Skip to main content
 -
Psicólogo graduado pela Universidade FUMEC, Pós-graduado em Psicologia Médica pelo departamento de Psiquiatria e Neurologia da Faculdade de Medicina da UFMG e Mestre em Educação, Cultura e Sociedade pela UEMG, tendo desenvolvido dissertação na área de Violência Contra a Mulher.

Sou casada, reencontrei um amor de infância e estou balançada. E agora?

“Bom dia, Dr. Douglas Amorim!  Tive acesso ao seu blog por meio de um amigo e gostaria de uma orientação sua. Sou casada há 16 anos  com uma pessoa maravilhosa e que sempre fez de tudo pra me agradar, dentro das suas possibilidades. Entretanto, já há algum tempo, parece que nos perdemos, quando se trata de sexo. Ele mudou muito e parece ter ficado quase que indiferente a mim. Além disso, agora tem me falado sobre coisas que quer fque eu faça na hora da transa. Mesmo não gostando disso tento fazer o possível para agradá-lo. Diante de toda essa indiferença apareceu uma outra pessoa em minha vida. Na verdade, ele era um amor de infância, que voltou à tona, mesmo retomando o contato 30 anos depois. Temos conversado há aproximadamente 10 meses e ainda não nos encontramos. No entanto, temos planos de que isso aconteça, apesar de eu sentir muito medo de magoar meu marido e de cometer um erro, que, possivelmente, não tenha mais conserto. Agradeço se puder me ajudar”!

 

Envie sua dúvida para perguntaUAI@gmail.com   Não identificamos os autores das perguntas

 

Resposta no link logo abaixo:

 

Um abraço do

Douglas Amorim

Psicólogo clínico, pós-graduado em Psicologia Médica, mestre em Educação, Cultura e Sociedade

Instagram:@douglasamorimpsicologo

Consultório: (31)3234-3244

www.douglasamorim.com.br

 

Basta clicar para visualizar a resposta!

https://www.youtube.com/watch?v=qX1sE5ge3Ew

 

 

5 comentários em “Sou casada, reencontrei um amor de infância e estou balançada. E agora?

  1. Ele mudou muito e parece ter ficado quase que indiferente a mim. Além disso, agora tem me falado sobre coisas que quer fque eu faça na hora da transa.
    ele tem outra. não tiramos isso do nada, fica a dica.

  2. A infância é a época da imaturidade, da aventura e da descoberta. Aprendemos muito na infância.
    Mas depois dela vem a adolescência e com esta, também novas aventuras e descobertas.
    Todas essas fases servem para que entremos na vida adulta com um estoque de experiências suficiente para embasar nossas decisões.
    Tomamos decisões quando somos adultos. O que você chama de “amor de infância”, não é amor. Amor é assunto para adultos. Se quer ser criança novamente, é um direito seu.
    Mas vá sabendo que os riscos de estar se enganando e pior, enganando outras pessoas, incluindo seu marido, é grande e real.
    E pode se decepcionar muito, porque o homem de quem você fala, mudou muito da época da infância até hoje e certamente, não será de forma alguma aquela coisa romântica, infantil e imatura de 30 anos atrás.
    Cada idade tem suas alegrias e suas dores. Aceite as alegrias e as dores de sua idade, converse com seu marido e aja como uma mulher adulta e madura.
    Agir como criança poderá ter graves consequências para você e todos os envolvidos.

  3. A pergunta é; Se você descobre que seu marido esta balançado por um amor de infância e que você também esta indiferente a ele pergunto : Como você se sentiria? Acharia bom ele se envolver com a paixão de infância?

  4. Colega, arruma mais trabalho para você, pois parece que tá tendo muito tempo pra pensar em coisas erradas. Deixa de ser cara de pau (e adultera) e pare de manter contato com essa aventura sexual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.