Em breve, haverá também acordo pré-sexual

Bons tempos aqueles onde uma transa era apenas… uma transa! Terminava em remorso ou em namoro. Quando não raro, em casamento

Rola um beijinho?

Um casal, após os três primeiros encontros — uma raridade nestes dias! — resolve transar. Ainda no carro surge a primeira dúvida:

— Vamos aonde: num hotel, motel ou na minha casa?, pergunta o rapaz.

— Por que na sua casa? Você pensa que não possuo meu próprio apartamento só porque sou mulher?

— De maneira alguma, disse o homem, foi só uma colocação. Bem, podemos ir a um motel. Que tal?

— Ótimo, mas faço questão de me identificar normalmente. Não direi que sou sua esposa. Não preciso me embaraçar diante de uma situação comum. Sou maior de idade e transo com quem e quando quiser, disse a moça.

Chegando ao quarto, após o banho e já deitados na cama, o rapaz pergunta:

— Existe algo que você queira me contar? Tipo preferências ou o que não gosta.

— Bom, não sou adepta de sexo anal.

— Ok, também não curto muito.

— Por quê? Você acha que é coisa de gay? Você é homofóbico, por acaso?

— Não, não, nada disto. Eu quis dizer que não curto muito fazer isso com minha parceira.

— Entendi, respondeu a garota, já mais calma. Ah, tome cuidado com meus seios! Nada de mordidas ou apertões. Paguei uma fortuna na minha prótese de silicone e não quero estraga-la.

— Claro, pode deixar. Algo mais, perguntou o ressabiado amante?

— Sim! Eu só transo se ficar por cima. Não aceito submissão. O empoderamento da mulher não admite mais sermos usadas como mero objeto de prazer.

— Sem problemas! É a minha posição preferida, aliás.

Ao ouvir tamanho disparate, a moçoila quase surtou:

— Como assim? Você gosta de sentir inferior? Você não tem uma autoestima elevada? Isto deve ser reflexo do seu relacionamento com a mãe. Olha só, já vou avisando: não gosto de homens fracos, não, viu!

— Na verdade, apenas gosto de apreciar a beleza de uma mulher como você. Por isso prefiro ficar por baixo, admirando. Vamos lá? Podemos começar?

— Sim, podemos, mas é melhor que já use a camisinha. Sei bem como vocês homens são. Começam as preliminares e já se empolgam. Daí vão logo tratando de nos penetrar sem camisinha.

— Bem, concordo, mas preciso que meu pênis fique ereto primeiro. Você pode dar uma mãozinha, literalmente falando?

— Fiz as unhas hoje!

O rapaz já não sabia mais o que fazer diante tanta “burocracia”, mas não queria perder a chance de transar com aquela moça tão bonita:

— Tudo bem! Dou um jeito. Posso ao menos te beijar?

— Pode, mas sem língua, minha analista diz que é como não se libertar da fase oral. Como sou muito bem resolvida, nada de língua.

— Ok. Posso começar te fazendo um carinho?

— Como assim? Você acha que sou carente? Acha que preciso de um pai a esta altura da vida? Na boa, em que mundo você vive, hein? O modelo ocidental-patriarcal-judaico-cristão já era.

— Quer saber? Pra mim já deu, disse o rapaz. Melhor pedirmos a conta e irmos embora. Acho que somos muito diferentes.

— Pedirmos nada! Peça você. Onde já se viu isso, uma mulher dividir a conta do motel?

Leia mais.

11 comentários em “Em breve, haverá também acordo pré-sexual

  1. O maior recalque dos direitistas (e são muitos!) em relação aos esquerdistas é que os esquerdistas transam melhor.

    Pondé (um direitista) já escreveu sobre isso.

    E o filhote do Bostanaro perdeu a namorada para um médico cubano! 😀

    Será que essa história é autobiográfica?

    1. Você tinha que postar o que alguém escreveu sobre isso pois seu ‘pequeno nicolau’ não deve nem fazer ‘cosquinha’ e você não tem experiência nem entende nada do assunto!

      1. Ter experiência e entender sobre o assunto é ser como o personagem deste texto, um banana enterrado num relacionamento infeliz que não consegue transar?

        Passo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.