Skip to main content
 -
Ricardo Kertzman nasceu em 1967. Um homem inquieto, irrequieto e inundado de sentimentos.

Nossa Amazônia e a Amazon deles

Ê, ê, ê, ê, ê, Índio quer apito… Se não der, o pau vai comer!

Foto: Google Images

 

Enquanto o Brasil, até hoje, orgulha-se da sua Amazônia, monumental espaço dedicado a toda sorte de infortúnios, de desmatamento clandestino a tráfico de animais, de plantação de drogas a índios que comercializam madeira ilegal, de invasões de terra a chacinas, em pouco mais de 20 anos o empreendedorismo americano criou a sua própria Amazônia, a Amazon, um potentado multinacional do comércio eletrônico, com faturamento anual de mais de 200 bilhões de dólares.

O tal “pulmão do mundo”, a maior reserva de água doce do planeta, a biosfera mais complexa e rica da Terra, fonte inesgotável de matérias-primas diversas para medicamentos, blá, blá, blá, não passa de um gigantesco território subaproveitado, joguete nas mãos e bocas de populistas e ambientalistas de araque, que traga parte considerável do deficitário orçamento nacional sem nada devolver em troca que mereça tanta atenção e louvor da nossa parte.

A Amazon emprega 600 mil pessoas ao redor do planeta e nesta semana ultrapassou o valor de mercado histórico de 1 trilhão de dólares. Além dela, apenas a Apple, outra gigante americana de tecnologia, conseguiu tal feito. Sabem como é, né? Capitalistas são assim mesmo. Possuem esta mania horrenda de gerar riqueza, prosperidade, renda, longevidade, conforto. Mas graças a Deus somos diferentes. Gostamos de mato, sombra e água fresca. Viva a nossa Amazônia.

O PIB brasileiro — oriundo do nosso jeito ecológico, social-democrata, humano, fraterno, etc de ser — gira em torno de 1.5 trilhão de dólares. Vale dizer: a Amazon é um Brasil. Somada à Apple, dois. Mas Ciro Gomes não gosta da Amazon, gosta da Amazônia. Marina Silva também. E Geraldo Alckmin, Guilherme Boulos, Lula, FHC… O Brasil e os brasileiros trocam chip por mato, e João Amoêdo ou Henrique Meirelles por estes políticos anteriores.

Nossa maior empresa privada, em valor de mercado, é a AMBEV, dona das marcas Skol e Brahma. Cotada em 70 bilhões de dólares, faz parte do grupo 3G Capital, dos espetaculares Jorge Paulo Lemann, Marcel Herrmann Telles, e Carlos Alberto Sicupira, empreendedores brasileiros que partiram do Brasil em busca do mundo. Hoje, os três são donos de marcas globais como Heinz, Burguer King e Budweiser, além das Lojas Americanas e Submarino, no Brasil.

Estivessem ainda amarrados ao país e nossas Amazônias, seriam empresários locais e nada mais. Provavelmente não sairiam de Brasília e seus gabinetes e teriam que enfrentar a ira nacional por ser empresários bilionários, vejam que pecado horrendo. Enquanto isso, uns tais Jeff Bezos, Elon Musk, Steve Jobs, Mark Zuckerberg, Sergey Brin, Larry Page e outros “liberais de merda” insistem em transformar o mundo e a vida das pessoas em algo muito melhor.

Viva, Marina Silva! Abaixo a Amazon!

Leia mais

 

Postagens relacionadas

Benditas sejam as privatizações Embraer tem R$ 467 milhões de prejuízo no segundo trimestre de 2018. Sabe o que isso lhe importa? Nada Foto: Veja/Embraer O Brasil dos sábios soc...
Agora não é mais uma questão de ‘se’, ... Chegou junho, e a contagem regressiva para o fim do mundo entrou na fase final. Pobre país chamado Brasil É fechar os olhos, tapar o nariz e votar (...
Eduardo Cunha salvou o Brasil. O deputado carioca foi quem planejou, iniciou e conduziu o começo e o meio do processo de impeachment que defenestrou Dilma Rousseff e salvou o país. ...
E a sua vida, seu paspalho, melhorou? Não? Não melhorou? Pois deveria. Você está pagando por isto. E muito. Acorda, seu trouxa! Tá muito pesado. O total de funcionários públicos na at...
Publicidade

28 thoughts to “Nossa Amazônia e a Amazon deles”

    1. Na prática, a agenda socialista, capitaneada pelos partidos políticos de esquerda, cria privilégios para o grande capital e este grande capital sustenta financeiramente o projeto de poder e de perpetuação no poder do “partidão”.
      Esse fato foi evidenciado no Brasil, pela operação “Lava jato”.

    2. Na prática, a agenda socialista, capitaneada pelos partidos políticos de esquerda, cria privilégios para o grande capital e este grande capital sustenta financeiramente o projeto de poder e de perpetuação no poder do “partidão”.
      Esse fato foi evidenciado no Brasil, pela operação “Lava jato”.
      ……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

  1. OK Vamos ser mais liberais. Enauqanto o Trump ferra com nossa economia sobretaxando nosso aço vamos abrir nosso mercado e abaixar nossas calças para o mercado. Lets make america great again!!

    1. Ô mané,pra começar seu nome deveria ser grafado de outra forma : Peter$$$.Lá na empresa em que você está “fichado” eles devem estar pagando muito bem para quem fica teclando sem parar a favor do “Corrupto de Garanhuns” e da futura “Senadora Louca”.Caso contrário você não se prestaria a esse papel ridículo de ficar postando aqui nesse blog.Vai caçar sua turma,seu trouxa.

    2. Ele não sobretaxou…Idiota.Nós é que fazemos isso.
      Fez o certo.Criou “cotas” a favor da indústria americana e forçar acordos,que já estão acontecendo.
      Pare de olhar as horas no relógio na espera do horário de sair de sua “boquinha”.

  2. Olá Distinto, além das loas a expertos, oportunistas, trampolinistas e aproveitadores da espécie de Paulo Lemann e Sucupira é seguro afirmar que o que ocorre é a perversa concentração de rendas. O mais doloroso é perceber que muitos espoliados é que não se beneficiam dessa roda aplaudem e ficam embasbacados. São os provincianos abestalhados com os almofadinhas do hemisfério norte. Nada de novo.

  3. “Sempre achei que um dos mais graves problemas dos países subdesenvolvidos é sua incompetência na descoberta dos seus verdadeiros inimigos. Assim, por exemplo, os responsáveis pela nossa verdadeira pobreza não são o liberalismo nem o capitalismo, em que somos noviços destreinados, e sim a inflação, a falta de educação básica e um assistencialismo governamental incompetente, que faz com que os assistentes passem melhor do que os assistidos”. (Roberto Campos)

  4. Tal é o poder do estado no Brasil, que o cidadão, em busca de emprego, e a iniciativa privada, em busca de empreender, têm que recorrer primordialmente ao Estado. As empreiteiras e demais empresas privadas não têm que competir no mercado para se darem bem: é muito mais cômodo fazer “negócio” com o rei de plantão. Nada se faz em Banânia, sem que se tenha que molhar a mão de um burocrata e de um político. Concorrer a emprego no mercado de trabalho para quê, se se pode arranjar uma sinecura muito bem remunerada em algum órgão/empresa público?
    No regime estatista, o rei não é não é o cidadão, o mercado; mas, sim, o político.

  5. Essa primitiva aversão ao lucro, muito comum entre os povos latinos, tem suas raízes mais ligadas às nossas influências culturais e católicas do que a qualquer argumento minimamente racional. Tanta na religião católica como no seu sucedâneo credo laico/secular, o marxismo, o lucro é visto como algo pecaminoso.
    Ora, o lucro é o incentivo fundamental ao investimento produtivo. É difícil acreditar que alguém invista em uma atividade que não tenha uma perspectiva de gerar lucro. Sem investimento produtivo não há empregos. E sem emprego, não há desenvolvimento econômico e, muito menos, inclusão social.
    Numa sociedade em que haja estímulos e condições estruturais favoráveis aos investimentos produtivos, o capital/riqueza é naturalmente atraído para estas atividades.

  6. Meus conhecimentos de economia foram mais do que suficientes para antever as consequências danosas para o país advindas de uma administração petista . Falo e comento sobre isso-com amigos, no trabalho, na internet etc- muito antes mesmo de 2002.
    Como um computador que ficasse mais de 60 anos sem nenhuma atualização e upergrade, tanto em software como em hardware, a esquerda parou no tempo. Se com Marx a interpretação das relações econômicas já nasce ultrapassada dada a sua versão quase infantil da interação capital-trabalho, com Keynes – que as esquerdas adotaram dado a uma interpretação do Keynesianismo que servia à idolatria delas pelo seu deus Estado- se produz um avanço para aquela época e contexto dos meados do séc 20. Mas desde esse casamento de Marx com Keynes, o velho e já defasado computador das esquerdas parou totalmente de receber qualquer atualização.
    A pregação demagógica, estatista e comuno-populista do PT – e de outros partidecos da esquerda brasileira- é, até hoje, fruto daquele septuagenário software keynesiano-marxista. Ora, colocar essa gente para gerir a economia do país foi como trocar um computador de quase última geração por aquela lataria velha, desatualizada e infestada de vírus esquerdistas.
    A única saída agora é apagar tudo e reformatar o Brasil.

    1. Velho, entendo qualquer pessoa que tenha ódio do PT devido às inversões de valores que a esquerda trouxe para o país. Mas esse monte de besteiras que você disse, tentando fundamentar com argumentos totalmente insanos, não convencem quem tenha o mínimo de capacidade para refutar seus argumentos. Obviamente que a teoria marxista ou a keynesiana foram desenvolvidas a quase um século mas, obviamente, são atualizadas a cada ciclo econômico que se passa. Mesmo porque não seria sequer possível aplicá-las da mesma forma que Marx ou Keynes as idealizaram. Se você discorda que o estado tem papel fundamental e essencial na economia e que recursos estratégicos de um país devem ser entregues ao setor privado, provavelmente multinacional, sinto informar mas suas teorias é que estão desatualizadas e incoerentes. É fácil confirmar: quando o Brasil teve seu maior desenvolvimento social e econômico no seu passado recente? Quando foram aplicadas as políticas liberais (FHC para os leigos) ou as protecionistas/estatizantes (PT)? Pense a respeito, mas com a razão por favor. A esquerda desmoralizou o país sim, mas ensinou o caminho do desenvolvimento. Essa é a verdade.
      Eu, particularmente, acho que agora é o momento de acabar com essa inversão de valores torcendo pra que o próximo governo não entregue o país. Teria resultados positivos a curto prazo? Obviamente que sim, mas a longo prazo seria o fim da economia do país.
      Abraço

      1. Vamos lá:
        -“Ódio ao PT”. Esse é o mais surrado clichê que, não tendo como argumentar por absoluta ignorância, os crentes do lulo-populismo marxistóide repetem como papagaios.
        –“ Inversão de valores”. De fato, no governo as esquerdas trouxeram não só para o País como para o mundo uma grande inversão de valores: nunca-antes-no-mundo se tinha visto tão gigantesca roubalheira de dinheiro público.
        -“Teoria marxista ou a keynesiana foram desenvolvidas” (aulinha de português básico: quando é “ou” fica no singular, uma coisa OU outra FOI desenvolvida).
        –“Quando o Brasil teve seu maior desenvolvimento”. Não foi absolutamente nos desgovernos PT. No período de 2003 a 2009, as economias dos chamados BRICs tiveram um crescimento em decorrência da voracidade por matérias primas do dragão Chinês ( o enorme aumento da demanda de MP fez com que as commoditties tivessem uma estupenda valorização, favorecendo os exportadores de MPs). Este ambiente externo favorável aliado a uma massiva oferta de crédito ( crédito farto, em prestações a perder de vista…) criaram enorme bolha de consumo que, por falta de medidas/reformas concretas, explodiu logo a seguir mergulhando o País na maior recessão de sua história , altas taxas de desemprego e uma massa de mais de 64 milhões de inadimplentes.
        -Que o próximo gov não entregue o Páis”. Só se próximo governo fizer como o PT: entregar as empresas e órgãos publicos á quadrilha que promoveu a maior rapinagem da história do mundo.
        -“Fim (sic) da economia do país”. O Brasil é muito grande para um “fim da economia do País. Embora a profunda recessão que a farra, retrocesso e incompetência na administração da, coisa pública pelos governos PT ( pegou o governo com superávit anual nas contas públicas e dívida pública de menos de 1 trilhão, e entregou com um déficit anual de 150 bilhões e dívida pública de mais de 5 trilhões ) tenha chegado perto de um “fim” ou de uma venezuelização. ( que o impeachment, UFA!, impediu)

  7. Olá Distinto, sou daqueles que gostam de chamar a coisa pelo nome da coisa. Ontem, no Acre, o Capitão América de Subúrbio cometeu o crime de apologia ao crime. Temos de nos rebelar contra isso. Isso é perigoso. Devemos, em contraponto adotar o modo do trumpetasso em favor de Lulinha Paz e Amor. Nele não ha rancor, não ha agressividade, não ha intolerância e a pluralidade se manifesta por meio de pessoas de todas as idades. Vamos com esperança!

    1. Por favor, entenda “Amazônia” como exemplo da nossa cultura geral em desfavor do empreendedorismo e em detrimento ao blá blá blá político ideológico que não nos leva a lugar algum, senão à miséria e subdesenvolvimento

  8. Na prática, a agenda socialista, capitaneada pelos partidos políticos de esquerda, cria privilégios para o grande capital e este grande capital sustenta financeiramente o projeto de poder e de perpetuação no poder do “partidão”.
    Esse fato foi evidenciado no Brasil, pela operação “Lava jato”.

  9. Na prática, a agenda socialista, capitaneada pelos partidos políticos de esquerda, cria privilégios para o grande capital e este grande capital sustenta financeiramente o projeto de poder e de perpetuação no poder do “partidão”.
    Esse fato foi evidenciado no Brasil pela operação “Lava jato”.

  10. “Ver tv a cores na taba de um índio, programada pra só dizer sim, sim…”
    É possível ser um Brasil único, diferente, com identidade. Não podemos perder nosso “Samba”.

  11. Enquanto isso outros ficam criando textos inúteis tentando ganhar algum trocar com clicks, não criam nenhum emprego e acham que são os intelectuais do Brasil. KKKK

    Criar uma empresa, gerar emprego e gerar riqueza não quer não né?
    O bom mesmo é ficar no sofá escrevendo merda pelo computador Apple e falando mal dos Mortadelas.

    Viva o Brasil!!!

    Por isso essa merda.

  12. Blogueiro e demais colegas, vamos focar, neste momento, nas eleições, por razões óbvias, ou seja, precisamos saber qual será o mandatário maior, para renovarmos as nossas esperanças. E aí é que entra Haddad no jogo, já que o Fachin, borrou mais uma vez, e impediu o Lulinha Paz e Amor de ganhar no primeiro turno.
    Todos juntos com Haddad. Vai ser registrado no dia 10 ou 11, e, anotem aí, nas pesquisas do final da próxima semana vai atropelar uns três, massacrando o Boçalnaro na semana seguinte. Isso porque o “picolé de chuchu”, que já saía do lugar, o Temer acabou de mandá-lo pras cucuias… E o Ciro, que teve uma ligeira subida, vai ficar onde está, esperando prá apoiar o Haddad no segundo turno, SE HOUVER, porque o Haddad, escrevam aí, tem chances de papar esta no primeiro turno. Lulinha está mandando. E eu – podem falar o que quiser – OBEDEÇO!

    1. Olá Marcos, aliás, por falar em obedeço, ha um provérbio árabe que diz: Ouço e obedeço. O momento é o da convergência. Temos de lembrar as pessoas de boa vontade para eleger pessoas do 13. Não apenas o Presidente da República, mas os demais cargos, pois, dias difíceis nos esperam. A luta será renhida. Tem de existir união, coerência e persistência para recuperar o espaço perdido e voltar a reconstrução do país para a maioria do povo e não apenas para os cinco por cento de privilegiados seculares. Tamo juntos.

  13. Essa esquerda brasileira é um lixo!
    Estiveram apenas 15 anos no poder e eis o que fizeram: roubaram bilhões e bilhões; torraram +- 60 bilhões do nosso dinheiro estruturando países comunistas; compraram votos com dinheiro público através desses malditos programas sociais; destruiram nossa economia causando fechamento de milhares de empresas e milhões de desempregados; trouxeram a inflação de volta; deixaram o país com uma recessão nunca vista na nossa história; Transformaram nossa educação básica em piada de salão; as universidades federais num criatório de jovenzinhos comunas de cuecas sujas e etc etc etc…….
    Imaginem esses lixos perpetuando no poder. Que fossa não seria o brazil!
    Provavelmente isso aqui se tornaria uma Venezuela da Silva!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.