Uma capa que vale por mil páginas

Uma capa que merece jamais ser esquecida

Me tornei parceiro do Portal UAI há pouco mais de nove meses. Fosse gestação e este blog seria um recém-nascido. Na verdade, EU sou um recém-nascido; eu renasci! Encontrei neste espaço uma motivação que há anos não sentia.

Comecei a trabalhar cedo e cresci muito rápido. Com isso, a acomodação natural tomou conta de mim e há algum tempo já não me empenho tanto nos afazeres profissionais. Me tornei uma espécie de ex-empresário em atividade, se é que me entendem. Se, por um lado, é impróprio à alguém ainda jovem e cheio de capacidade para produzir, por outro me permite levar uma vida mais dedicada a estar próximo (e cuidar) daqueles que amo. Me permite, igualmente, fazer aquilo que gosto: ler e escrever. De qualquer maneira, fica aqui o registro da minha eterna gratidão ao velho amigo, e agora editor Benny Cohen, e ao Grupo Diário Associados pela gentileza do espaço. Mas sigamos.

Naturalmente, desde que me tornei blogueiro do UAI, comecei a prestar mais atenção no jornal Estado de Minas. Se antes o periódico me servia apenas como fonte de notícias sobre o Atlético, hoje posso dizer que é minha fonte primária de informação, ainda que não seja a principal. E enganam-se os que dizem que o jornal não possui conteúdo de qualidade.

Neste período, o “grande jornal dos mineiros” me chamou a atenção pela qualidade de suas capas. Me lembro especialmente de algumas (vou deixar os links no final deste post). Acreditem: são sensacionais! Mas a capa de ontem foi um “caso à parte”. Se houvesse um Oscar, esta mereceria o maior de todos. Mereceria o Oscar do Oscar.

Quem tem mais de 40 anos certamente irá se lembrar da novela Vale Tudo, da Rede Globo, escrita pelo incomparável Gilberto Braga, em 1988. No último capítulo, o personagem Marco Aurélio, interpretado por Reginaldo Farias, um tremendo de um trambiqueiro, foge do país a bordo de um jatinho. Já no ar, Marco Aurélio olha cinicamente para o solo brasileiro e lhe manda “uma banana”. Pois bem. Bastou substituir Marco Aurélio pela caricatura de Joesley Batista e pronto! A ficção deu lugar à realidade. À nossa triste realidade. E para abrilhantar ainda mais, o autor desta obra-prima transcreve trechos da música “Brasil”, do inesquecível Cazuza (1958-1990). Uma capa épica! Mesmo que retratando um fato tão triste. Para coroar a edição, um Editorial impecável (não deixem de ler, aqui).

Estou puxando o saco do jornal? Não, não estou. Não tenho qualquer motivo para isso. Não sou funcionário do Grupo nem recebo nada para escrever. Ocorre que sou um defensor ferrenho da chamada Meritocracia, e seria uma injustiça não reconhecer e parabenizar publicamente os autores.

De 1988 pra cá o Brasil piorou muito. Esqueçam o blá blá blá de 9ª economia do mundo, telecomunicações, agricultura, tecnologia, etc. No que realmente importa, só pioramos! Somos muito mais violentos, corruptos, doentes, mal educados, imorais, perigosos, apolitizados e egoístas, hoje em dia, do que jamais fomos. 1998 era um sonho, perto deste pesadelo atual.

Este episódio envolvendo o grupo JBS é estarrecedor. Não só pelos fatos narrados, mas, sobretudo, pelo desfecho: dois bilionários livres e um país arrasado, sob as bençãos do Procurador Geral da República e um Ministro do Supremo Tribunal Federal. Se faltava algo para selar definitivamente nossa miserável condição de republiqueta da impunidade, onde o crime realmente compensa, este acordo de Delação Premiada veio para resolver.

O país que prende 6 de cada 100 assassinos, não poderia mesmo trancafiar os maiores ladrões da história democrática ocidental do planeta. Por isso, comemorem Lula, Dilma e companhia. Pois em breve estarão felizes e saltitantes, jantando nababescamente em Nova Iorque, enquanto os otários aqui estarão roendo os ossos do que sobrou: inflação, recessão, desemprego…

Aliás, não se preocupem: Joesley e Wesley Batista pagam a conta! Eles fazem questão.

Capas históricas do EM:

recente depoimento de Lula ao juiz Moro, Polícia Federal no Congresso, Lula como chefe máximo da quadrilha, exposição de Mondrian em BH, final Copa Brasil 2014 entre Atlético e Cruzeiro

13 thoughts to “Uma capa que vale por mil páginas”

  1. A impunidade que a delação premiada oferece é tão ou mais criminosa que o próprio criminoso que a faz . A conotação moral da delação sem punição , no meu entendimento , representa somente mais um mecanismo de corrupção da sociedade . Trata-se de um suborno que se paga caro pela conscientização de um povo . A verdade merecia ser tratada com mais dignidade …

  2. Se havia alguma dúvida em relação à idoneidade do nosso Judiciário, agora não há mais. Concordo com você, caro Ricardo,tenho quase 60 anos e,posso garantir ,o país piorou muito.O mais grave,não vislumbro nenhuma possibilidade de melhora,nos próximos anos.É triste envelhecer sem esperança.

  3. Meu caro Ricardo, os dois maiores pilastra se brasileiros foram, nasceram e foram criados nos governos petistas, parece até um enredo encomendado pela Rede Globo, por isso ela agora tá se empenhando tanto no final da trama, só uma capa também bombástira assim: “OS BATISTAS (Eike+irmão petralas+Lulalau ) quebram o BNDES e deixa o Brasil num verdadeiro caos. Como sempre a polícia pega somente o mais fraco (Eike) e os demais fogem (Lulalau+irmãos petralhas) isso só acontece no Brasil.

  4. Olá Inundado, Lulinha Paz e Amor e a valente Dilma não faz parte do grupo que vem explorando, espoliando, rapinando em Pindorama desde que seu Cabral aportou por aqui nos idos de 1.500. É sabido que essas insinuações fazem parte do jogo de mistificação para iludir a patuleia, pois, quer misturar o joio ao frumento puro.
    Vide que o juiz porta de cadeia das araucárias abusou durante três anos com torturas e negociatas envolvendo advogados venais e nada se provou. E como farsa jata nunca se prestou para combater corrupção Eduardo Cunha, debaixo do nariz de dito magistrado, continuava amealhando a bufunfa. Agora que Janot entrou no páreo o juizeco passará ao ostracismo tal e qual Joaquim Barbosa.
    Vide que quando a lei é razoavelmente bem aplicada se pega o mininu que exigia ventilador ligado dentro de casa sem ter de torturar o colaborador premiado, pois, a colaboração é feita com voluntariedade e as provas são claras, objetivas, precisas e bastantes, muito diferentes das alegações do tipo. “A prima do carpinteiro que trabalhava perto da guarita ouviu dizer que, bla bla bla”.
    Observe que em nenhum momento Lulinha Paz e Amor e Dilma foram visto saindo a sorrelfa de qualquer lugar como saiu Aécio do Congresso Nacional e como foi visto pela fresta de sua casa qual um rato que procura um buraco para se enfiar.
    Lula e Dilma sempre altivos e dignos ha que se registrar, em que pese o desmando da invasão de sua casa em presença dos familiares.
    Ficam então esses exemplos diferenciadores dos verdadeiros líderes comprometidos com a coletividade de Pindorama daquelas outras ratazanas que cuidam apenas de seus interesses e não titubeiam e matar o seu colaborador, desde que tal crime lhe garanta a impunidade. Sorte, Saúde e Sabedoria.

  5. Infelizmente a vida imita a arte ou vice versa. Me veio à mente a mesma cena. Quando conseguiremos mudar esta triste realidade de nosso país meu caro Ricardo!!!!

  6. Jamais votei no PT, mas, nem por isso eu tento desqualificar os supostos crimes do Temer ou do Aecio, assim como está postados em todas as matérias do Ricardo e nos comentários dos que concordam com oseus temas expostos, essa é a grande diferença entre os petralhas fanáticos e nós que combatemos essa peste altamente destruidoras de mentes incautas.
    É fato que sempre houve corrupção na atividade político partidária, aqui ou em outra parte qualquer do planeta, mas é fato também que de janeiro de 2003 pra cá a coisa simplesmente extrapolou de maneira assustadora.
    Os governos petistas armaram verdadeiros assaltos aos cofres públicos, mas nada comparado ao desmantelamento do BNDES,
    conicidentemente duas famílias BATISTAS com total conivência de Lula/Dilma, protagonizaram umas verdadeira sangria no banco, só que os dementes teleguiados por Lula não sabem ou finge não saber que
    todo rombro em bancos públicos o tesouro nacional tem que repor. Para se ter uma idéia dos absurdos cometido por esse bando chamado PT, de 2008 a 2014 o TCUbuntu denunciou e o tesouro foi obrigado a repor quase R $ 500 bilhões para o banco não quebrar e ainda tem dementes pondo a mão no fogo por essa cambada.

  7. Carlos, jamais votei no PT, mas, nem por isso eu tento desqualificar os supostos crimes do Temer ou do Aecio, assim como está postados em todas as matérias do Ricardo e nos comentários dos que concordam com oseus temas expostos, essa é a grande diferença entre os petralhas fanáticos e nós que combatemos essa peste altamente destruidoras de mentes incautas.
    É fato que sempre houve corrupção na atividade político partidária, aqui ou em outra parte qualquer do planeta, mas é fato também que de janeiro de 2003 pra cá a coisa simplesmente extrapolou de maneira assustadora.
    Os governos petistas armaram verdadeiros assaltos aos cofres públicos, mas nada comparado ao desmantelamento do BNDES,
    conicidentemente duas famílias BATISTAS com total conivência de Lula/Dilma, protagonizaram umas verdadeira sangria no banco, só que os dementes teleguiados por Lula não sabem ou finge não saber que
    todo rombro em bancos públicos o tesouro nacional tem que repor. Para se ter uma idéia dos absurdos cometido por esse bando chamado PT, de 2008 a 2014 o TCUbuntu denunciou e o tesouro foi obrigado a repor quase R $ 500 bilhões para o banco não quebrar e ainda tem dementes pondo a mão no fogo por essa cambada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.