O que esperar de Faroeste Caboclo?

por Orozimbo Souza Júnior

Finalmente, um dos sonhos antigos dos milhões de legionários seguidores de Renato Russo (acima, entre Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá) será concretizado. A emblemática música Faroeste Caboclo, que narra a saga de João de Santo Cristo, vai para as telonas. Enquanto não sai o filme sobre a vida do líder da Legião Urbana, os fãs podem conter a ansiedade assistindo à produção, que deve ficar pronta ainda este ano.

Foi divulgado na semana passada que os atores que viverão os protagonistas do faroeste já estão escalados: Fabrício Boliveira (João de Santo Cristo), Felipe Abib (Jeremias) e Ísis Valverde (Maria Lúcia), esta confirmando o que diz a música: “Maria Lúcia era uma menina linda…”. Logo que Renato faleceu, em 1996, surgiu um burburinho de que a música pudesse ir paras as telas. Inicialmente, falava-se em adaptar a letra de quase nove minutos e fazer uma minissérie. A ideia não vingou, mas volta e meia alguém toca no assunto de explorar a canção de outra forma.

Boliveira, Ísis e Abib

Fã de Legião Urbana é praticamente um devoto, que garante à banda algumas marcas impressionantes, como a expressiva vendagem de cópias de discos de toda a coletânea, mesmo passados quase 15 anos do fim do grupo. Desde 1996, algumas preciosidades foram recuperadas em estúdios pelos quais Renato Russo passou durante a carreira. Algumas músicas gravadas e não lançadas foram remasterizadas e logo decolaram nas paradas de sucesso.

Faroeste Caboclo é uma faixa do terceiro disco da Legião, Que País é Este (1987). Reza a lenda que Renato Russo a compôs, aos 18 anos de idade, de uma vez. Ele se sentou à escrivaninha no começo da noite, escreveu o primeiro verso e só parou com a letra pronta, já na manhã seguinte. Comercialmente, a canção tenderia a despertar pouco interesse nas rádios, já que tem mais de nove minutos, ocuparia muito tempo de anunciantes. Não foi o que aconteceu. Quando lançada, ocupou por muito tempo o topo das paradas de sucesso do Oiapoque ao Chuí. Ainda hoje, é muito pedida nas rádios, mas pouco executada.

A peça teatral sobre o cantor reuniu milhares de expectadores em todo o Brasil. O ótimo ator Bruce Gomlevsky (ao lado, caracterizado), que interpreta Renato, disse em várias entrevistas que ficou impressionado com a admiração pelo músico. E o que mais chama a atenção dele é a quantidade de jovens com 13, 14 anos que sabem cantar todas as letras da Legião Urbana. Muitos desses sequer eram nascidos quando a banda acabou, o que parece se tratar de uma paixão hereditária.

Ávidos por novidades relacionadas à banda e órfãos desde 1996, os fãs deverão garantir uma expressiva bilheteria para o filme. O que se espera é que as inevitáveis adaptações da letra para um roteiro cinematográfico não frustrem as expectativas. Os produtores estão diante de um desafio diante da exigência desse público. Na internet, já começam algumas especulações. A mais curiosa é a de que alguns defendem que o final do filme seja diferente da tragédia da música. Não concordo, creio que é preciso haver a maior fidelidade possível, contando com o talento de atores e produtores para retratar em imagem o que a letra narra. A conferir.

Sobre opipoqueiro

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM
Esta entrada foi publicada em Adaptação, Filmes, Música, Personalidades e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta para O que esperar de Faroeste Caboclo?

  1. Isabela disse:

    também aguardo ansiosamente o filme!
    não consegui foi ver a peça, que por duas vezes foi cancelada aqui no Recife…

  2. Pingback: João de Santo Cristo finalmente chega aos cinemas | opipoqueiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *