A tal série “Mecanismo” não me disse nada

Sei lá se os atores são bons, se o roteiro é de primeira ou se a técnica de filmagem é perfeita. Não entendo patavinas disto. Mas que o título e a mensagem são puro engodo, para mim não resta a menor dúvida

O nome do mecanismo é Estado

O tal “mecanismo” tem nome: Estado. Não há porque disfarçar. Não houvesse Estado, não haveria mecanismo algum, engrenagem alguma. Ladrões são como moscas sobre esterco. Aglutinam-se em torno de dinheiro fácil. Um Estado que concentra dinheiro, poder e um bando de vagabundos é o Nirvana da criminalidade.

“Ah, Ricardo, o “mecanismo” só existe com a participação da banda podre empresarial”. Sim, é verdade. Mas é como o enigma do ovo e da galinha. Quem surgiu primeiro?

Conhecemos países desenvolvidos onde a iniciativa privada não alia-se ao Estado em busca de dinheiro fácil. São as democracias mais ricas do mundo, onde o Estado é o menor possível (comparativamente falando) e seu poder altamente limitado.

Mas e o contrário? Um Estado concentrador, regulador, gigante, onde a corrupção não impera, existe? Não conheço. Rússia, China, África do Sul, México, Argentina, Itália… Há fartura de exemplos.

E por favor, não me venham com a balela sobre os países nórdicos, ok? Leitores (de manchetes) agora dizem que a Noruega ou, sei lá, a Suécia são socialistas. Riqueza e igualdade jamais serão sinônimos de Socialismo. Até porque inexiste socialismo rico. Irrigue com muito dinheiro poucos habitantes; estabeleça a Monarquia como sistema político; delimite seu território em pequenas frações de terra e pronto: terá prosperidade e certa igualdade, desenvolvimento humano e educação, saúde e bem-estar social. Claro, se o monarca não for um tirano qualquer.

O tal “mecanismo” parte do Estado, passa pelo Estado e encerra-se no Estado. Elimine a concentração de poder do Governo Central. Dilua a distribuição de impostos por estados e municípios. Exclua a presença estatal de qualquer atividade que não se resuma à Segurança Pública, Saúde Pública, Infraestrutura Pública e Administração Pública. O mecanismo desaparecerá como os fios de cabelo da minha cachola.

Reformule os Poderes. Retire das mãos de poucos as canetas que tudo podem, que tudo decidem. Descentralize as políticas educacionais, as leis que não versam sobre segurança territorial ou Constituição. Dê, de fato, poder ao cidadão, e não apenas de mentirinha, através deste sistema eleitoral de cartas marcadas, onde os porcos revezam-se no poder a cada dois ou quatro anos.

Estado, senhores! Estado, Estado e Estado. Este é o vilão. Este é o culpado. Diminua-o, sufoque-o, estrangule-o. Liberte o cidadão; liberte a iniciativa privada; fortaleça, nesta ordem, o indivíduo, a família, a vizinhança, o município, as leis locais, o estado, as leis estaduais e, finalmente, o país. A nação!

Partidos Políticos não podem ser supremos. Políticos não podem ser supremos. Aliás, o Supremo não pode ser supremo. Supremos devemos ser nós; eu e você, que bancamos como nosso trabalho e dinheiro esta corja toda.

Ou o brasileiro entende esta droga de uma vez por todas, ou ficará brincando de assistir à séries na Netflix acreditando estar ali a fonte de todo o saber.

Tô fora!

Leia mais.

41 thoughts to “A tal série “Mecanismo” não me disse nada”

  1. O problema é conseguir isso. A série até mostra, onde quem quer fazer algo está a mercê do ego de promotores e juízes orgulhosos que buscam mais projeção pessoal do que defender o cidadão comum, no caso os dois policiais, um bipolar e a outra com câncer de útero. E também retrata o quadro existente no Brasil desde que o país é país, marcado pelas vantagens a poucos, apadrinhamentos, falta de caráter, falsos líderes(presidente), incompetência e a cultura do mais ou menos ( a presidente), que se julga uma sumidade.
    O que nós como país devemos abandonar é esse quadro de fazermos tudo pelas metades e acharmos que já está bom sendo que não está. Ministro aulas de Inglês e noto que a grande maioria das pessoas estuda 1,2 anos e pensa que é fluente no idioma. Isso é só um exemplo para demonstrar que, se queremos ser um país melhor temos de nos esforçar mais. Fato bem diferente de povos como o japonês ou o alemão. Sem jeitinho, sem pensamentos tipo : “Vamos dar uma parada para tomar uma cerveja gelada no bar da esquina”. UM ABRAÇO.

  2. Olá Distinto, como ha séculos a mineradora vai abrindo a terra e deixando buracos nas Alterosas enquanto os lucros são mandados para terras distantes. A imprensa, blogueiros inclusos, se encarrega de criar cortinas para dissipar a visão, pois, trás os assuntos de mínima relevância e o trata como se fosse coisa que importasse na vida das pessoas.
    Abril chega e a elitizinha extrativista e rapinosa não consegue apresentar um candidato que se viabiliza, porém, Lulinha Paz e Amor se mantém impávido na preferência do eleitorado . Vai ser bom de voto assim, bom não, fenomenal!
    Boa Semana a todos. Sorte, Saúde e Sabedoria.

    1. BOM DIA! Mas se o PT governou o país por mais de uma década, porque não acabou com a elitizinha extrativista e rapinosa???? Seria incomPTência, Conivência ou eles não sabiam de nada? Amigo e amiga, atacar quem gera riqueza é a maior prova de ignorância do socialista. É simples: se ninguém produzir riqueza, de quem vocês vão pleitear a um pedaço dela? Porque produzir, a maioria não quer.
      Boa semana!

      1. Olá Guimarães, vários são os motivos pelos quais o PT não acabou com a elitizinha rapinosa e extrativista. Dentre tantos motivos, exemplificativamente, é sua aderência a ela, sempre no rítmo do forte com o fraco e o fraco com o forte. Assim como tantos outros inocente úteis (royalties a Itamar Franco pela citação) e outros menos inocentes, contudo, invariavelmente, serviçais ou intereceiros de plantão.
        Ha que se reconhecer que além de rapinosa ela esta no poder ha séculos. É especialista em ofender o povo e exaurir as riquezas e não seria um governo afinado com a coletividade que iria em poucos anos ou poucas décadas exterminar.
        Não se iluda. Essa campanha de ódio, criada pele Rede Bobo, e disseminada por seus aliados, começada em 2003 e intensificada em 2013, muito se deu em face de LULA ser um retirante nordestino, criado sem pai, que viveu na periferia das cidades. Então, foi só o PT começar a criar mecanismos de melhoria de vida para o povão logo veio o revide.
        Isso não é novidade: Getúlio Vargas, que tinha plano e projetos para um país grande e soberano, teve de dar o tiro no peito; o entusiasmado JK também foi acusado de obter apartamento na Vieira Souto de modo ilícito, até por ai você verifica a falta de originalidade nas intrigas e na vilania. Até mesmo o fazendeirão João Goulart, porque tinha identidade com o povo, teve de sair correndo. A elitizinha extrativista e rapinosa é indefectível nas maldades.
        A questão da produção de riqueza que colocastes eu não compreendi, mas advirto para aquela situação do corsário que foi interceptado por Felipe da Macedônia. – Eu pilho uma embarcação, sou pirata; o senhor pilha os mares, és o Rei!
        E quanto a trabalhar saiba que sou um Zé Coisa Nenhuma, nunca fui funcionário público e levanta as 05h para trabalhar e estudar e nessa faina vai até as 21h. É como disse aquele jegue: se trabalho enriquecesse.

      2. O brasileiro é um ignorante funcional, ou seja, não se aprofunda nas coisas, começando pela sua profissão, seu oficio, estuda só para passar, trabalha para pagar as contas e está otimo,o futuro o Estado tem que prover através de uma aposentadoria aos 50 anos que sustente toda sua familia sem trabalhar. Ou seja o brasileiro é um sonhador, vive afastado da realidade. o Estado nestes últimos anos estragou o pais, o ensino, começando do básico. Fui professor universitário, e digo com causa, estão chegando ás universidades analfabetos funcionais que são incapazes de fazer uma conta simples de exponenciação, analisar e entender um texto. Triste o aparelhamento no ensino acabou com o país.

  3. Concordo totalmente com você. Porém, para a maioria dos brasileiros as coisas têm que ser desenhadas para serem entendidas. Ou não?

  4. Negar que o mecanismo existe é como o Padilha querer convencer que é uma obra de ficção.
    O estado pode fazer parte da engrenagem, no caso da série supra citada, é peça fundamental.
    Veja que existe corrupção nos meios privados, comerciais e industriais, sem participação do estado, portanto é mesmo um mecanismo, porém viciado pelo carácter duvidoso de muitos.
    Particularmente eu achei a série boa, com pontos positivos e negativos.

  5. Parece que convidaram um dono de empresa, um capitalista total, para analisar a série. Mas como estes fazem parte do “MECANISMO”, tem que defender o próprio umbigo mesmo e não encontrar solução alguma.
    Claro que há soluções, sendo a principal criar leis que atraiam homens bons e honestos para comandar nossa nação (e sim, eles existem), leis que punam com mais rigor os delitos cometidos, leis que coloquem bons gestores ao invés das absurdas indicações políticas que na maioria das vezes não tem capacidade para serem ofice-boy do setor e estão como chefes apaga incêndios, só sabem mandar e mamar na teta. Estes são os principais causadores dos delitos, realizam tudo que são mandados caso queiram se manter no posto, não tem capacidade de tornar os processos mais eficientes. Caso retire esta peça do mecanismo iria causa um PT no real sentido em todo sistema.

  6. BOM DIA! Mas se o PT governou o país por mais de uma década, porque não acabou com a elitizinha extrativista e rapinosa???? Seria incomPTência, Conivência ou eles não sabiam de nada? Amigo e amiga, atacar quem gera riqueza é a maior prova de ignorância do socialista. É simples: se ninguém produzir riqueza, de quem vocês vão pleitear a um pedaço dela? Porque produzir, a maioria não quer.
    Boa semana!

  7. BOM DIA! Mas se o PT governou o país por mais de uma década, porque não acabou com a elitizinha extrativista e rapinosa???? Seria incomPTência, Conivência ou eles não sabiam de nada? Amigo e amiga, atacar quem gera riqueza é a maior prova de ignorância do socialista. É simples: se ninguém produzir riqueza, de quem vocês vão pleitear a um pedaço dela? Porque produzir, a maioria não quer.
    Boa semana!

  8. Análise perfeita! Porém, tem um problema: Onde os puxa-sacos de plantão, os alcoviteiros do dinheiro público, os incompetentes e demais, irão se resfestelar ?

  9. Deixa de amargura, é só uma obra de ficção, Fica tranquilo. O que realmente me incomoda é a roubalheira que esta acontecendo com envolvimento, do nome do Presidente da Republica, isso é inaceitável, pois se uma pessoa que atua em um cargo de poder, de extrema importância como está citado nesta roubalheira, o que dirá do resto.

  10. E que tal atribuir ao Lula, a famosa frase do Romero Jucá: “Temos que estancar a sangria. Com STF e com tudo”. Foi o que essa série fez, na maior cara de pau. E o diretor ainda disse que o Jucá nao patenteou a frase. Muito ridículo.

  11. Na série Aécio Neves é um cafajeste corrupto que iria enterrar a Lava Jato caso tivesse vencido as eleições de 2014. Foi a reeleição de Dilma Rousseff que permitiu que a operação tivesse sequência e continuasse prendendo tanta gente importante. O impeachment de Dilma foi um golpe arquitetado por Aécio, em conjunto com Temer e que contou com a parcialidade da grande mídia brasileira. Seu objetivo principal sempre foi o fim da Lava Jato. Fernando Henrique Cardoso foi eleito com recursos oriundos de propina das empreiteiras que superfaturavam obras públicas. E Sérgio Moro é um juiz cuja característica mais marcante é a sua indisfarçável vaidade. Mesmo assim, a petezada reclama.

    1. Até concordo com vc em parte, realmente minha percepção é que a Anta, realmente contribuiu para a continuidade da Lavajato, por isto tiraram ela do poder. Ela não entrou no jogo, de Lula e do PMDB, por ignorância, por conveniência, por honestidade (pouco provavel ) mas vai saber. O problema da Dilma é que ela é totalmente incapaz. Não concordo também como o Sérgio Mouro foi tratado na série ( ficção), na realidade pelas suas entrevistas, etc. Não me parece uma pessoa vaidosa, muito antes pelo contrário, humilde, consciente e principalmente capaz, e com muito bom senso. Características que faltam a todos os nossos líderes.

    2. Anamaria,

      mas aqui quem está reclamando e esse blogueiro facista e seus seguidores. Tudo isso que você atribuiu ao Aécio é correto….

  12. Eu nao entendo, como te pagam para escrever, e ainda dao lirvre arbitrio para publicar suas asneiras… Mas enfim, isso nao conta, porque de fato e so minha opniao.
    Eu ate tentei ler denovo algum texto seu, mas dos 3 que li, nao consigo de verdade entender, porque alguuem recebe para escrever essas materias ”com tanto conteudo”.
    Nao e o fato de ser contraria a sua proposta, o fato e que nao ha prosposta.
    #sorrynotsorry

    1. Imagino ser por escrevermos em línguas diferentes, sabe? (a minha é o Português, a sua um idioma que se aproxima do meu). Daí a compreensão do texto torna-se praticamente impossível, Keila. Deve ser isso!!

      p.s.: olha só como a sua cabecinha é confusa: você não entende como me pagam para escrever e ao mesmo tempo me “dão” livre arbítrio. Pense bem: se é livre, o arbítrio não pode ser pago. Se é pago, não pode ser livre. Entende como são coisas excludentes? Se me pagassem para escrever aquilo que pensam, não precisariam… pagar!

      1. Esse sujeito ja escreveu aberracoes como “VIVAM os estados unidos” ou “democracia: ACEITAM ou SAEM”. Esse cara é semi analfabeto e ainda quer dar aulas pros outros

        1. Opa!! Que bom que voltou mais comportado.

          Sabe aqueles seus outros e-mails não publicados? Pois é. Vá por mim: não os repita em hipótese alguma. Nunca mais!!

          Se não se lembra de quais são, posso te ajudar. Estão devidamente arquivados e com os números dos IP´S (procure entender melhor do que se trata) anexados. Ah, e são válidos como prova até dois anos após o envio.

          Um conselho final: quer me xingar? Fique à vontade. Todos sabem o quanto idiotas como você me divertem e, de certa forma, ajudam a atrair atenção ao blog. Mas o faça dentro do limite legal e sem, em hipótese alguma, avançar sobre qualquer membro da minha família. Acredite, Manezão: não se brinca com esposa, mãe e filha de um sujeito — como você mesmo gosta de zombar — inundado de sentimentos.

          Seja bem-vindo de volta!

            1. Repito, seu trouxa. Ou melhor, te desafio: atreva-se a enviar um só comentário da forma em que lhe alertei a não fazer. Unzinho só!!! Bora… coragem!!!

    2. É acho que precisa voltar ao fundamental, estudar um pouquinho mais, se aprofundar em análise de textos, ler um pouquinha sobre nossa historia, geografia, mas não estes livros direcionados que usam hoje, se aprofunde um pouco mais para entender com funciona nosso país. Quem sabe assim vc consegue entender alguma coisa. Leia um jornal como o valor econômico, deixe um pouco a novela de lado, leia um bom livro sobre desenvolvimento pessoal. Ou seja eduque-se, se esforce e depois volte aqui para elogiar os textos do Ricardo.

  13. Isso mesmo! Acabemos com o Estado. Vamos deixar tudo nas mãos desses ditos empresários, que nada fazem a não ser sugar o sangue do resto do povo. Ai, então, voltemos com a escravatura, como esse nosso blogueiro sempre ansiou. Empresários mamando e o resto suando para eles ficarem cada vez mais ricos e nada contribuindo para o crescimento do pais. Sem saúde, educação (vocês acham que sem educação pública haverá educação? NÃO. Bastou o governo estrangular o Fies, e os empresários do ensino já estão caindo fora).

    Não blogueiro, quem está fora somos nós o povo que trabalha e produz. Empresário só suga……

  14. Parece que o autor se esquece de que o termo “Mecanismo” é uma metáfora alusiva justamente ao comportamento do estado e também da base da sociedade civil com sua engrenagem de funcionamento que ciclicamente produz situações para corrupção ativa e passiva desde sua base até o topo da pirâmide social, representada pelos governantes, empresários e políticos em geral. Por isso que ao ver o vídeo de um espectro ele desenha esse “Mecanismo” que gira em torno de si mesmo e perpetua essa corrupção abrangente que, como diz o diretor da estatal em sua delação no filme, vem desde os tempos de Dom João… Para parar esse “Mecanismo” a engrenagem tem que ser quebrada em sua base, uma sociedade que não tem educação social na sua origem dificilmente conseguirá mudar o status de seus governantes. Que se punam os corruptos, mas que se feche definitivamente a escola de corrupção que hipocritamente a sociedade permite existir !

  15. Acho que o seriado trouxe uma reflexão mais profunda. No minha visão o que claro que o Brasil como um todo está configurado nesse mecanismo. Isso fica claro quando o personagem tenta reparar um problema no seu esgotamento sanitário e percebe que o prestador de serviço trabalha em uma lógica corrompida. É brilhante quando é comentado que todas as pessoas, nas suas devidas proporções contribuem para esse sistema corrupto: na carteirinha falsificada para pagar meia entrada, na tentativa de burlar o imposto de renda, no beber bebida alcoólica e consultar o waze, em assinar uma lista de presença para um colega na faculdade e por ai vai. Somos todos peças desse mecanismo. E desculpe: Engana-se quem acha que vamos mudar através de liderança política ou um Estado de atuação ilibada. Não é bem por aí. Pensar em Estado como o foco do problema é um pensamento míope.

  16. Concordo em parte com vc. Porém, como foi dito por alguém anteriormente, o Mecanismo existe fora do Estado. O Mecanismo é uma questão cultural (desde nossa colonização). Por exemplo, se tivermos empresas responsáveis por áreas em que o Estado não atua mais (e sou a favor da redução Estatal) , pode ter certeza que elas se organizarão (cartel) de forma a comandar quem vai obter algum privilégio sobre o sistema, inibindo assim (ou ate mesmo impedindo), a livre concorrência, a qualidade, o crescimento do pequeno e medio negocio etc. Enfim, se o Mecanismo é uma questão cultural, somente resolveremos boa parte de nossos problemas investindo em educação – e isso leva tempo. Abs.

  17. Bom texto, senhor Ricardo, coerente com as ideias extremamente liberais que você defende.
    Mesmo defendendo seus ideais liberais, não se esqueça de que há menos de 130 anos, aproximadamente 40% da população brasileira sofria nos grilhões da escravidão. A assinatura da tal Lei Áurea foi apenas um ato formal. Num contexto em que não havia circulação de informações, e ninguém se propunha a defender os direitos dos escravos, as notícias sobre a abolição de 13/05/1888 levaram ainda uns cinquenta anos para chegar nos cafundós do Brasil rural, para adentrar os engenhos, os grandes latifúndios. Ainda assim , sabemos que a nobreza e, posteriormente, os coronéis, não receberam a boa nova de bom grado.
    Já em 1888 as terras produtivas na área rural já estavam todas distribuídas, na mão dos condes, viscondes e outros detentores de títulos de nobreza. Não houve reforma agrária. Aliás não foi oferecido sequer um mulambo para o escravo recém-libertado cobrir seu lombo, repleto de marcas das chicotadas que recebia.
    Um ano após a abolição, que ocorreu somente “em tese”, veio a chamada república. No entanto, os nobres permaneceram no poder e se tornaram coronéis, mantendo os latifúndios, o trabalho escravo e dominando a política por meio de oligarquias.
    No contexto atual, as famílias dos ex-detentores de títulos de nobreza continuam a dominar o cenário político no Brasil.
    No contexto brasileiro, será que cabe o liberalismo que você defende?

    1. Não há o Liberalismo que defendo, caro Paulo. Há apenas “o” Liberalismo, e nele o Estado deve ser sempre o mínimo e menos poderoso possível. É justamente isso que impede o poder daquilo que você chama de Nobreza e eu de Lixo.

      Abrs

  18. Assisti a série toda neste sábado e gostei. Bem filmada, bem tramada, atores bons e tal… mas como tudo em tv e em séries de tv’s, existem adaptações e versões. Sobre a coluna especificamente, o autor é claríssimo quanto ao problema.
    É o E S T A D O !
    Tão somente o Estado o grande vilão da história.
    E se nós realmente não começarmos a rever essa nossa irresponsável mania de transferir nossas responsabilidades individuais e coletivas sempre para o próximo e para o Estado; nunca seremos dignos de nada; sequer de uma grande nação e próspera.

  19. O mais interessante, e que os leitores não comentaram, é sim reduzir o tamanho do Estado. Incentivar a indústria a produzir. Trabalho produz riqueza. Sou funcionário público e amo o que faço, mas o Estado não pode passar de “Essencial”.

  20. A raiz etimológica da palavra “idiota” está no grego idios, que significava “privado” ou “pessoal”.

    Este termo, no entanto, se transformou em idiotes, para designar as pessoas que não exerciam nenhum tipo de trabalho público, na Grécia antiga.

    Com o passar do tempo, o significado de idiotes se modificou, passando a estar relacionado com os “homens comuns”, ou seja, aos indivíduos que não tinham nenhuma distinção ou qualificação diferenciada.

    Por fim, o significado chegou ao conceito de “indivíduo ignorante”, “indivíduo com pouca inteligência” – sendo está a definição aceita atualmente para o termo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.