Skip to main content
 -
Ricardo Kertzman nasceu em 1967. Um homem inquieto, irrequieto e inundado de sentimentos.

Nem mulher nem cadeirante; apenas digna

Em meio à tanta apelação eleitoral, eis que me deparo com um caso exemplar. Que nos sirva de lição

Foto: George Gianni / PSDB

Dignidade é uma daquelas condições humanas inegociável. Dignidade não se compra nem se vende. Tampouco se negocia. Dignidade é algo que ou se tem ou não se tem. Simples assim.

Semana passada estava em São Paulo e assisti a uma parte do horário eleitoral na TV. Não sei quantos de vocês conhecem a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP).

Publicitária e psicóloga, Mara sofreu um acidente que a deixou tetraplégica em 1994. Perdeu também o pai, anos depois, vítima, aliás, dos esquemas de corrupção do PT em Santo André.

Pois bem. Mara concorre este ano a uma vaga no Senado Federal. Em sua propaganda política, fala de si e do seu trabalho. Em nenhum momento invoca sua condição física.

Marina quer ser presidente pois mulher e negra. Mara quer ser senadora pois política. Marina declama sua hepatite e malária. Mara sequer se mostra cadeirante na TV.

Em tempos de vitimização em massa, onde cor de pele, origem social e gênero são motivos para angariar votos, Mara Gabrilli ensina que dignidade não é mercadoria eleitoral.

Circulam fotos de Bolsonaro e seu abdômen costurado. Lula já fez comício sobre o cadáver ainda quente de sua esposa. Ambos — e muitos outros por aí — têm muito a aprender com Mara.

Parabéns, deputada. Boa sorte na campanha! O Brasil terá sorte em lhe ter como senadora. De Dilma Rousseff e Renan Calheiros, meu saco já tá pra lá de cheio.

Leia mais.

15 comentários em “Nem mulher nem cadeirante; apenas digna

  1. Blogueiro, não conheço o caráter da moça que você tanto admira e nada sei sobre a atuação dela na Câmara Federal. Pode até ser uma ótima pessoa e excelente candidata ao Senado, ao que se soma a sua beleza, independentemente do infortúnio a que foi acometida. Agora, ao tempo em que você elogia a moça, não precisava de fazer comparações ridículas. Muito menos tentar diminuir a guerreira Dilma, cuja trajetória de vida, desde os 19 anos de idade, é das mais invejáveis e que ficará registrada na história do país. Enfrentou a ditadura, inclusive um “tribunal” militar, de cabeça erguida (você já ter visto aquela foto, na qual ela, sentada no “banco dos réus”, olhava “olho no olho” os milicos, enquanto eles escondiam os rostos…), foi torturada, condenada, mas, anos depois, foi eleita e reeleita PresidentA (vide dicionário do Aurélio), você goste ou não. Foi golpeada, mas, pelo reconhecimento do povo mineiro, será eleita, com certeza, senadora. E lá no senado, estou pagando prá vê-la, em seu primeiro discurso, lavar a cara de alguns canalhas que a golpearam. E, quem sabe, a jovem moça aí de cima, mesmo sendo de partido adversário (não necessariamente inimigo), ainda vai se orgulhar de ser colega dela!

    1. Dilma também matou, sequestrou e assaltou, tudo em nome da democracia! Que democracia? a comunista? Existe democracia no comunismo? Você é mais um que aplaude o IÓIÓIÓ dela e delira! UH coitado! Chama o Valdeci para trazer o papel higiênico que o piriri tá feio! Pobre Minas!

    2. Mais um mané para endeusar a cria do Corrupto de Garanhuns, a futura Senadora Louca. Essa praga teve que candidatar-se por Minas Gerais,apesar de não ter nada mais de mineira, porque no Rio Grande do Sul, seu atual “lar”, nem os cachorros da rua votariam nela e ela precisa urgentemente da imunidade parlamentar que foi pensada exatamente para socorrer indivíduos dessa laia. Podemos aguardar pelos vexames que fatalmente serão dados no Senado por essa sujeita. Êta Minas Gerais, terra dos burros e dos animais…….

    3. Comparações ridículas aos seus olhos Marcos pois ela não faz ”oba oba’.
      Se fosse candidata petista vocês a aclamariam se ela fosse terrorista, criminosa, mentirosa, burra …ôpa, espere aí!
      Me desculpe, vocês já ‘aclamam’ pessoas assim mas a Mara Gabrilli não faz ‘oba oba’ e nem precisa.

  2. Blogueiro, não conheço a deputada, dela nada podendo dizer. Apenas que é linda e tomara que seja tão digna quanto bela. Agora, não precisava você, prá elogiar a moça, menosprezar a Dilma, cuja trajetória de vida é das mais invejáveis e ainda vai contribuir muito para este país, como SENADORA eleita por Minas Gerais. Quem sabe a moça, se eleita, ainda vai encontrar com a Dilminha lá no senado, desta recebendo bons ensinamentos. Serão colegas e, embora adversárias, certamente não serão inimigas. O Serra é que não serve e nem servirá de exemplo prá moça, não é mesmo?

    1. Não se preocupe Marcos, a história não vai menosprezar a Dilma.
      Eu conheço muitas pessoas ignorantes(que ignoram fatos e até culturas) mas BURRA igual a dilma eu nunca vi.
      Na história sempre o lado irônico e cômico onde a dilma será destaque.

  3. Nem sempre vejo suas postagens, apenas quando tem uma chamada interessante pois sempre bate nos partidos da esquerda. Parece que você não tinha nada para escrever e escreveu “isso”. Totalmente sem sentido. Assustador seu comentário valorizando uma candidatura de São Paulo onde a candidata não faz mais que sua obrigação cívica. Ficou muito feio, pois temos candidatas aqui em Minas Gerais com perfis muito mais interessantes que o desta apresentada. Como o colega disse no comentário anterior, você pode transferir seu título de eleitor juntamente com o complexo de viralatas e ir votar em São Paulo. Fica a dica.

  4. Olá Inundado, e por falar em dignidade o presidente do psdb, o Tasso Jereissati, demonstrou um pingo dela nesta semana. É que ele veio a público e enumerou os erros de seu partido e dirigentes. 1) Contestar a eleição legítima de Dilma – essa sim mulher DIGNÍSSIMA- 2) apoiar Eduardo Cunha e sua pauta bomba no Congresso Nacional, 3) apoiar Gedell, Michel, Moreirel e Padilhel a ocuparem o Palácio do Planalto. Esses eros e maldades racaíram no povo de Pindorama, em especial, naquela massa da base da pirâmide, na qual inclui-se este Zé Coisa Nenhuma que aqui escreve, mas, a despeito desse estrago vamos logo logo reverter esse jogo. A Valente Dilma irá atuar no Senado com sua valentia, altivez, honestidade, honradez, desassombro, idealismo e sobranceria mesmo apesar e a despeito de certos blogueiros invejosos que pululam por ai. Grato.

  5. TRECHOS DO LIVRO “COMO MATAR A BORBOLETA AZUL- UMA CRÔNICA DA ERA DILMA ( da excelente economista, Monica Baumgarten De Bolle)

    “O Brasil de Dilma apequenava-se ante sua visível incompetência, enquanto outros enfrentavam situação externa hostil em bases menos desarranjadas do que as do país olímpico, medalha de ouro em criatividade destrutiva e instinto macumaímico de dissociação da realidade” (pg 242)
    (…)” o Brasil fizera um esforço considerável nos últimos anos para se tornar irrelevante. Não havíamos reformado quase nada, não integramos nossa economia ao resto do mundo, continuamos apegados às ideias do século passado, as mesmas que exaltavam o privilégio de um mercado interno tão vasto para a indústria nacional. Não é fácil tornar irrelevante um país de dimensão continental, tratado com condescendência tanto pelo norte quanto pelo sul, pisoteado pela imprensa internacional, a caminho do retrocesso econômico e social.” (pg 248)
    “O Brasil estava, no fim de 2015, quebrado.” (..)seria preciso explicar à população brasileira por que as melhorias de vida que pensara ter alcançado eram apenas fruto de uma falácia, de um grande embuste travestido de ‘preocupação com os pobres’.” (pg 250)

  6. Marcos, cada um é livre para fazer suas próprias escolhas. Eu só posso é lamentar a sua. Afinal, se você quer ser representado por uma pessoa desarticulada, que não consegue sequer concatenar suas ideias, tece frases quebradas e sem sentido, isso é problema seu. Problema seu até o momento em que vários outros “Marcos” conseguem a eleger, o que passa a ser um problema nosso, não só do nosso povo mineiro, mas tb dos brasileiros em geral. Em tempo, Dilma não foi eleita por méritos próprios e sim porque teve a bênção do “padrinho” Lula. É uma verdade inconteste. Porque apelo e carisma, ela não tem. Verdadeiro tb é o fato de que ela não lutou para estabelecer a democracia no país durante o regime militar. Inocente ou ignorante é quem comprou essa ideia maluca. Como o próprio Fernando Gabeira, ex-guerrilheiro de esquerda, já declarou publicamente (e está aí na Internet para quem quiser ver), todos aqueles grupos de esquerda lutavam era para estabelecer uma ditadura comunista. Enfim, as ideias marxistas/leninistas tão amadas por nossa esquerda latino-americana já foram abolidas nos grandes expoentes do socialismo/comunismo que eram a antiga URSS e a China. Mas por aqui, continua sendo o que há de melhor. De fato é ótima mesmo! Ótima para enganar trouxa e manter o povo refém da esmola estatal, enquanto os que detêm o poder deitam e rolam na grana, vide Venezuela que, aliás, é modelo de democracia para sua candidata. Funciona tão bem que só louco mesmo para fugir de lá, não é mesmo? Será?

    1. Não é matéria, Rafael; é uma opinião. Não é do Estado de Minas; é minha. Não é vendida; é a realidade. Faz assim: me desminta um só parágrafo e te dou razão. Topa?

Leave a Reply

Your email address will not be published.