Ser privilegiado é uma delícia! Leia aqui o que estamos perdendo

Casa, comida e roupa lavada de graça. A brincadeira popular se tornou real para os afortunados que fazem as leis

Foto: Reuters/Ueslei Marcelino

Por favor, políticos e governantes, membros das altas castas dos Três Poderes: deixem-nos viver como vocês!

Deixem-nos receber os seus salários, os seus benefícios e suas garantias de emprego e aposentadoria.

Deixem-nos gozar de carros blindados, motoristas, secretários e assessores.

Deixem-nos saber como é ser reembolsado pelas refeições em ótimos restaurantes, pelas passagens aéreas em classe executiva, por hotéis e viagens internacionais.

Deixem-nos à vontade para escolhermos os melhores médicos, dentistas e hospitais, já que nos será tudo sem custo.

Deixem-nos comprar terno, sapato, livros e remédios com o dinheiro dos outros. De quem juraram defender.

Deixem-nos saber como é morar, mudar de casa e emprego, encher o tanque do carro, usar celular e não gastar nada do nosso próprio bolso.

Deixem-nos trabalhar três dias por semana, gozar dois meses de férias e receber décimo terceiro, décimo quarto, décimo quinto salários e além.

Deixem-nos experimentar a prerrogativa de mandar prender ou soltar quem quisermos, pouco importando a lei ou o que fizeram.

Deixem-nos nos sentir privilegiados, impunes e livres para roubar, matar, traficar cocaína em helicópteros, armazenar milhões em sacolas e apartamentos, e jamais ser preso.

Deixem-nos à vontade para empregarmos quem quisermos, pagarmos o quanto quisermos, aumentarmos nossos salários, garantirmos nossas aposentadorias integrais.

Deixem-nos criar um sistema onde quem nos paga nos obedece, e quem recebe manda, principalmente sendo nós mesmos os criadores das regras.

Deixem-nos saber como é ser tirano, egoísta, corporativista, cúmplice, macabro, cínico, debochado, irresponsável, arrogante, mentiroso, manipulador, prepotente, ao menos uma vez na vida, e não dever satisfação para ninguém.

Deixem-nos mandar e comandar; manipular e distorcer; corromper e ser corrompido. Um pouquinho só.

Deixem-nos contrair despesas e mandar a conta para alguém pagar. Nos metermos no que não entendemos e não cumprirmos com o que devemos.

Deixem-nos garantidos nos nossos empregos até 75 anos de idade. Nossos filhos pensionistas para sempre. Nossas viúvas também e nossas amantes, pois ninguém é de ferro.

Deixem-nos nos aposentar com oito anos, ter funcionários particulares para sempre, e regalias infinitas para as nossas famílias.

Deixem-nos morar em palácios imponentes, comer iguarias raras, sorver vinhos únicos, dormir em lençóis egípcios, oferecer jantares luxuosos, não fazer nada, não limpar nada, não pagar por nada.

Por favor, políticos e governantes, membros das altas castas dos Três Poderes: deixem-nos viver como vocês!

E nem precisa ser por quatro anos, não.

Leia também.

7 comentários em “Ser privilegiado é uma delícia! Leia aqui o que estamos perdendo

  1. Ricardo, parabéns! Sua excelente exposição é de dar inveja a Sultão.
    E vai que é sua, Bolsonaro. Transmita o texto em rede nacional e acabe logo com essa pouca vergonha!
    Um decreto assinado pelo novo governante inspirado naquele que reduz 10% ao ano no pagamento do FGTS nas rescisões até a zerar tudo ao final de dez anos que foi assinado feito pelo Temer, já cairia bem.

  2. Parabéns pelo texto. Traduz todo pensamento dos brasileiros. Texto para ser lido por todos os habitantes, até pelos “privilegiadozinhos mordômicos”

  3. Tá difícil… Olha o que disse o deputado federal Fábio Ramalho (MDB-MG), querendo reajuste da câmara: “É melhor o parlamentar ser bem remunerado porque você pode cobrar dele a lisura, mas eu também defendo a reforma da Previdência, que conserta tudo isso”. Eita nóis. Até quando vamos ficar assistindo isso tudo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.