Cada vez mais sem credibilidade

Certas vozes do jornalismo, assim como conhecidos nossos, mostram-se cada vez mais incoerentes

Desta vez não foi o Bonner, mas o JN continua chamando Urubu de Meu Louro

A desonestidade intelectual de grande parte do jornalismo é imensa e asquerosa. Se nos serve de consolo, a primazia não é brasileira, já que no mundo inteiro funciona assim. Por que? Sei lá eu. Vai ver tem alguma relação com esse negócio de humanas vs. exatas. De alguma forma, as pessoas com aptidão a profissões, digamos assim, menos objetivas ou racionais, tendem a pensamentos conhecidos como “de esquerda”.

Ontem, mais uma vez um grupo de vândalos barbarizou as ruas de Brasilia. Quebraram, depredaram, incendiaram, destruíram. Do que a nossa imprensa os chamou? Manifestantes, claro. “Vândalos” é um adjetivo reservado exclusivamente para gente pacífica, de meia idade, indignada com a corrupção nos três poderes, que invade (estupidamente, por sinal) o Congresso para pedir socorro às Forças Armadas.

Por que os bandidos esquerdopatas arrebentaram tudo? Porque não concordam com a PEC 241. E não concordando, acreditam que possuem o monopólio da vontade: Ou é como eles querem ou o pau come! A minha vontade, a sua ou a de sei lá quantos milhões de brasileiros, que se danem. Democracia? Democracia o escambau. Manifestação pacífica? Um ova. Com essa gente é assim: Escreveu, não leu, o pau comeu.

Tenho muito poucos amigos esquerdistas. Esquerdopatas, nenhum. Os poucos que eu tinha foram embora, me abandonaram depois que comecei com esse negócio de escrever no FB e agora no Blog. Fizeram muito bem! Não passam raiva comigo e eu não passo raiva com eles. O rolo é bom para os dois lados. Tenho certeza que não sentimos nossas faltas reciprocamente. Quem me dera se os leitores de esquerda fizessem o mesmo e batessem em retirada daqui, ao invés de ficarem me enchendo o saco.

Pois bem, dos poucos que sobraram, os civilizados, há dois ou três que gosto e respeito muito. São honestos, trabalhadores, com ótimos princípios e valores familiares. Gente do bem mesmo. Apenas rezam pela cartilha errada, hehe. Quando houve a “invasão” do Congresso, logo me enviaram mensagens, tuítes, etc. “Olha aí, Ricardo. O pessoal que você apoia”. Bem, primeiro que não é verdade, pois não apoio invasões. Segundo, que entendo perfeitamente a atitude daquele pessoal, por isso não os recrimino de maneira alguma.

Mas e ontem? Vocês acham que recebi alguma mensagem deles? Vocês acham que alguém foi às redes sociais chamar os bandidos de bandidos? Algum deles, no mínimo, recriminou os carros virados e incendiados, as bombas de gasolina ou mesmo as flechas? Claro que não, né? Afinal, os amiguinhos só estavam exercendo o pleno direito de liberdade de manifestação e expressão, ora essa.

Sabem o que é? Assim como acreditam que pichar muro é uma nova forma de expressão artística, tentar matar policial é uma nova sistemática pós-moderna de enfrentamento social das questões oligárquicas retrógradas que pregam o domínio do Capital. Putz! Jean Wyllys, Caetano, Chico ou Gil ficarão loucos se lerem isso. Vou “patentear”, hahaha.

É por isso que há cada vez mais reação à essa turma. É por isso que há cada vez mais gente como eu: Agressiva (nas palavras), intolerante (nos pensamentos), impaciente (nas ideias) e refratária (ao convívio) em relação a quem insiste em ser voz e pensamento únicos, mesmo os fatos e a realidade apontando caminhos contrários.

Depois, quando um Trump vence uma eleição reclamam. Só que aí já era. Terão de chorar sobre o leite derramado. Ou na cama, que é lugar quente. Não entendem que só existe Bolsonaro porque existe Maria do Rosário. Parem de uma vez por todas com as bobagens que aprenderam nas FAFICH da vida e acordem. Tá mais do que na hora de crescerem, seus bobalhões!

P.S: Alguém poderia me explicar por que não protestaram também contra a corrupção, contra o Foro Privilegiado, contra a anistia ao Caixa 2, contra a inclusão dos parentes dos políticos na Lei de Repatriação e contra o voto secreto?

Leia também.

24 comentários em “Cada vez mais sem credibilidade

  1. Concordo com tudo que você disse sempre disse isso nos meu comentârios,para mim são bandidos mas como disse a midía podre desse país não os trata assim.
    Um vândalo pode quebrar tudo mas se a policia age é bandida covarde.
    Sem contar os advogados que aparecem nas manifestações para defender esse vândalos,aproveitando a midía para se promover mas pergunte se eles tem coragem de ir na defensoria publica para defender um pobre sem condições de pagar.
    Pergunto ao que vão me criticar se fosse seu carro,sua loja que foi saqueada se vocês iriam apoiar eles?
    Muitos acham que estão acima da lei que são espertos,passei perto da ultima manifestção no centro e vi muitos desses jovens usando drogas e estavão ali mais para a farra do que pelo movimento.
    Ricado porque eles nunca protestaram pelos que você disse no final de seu comentârio?

      1. e…segundo o desembargador Ivan Sartori,,,bancada também pelo crime organizado, que seria a unica explicação logica pra defesa intransigente da bandidagem que fazem o tempo todo…a midia desceu ao nível de advogado, que, convenhamos, é descer muito né?

  2. Prezado Ricardo; desde que comecei a participar e emitir opiniões no seu blog, faço questão de ler os textos dos outros participantes, para poder avaliar de forma mais precisa, tanto o conhecimento, quanto a cultura dos seus leitores, com o objetivo de evitar cometer gafes. Não sei se estou sendo bem sucedido em minhas intenções – em caso negativo peço-lhe que me desculpe. O que avalio é que afora os petistas convictos – não vou citar nomes – há também os que acreditaram no pt, estão frustrados, mas experimentam uma grande dificuldade em admitir o fato. È mais fácil colocar todos no mesmo balaio e se contentar com afirmações padrão, que são sempre usadas para definir os nossos “amados homens públicos”. O fato é que está dando desânimo, principalmente depois da votação ontem do pacote anticorrupção, e, não temos o chapolin colorado para nos salvar. Falando sério: quando é que o cidadão – autêntico – que paga impostos e trabalha de sol a sol, vai se levantar e agir contra este estado de coisas? Será que a apatia observada é ainda resíduo dos anos de ditadura, ou é estado normal dos brasileiros?

  3. Sabe como se resolve? Manifestação nas ruas, pacífica, porque não se pode igualar a esses terroristas. Acontece porém, que o brasileiro está preferindo se reservar ao conforto do sofá. Se não apertar o calos desses políticos nada funcionará direito. A própria imprensa se renderá à opinião da maioria. Que no dia 4 as praças se encham de pessoas de bem que não aguentam mais essa classe política e essa imprensa parcial.

  4. Vou citar apenas cinco cientistas “matemáticos” de pesquisas “quantitativas”, de esquerda para derrubar seu achismo baseado no senso comum e não em pesquisas que são fundamentadas em comportamento de exatas, ok. Vamos lá:
    Cecilia Payne: 1900-1979
    Henry Norris Russel
    Marthe Gautier
    Jérôme Lejeune

    Todos esses de esquerda, com pesquisas publicadas, nas áreas de cromossomos, bioquímica, matemática, física. Podemos aumentar a lista.

    Quanto aos velhinhos que querem a ditadura, eles quebraram a porta de entrada do congresso. E estão respondendo a um processo de dano público.

    O brasileiro indignado é aquele que vai pras ruas e cobra seus direitos e não aceita tão facilmente uma pec que arrebenta com os poucos insumos públicos e os congela por 20 anos.

    Enfim, tenho grandes colegas aos quais com opiniões fundamentadas respeito sobre o sim da pec, mas realmente são colegas que não dependem de serviços públicos.

    1. Ô Tonin,

      Somente esquerdopatas não se preocupam em como pagar as contas. A PEC é sobre isso: como pagar as contas, inclusive as que os governos vermelhinhos fizeram nos últimos anos.

      Mas em se tratando de pagar contas, os “vermêis” não são bons mesmos. Margareth Tatcher disse uma vez: ” o comunismo existe enquanto os outros tem dinheiro”.

      O fato é que existe bastante dinheiro para tudo, porém sempre mal gasto, mal empenhado, e com todos achando que o dinheiro do governo é infinito. Fico pensando, fizemos as contas e não devemos pagá-las?

  5. Prezado Ricardo,
    Seu comentário foi lúcido e relevante, além de bem escrito!
    Nós, incorformados com o status quo, precisamos resistir fisicamente ao que vem acontecendo. O governo de Temer é fraco, sem convicção e tem “rabo preso”. Por isso, mesmo que o Presidente vete emendas desvirtuadoras introduzidas no pacote anticorrupção, é certo que terá seu veto derrubado no Congresso. Restará então a débil esperança que o Supremo julgue inconstucional os retrocessos enfiados no projeto apresentado pelo MPF. Mas, ter esperança no Supremo vai além da minha capacidade de ter fé. Por isso, vejo uma encruzilhada. Ou resistimos fisicamente ou então abandonamos qualquer resistência!

  6. Ricardo, o neo socialismo é a desconstrução da verdade, o poder da argumentação contra a realidade dos fatos, desconstrução se faz até nas ciências exatas, os neo socialistas conseguem provar que não temos 10 dedos e sim 11, começam contando 10, 9, 8, 7 e 6, somando-se a 5 da outra mão são 11. Qualquer pessoa mediana sabe que a conta não é assim, mas os medíocres vão acreditar que o é. Mas o que pensar de um país onde os responsáveis pela formação do capital intelectual não conseguem, se quer, lutar pela manutenção de valores e virtudes, essa classe que é professorado passou mais tempo a reinvidicar direitos de gênero, gays, pretos, crianças e adolescentes e esqueceram de formar o homem, sobem no muro e pulam do lado do cachorro, como pelegos, aplaudem seus sindicalistas e se esquecem que se hoje não são respeitados, são mal remunerados e violentados, a culpa é de si próprios, nada acrescentam à sociedade, até mesmo porque quando se dão conta de que antes os alunos os endeusavam, hoje percebem que quando lúcidos os ex-alunos os verão como medíocres, despreparados, impróprios à formação adequada, mas até lá, são e continuaram a ser títeres nas mãos de mecenas.

  7. Caro Kertzman,

    Concordo plenamente com sua ponderação. E acrescento minha preocupação de quem já era adulto na época:
    Já vi esse filme, no início dos anos 60. O final dele todos conhecem.
    Depois, não venham reclamar e posar de democratas respeitadores do direitos alheios.

    1. Tô nada! Tô na profissão certa já há mais de 30 anos, hehe. Mas se está se referindo ao blog, também errou. Pois estou no hobby (passatempo) certo também, Me divirto até! Abrs

  8. Ricardo! Não vou ser cortes com você. Não vou bater em retirada e não lê os textos, com os quais nunca concordei. Pode dizer quer sou masoquista, não importa. A bandeira que você defende já tivemos experiência ao logo dos anos e só trouxe atraso e miséria nesse país. O Brasil não se resume nos limites da Av do contorno. os rincões deste país clamam por justiça social, e só um governo de esquerda pode por na sua agenda as necessidades desse povo, que até a chegada do governo do PT era relegado a uma sobra do orçamento se existir. Daí os saques aos caminhões e mercearias no nordeste eram constantes, o que foi extirpados com a bolsa família. Com esse governo que atende os anseios apenas das elites a tendência é a volta dos saques. É só aguardar.

    1. Santos, você não precisa nem deve bater em retirada; muito menos deixar de ler e opinar contra o que não concorda. De forma educada e propositiva, você e qualquer um são muito mais que bem-vindos à este espaço, pois a divergência é sempre o caminho para a convergência. ABrs.

  9. Ulisses…
    Sou advogada, e prefiro mil vezes defender os policiais da chacina de bangu a defender as famílias das “vítimas da sociedade capitalista”, portanto, não generalize meu caro…
    Acho que me tornei intolerante ao lero lero dos manos.. hehehe

  10. Ricardo, a própria denominação “esquerdopata” vem carregada de um preconceito tão grande que mina toda a sua pobre argumentação. Tenho amigos que foram à Brasília, e considero um desrespeito considerar vândalos o que estavam manifestando pelos seus direitos (contra a PEC 55, contra a anistia, contra toda a palhaçada que vem acontecendo no Congresso Nacional) e foram brutalmente reprimidos por uma PM que carrega traços de ditadura militar – autoritária, abusiva e repressiva.
    Penso onde estão os que pediram o impeachment da Dilma nessa hora, quando pensaram que essa seria a solução do país. Como a gente pode ver, não foi. A sangria está sendo estancada justamente por que ela saiu, como disse Romero Jucá. E quando eles fazem a festa conosco, o povo que não se vê representado pela macropolítica, não vejo nenhum pneu queimado, nenhuma pichação, nenhuma quebradeira como um simples ato de revolta e resistência. Patrimônio material nunca poderia ser maior do que as condições de vidas que estão em jogo.

  11. Não há nenhum problema em existir esquerda e direita. Isso é até saudável e ajuda na construção do conhecimento. Porém, como tudo na vida, o problema são os extremos. E a situação que vivemos hoje está mais para anarquia do que movimento de esquerda. Sinceramente eu gostaria de saber quem vai pagar pelos danos causados à cidade de Brasilia.

    Pra mim, deveria ser incluído naquele pacote de 10 medidas, mais uma que permitisse cobrar de partidos políticos e pessoas politicamente expostas que forem identificadas em badernas como aquela (todos nós sabemos que PT, e principalmente o PSOL e PSTU estão envolvidos nisso). Basta a PF ligar os fatos que em menos de 24h ela chega às cabeças pensantes responsáveis por aquilo.

    Com relação a imprensa, boa parte dela já caiu em descrédito há muito tempo, mas fico triste pois ela ainda influencia muita gente sem educação e acesso a outras fontes de conhecimento.

  12. Nobre Ricardo, infelizmente vamos voltar ao inicio de toda e qualquer discussão sobre o futuro desta nação. Educação. Enquanto não tivermos educação, de qualidade, diga se de passagem, para nossos jovens não teremos resolvidos nenhum problema do país. Só educação, nada mais. A partir disso deixaremos de ter uma grande massa manipulável e alienada ao que é noticiado pela esfera prateada.

  13. Ricardo! você está zen hoje! sinceramente esperava a tripudiada costumeira sobre o meu comentário do texto. Essa faceta sua não conhecia. De qualquer forma, por questão de justiça, devo reconhecer que você demonstrou respeito pelos que leem o seu texto, ainda que tenham opinião antagônica. abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.