Cilada.com é piada pronta: uma cilada!

por Marcelo Seabra

Bom, Cilada.com é… não, nem vale a pena. Ruim, muito ruim.

Sobre opipoqueiro

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM
Esta entrada foi publicada em Estréias, Filmes e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta para Cilada.com é piada pronta: uma cilada!

  1. Pingback: Comédia agrada sem baixar o nível | opipoqueiro

  2. Pingback: Mais uma perda de tempo para a comédia nacional | opipoqueiro

  3. Pingback: Comédia nacional consegue subir um pouco o nível | opipoqueiro

  4. Rodrigo disse:

    O que tenho a dizer sobre o filme:
    1. É engraçado, mas do tipo que você não pode levar a namorada ou esposa ao cinema, muito menos assistir com as crianças.
    2. As piadas são todas sexuais, o filme é praticamente todo sexual. Isto, por si só, torna o filme muito ruim e transforma-o em cenas de humor de uma novela das nove.
    3. Em certo momento do filme percebe-se cortes que não deveriam ter sido feitos, isto dá uma impressão totalmente amadora ao filme. Em resumo, o filme parece inacabado.

    Minha nota para o filme, em uma escala que vai de 0 a 10, é 4. Considere 4 como uma boa nota para um filme nacional, pois a maioria deles merece um 0 bem grande.
    Pontos positivos:
    1. É engraçado, em partes.

    Pontos negativos:
    1. Não dá para assistir com a família.
    2. Muitas piadas sem graça.
    3. A exploração do sexo é enorme durante todo o filme.
    4. Cortes ficam evidentes em alguns momentos, algo imperdoável em qualquer produção.

    O cinema nacional só vai ter sucesso quando aparecerem roteiristas e diretores que tenham vergonha na cara e façam filmes para a família brasileira, com boas histórias, bom roteiros, boa fotografia e boa edição.

    Roteiro de filme brasileiro se resume em: retratar a violência nas favelas (o mais explorado) e fazer sexo (o segundo mais explorado). Assim não dá! Precisamos de filmes que nos contam ótimas histórias, filmes de ficção que sejam bem feitos.

    Este vômito que apresentam não é cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *