Skip to main content
 -
Psicólogo graduado pela Universidade FUMEC, Pós-graduado em Psicologia Médica pelo departamento de Psiquiatria e Neurologia da Faculdade de Medicina da UFMG e Mestre em Educação, Cultura e Sociedade pela UEMG, tendo desenvolvido dissertação na área de Violência Contra a Mulher.

Minha mãe se intromete demais na minha vida. O que fazer?

“Bom dia Dr. Douglas. Primeiramente, gostaria de dizer que tenho gostado muito de acompanhar o seu blog. Preciso receber um conselho seu, se possível. Frequentemente tenho tido atritos com minha mãe. Ela é uma pessoa que sempre costuma deixar o clima de casa pesado, utilizando inúmeros argumentos, algumas vezes com fundamento, porém, noutras tantas sem nenhuma fundamentação. Infelizmente faz isso com todos aqui em casa. Sou do tipo de pessoa totalmente aberta a escutar conselhos e sugestões dos meus pais, quando estas têm, de fato, alguma coerência. No entanto, por diversas vezes, ela tem entrado em assuntos que dizem respeito somente a mim e à minha namorada. Recentemente ela disse simplesmente que minha namorada era depressiva e preguiçosa (ela diz isso apenas para mim e não na presença dela). Isso é uma coisa totalmente sem fundamento e me parece mais ser uma uma provocação. Ela nunca teve nenhum problema específico com minha namorada e, sempre que se encontram, conversam normalmente. Não aguento escutar calado e já falei que não aceito este tipo de palpite em nossa intimidade. Por ela insistir neste tipo de assunto, acabo por ser extremamente grosso e falo palavrões. Ela nunca fala bem de nenhuma das namoradas dos meus irmãos. Eu e minha namorada estamos juntos há 05 anos e nos vemos basicamente aos finais de semana. No sábado, costumo encontrá-la para sairmos e, aos domingos, muitas vezes, fazemos um programa mais caseiro, como ver um filme, por exemplo. Sinto-me chateado pelo fato de ter que usar estes tipos de palavras com a pessoa que me deu a vida. No entanto, não consigo ficar calado ao escutar grosserias sem nenhuma razão, vindos da minha mãe, com o simples objetivo de me provocar. Já solicitei que não entre em meu relacionamento e intimidade. Só que ela não muda! O que você acha”?

 

Envie sua dúvida para perguntaUAI@gmail.com   Não identificamos os autores das perguntas

 

Resposta no link logo abaixo:

 

Um abraço do

Douglas Amorim

Psicólogo clínico, pós-graduado em Psicologia Médica, mestre em Educação, Cultura e Sociedade

Instagram:@douglasamorimpsicologo

Consultório: (31)3234-3244

www.douglasamorim.com.br

 

Basta clicar para visualizar a resposta!

https://www.youtube.com/watch?v=PIoE5LNWR2U

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.