece que as coisas começaram a mudar e o Manto da Massa só nos fez ter mais certeza de que não há outro caminho para a viabilidade do Galo a não ser jogar junto da torcida, dentro e fora de campo.

A solução dos problemas financeiros do Galo está na ampliação das receitas geradas no relacionamento com a Massa. Mas, para isso, Diretoria e Conselho precisam realmente entender que o Clube precisa mudar e enxergar o quanto essa transformação será benéfica.

E tenho dito: A Massa do Galo é a salvação do Clube Atlético Mineiro. Democratizar compensa, é possível, é viável. Basta querer fazer o que precisa ser feito. Mudem o Galo e vejam o milagre acontecer.

11 thoughts to “Massa do Galo: A salvação do Clube Atlético Mineiro”

  1. Por quê só o sócio torcedor pode votar e ser votado? E os que não são sócios, que são a maioria. Como fica? Dar o direito de votar e ser votado a uma parte da torcida é eletizar e isto vai de encontro com as tradições e a história do clube. Isto é democratizar?

  2. Só acho que o presidente CEO só funciona se o clube virar empresa, coisa que tenho receio ainda. Na forma como é hoje, continuo preferindo presidente Atleticano roxo, bem sucedido e bem relacionado no meio empresarial. Acho o Sette Câmara responsável, que ele indique um sucessor também responsável. Quanto a compliance já está acontecendo, com a Ernst Young e outras empresas que estão dando consultoria. Isto é fundamental, para não cruzeirarmos.

  3. Saudações Alvinegras, amigos em Branco e Preto; Times como nosso Galão, Flamengo e Corinthians, eram para serem as maiores potências do Brasil há tempos. Não gosto destes dois outros times, como a maioria da massa, mas temos um potencial na mão, nossas torcidas, que levariam o time nas costas se fossem bem administrados. Vide o Flamengo, se estruturando bastante nos últimos anos, coisa que poderia ter sido feito lá atrás. Torcidas como as nossas são uma fonte inesgotável de renda e paixão. Nem futebol está tendo e vendemos mais de 100 mil camisas em pouco mais de uma semana. Que time já fez isto aqui no Brasil? Se não me engano, nenhum. Espero que o Presidente continue a pensar grande e que nosso parceiros continuem a nos apoiar, ai nós carregaremos nosso Galão da Massa nas costas, com certeza. Abraços, e Aqui é GALO!!!!!!!

  4. Bom dia Caldeira. Eu só acho incoerente construir um estádio para 44 mil lugares. Isso dai mostra o quanto a Diretoria acredita na força de sua torcida ou talvez, reflita aquele entendimento de que ” futebol nao é coisa para pobre”. E o pior parece que nossa torcida está validando esse entendimento….

    1. CORRETÍSSIMO Domingos Sávio!! Estádio minúsculo!! Pior, subtraia aí os 10% pro adversário, 6.000 vagas em cativas, 4.000 camarotes, etc. Ou seja, somos sócios torcedores, pagamos mensalidades mensalmente e só conseguiremos um ingresso pra um jogo se tivermos muita sorte e contar com a sorte do provedor. Deveria ser pra 80.000 e caso jogo não fosse chamativo, seria aberto apenas o anel inferior pra 45.000, simples assim!!

        1. Prezado Otávio,
          Faz todo sentido a sua observação. A arena deveria realmente ser, no mínimo, para 80.000 torcedores. É só o time precisar que a massa está aí para apoiar. E bate um desespero no torcedor atleticano, quando busca ingresso e não consegue.
          Se quer resolver o problema com a construção de estádio, que o faça criando plenas condições para absorver a massa atleticana. Muito provavelmente, o acréscimo de investimento não seria tão significativo e alegrava a massa, pois saberia de antemão que teria ingresso para as partidas. Não adianta pensar pequeno porque a massa já deu sinal na aquisição das camisas, de que quer é time e estádio com capacidade que possa abriga-la adequadamente. A se configurar o que estamos projetando para o galo, sai da frente e arrume espaço para acomodar a galera.

          .

    2. Prezado Domingos “alma pequena” Sávio, vc NÃO entendeu.
      Serão 44.000 mil almas grandes no interior do estádio, e outras 7.956.000 no lado de fora, torcendo dlcontra o vento!

  5. De fato a torcida é única e muito mal explorada no bom sentido. Esse manto da massa por exemplo, acho que poderiam ser pelo menos 3 versões um tradicional preto e branco, um todo branco e um todo preto. Mas poderiam ser de outras cores diferentes também.

  6. Bom dia Caldeira, Eduardo, Lucy, atleticanos e atleticanas,

    concordo em tudo com o Caldeira, pelo simples fato de que a torcida é a unica razão de existir um clube de futebol, sem torcida pra que existir????
    uma ótima terça a todos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.