Boa política: o legislativo fiscalizando e o executivo reconhecendo seus erros

Que a crise do “fura-fila da vacina” sirva de exemplo para a CMBH e a Prefeitura de Belo Horizonte. Que vereadores parem de ser sabujos do prefeito e fiscalizem seus atos

Deputado João Vítor Xavier, presidente do Cidadania (Foto:Reprodução/Google)

O Poder Legislativo possui duas funções principais e constitucionais: a primeira, criar leis conforme sua jurisdição. A segunda, fiscalizar o executivo do município, estado ou União. Os Poderes são independentes e harmônicos entre si, por isso, mais importante que o respeito por essas premissas, é o norte que os move. Espera-se sempre que esse norte seja o bem-estar da sociedade e o progresso da nação.

Em meio a mais de 2 mil casos diários de Covid-19 no País, e ao assombroso número de 270 mil mortos vitimados por esse maldito novo coronavírus, atitudes egoístas, mesquinhas e completamente repugnantes, infelizmente, não têm sido tão raras assim. Não só a população tem praticado atos condenáveis, como festas clandestinas, mas o Poder Público também vem se comportando muito mal.

Não foram poucos os casos de superfaturamento em compras de respiradores, equipamentos hospitalares e remédios. Igualmente, má gestão por omissão, ideologia ou pura incompetência também não faltou, e o presidente da República, Jair Bolsonaro, a quem apelidei de verdugo do Planalto, e seu general-fantoche, Eduardo Pazuello, não me deixam mentir. É realmente lamentável, após mais de um ano do primeiro caso no Brasil, estarmos em uma situação tão ruim assim.

Apesar destes 13 meses de pandemia, tudo ainda é muito novo e incerto. Erros e acertos podem e devem ocorrer nas medidas tomadas pelos governantes. Em Belo Horizonte, em que pese certos exageros e a costumeira grosseria “a la” ditador do prefeito Alexandre Kalil, considero que tivemos mais pontos positivos que negativos. Em relação ao estado de Minas Gerais, penso o mesmo, com a diferença que na Cidade Administrativa não há ninguém com vocação para déspota esclarecido ou tirano tupiniquim.

Essa semana se encerra, porém, com um lamentável episódio de favorecimento próprio, ou pior!, de desumanidade, praticado por um graduado servidor público estadual. Refiro-me ao ex-secretário da Saúde, Carlos Eduardo Amaral, que furou a fila da vacina e imunizou a si próprio e sua equipe, independentemente de critérios como comorbidades, idade e outras regras que definem as prioridades.

Para que vocês leitores tenham uma ideia do absurdo, 806 servidores foram agraciados com a desejada agulhada, enquanto mais de 500 cidades do estado, cerca de 60% dos municípios mineiros, nem sequer conseguiram vacinar 700 habitantes cada. Todos nós sabemos da carência de doses por culpa do governo federal.

Para piorar, a farra foi ampla, geral e irrestrita. Não foram apenas os agentes de saúde de campo, e outros de trabalho externo, os imunizados, não. Secretária, motorista, cerimonialista, web designer, telefonista, enfim, pessoas não tão expostas ao perigo iminente de contágio, e várias delas na faixa etária de 20 aos 30 anos receberam a proteção.

Cinicamente, a meu ver, o ex-secretário, de quem só ouvi falar bem, diga-se de passagem, tanto no aspecto pessoal como profissional, tentou se justificar alegando servir de exemplo para os demais, como se fosse um influenciador ou uma celebridade. Bobagem. Esse tipo de “propaganda” é reservada aos chefes de Estado e olhe lá. Até porque, se fosse este o caso, deveria ter sido em ato público, com publicidade, e não de forma reservada e quase anônima.

Tal fato vazou a esfera da Pasta e depois da administração estadual, e ganhou as ruas e a atenção da Assembleia de Minas Gerais, que cumprindo seu papel fiscalizador entrou de “cabeça e tudo” na questão, exigindo a exoneração do secretário. Houve motivação política e jogo de cena dos deputados para desgastar o governo e o governador Romeu Zema? Por certo que sim. Mas é do jogo. E o fato existiu, ué. Não foi um factoide ou fake news qualquer.

Em um primeiro momento, justamente em consideração ao ótimo caráter (que não é falho) e competência do seu secretário, Zema relutou na medida mais grave. Porém, como muito bem disse o deputado João Vítor Xavier (Cidadania-MG) em seu pronunciamento na ALMG, “quem é conivente com o mal feito, malfeitor é; quem concorda com o errado, errando também está. Bingo! O governador reconheceu a gravidade do fato e exonerou Carlos Eduardo Amaral na noite de ontem (11). Valeu, portanto, a vigilância e pressão dos deputados, bem como o equilíbrio e razoabilidade de Romeu Zema.

Estão de parabéns os envolvidos, pelo respeito à população e o bom cumprimento de seus mandatos, salvo, é claro, o ex-secretário de Saúde. A este, o meu mais sincero e profundo repúdio, e votos de que nenhum ente querido seu padeça por falta de vacina; a mesma que, de forma egoísta e mesquinha, ele já tomou. 

Leia mais artigos meus em: IstoÉEstado de Minas e Facebook
 
**Atenção: Este texto não reflete a opinião do Portal UAI, e é de responsabilidade exclusiva do seu autor**   

52 thoughts to “Boa política: o legislativo fiscalizando e o executivo reconhecendo seus erros”

  1. Ontem, um homem falou
    Eu o ouvi. O mundo inteiro o ouviu.
    E depois que o homem falou, tudo ficou diferente. Isso me surpreendeu muito, pois eu não imaginava que ele seria capaz de mudar tanta coisa, em tão pouco tempo.
    Perguntei a mim mesma o que teria provocado tudo isso, e acho que foi o fato de o homem ter realmente tocado o coração das pessoas que o ouviram. O homem que falou traz na alma as marcas de muitas perdas. Ele perdeu um irmão querido, e foi impedido de se despedir. Centenas de milhares de brasileiros igualmente perderam irmãos queridos, e pais, e mães, amigos e filhos, e foram impedidos de se despedir deles.
    O homem que falou perdeu um neto ainda criança, na inocência de seus 7 anos, e na ocasião ele recebeu o escárnio e a falta de piedade de muitos. Nenhum abraço, nenhum cuidado, nenhuma solidariedade. Agora, centenas de milhares de brasileiros também receberam desprezo, o escárnio e a falta de respeito solidariedade, ante perdas de vidas amadas e preciosas. Nenhum abraço, nenhum cuidado, nenhuma solidariedade.
    Isso dói muito. E poucas coisas unem mais as pessoas, que a dor compartilhada.
    Por isso, o coração das pessoas se conectou ao homem que falou. Pois ele os acolheu, manifestou solidariedade, respeito e acolheu a dor de tantos, sabendo exatamente o que significa.
    E todo mundo precisava muito disso.
    Os brasileiros precisavam ouvir um ser humano normal falar com eles novamente. Pois já faz tempo que os brasileiros só ouvem loucuras e xingamentos, atrocidades, desejos de morte, desrespeito e humilhações, e isso vai apagando o sorriso e tirando a cor da vida.
    Os brasileiros, em sua maioria, não são maus. Existem os maus, sim, mas agora nós já sabemos identificá-los e, definitivamente, eles são a minoria. A maioria do nosso povo traz a bondade em sua essência, a hospitalidade, a alegria, o bom humor e a esperança, e tudo isso lhes foi sendo roubado cotidianamente.
    A tristeza foi se instalando, à medida que só os maus falavam, ironizavam, gargalhavam e tripudiavam sobre o sofrimento de milhares.
    Mas então, o homem falou, e nos disse que não se pode desistir jamais e que é possível mudar tudo e reconstruir a vida e o país, destroçado e sufocado pelo ódio.
    Os brasileiros descobriram que não gostam de odiar e não querem mais viver assim.
    Hoje, uma amiga que perdeu dois familiares para a Covid e caminhava para um quadro depressivo me disse que ontem ela sorriu de novo, depois de meses de tristeza e desesperança, e já não está tão triste. Muitos se animaram, como há anos não acontecia.
    Os que se sentiam perdidos e sozinhos nesse lamaçal de boçalidades já não se sentem assim. Os maus se calaram e se acovardaram.
    Só porque ele falou.
    Fala mais, LULA! Fala para que todos saibam que não há mal que sempre dure e que a nossa estrela vai brilhar de novo.
    Valeu.

  2. Em vez de criarem placar paralelo de Covid-19, ficarem contando mortos ilustrados com cenários cadavéricos para criar pânico na população no melhor estilo do glorioso Homem do sapato branco, omitir a irresponsabilidade dos genocidas carnavalescos por causarem 1/3 das mortes e dos casos e criticar indistintamente todos os membros do governo federal e eficácia de vacinas não chinesas, os opositores e a mídia fofoco-funerária deveriam apresentar sugestões e fazer campanhas de solidariedade de apoio sem ânimo político.
    Com certeza, isso atrairia muito mais audiência pelo teor educativo e manteria a confiabilidade da mídia em geral.

  3. Romeu Zema não passa de um Nerso de Capetinga que usa sapatênis. Ele é o maior Bolsonarista e não faria nada quanto à farra do fura-fila não fosse a pressão da imprensa e da sociedade, via mídias sociais.

    1. Exatamente.
      Comportamento típico de negacionista: se alia ao vírus e estimula o genocídio.
      Mas quando a escassa vacina chega, os corruptos continuam negacionista para o gado, mas roubam as vacinas de quem é de direito.
      A mãe (ele tem mãe?) do Bozo foi vacinada, apesar do discurso fascista nagacionista.
      É a versão miliciana do “faça o que eu digo, não o que eu faço”.
      Todos esses bandidos devem ir para a cadeia.
      Será que o Domínio do Fato só vale em condições especiais e contra certos inimigos?

  4. Destroçada a partir das revelações do Intercept – que há quase dois anos vem publicando sem parar a série Vaza Jato –, a força tarefa se viu deitada de barriga para cima em plena calçada quente de Brasília sem ninguém que lhe desse a mão.

    Os procuradores e o juiz que usaram de seu poder para benefícios pessoais e foram decisivos para dar à luz a Bolsonaro viveram nesta semana seu momento mais humilhante.

    Na praça pública do STF, Moro e seus comandados foram mordazmente chamados de “figuras angelicais” por Gilmar Mendes. Em seu voto na terça-feira (um sim pela suspeição do ex-juiz e ex-comandado de Bolsonaro), o ministro do Supremo leu dezenas de diálogos das reportagens que começaram a vir a público no dia 9 de junho de 2019 pela Vaza Jato e que depois culminaram na Operação Spoofing.

    Ricardo Lewandowski também votou. Com menos brilho, com precisão.

    Um dos pontos mais importantes do julgamento foi a ênfase em relação à autenticidade legal que os diálogos receberam. Ministros tinham reservas em usar, durante os votos, os diálogos da Vaza Jato, sob pena de terem que justificar o uso de provas talvez obtidas ilegalmente – mesmo que provas deste tipo possam ser usadas em favor de um réu. Por sorte, temos Sergio Moro.

    Graças à soberba do então ministro da Justiça, a Polícia Federal apreendeu, ainda em 2019, 7 terabytes de conteúdos que constituem, hoje, o acervo da Spoofing. O arquivo enviado ao Intercept tem apenas 43,8GB, ou seja: 0,56% do que está em poder do estado brasileiro. Moro queria usar o arquivo apreendido para seus fins pessoais. Tentou chantagear autoridades em busca de apoio para destruir as provas contra si e contra seus comandados no MPF.

    Uma jogada amadora, digna de quem se crê um gênio cercado por idiotas, sem perceber o contrário, que idiotas são ele e quem o ovaciona. Da ânsia de prender e de acabar com reputações com acusações, sem provas, de conluio do Intercept com criminosos valendo-se apenas da bestialidade do gado, Moro acabou tornando o arquivo periciável. Veredicto da PF: é autêntico.

    Partes chamaram mais a atenção na análise do material pelo Intercept. Uma delas refere-se a Nelma Kodama – que mais tarde diria que colaboradores da Lava Jato mentiram para se livrar da prisão, e que haveria uma delação premiada para quem entregasse Lula. VOU REPETIR, HAVERIA UMA DELEAÇÃO PREMIADA PARA QUEM ENTREGASSE LULA!!!!!

    Mas a verdade surge sempre!

    Esperamos pela autocrítica dos bandidos e justiceiros que ajudaram a disseminar o ódio do Brasil, e alçaram ao poder um fascista, genocida e psicopata

  5. Depois de criar as leis de proteção do consumidor, proteção dos animais, proteção da ecologia e proteção da vegetação nativa, proteção da criança, proteção dos direitos humanos, proteção da mulher, proteção do trabalhador, proteção da fauna e da flora, proteção da perereca, proteção contra covid-19, proteção de transparência ideológica, proteção de consórcio paralelo, proteção de genocídio carnavalesco, proteção dos hackers digitais, proteção dos delatores, proteção contra a condenação da segunda instância, proteção dos invasores “sem terra”, proteção de terroristas internacionais, proteção das máfias de fiscais, proteção de fichas sujas e Jurisprudência para a Proteção de corruptores e jurisprudência para proteção de corruptos, o Brasil está em vias de substituir o Código Penal pelo Código de Proteção à Delinquência Voluntária.

  6. Você continua se enganando com Zema e querendo enganar a todos. Se dependesse de Zema este secretário, que você quer limpar a barra também, ainda estava lá. Se não fosse a ameaça do MP Zema não tinha demitido ninguém. Zema está saindo uma grande fraude. Não se alinhou aos governadores em uma reivindicação mais que justa relacionada a cobrança das vacinas. Quer Bozo como cabo eleitoral para a próxima eleição. Amoêdo já está se desvencilhando de Bozo, apesar das votações recentes alinhadas ao governo. E pode escrever: Zema vai sair do partido Novo.

  7. Esta é a verdade: “Em reunião a portas fechadas na manhã dessa quinta, o governador optou pela permanência do médico no cargo de confiança. A própria assessoria de comunicação da SES confirmou isso.

    Porém, ele desidratou no cargo após abertura da CPI fura-filas na ALMG. Dos 77 deputados estaduais, 39 assinaram o requerimento, que foi aceito pelo presidente da Casa, Agostinho Patrus (PV), logo em seguida”.

  8. Alguém foi responsabilizado criminalmente por homicídio e mantido preso por superfaturar as compras de respiradores, equipamentos hospitalares e os remédios, contribuindo indiretamente para as perdas de vidas com a pandemia? Não?
    E de que adiantou o MP flagrar e levar os bandidos para banalizar cada vez mais a tal de “custódia” nas delegacias? Nada?
    E o que fizeram os “laboriosos fiscais” do legislativo e membros do STF, além de protegerem e preservarem a impunidade desses vagabundos aliados? Nada?
    E esses corruptos e opositores aliados ainda culpam o governo federal de não controlar as verbas disponibilizadas para os governadores, prefeitos e secretários de saúde? Sim?
    Ora! Os membros do legislativo e o judiciário deveriam saber que estamos numa guerra contra a pandemia que requer patriotismo incondicional e não de troca de favores e soltura de reféns de corrupção.

  9. Passado um ano desse maldito carnaval de 2020, o mais desgraçado que tivemos no país, a única forma de esvaziar as UTIs dos hospitais é lotando a cadeia de populistas e dos verdadeiros genocidas protegidos e blindados pelo legislativo, judiciário e parte da mídia.

      1. Maurorô, pare de rebolar na frente do gado porque o carnaval de 2020 acabou e um terço dos casos e das perdas de vidas é da responsabilidade dos governos estaduais, prefeitos municipais e a Globolixo que mantiveram criminosamente a festa do Momo.
        O placar atual no país é de 90 mil mortes e 3,8 milhões de casos registrados.
        Verbas federais não faltaram e a maioria das distribuídas e dos respiradores adquiridos foi roubada e isso é problema policial e não presidencial.
        Peça para o STF apoiar a justiça de baixo clero e o trabalho dos policiais que a roubalheira será reduzida e sobrará recursos para combater a pandemia.

  10. Enquanto isto, a China caminha a passos largos para se tornar a maior potência do mundo.
    Argentina, Cuba. Bolívia, e Venezuela já estão dominadas e o Brasil tá indo para o mesmo caminho.
    Como a verdade demora, mas um dia chega, ficaremos sabendo o quanto o STF recebeu de propina para soltar o maior ladrão do mundo !!!

  11. Interessante a técnica jornalística. A chamada é para a ação do governador (sem mencionar que praticamete se viu em sinuca de bico com ação do legislativo) e quase uma advertência ao prefeito e CMBH. No artigo a referência ao ato do secretário de saúde do município.
    Já vi isso em inúmeros jornais

  12. No Brasil, o país mais traído do mundo, o jeitinho que virou jeitão brasileiro pilota a pandemia da impunidade e cresce mais que a do covid-19.

  13. Não opino sobre quem deve vacinar ou não junto com os grupos prioritários. Precisa saber se quem furou fila é o pessoal da linha de frente da saúde. Se for, é justo. Se não, tem que justificar.
    Vim aqui só para dizer que saiu na imprensa manifestação pró Bolsonaro hoje em BH. Vi da janela do hotel. HAHAHA. Que piada. Como dizem nas Minas Gerais “seis gatos pingados” e um motoqueiro acham que são manifestação. QUE PIADA!

  14. A quem possa interessar, gostaria de informar que o STF possui 07 (sete) petistas comunistas assumidos e 04 (quatro) que ficam em cima do muro.

    Sendo assim, fica fácil manter a quadrilha que comandou o maior assalto nos cofres públicos já conhecidos até a presente data !!!

    1. Pois é. Nunca na história deste pais o nosso STF rasgou tantas togas e atuou como um partido político de esquerda.
      Se o Lula for reeleito, esse time de ministros pré-fabricados já estarão prontos para assumir os novos cargos.

    2. Mimimi.
      Gado, conta pra nóis, qual a parte do voto do ministro Gilmar Mendes ou do ministro Lewandowski você discordou?
      Quais as descrições e transcrições dos crimes perpetrados pela quadrilha de Curitiba, por textos e audios, foram fraudadas?
      Ou será que sua capacidade cognitiva impede maiores incursões?

      1. Lewandowski é aquele petista comunista que rasgou a Constituição Brasileira, permitindo que a anta da Dilma fosse candidata a cargo público?
        Só que o povo mineiro enfiou o pé na bunda desta vagabunda, mandando ela ir para Cuba, desfrutar da propina do dinheiro enviado para construção do Porto Mariel !!!

        1. O que Vc achou do STJ ter considerado que as provas contra um dos membros da quadrilha de milicianos que habita o Palácio do Planalto eram ilegais, apesar de não haver nada ilegal?
          Faça seu contorcionismo, gado.

        2. O que vc achou do voto do Lewandowski?
          Vc conseguiu acompanhar o raciocínio dele?
          Eu classifico o voto do Gilmar Mendes épico.
          Talvez com sua verve, vc tenha captado alguma inconsistência nas falas ou transcrições ocorridas.
          Depois discutimos as personalidades em jogo.
          Como aquecimento, os defeitos pessoais do Lewandowski me parecem menos graves do que do terrorista que ia explodir a maior adutora de água do Rio de Janeiro para criminalizar a esquerda e conseguir aumento para os patriotas especializados em pintar meio fio de amarelo e árvores de branco.
          Vc concorda comigo?

  15. Para lembrar, a gente esquece, o Guedes – sim, o ministro – no início da pandemia disse que com 5 bi ela estava no papo. Já foram mais de 550 bi. Ministro bom taí. Para quem se lembra, ” Paulo Guedes é um craque”

  16. Chamar o governo federal de negacionista é uma tentativa de transferir para os outros o modus operandi sujo que foi usado toda vida pelo PT, CUT e Sem Terra.
    E não adianta negarem porque a regra de SÓ assinar acordo em dissídio judicial e NUNCA amigável está explícito no estatuto deles.
    Quem duvidar, que mostre um só acordo amigável que tenham feito em toda a história deles.

  17. A politicagem malandra também é pandêmica neste país.
    Aposto que haverá acusações de superfaturamento no preço das vacinas compradas pelos governadores e governo federal.

  18. Como falar de justiça séria, confiável e respeitável, num país onde o judiciário abaixa as calças para criminosos armados com tecnologia digital, normalmente usada para sabotar, ameaçar, corromper e fazer reféns, invadindo a privacidade alheia, hein?
    Será que o ditado “Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão” já foi incluído na Constituição?

  19. “Belo Horizonte precisa retornar ao mais próximo possível de uma vida normal. Comércios precisam funcionar; escolas precisam voltar; trabalhadores precisam trabalhar. O que precisa — e deve! — ser proibido e fechado são os chamados eventos super disseminadores. Aliás, já estão: jogos de futebol, espetáculos culturais etc. E, claro, festas! Uma coisa é seguir a recomendação do psicopata genocida, aboletado na presidência da República, e “enfrentar o vírus de peito aberto”. Outra, bem diferente, é concordar com essa política suicida (economicamente falando) do prefeito metido a tiranete.

    A cidade de São Paulo, por exemplo, 5 vezes maior que BH, encontrou uma forma equilibrada. O estado de Minas Gerais é outro exemplo a se seguir. Kalil poderia se espelhar nestes dois casos e rever essa decisão destrambelhada e completamente carente de fundamento e razão. Só que, para isso, deveria abdicar, ao menos por alguns minutos, de ser Alexandre Kalil. Este político afeto à autocracia grotesca e populismo barato. Seria pedir muito? Por tudo que conhecemos deste senhor, sim, seria. Infelizmente.”

    Agora é só esperar a postagem sobre o Zema.

  20. São Paulo segue batendo o recorde de mortes e Isso mostra a incompetência e desmascara esse papo furado do governante e mídia de insistirem em culpar o governo federal, depois deles mesmo terem aberto as portas para a entrada da pandemia, em vez de cancelar ou adiar a festa carnavalesca fatídica que teria preservado dezenas de milhares de vidas.

  21. O governador de SP, candidato com ampla folga ao título de mais fracassado importador de Covid-19 do mundo, acaba de informar que no seu Estado, a situação da pandemia evoluiu para gravíssima.
    Isso é o que acontece quando se faz política populista sobre caixões de defunto para esconder a incompetência e a responsabilidade de autorizar o carnaval de 2020.
    Tivesse ele buscado união em vez transferir a culpa ao governo federal no combate ao mal, mais da metade dos casos e das mortes não teria ocorrido.

  22. A Damares precisa apresentar urgente um projeto para incluir aula obrigatória de formação familiar para os país nos currículos escolares das crianças.
    A matéria sobre “Família Disfuncional” criada por especialistas seria ótima para dar suporte e está disponível no google

  23. Uma verdade que não se fala e ninguém publica é que, após 12 meses, as ações de combate à pandemia pelos governos estaduais e municipais não se mostraram nenhum pouco eficazes. ou seja, é um fracasso total.
    Alguém pode apontar um só exemplo de sucesso nas ações desses governantes? Não tem?
    Alguém pode apontar o nome de algum secretário de saúde estadual que está tendo sucesso no combate à pandemia? Não tem?
    Ué! Então, só resta desviar a atenção dos otários, anunciando chegada do salvador da pátria e culpando o governo federal por aglomerações nas festas das favelas, cassinos, aumento das mortes, falta de vacina, demora da compra de vacina e pelo Brasil ser um dos 20 e não em primeiro entre dos 189 países com acesso à vacina, ou pela pobreza herdada, né?

  24. Não era de se esperar que após um ano de Covid-19, em vez de optarem pelos discursos, acusações e críticas ao presidente que os demitiu, o Mandetta e o Teich se enchessem de brio, em vez de encher o saco, provassem suas capacidades de liderança, técnicas, administrativas e de ação auxiliando algum dos 27 governos estaduais no combate da pandemia?
    Sim!
    Mas, além de desativar hospitais de campanha, reclamar e culpar o Bolsonaro de não providenciar e disponibilizar respiradores, oxigênio, máscaras e outros apetrechos médicos com os bilhões que receberam do governo federal, qual governo estadual conseguiu combater COM EFICÁCIA o Covid-19?
    Nenhum!
    Não era de se esperar que cientes dos perigos da pandemia, os governadores que não suspenderam o carnaval de 2020, a mídia patrocinadora e o STF por se intrometer no Executivo, admitissem o erro publicamente e se responsabilizassem por um terço das mortes e casos de contaminação?
    Sim!
    Não era de se esperar que depois de anunciar em setembro, o declínio da pandemia no estado e fechar os quatro hospitais de campanha montado na cidade de São Paulo, o Doria deveria ser responsabilizado por desídia, incompetência e má gestão governamental?

    1. Chega de mi-mi-mi, bozolóide.
      O Bozo psicopata é genocida.
      O Bozo psicopata genocida se aliou ao virus e tornou o Brasil um pais radioativo, epicentro da Covid e ameaça global.
      Quem defende o Bozo psicopata genocida é o gado genocida.
      O mundo despreza o Brasil, um povo medíocre que ainda nao depôs o Bozo psicopata nazista genocida

  25. Entre um e outro costumeiro escândalo de corrupção e roubalheira dos cofres públicos, os governantes brasileiros se tornaram especialistas em empurrar problemas municipais, estaduais e nacionais com a barriga até eles alcançarem o limite de tragédia, como ocorre com as acusações em vez de soluções para as pandemias, rios doces contaminados, moradias, água e ar de má qualidade,etc.
    Não é à toa que, a exemplo das “Santas Casas”, o IPEN Instituto Nacional de Pesquisas Nucleares da USP, um patrimônio nacional de enorme importância para o nosso desenvolvimento estratégico, é muito visitado por políticos em busca de exposição e popularidade, mas pouco valorizado e conhecido pelos brasileiros em geral.

  26. Toc Toc Toc… a verdade já toca a campainha nos portões dos paulistas.
    Estoque crítico e de falta oxigênio em SP. Advinha quem é o culpado disso?
    Que Covid nada, é o governador e o ex-ministro da Saúde, ambos incompetentes, que há mais de um ano posam de sumidades escondidas nos palanques.

  27. O jornalista Milton Blay, em participação ao programa Bom Dia 247 desta quinta-feira (18), afirma que “judeus que apoiaram Bolsonaro não é uma questão de ser judeu ou não ser judeu, é uma questão de caráter”.
    Ele refere-se aos empresários judeus que financiaram e apoiam Jair Bolsonaro, peças fundamentais para a ascensão e permanência da extrema-direita no poder.
    “Quem é o ex-secretário de comunicação de Bolsonaro? alguém que roubou os cofres públicos descaradamente. Simplesmente ele mandava verbas publicitárias para suas próprias empresas”, explica o jornalista ao citar as ações ilícitas do empresário judeu Fabio Wajngarten, retirado do comando da Secretaria Especial de Comunicação (Secom)

  28. Taquipariu!!!
    Uma TV Estatal de SP subalterna e em plena campanha política do governador incompetente e metido a ditador, que perde de 7 x 1 para o Covid-19, associou Bolsonaro a psicopata.
    E quem no mês de setembro de 2020 fechou todos hospitais de campanha na Capital alegando que a Covid-19 havia passado da sua fase crítica de pico e já estava em declínio é o que mais, além de charlatão?

  29. Pois é. Chora, Maurorô!
    Para a surpresa de todos, a máscara do Covid-19 e da incompetência caiu!
    Depois dos governantes de alguns Estados brasileiros e de parte da mídia tentarem culpar o governo federal pela falta de oxigênio no AM, não há mais quem culpar, não há mais quem criticar e condenar,
    Com o caos instalado, agora falta oxigênio e vagas na UTI em SP e mais 110 cidades de doze estados brasileiros e ninguém se atreve a criticar ou cobrar soluções dos governadores e prefeitos.
    Ninguém contava que, após um ano, o Covid seguiria soberano e desmoralizando cada vez mais os governantes que se uniram a parasitas mamateiros do legislativo, do judiciário e mídia, logo após autorizarem a realização do maldito carnaval de 2020.

    1. O Doria, Witzel, Kalil e outros governadores e prefeitos, que tanto estimularam a realização do carnaval em seus respectivos Estados, querendo arrecadar dólar, trouxeram estes turistas carregados do vírus, que espalharam esta desgraça prá todo lado.
      Agora que a merda foi feita, tentam colocar toda responsabilidade nas costas do Bolsonaro, e ainda aparecem neste blog alguns doentes mentais querendo justificar o injustificável.
      Na minha opinião, se os governos anteriores do PT, fossem menos populistas e ao invés de construir estádios para realização das Olimpíadas e da Copa do Mundo, tivessem investidos toda esta dinheirama em Hospitais, hoje a nossa sofrida população estaria no mínimo, mais assistida !!!

      1. Mi-mi-mi de gado com síndrome da vaca louca.
        Hospitais federais do Rio de Janeiro foram fechados em plena pandemia. Nao falo em hospitais de campanha que sofreram ataques do gado, que postavam fake news e os invadiam para mostrar que nao havia ninguém lá. Que tudo era marketing político.
        Fechados os hospitais federais – afinal era uma gripezinha, um resfriadozinho – sabota a vacinação.
        Faz negociata com laboratório produtor de cloroquina que mama no BNDES.
        E hoje falta tudo, até ministro da saúde, pois o genocida que está de saida não pode sair até que se arrume para ele foro privilegiado, para evitar que responda pelo genocidio que cometeu.
        Além disso, o Bozo Genocida instituiu o Programa Menos Médicos. Faltam profissionais da saúde. Os cubanos que vieram para o Brasil, foram impedidos de trabalhar.
        E o gado vem com discursinho vagabundo sobre hospital de campanha que sempre foram atacados por eles.
        Que triste deve ser ser gado.
        20% da população é formada por psicopatas. 15% deles continuam apoiando o Bozo Genocida.

      2. Jose você tem razão!
        Essa variante de SOC, os membros da Sofisticada Organização Carnavalesca composta pelos governantes e mídia genocidas que realizaram o carnaval de 2020, é responsável pela antecipação do início da pandemia e de pelo menos 50 mil mortes até agora.

  30. 300 mil mortos.
    Muitos brasileiros, eu incluso, estamos chorando pelas 300 mil mortes que poderiam ter sido muito menores.
    300 mil mortes é o resultado aliança do Bozo Genocida Psicopata com o Coronavirus?
    Os bozolóides sofrem ou choram nessa hora?
    Os bozolóides sofrem pelo que?
    Será que a fonte do tormento dos bozolóides é apenas o inimigo imaginário comunista?
    Qual será razão mais profunda da esquizofrenia dessa horda que tem garras em vez de mãos, que idolatram mais a morte do que a vida?
    Que se utilizam da religião e de Deus, para viabilizar a ação de um anticristo?

  31. Enquanto isto, o maior ladrão do mundo ficará eternizado com a frase proferida e que deu a ele a chance de continuar com o recebimento de propinas e o desvio do dinheiro público:
    “Ainda bem que a natureza criou este monstro chamado coronavírus”.

  32. E carta dos 500 banqueiros e economistas desmoralizou de vez o Bozo Genocida Miliciano e o Paulo Jegues.
    O pior governo da história do Brasil, é também fracasso de público.
    Despenca a aprovação do genocida quadrilheiro terrorista.
    A influência verbal do miliciano é a maior prova de que a facada fake foi um artificio usado para fugir dos debates.
    Se não cair antes, teremos a chance de rir do idiota que não consegue concatenar 20 palavras numa frase que faça sentido.

  33. Essa atitude diária dos opositores culparem unicamente o presidente pela contaminação de 12 milhões e morte de 295 mil pessoas numa área de 8,5 milhões de Km2, visando manipular a mente de 220 milhões de brasileiros, é uma campanha política suja, desrespeitosa, anti-patriótica, suja, rasteira, desonesta e mau intencionada, para dizer o mínimo.
    Pretender que a maioria das vítimas, na faixa com mais de 60 anos fosse saudável, desprovida de inteligência, desinformada e absolutamente incapaz de se defender da doença é uma ofensa ao bom senso.
    Chega a ser engraçado, admitir que carnavalescos, festeiros, cachaceiros, funkeiros, expostos a transportes lotados, arruaceiros, turistas contaminados, sejam semi ou analfabetos desinformados.
    Aliás, essa campanha manipuladora de opinião, que lembra a do cacareco, tenta jogar toda a responsabilidade nas costas de uma só pessoa é, acima de tudo, uma ofensa à inteligência do povo brasileiro.

  34. Pois é. A máscara da safadeza caiu!
    13 Estados da Federação estão com estoque preocupante de oxigênio.
    Vem cá! O que fizeram os governadores e outros pernas de pau genocidas desses Estados que em vez de trabalharem analisando a evolução da pandemia, se preocupavam só em só montar “campanha política disfarçada de consórcios” com a mídia paga para criticar e jogar diariamente a culpa da pandemia no governo federal de genocida, hein?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.