Backer é vitima de fraude, e fornecedor dá pistas para desvendar mistério da contaminação

No dia em que o Blog SOS Mobilidade Urbana passa a chamar Blog do Zé Aparecido, tenho a grata satisfação de anunciar o que postei aqui em artigo que teve mais de 200 mil visualizações: A Cervejaria Backer foi vítima de sabotagem de fornecedor de produtos químicos. A confirmação veio através de um furo de reportagem reivindicado por estrelas do jornalismo mineiro que revelaram depoimento de uma fonte dentro da Polícia Cívil dando conta de que a fornecedora de material químico diluía o composto dietilenoglicol com ácido sulfônico, depois vendia como monoetilenoglicol, usado nos tanques de resfriamento da Backer.

Resta saber como esse produto contaminou os tanques da cervejaria. De certo este será daqui para frente o trabalho da polícia. Desde o primeiro momento, com a negativa da Backer em utilizar o produto causador das intoxicações, a hipótese mais provável é a de que a empresa teria sido vitima de sabotagem ou vingança. Na verdade o que se descobriu foi a origem do produto, mas fica ainda a dúvida de como esse produto falsificado contaminou o lote da cerveja Belorizontina consumida pelas pessoas que estão internadas com a síndrome nefroneural.

Produto era falsificado em Contagem, e tinha procedência em São Paulo

Sabe-se que a procedência dos produtos era São Paulo e quando ele chegava em Contagem, recebia outra substancia que lhe fazia render mais.  A ganância, a falta de controle e o sentimento de impunidade prejudicaram a vida de muitas pessoas e por pouco assassinou a reputação de uma empresa que cresceu e virou uma das maiores cervejarias de Minas Gerais.

Backer é responsável por metade da produção de cerveja artesanal produzida em Minas

De acordo com o Sindibebidas Minas tem 80 cervejarias artesanais, a Backer responde por metade da produção no estado. A empresa tem 600 funcionários e sua raiz é a Três Lobos, na década de 80 do século passado. A Backer produz um milhão de litros por mês e tem um faturamento de mais de R$100 milhões. Ela incomoda muita gente grande, disso eu não tenho dúvidas.

Com a descoberta do que de fato ocorreu o que se espera é que a empresa dê a volta por cima e siga crescendo, tirando deste episódio lições que lhe sirvam para melhorar os controles de produção e sobretudo, a atenção as possíveis fraudes em um mercado concorrido e que fere interesses de multinacionais. O Blog do Zé Aparecido segue confiante de que escolheu o lado certo ao insistir na tese da inocência da Backer e que a verdade seria descoberta.

19 comentários em “Backer é vitima de fraude, e fornecedor dá pistas para desvendar mistério da contaminação

  1. É impressionante como o ser humano se dispõe de ferramentas sujas , ilegais para prejudicar o próximo, sei que cervejaria Backer vai dar a volta por cima.Nao sou consumidor de cervejas, mas posso garantir que todos os meus amigos, sempre tomaram está cerveja.

    • Triste ver o nível de amadorismo dessa tal de Backer. Não tem nenhum controle sobre o que adquire, nenhuma gestão de fornecedores, e nenhum controle de qualidade para avaliar o produto final. Empresa de fundo de quintal

  2. Inacreditável a que ponto chega a maldade do ser humano. Somos pessoas em involução. Mentes doentes. Nenhum animal possui capacidade de planejamento para vingar e destruir seus iguais. Merecem os bichos todo meu respeito. Nunca saberei que gosto existe no poder a qualquer custo graças a Deus. Acredito que nada justifica tirar a vida de pessoas inocentes. Tirar do convívio de suas famílias de modo tão sofrido. Se colocar no lugar do outro, pensar nas tristes consequências. Lamentável tanta maldade neste mundo. Pena que a impunidade alimentam estas atrocidades

  3. Como a substância apareceu dentro da água que produzia a cerveja? Como julgar o fornecedor, sendo que não há comprovação? Apenas um ex funcionário, apresentado pela própria Backer, ou seja dinheiro rolando. Quem e empresário sabe bem o que e ex funcionário. Mesmo que o produto esteja adulterado, como a Backer explica , a contaminação da água?

  4. Amigo José Aparecido,parabéns pela campanha a favor da Backer.Eu não tenho dúvidas de que foi sabotagem.Isto ainda será esclarecido Abs Sérgio

  5. Que comentário tendencioso absurdo. Tanto uma substância quanto a outra são venenosas. Jamais poderiam ir parar na cerveja e a única responsável por isso é a Backer. Se vítima ela for será de uma pior eficiência do líquido refrigerante e consequente maior consumo de energia.
    Sobre a contaminação, ela é a única culpada. Ponto.

  6. O blog que mais parece pago pelo matéria só esqueceu: 1. A Backer primeiro negou que houvesse contaminação das cervejas e disse que não havia provas 2. Posteriormente a Backer pediu a justiça para continuar vendendo outras cervejas além da Belorizontina, ou seja, por eles as pessoas podiam continuar bebendo até que mais alguém morresse. É incrível como a cervejaria Backer se comportou como uma empresa de amadores sem assessoria jurídica adequda e compromisso com o cliente.

  7. Você vai me desculpar, mas malandro é o gato que já nasceu de bigode. O que tem haver a fraude do fornecedor com o produto estar misturado na cerveja? Mesmo se fosse dietilenoglicol puro oras… Não era pra ter contato com a cerveja. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

  8. O parcial Blog do Zé…….ignora a química, a ciência, a medicina, as leis da república, a autoridade das entidades, a ganância do homem, a dor das famílias, e o temor dos sãos.

  9. Uma culpa não anula a outra. O fornecedor poderia entregar qualquer porcaria, mas e aí, a Backer não tem controle de qualidade? Não faz nem um teste por amostragem? Porque 4 meses recebendo a matéria prima contaminada e não perceber é falta de análise e controle de qualidade. Além disso, quando isso foi misturado à cerveja? E a Backer compra toneladas de substâncias tóxicas (o monoetilenoglicol também é) e sequer verifica se o fornecedor tem alvará?

  10. A Backer primeiro acusou de Fake News as mensagens de WhatsApp alertando sobre pessoas doentes após tomar a cerveja, depois acusaram ex-funcionário, agora fornecedor! E ainda aparece reportagem defendendo a empresa. Cara, faz o seguinte, posta foto, sua com sua família, hoje, tomando Backer, já que você acredita tanto assim na empresa!

  11. Pelo que entendi, a parede do recipiente onde fica a cerveja no momento do resfriamento é dupla, com uma cerpentina entre as duas paredes, já pensaram que pode ter algum vazamento na parede de inox e cerpentina onde o líquido contaminante passou para a cerveja?
    Óbvio deveria ter um controle do produto em todos os tanques antes do engarrafamento.

  12. Que matéria absurda. Até o momento se sabe que a contaminação da cerveja ocorreu dentro da cervejaria, pessoas morreram e várias outras estão sofrendo. Como pode uma cerveja contaminada sair da fábrica sem ninguém detectar? Eu espero que apure e o responsável pela contaminação (seja ele a backer ou qualquer outro) pegue as sanções necessárias. A AMBEV está feliz com isso? Não vejo sentido nenhum em discutir isto, a menos que prove alguma interferência da referida empresa. O que não podemos é fechar os olhos pra uma situação tão grave, seja por teorias ou pelo receio de crescimento de um setor ou queda de outro. O importante é garantir a justiça.

  13. Como pode alguns falarem que seria sabotagem da AmBev. A Backer não representa nem 0,00001% do faturamento do grupo imbev. Quanto AmBev comprou algumas cervejarias artesanais, como a colorado e walls nada mais é , como toda mega potência no mercado, quer abranger mais produtos e dominar o mercado, igual a coca cola . A Backer já era, demostrou ser uma empresa amadora, e não merece a reputação que vinha adquirindo. Sem controle de qualidade, onde já se viu , pessoas morrerem por tomar uma cerveja?! Absurdo!!! Ainda mais sair atirando para todos lados, tentando achar um culpado ao invés de assumir, que erram . Com isso já tinha dado um ponto final, já tinham achado o culpado, e a mídia ia procurar outra coisa. Bla bla bla agora essa de falar que seria o fornecedor, ok como explicar a contaminação do produto água que produz a cerveja. Com certeza não foi parar lá de drone. Zona essa produção da Backer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *