Palpites e considerações sobre o Oscar 2011

por Marcelo Seabra

As indicações ao Oscar 2011 foram finalmente divulgadas. E uma incoerência se repete: por que são 10 indicados como Melhor Filme do ano, se ficam apenas cinco nas demais categorias? Temos 10 filmes considerados os melhores do ano, mas apenas cinco grandes diretores? Esse tipo de estranheza faz com que um nome como o de Christopher Nolan seja esquecido entre os grandes diretores, mas A Origem (Inception, 2010) seja lembrado. Afinal, são tantas vagas a serem preenchidas que sobra até para um desenho animado – Toy Story 3 (2010) realmente deve merecer e sou grande defensor de animações, mas sabemos que não vai ser dessa vez.

Das cinco indicações ao prêmio do sindicato dos diretores, Nolan foi o único que ficou de fora, perdendo sua “vaga” no Oscar para os irmãos Coen, de Bravura Indômita (True Grit, 2010). Em alguns momentos do Oscar, já aconteceu de filme e diretor premiados não coincidirem, caso de Crash (de Paul Haggis) e Ang Lee (de O Segredo de Brockeback Mountain), na edição de 2006, ou de Shakespeare Apaixonado (de John Madden) e Steven Spielberg (por O Resgate do Soldado Ryan), em 1998. Mesmo tendo filme e diretor diferentes como vencedores, os correspondentes estavam ao menos indicados também. Um filme ser indicado sem ser acompanhado por seu diretor é algo um tanto louco. Como bem observa a jornalista Ana Maria Bahiana, A Origem se dirigiu sozinho, deve ter GPS.

Além desses fatos insólitos, o Oscar sempre levanta discussões quanto a possíveis justiças e injustiças entre as indicações. É estranho, esse ano, que O Escritor Fantasma (The Ghost Writer, 2010) e seu realizador, Roman Polanski, tenham sido solenemente esquecidos. Estranho porque ambos ganharam o prêmio, em suas respectivas categorias, da Academia Européia de Cinema. O melhor filme e o melhor diretor europeus de 2010 não são sequer lembrados pela Academia Americana?

Deixando de lado a polêmica de esquecidos e injustiçados, vamos aos palpites. Baseando-me no que já vi e, principalmente, no que já li (já que a maioria dos filmes não chegou aqui), vou dar meus chutes quanto aos possíveis vencedores. O Discurso do Rei (The King’s Speech, 2010) e A Rede Social (The Social Network, 2010) são os grandes competidores nas categorias de Melhor Filme e Diretor (apesar de alguns grandes nomes correndo por fora, como os irmãos Coen). Para manter a ideia de coerência, acredito que David Fincher e sua Rede Social levem as duas. Para premiar O Discurso do Rei, o Melhor Ator fica com Colin Firth, um grande artista relegado a segundo plano até agora. Chegou a hora também para Natalie Portman, que deve se sagrar a Melhor Atriz do ano por seu trabalho em Cisne Negro (Black Swan, 2010).

Na categoria de Ator Coadjuvante, o agora eterno Batman Christian Bale deve confirmar um prêmio para O Vencedor (The Fighter, 2010). O típico filme de superação da vez (ano passado foi Um Sonho Possível – The Blind Side, 2010) ainda deve levar o prêmio de Atriz Coadjuvante para Melissa Leo, indicada em 2008 como Atriz Principal por O Rio Congelado (Frozen River). Como curiosidade, é interessante notar que há, além de Bale, outros dois futuros intérpretes de heróis dos quadrinhos na mesma categoria: Mark Ruffalo (por Minhas Mães e Meu Pai – The Kids Are All Right, 2010) e Jeremy Renner (por Atração Perigosa – The Town, 2010), que poderão ser vistos no filme dos Vingadores vivendo, respectivamente, Hulk e Gavião Arqueiro. Não deixa de ser um indicador de que produtores estão apostando alto em filmes baseado em quadrinhos.

Quanto a roteiro, temos duas modalidades: original e adaptado de material lançado previamente. Dentre os roteiros originais, seria uma ótima dar o prêmio a A Origem, mais do que merecido – e honraria bem o conceito de “original”. Nos adaptados, não tem para ninguém além de Aaron Sorkin, criador da falecida e elogiada série de TV The West Wing (1999-2006). Deixando um pouco de lado a política da série e de longas como Meu Querido Presidente (The American President, 1995) e Jogos do Poder (Charlie Wilson’s War, 2007), Sorkin usou o livro de Ben Mezrich Bilionários por Acaso para dar forma a A Rede Social. O evento, inclusive, deve repetir o Globo de Ouro de Melhor Trilha Sonora Original e premiar Trent Reznor e Atticus Ross.

Confira abaixo todos os indicados, com o meu palpite marcado com um asterisco:

– Filme
Cisne Negro
O Vencedor
A Origem
O Discurso do Rei
A Rede Social*
Minhas Mães e meu Pai
Toy Story 3
127 Horas
Bravura Indômita
Inverno da Alma

– Diretor
Darren Aronovsky –
Cisne Negro
David Fincher –
A Rede Social*
Tom Hooper –
O Discurso do Rei
David O. Russell –
O Vencedor
Joel e Ethan Coen –
Bravura Indômita

– Ator
Jesse Eisenberg – A Rede Social
James Franco –
127 Horas
Jeff Bridges –
Bravura Indômita
Colin Firth –
O Discurso do Rei*
Javier Bardem –
Biutiful

– Ator coadjuvante
Christian Bale –
O Vencedor*
Jeremy Renner –
Atração Perigosa
Geoffrey Rush –
O Discurso do Rei
John Hawkes –
Inverno da Alma
Mark Ruffalo –
Minhas Mães e meu Pai

– Atriz
Nicole Kidman –
Reencontrando a Felicidade
Jennifer Lawrence –
Inverno da Alma
Natalie Portman –
Cisne Negro*
Michelle Williams –
Blue Valentine
Annette Bening –
Minhas Mães e meu Pai

– Atriz Coadjuvante
Amy Adams –
O Vencedor
Helena Bonham Carter –
O Discurso do Rei
Jacki Weaver –
Animal Kingdom
Melissa Leo –
O Vencedor*
Hailee Steinfeld –
Bravura Indômita

– Animação
Como Treinar o Seu Dragão
O Mágico
Toy Story 3*

– Direção de arte
Alice no País das Maravilhas*
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I
A Origem
O Discurso do Rei
Bravura Indômita

– Fotografia
Cisne Negro
A Origem
O Discurso do Rei
A Rede Social
Bravura Indômita*

– Figurino
Alice no País das Maravilhas*
I am Love
O Discurso do Rei
The Tempest
Bravura Indômita

– Edição
Cisne Negro
O Vencedor
O Discurso do Rei
A Rede Social*
127 Horas

– Documentário longa-metragem
Lixo Extraordinário
Exit Through the Gift Shop*
Trabalho Interno
Gasland
Restrepo

– Documentário curta-metragem
Killing in the Name*
Poster Girl
Strangers no More
Sun Come Up
The Warriors of Qiugang

– Filme em língua estrangeira
Biutiful– México*
Fora-da-Lei– Argélia
Dente Canino – Grécia
Incendies – Canadá
Em um Mundo Melhor – Dinamarca

– Maquiagem
O Lobisomem*
Caminho da Liberdade
Minha Versão para o Amor

– Trilha sonora original
Alexandre Desplat –
O Discurso do Rei
John Powell –
Como Treinar o seu Dragão
A.R. Rahman –
127 Horas
Trent Reznor e Atticus Ross –
A Rede Social*
Hans Zimmer –
A Origem

– Canção original
“Coming Home” –
Country Strong (Música e letra de Tom Douglas, Troy Verges e Hillary Lindsey)
“I See the Light” –
Enrolados (Música de Alan Menken e letra de Glenn Slater)
“If I Rise” –
127 Horas (Música de A.R. Rahman e letra de Dido e Rollo Armstrong)
“We Belong Together” –
Toy Story 3 (Música e letra de Randy Newman)*

– Curta-metragem de animação
Day & Night
The Gruffalo
Let’s Pollute
The Lost Thing
Madagascar, Carnet de Voyage

– Curta-metragem
The Confession
The Crush
God of Love
Na Wewe
Wish 143

– Edição de som
A Origem*
Toy Story 3
Tron – O Legado
Bravura Indômita
Incontrolável

– Mixagem de som
A Origem*
Bravura Indômita
O Discurso do Rei
A Rede Social
Salt

– Efeitos especiais
Alice no País das Maravilhas
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I
Além da Vida
A Origem*
Homem de Ferro 2

– Roteiro adaptado
A Rede Social*
127 Horas
Toy Story 3
Bravura Indômita
Inverno da Alma

– Roteiro original
Minhas Mães e meu Pai
A Origem*
O Discurso do Rei
O Vencedor
Another Year

Sobre opipoqueiro

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM
Esta entrada foi publicada em Filmes, Premiações e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas para Palpites e considerações sobre o Oscar 2011

  1. Diego Scorvo disse:

    Concordo com a sua opinião, mas por incrível que pareça, é comum premiar o diretor e não o seu filme, talvez o caso mais assustador seja o do grande Francis Ford Copolla, que não levou o Oscar de melhor diretor por Poderoso Chefão parte 1, sim isso aconteceu. John Ford ganhou 4 estatuetas, um recorde, mas apenas Como era Verde meu vale venceu o prêmio de melhor filme, e a lista é extensa.
    Não acredito na premiação do Christian Bale, acho que seu humor peculiar e alguns casos de violência vão fazer que a academia pense duas vezes na hora de homenageá-lo. No início acreditava que o Chris Nolan não levaria nem o Oscar pelo roteiro de A Orige, mas depois de tanto bafafá, ficaria feio para todos não valorizar esse texto brilhante, digno de um gênio do cinema atual.

  2. Pingback: Filmes chegam e palpites se confirmam | opipoqueiro

  3. Deu no Poste disse:

    Otimo artigo 😀 Parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *