É você, coxinha, que alimentou o lulopetismo

Certamente há mais de um Brasil. Talvez três ou quatro. Mas vamos o separar em apenas dois, numa medida simplista.

Os dois Brasis lado a lado

Gostaria de dividir um pensamento que me ocorreu, daí um pouco de maniqueísmo me ajudará. Sigamos.

Há um Brasil, digamos assim, desenvolvido. Cerca de 40 milhões de brasileiros realmente alfabetizados, profissionalmente estabilizados, economicamente amparados, socialmente responsáveis, culturalmente inseridos, habitantes de bairros com infraestrutura completa, ainda que precária,  com acesso à saúde e educação privadas e, excetuando-se o risco da violência urbana, vivem — ainda que expostos à má conservação das cidades, estradas, aeroportos, etc. — em situação próxima aos cidadãos de países desenvolvidos. Essa parcela da população seria hoje, em número de habitantes, um país equivalente à Espanha ou Argentina, mas com uma renda per capita muito superior.

O outro Brasil conhecemos de cor. Analfabeto ou analfabeto funcional, desempregado ou subempregado — quando não trabalhador informal, carente de saúde e educação básicas, sem acesso à cultura e lazer, habitantes de bairros sem infraestrutura básica, inclusive rede tratada de água e esgoto, usuário de transporte coletivo, endividado, dependente do assistencialismo estatal e sem noções básicas de cidadania, comportamento social e higiene pessoal. Cidadãos indignos desta alcunha, pois esquecidos e marginalizados pelo Estado. Uma multidão de 160 milhões de sobreviventes em meio à uma selva cruel e impiedosa chamada Brasil.

Estes dois países estão unidos territorialmente, ainda que cada um ocupe porções distintas e demarcadas entre si. Os dois povos misturam-se convenientemente de acordo com os interesses de cada grupo. Contudo, há um espaço, uma interseção que os aglutina impiedosamente e os tornam vítimas indefesas: a política. E nesta interseção padecem todos. Ricos e pobres. Pretos e brancos. Cabeludos e carecas. Mais ainda: padecem juntos os que lutam para mudar o atual estado de coisas e aqueles que, por ignorância ou crença, desejam a continuidade do status quo. Neste momento, a Democracia se impõe — com suas falhas e virtudes — e iguala os dois países. Cada cidadão, um voto.

Lula, o penta-réu criminal a caminho da prisão, é rejeitado por 60% da população brasileira. Seu bando, o PT, por 70%. Mas vejam que dado espantoso: José Serra, Aécio Neves, Geraldo Ackmin e o PSDB não ficam muito atrás no quesito rejeição. Em média, 52% dos brasileiros os rejeitam. Eu lhes pergunto: é possível comparar o tipo e a gravidade das atividades criminosas de uns e de outros? Assim, poderia me parecer claro que o que o brasileiro médio rejeita é a sujeira, qualquer que seja, pequena ou enorme, o que seria ótimo se fosse verdade. Mas não é! O que ocorre é a conjunção das preferências e rejeições de ambos os países descritos acima: O Brasil desenvolvido rejeita massivamente Lula e o PT, assim como o PSDB e seus velhos caciques. Já o Brasil subdesenvolvido aceita relativamente bem Lula e o PT, enquanto praticamente ignora o PSDB.

Se fôssemos dois países, o desenvolvido seria governado por uma terceira via, mas jamais pelo PT.  Já o desenvolvido seria governado pelo PT, mas na falta dele, serviria o PSDB. E é nessa abismal diferença de conduta que o imobilismo fincou raízes, arrastando ambos os lados para um destino que apenas um deseja, ou no mínimo, aceita. Ou o Brasil desenvolvido torna-se um ente pragmático, onde importa menos o desejo próprio e mais o resultado final, ou nos manteremos eternamente neste vai e vem pendular, ora cá, ora lá, sempre alternando entre as faces da mesma moeda.

O que eu quero dizer? Simples! Que o país desenvolvido aceite o mal menor, na falta do bem que aspira. Ou por outra: é melhor um PSDB que não se gosta que um PT que se odeia. Escolher as duas coisas ao mesmo tempo é que não dá, não é possível. Ou abraçamos, com os prós e os contras, um candidato/partido anti-PT ou continuaremos a permitir que o outro Brasil, o subdesenvolvido, continue a exercer sua trágica, porém legítima, vontade. É uma mera questão de escolha: letra A ou letra B. Simples assim. Mas complicado assim.

Viver não é fácil, né? Pois é. Democracia também não.

Leia mais, aqui.

 

19 thoughts to “É você, coxinha, que alimentou o lulopetismo”

  1. Olá Inundado, estas a falar do Brasil Oficial, aquele da Rua do Ouvidor e o Brasil Real aquele de Canudos. O segundo capaz de beleza e criatividade, o primeiro caricato, servil e pastiche. Este, ontem sonhava com Paris, hoje, vive a se deslocar para Miami. O grupo oficial sempre de costas e com vergonha e desprezo do pais real, ha séculos que é assim. Belo Horizonte era inaugurada, 1.897 e a Rua do Ouvidor mandava cinco colunas para massacrar os Conselheristas que descalços, sem armas, botaram as quatro primeiras colunas a correr pela caatinga batendo em retirada. Hoje os meninos de treze a vinte e seis anos são massacradas nas periferias, muita vez pela polícia militar. Mas, para manter a escrita quando surge um governo que começa a inverter essa curva – a periferia podendo comer, vestir, calçar, morar, estudar e as vezes entrar num asa dura – a elitizinha rapinosa e extrativsita não aceita. Então percebendo que o povo sabe quem cuida melhor de si, pois, foram quatro eleições incontestes, dão o golpe. Para isso conta com os sabujos do judiciário e do MP, mais a ajuda da PF. Fosse pouco, muitas pessoas que poderiam ajudar no esclarecimento e resistência ficam na histeria de pedir prisão para pessoas corretas e comprometidas com a melhoria de vida do grosso da população e não exige rigor com aqueles que efetivamente manobraram e sugam o país. Me bate um abacate, pois, a Maria Antonieta Tropical governava com a SELIC em 45%, com a dívida pública lá no céu, sem manutenção de estradas e desmonte de todo o serviço público. Isso não é novidade, foi sempre assim, tal e qual Haiti, Gana e similares onde somente meia duzia tem as benesses. Dê uma chance ao discernimento, chega de obscurantismo. Grato.

    1. Olá Cidraca Pelega Comunista
      Darth Lurarápio Cachaceiro Vader com seu sabre de mortadela contaminada da friboi, continua no seu imaginário e nos seus sonhos muito românticos com o palerma. O único comprometimento do Preguiçoso da Silva é com a vida boa dele que está chegando ao fim. Só apaixonadas e destrambelhadas como você, fingem acreditar nessa baboseira de comunista parasita. Ele e sua estrela da morte estão sendo destruídos pela gente de bem desse país. Os verdadeiros guerreiros do bem.

  2. Ainda bem que sou coxinha.
    Não como mortadela nem asinha.
    Não preciso pedir açúcar pra vizinha.
    E não quero mais ter que engolir Lula, Dilma e sua turminha.

  3. Nossa, você é muito inteligente. Conseguiu criar um argumento até razoável pra defender o PSDB, Aécio e sua corja. Não meu querido, existem outras alternativas, eu me recuso a enxergar só duas alternativas. Entre o preto e o branco existem muitas outras cores, repense suas idéias, afinal você se diz irriquieto mas lendo seu texto vi que você é na verdade muito acomodado e passivo.

    1. Em tese, você está correta, Daniela.
      Que bom seria ser o espectro de políticos brasileiros fosse variado como o de cores.
      A nossa “democracia” nos obriga (sim, OBRIGA) a escolher os políticos no grupo de candidatos determinado pelos partidos. Grosso modo, tais políticos podem ser agrupados em 3 classes, apenas:
      – meio corruptos
      – corruptos
      – muito corruptos
      É só escolher, lembrando-se que, por força da legislação elaborada pela mesma classe política, votos em branco ou nulos acabam ajudando a eleger vereadores e deputados.

  4. Um texto pelo menos sensato,onde o articulista mostrou a sua face real.
    Ele está no grupo dos 40 milhões.
    Só acho que no grupo dos 160 milhões,pode-se dividir entre médios,pobres e miseráveis.
    Existe um Brasil médio que melhorou de vida graças à inclusão social promovida pelos governos do PT.
    Ademais ,existe pobreza digna e muito rico bunda suja e criminoso.
    O brasileiro pobre e médio é infinitamente mais honesto e correto em suas ações que grande parte dessa plutocracia que exclui e peca pela sua soberba,luxúria e arrogância.
    Para ter dignidade,dinheiro é o menos importante.
    A pior pobreza é a de caráter.

    1. Então você quer dizer que o Lularápio é honesto? O PT produziu alguma coisa? Fomos nós brasileiros que pagamos os impostos e os vagabundos do PT torraram toda a dinheirama e além disso, nos endividaram como nunca. E esses 12 milhões de desempregados? Apareceram do nada? Ou foram resultado da estupidez serial dos maiores trapaceiros, preguiçosos, mentirosos e incompetentes que esse partideco produziu durante o desgoverno do PT? Esse clube de vagabundos e palermas destruiu as finanças, gerou desemprego, faliu milhões de pequenos negócios e deixou a conta para nós pagarmos. Vocês estão comendo mortadela estragada da friboi, porque têm sintomas de cegueira e surdez seletiva.

      1. Mande um deste que você fumou para mim é do bom.Lula está no grupo dos 40 milhões .Só um imbecil como você não sabe disso.Você particularmente deve ser,ou um rico bunda sujo ou um médio lacaio e recalcado,daqueles que se chutar os baixos genitais do chefe quebram-lhe os dentes,devendo ser a segunda opção.Quanto à mortadela ,aqui na roça,como porco caipira e boi de pasto a 1 km da minha casa.E tem mais,não recebo comissionado e nunca trabalhei em cargo público e aconselho você a aumentar a dose do Rivotril ou de vez em quando trocar a ferradura e você tem apelido de menino mimado.

        1. Mimimimimimi. Nossa como ficou ofendida. Devo ter colocado o pé na ferida. Mas, para sua tristeza, comecei a trabalhar com treze anos. Ser estúpido nunca foi uma opção para mim. Sempre achei o PT um partido de vagabundos e de gente despreparada. Eu paguei a minha faculdade. Nunca precisei de governo algum. Quanto à você, a cegueira e a surdez seletiva, continua. Mas a sua ignorância foi opção. Vá estudar. Melhore o português. Hoje sou eu quem emprego pessoas. Os políticos são os inimigos. Aponte a sua ignorância e estupidez para eles.

          1. Kadu, és merecedor de uma linda coroa de louros, és vencedor, e ainda monopoliza virtudes. Fernando Pessoa deixou especialmente para você o Poema em linha reta.

            1. Ficou chateada outra vez?Apelou feio, Cidraca Parasita dos países baixos do chefe da estrela da morte. Monopoliza virtudes? Não é o seu Deus a alma mais honesta desse mundo? Que coisa ridícula. E ainda cita Fernando Pessoa? És um mimado fracassado, pseudo erudito e pelego profissional. Em sua homenagem e a todos os inúteis que apoiaram o cangaceiro, ele deixou uma mortadela contaminada da friboi para você, uma dívida interna gigantesca, uma previdência destruída, 12 milhões de desempregados, fundo de pensão dos Correios e Petrobrás arrebentados, porto em Cuba finalizado e um monte de obras inacabadas no nosso país, violência generalizada em todo o Brasil, elegeu uma anta para presidente, participou de todas as falcatruas possíveis etc. Têm vários poemas com palavrões para toda essa galera que não podem ir a locais públicos e ódio eterno de todos os brasileiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.