O que é o Autismo?

O Autismo é uma condição médica, classificada nos Transtornos Invasivos do Desenvolvimento, que se manifesta por uma ampla gama de condições caracterizadas por dificuldades nas habilidades sociais, na comunicação verbal e não verbal e por comportamentos repetitivos. 

O Autismo sempre foi um distúrbio conhecido pelas pessoas, pelo menos, seu nome e suas características marcantes. Lembro-me bem de um filme que passou quando eu era criança, chamado “Meu filho, minha vida”, que mostrava a luta de uma mãe para tratar seu filho autista. Por muitos anos pensei em um autista como a personagem daquele filme: uma criança agitada, que mal falava, mexia as mãos de forma repetitiva e não olhava ninguém nos olhos. 

Acredito que essa é a impressão que muitos ainda tem de uma criança autista (tendo ou não visto aquele filme). No entanto, o Autismo pode se apresentar de diversas e variadas formas, e por isso seu nome “correto” atual é Transtorno do Espectro do Autista – TEA

Até 2013, ano da publicação do DSM 5 (que é o livro de classificação diagnóstica em psiquiatria dos EUA), o Autismo era dividido em 4 categorias: o transtorno autista, transtorno desintegrativo da infância, transtorno  invasivo do desenvolvimento sem outra especificação e  síndrome de Asperger. O DSM 5 propôs uma mudança para o nome Transtorno do Espectro Autista (TEA) por não existir apenas 4 tipos de autismo. A classificação do autismo como um transtorno de espectro possibilita identificar o autismo em seus variados graus – desde traços autistas leves até graves ou severos.

Apesar dessas modificações no nome, outras questões continuam iguais. Os sintomas de autismo precisam começar até os 3 anos (embora possam passar despercebidos), persistem por toda vida e interferem na vida do portador, mesmo que de forma leve.

Esclarecidas essas questões, digo que os principais sintomas do autismo são:

  • Dificuldades na comunicação social
  • comportamentos restritos e repetitivos.
Dificuldades na comunicação social

Crianças e adultos com autismo não entendem ou não usam adequadamente:

  • Linguagem verbal (muitas crianças com TEA demoram para falar ou não usam a linguagem de forma apropriada)
  • linguagem não verbal (gestos que acompanham a fala, contato visual, expressões faciais, tom de voz)
  • Expressões da linguagem são interpretadas literalmente

Desafios sociais adicionais podem incluir dificuldade com:

  • Reconhecer emoções e intenções nos outros
  • Reconhecer e expressar as próprias emoções
  • Buscar conforto emocional de outras pessoas
  • Sentir estresse em situações sociais
  • Revezar a conversa (a vez de cada um falar)
  • Medir o espaço pessoal (distância adequada entre as pessoas)

Comportamentos restritos e repetitivos

Comportamentos restritos e repetitivos variam muito em todo o espectro do autismo. Eles podem incluir:

  • Movimentos corporais repetitivos (por exemplo, balançar, bater, girar, correr para frente e para trás) 
  • Movimentos repetitivos com objetos (por exemplo, girar rodas de uma carrinho, sacudir varas e alavancas)
  • Olhar fixamente para luzes ou objetos girando
  • Comportamentos ritualísticos (por exemplo, alinhar objetos, tocar objetos repetidamente em uma ordem definida)
  • Interesses estreitos ou extremos em tópicos específicos 
  • Necessidade de rotina invariável / resistência à mudança (por exemplo, mesma programação diária, refeições, roupas, trajeto para a escola) 

É bastante comum que a pessoa com autismo tenha problemas sensoriais (evitam ou preferem certas texturas (principalmente em alimentos), sons, luzes, toque, sabores, cheiros, dor e outros estímulos.

Muitos autistas de espectro leve não são diagnosticados na infância ou adolescência. Na vida adulta você pode notar:

  • dificuldade em participar de conversas e saber o que dizer em situações sociais
  • esforço ou ansiedade para descobrir o que os outros querem dizer (interpretar a fala)
  • dificuldade em fazer amigos
  • dificuldade em formar ou manter relacionamentos
  • intenso interesse em assuntos específicos
  • ansiedade ou depressão.

Espero que tenha ficado claro que o autismo é um transtorno do espectro, assim cada pessoa autista tem um conjunto distinto de sintomas e diferentes desafios. As maneiras pelas quais as pessoas com autismo aprendem, pensam e resolvem problemas variam imensamente e o suporte e tratamento necessário também são diferentes. 

Acompanhe nosso blog e conheça mais sobre o Autismo (TEA) nos próximos artigos). 

Júnea Chiari

Médica Psiquiatra – CRM/MG 26.828

2 comentários sobre “O que é o Autismo?

  1. Muito bem esclarecido o artigo, como mãe de um filho autista, o texto explica inteiramente os respectivos conceitos abordados. Não é fácil ser mãe de um autista, mas o tempo e o conhecimento como explica o artigo sobre o autismo, faz com que a gente aprenda a lidar melhor com a situação e o amor supera tudo, nos dando força a cada dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *