A precipitada incontinência verbal do PT

O PT é o campeão

Mais uma vez atônitos, os brasileiros assistiram ao vazamento de uma nova etapa da Operação Lava Jato, com envolvimento de um Senador, um Procurador da República e do Presidente Michel Temer, segundo a delação premiada dos donos da JBS.

De acordo com o noticiado, o Senador teria solicitado ao proprietário da JBS 2 milhões de Reais, para pagar honorários de um advogado, o que não fora efetivado. Já o Presidente Temer teria conhecimento de valores pagos a Eduardo Cunha e Lúcio Funaro, presos em Curitiba, para comprar os seus respectivos silêncios, o que pode ser caracterizado, em tese, como obstrução à justiça.

Evidente que o escândalo envolvendo o Presidente do PSDB e o mandatário maior da nação, apesar de ter que ser melhor apurado, já que o processo encontra-se na fase embrionária de investigação, traz consigo um abalo na base aliada do governo e o agravamento da crise na economia, já tendo o dólar disparado e a Bolsa de Valores despencada.

Ao tomarem conhecimento destes fatos, em verdadeira “incontinência verbal”, congressistas do PT, antes de saberem da íntegra dos depoimentos dos colaboradores — o vazamento só referia a Temer e Aécio — correram às tribunas pedindo pelo impeachment do Presidente, voltando a falar no “golpe” contra a Dilma e etc… Pareciam felizes com os fatos narrados!

Esqueceram que Lula, expoente maior do partido, ostenta a condição não só de investigado, mas de réu em cinco processos criminais, acusado formalmente pelo MP de obstrução de justiça, lavagem de dinheiro, corrupção, entre outros.

Os simpatizantes do ex-presidente, que sempre desqualificaram as delações premiadas e acusavam a mídia de perseguição, afirmavam que os vazamentos dos depoimentos dos colaboradores eram seletivos, com a precípua intenção de condenar Lula, em verdadeira teoria da conspiração.

Agora, tomam (os vazamentos da JBS) como verdade absoluta, já que atingem seus inimigos. Segundo Lula e seus correligionários, Delcídio Amaral, Leo Pinheiro, Pedro Barusco, Marcelo e Emílio Odebrecht, João e Mônica Santana, apenas para citar alguns, mentiram em seus depoimentos à Justiça. Apenas, e tão somente apenas, a verdade irrefutável dos fatos são os trechos vazados dos colaboradores e donos do grupo JBS.

Ocorre que, após o vazamento inicial e parcial, o Ministro Fachin autorizou que os vídeos dos depoimentos se tornassem públicos, sendo dito por eles que Dilma e Lula receberam juntos 150 milhões de Dólares em conta aberta no exterior. E como se vê no quadro acima, o PT e seus membros foram os campeões disparados no recebimento das propinas pagas pela JBS.

Não se pretende fazer aqui a defesa de Temer ou outro político envolvido com desvios de conduta. Certo que se existem suspeitas, há de serem investigadas, independentemente de quem seja ou de seu partido. O que se pretende e se deseja, contudo, é que haja um mínimo de coerência dos petistas e seus aliados. É o tal “pau que dá em Chico, dá em Francisco”.

Será tão difícil assim?

Por: Bady Curi Neto. Advogado e ex-juiz TRE-MG. Sócio-fundador do escritório de advocacia empresarial que leva seu nome

Leia mais, aqui.

6 thoughts to “A precipitada incontinência verbal do PT”

  1. Ricardo! Seu blog é excelente.
    Pra melhorar ainda mais, comprei um fardo de feno e estou mandando pro CIDRAC via Sedex, assim ele vai ficar distraído por um bom tempo e para de vir aqui falar asneiras.

    1. Olá Mardição, se é pra falar de vegetais, que tal você comprar umas generosas porções de erva cidreira para fazer uns chazinhos fumegantes e ir sorvendo em boas goladas? É calmante, dá sensação de conforto e o mais importante: é indicada para consumo humano, talvez assim você consiga parar com essas agressões gratuitas a quem nunca lhe ofendeu. A urbanidade ainda é um dever dos citadinos. Exponho minhas ideias acerca das pessoas que ocupam cargos públicos ou que tenham relevância histórica. Boa semana.

  2. Valeu CIDRAC. Vejo que você ainda não recebeu o fardo. Vou reclamar com os correios que eram bons e depois do PT viraram a casa da mãe Joana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.