O povo de BH continua obediente ao berrante de um político sem equilíbrio que se comporta como ditador

POR: José Aparecido Ribeiro – Jornalista

O povo belo-horizontino nunca foi tão obediente e dócil como na pandemia do Covid-19. Enquanto a ajuda do governo federal está chegando, boa parte da população e do funcionalismo público, incluindo a Câmara Municipal, descansa como se estivessem de férias, alheios ao que de fato está acontecendo com a economia e com a sobrevivência da cidade.

Nunca na história da capital mineira um prefeito abusou tanto da sua autoridade como Alexandre Kalil faz ao usurpar o direito de ir e vir de milhões de pessoas, desrespeitando o Art. 5º da Constituição Federal. O chefe do executivo municipal ignora os números e se afirma como um déspota compromissado com a sua própria vaidade, menos com a sobrevivência do povo que ele governa. Um crime inafiançável e que tem cúmplices!

O povo segue servil submetido às imposições absurdas e desnecessárias do mandatário apoiado por vereadores compadres. A capital tem 2,7 milhões de habitantes e 33 óbitos por Covid-19 em três meses de pandemia. A lógica foi mandada às favas pelo time de “especialistas” que orientam o prefeito. Ou seja, 11 mortes por mês, taxa de óbito desprezível perto de outras doenças que matam muito mais e estão aí fazendo vítimas como dengue, gripe H1N1, infartos, diabetes etc.

Fato é que o povo adormecido não desconfia e nem duvida da capacidade do chefe do executivo quando ele se comporta como um semideus, se achando ungido de poderes especiais que não existem. Aliás, a sanidade do prefeito vem sendo interpelada por profissionais da psiquiatria e por quem observa seus hábitos etílicos de perto. Não há razões para Belo Horizonte seguir em quarentena radical com riscos de uma tragédia ainda maior do que a do vírus Chinês se não por atitude tresloucada de toda a equipe que cuida do tema e a convivências do legislativo e da justiça.

Kalil empurra a reabertura do comercio com argumentos pífios e ensaiados, apoiado por uma imprensa subserviente interessada em verbas publicitárias. Volume, aliás, significativo para uma cidade carente de infraestrutura: R$70 milhões é o valor gasto para manter a imprensa alinhada e jogando no seu time. Com efeito, o berrante toca e lá vai o povo caminhando calado em direção ao curral confiante que lá é o seu destino, ainda que o destino possa ser o matadouro, pela via da quebradeira geral.

Apenas uma corrente da ciência atendendo a agenda política

O Alcaide se diz lastreado pela ciência, como se ela fosse composta por indivíduos infalíveis livres das correntes divergentes dentro da própria medicina. Exemplos não faltam para derrubar a soberania da ciência onde ela tem se revelado dúbia e ineficiente. A ciência que precisa ser convocada no momento é a econômica. Kalil deveria explicar aos seus eleitores apaixonados e incautos como que o presidente dos Estados Unidos, maior potência econômica e científica do mundo, declarou uso da hidroxicloroquína preventivamente.

Será que os médicos  americanos estão errados, deixando o seu presidente se automedicar com risco de morte, e os que cercam o ditador “Alexandre I” estão corretos? É evidente que não, mas o desatino do prefeito tem outras intenções e a maior delas é continuar comprando sem licitação às vésperas de uma eleição em que ele é candidato ao posto por mais dois anos, até que 2022 chegue e ele possa alçar vôo solo ao governo do estado, deixando um aliado de esquerda no comando da PBH.

Não se submeta a isso, reaja e faça valer a soberania popular, compartilhe esse texto se você concordar com a opinião deste jornalista.

jaribeirobh@gmail.com – WhatsApp: 31-99953-7945

7 comentários em “O povo de BH continua obediente ao berrante de um político sem equilíbrio que se comporta como ditador

  1. O Kalil é um homem de opiniões fortes, dificilmente muda mesmo errado, um camarada separado, nao conseguiu terminar curso de engenharia, abriu uma empresa Ekral que faliu, mudou do PSB qdo morreu Eduardo Campos, conversou fiado sobre a arena Corinthians, tentou ser CEO da copa Sul Minas Rio devido a arrogância dele foi abandonado, teve um desentendimento em Tijuana no México, assim ao longo da vida sempre se achou, apegou se a política e devido esse tipo autoritário e arrogante vai sucumbir novamente
    Aonde entra começa bem e nunca chega ao final.

  2. Isso, continuem com essa linha de raciocínio e brevemente estaremos como São Paulo, que conta com mais de 5.000 mortes em pouco mais de dois meses de pandemia. Cidades próximas de BH que tinham flexibilizado o isolamento social voltaram atrás devido ao aumento de casos e morte por COVID 19. O que é mais importante: a vida ou a economia? Quanto mais resistirmos ao isolamento social mais tempo demoraremos para retornar às nossas atividades normais. Será que é tão difícil entender isso?

  3. A adormecida e esquecida classe média acordou.. Ele se acha dono de Belo Horizonte. Eu vou fazer eu vou acontecer. O único Eu que conheço com letra maiúscula é Deus. . Acorda você está administrando uma instituição pública. O povo é o dono e paga seu salário. Sua arrogância está sendo sua sepultura nas urnas. Continue assim um pouco humildade é bom e não faz mal a ninguém.

  4. Para as pessoas que defendem o isolamento (falindo o país), tenho uma pergunta: O vírus vai embora por que estamos isolados ? Se sim, significa que quando tudo voltar ao normal o vírus vai reaparecer ? O que funciona em uma pandemia como esta é VACINA e medicamentos eficazes. Vocês ainda não perceberam que este isolamento é estratégia POLÍTICA ? Pobre povo.

  5. Arrogante,despreparado e insensível.Como que o comerciante vai sobreviver? O IPTU será reduzido? Será cancelado? Louco!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *