O tratamento do Autismo

Esta semana estou conversando com você a respeito do Autismo, atualmente chamado de transtorno do espectro do autismo (TEA), e hoje vamos falar sobre o tratamento. Se você ainda não leu os artigos anteriores, recomendo que dê uma pausa aqui e os leia antes de continuar: O que é o Autismo? e Falando de autismo

Infelizmente não há cura para o autismo, mas a intervenção precoce melhora o aprendizado, as habilidades sociais e de comunicação, assim como o desenvolvimento cerebral da criança autista. Por isso é importante fazer o diagnóstico o mais precocemente possível. Se você acha que seu filho apresenta sintomas de TEA, converse com o pediatra dele o mais rápido possível.   

Também não há um tratamento padrão para o autismo e, pela extrema particularidade de cada caso, o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. O médico ou terapeuta devem definir o tratamento mais apropriado para seu filho e para a família (sim, a família também precisa de orientação e apoio). 

Os dois principais tipos de tratamento são:

  • Terapia comportamental: que ajuda na estrutura da comunicação e na organização. A Análise Aplicada do Comportamento (ABA) é um desses tratamentos: promove o comportamento positivo e desencoraja o comportamento negativo. A terapia ocupacional ajuda nas habilidades práticas da vida, como vestir-se, comer e se relacionar com as pessoas. A terapia de integração sensorial pode ajudar alguém que tem problemas para ser tocado ou com imagens ou sons. A fonoaudiologia melhora as habilidades de comunicação.
  • Medicamentos para ajudar nos sintomas de TEA, que buscam minimizar problemas de atenção, hiperatividade ou ansiedade

Outras questões importantes relacionadas ao autismo:

As crianças autistas apresentam com grande frequência outros distúrbios psiquiátricos: TDAH (30 a 61%), problemas crônicos de sono (mais 50%), transtornos de ansiedade (10 a 40%), depressão (7%). Elas também tem uma frequência bem elevada de distúrbios gastrointestinais crônicos (8 vezes maior do que outras crianças). 

Como você pode notar, o autismo é um transtorno invasivo, complexo, que afeta muito a vida da criança afetada e sua família. O diagnóstico precoce e o conhecimento do distúrbio são as maiores armas para enfrentá-lo.

Continue conosco! No próximo artigo falarei sobre as fases do desenvolvimento normal e de uma criança autista.

Abraços,

Júnea Chiari

Médica Psiquiatra CRM/MG 26828

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *