Tristeza no Natal

It's only fair to share...Share on Facebook
Facebook
Share on Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

 

 

Para muita gente, dezembro é o mês em que se avalia o que foi realizado – ou não – ao longo do ano. A parte do “ou não” tende a ser um problema para quem sofre de depressão ou ansiedade. Muitos se queixam da sensação de frustração e impotência diante dos objetivos não alcançado

A depressão vem ou se agrava por questões como luto (a época reflexiva pode trazer de volta a dor da perda de alguém querido ao longo do ano) e problemas com a família – seja pelo fato de estar longe de parentes queridos ou por não querer estar junto de um núcleo familiar desunido que só se reúne para manter as aparências.

Famílias desagregadas que se encontram na época das festas trazem à tona sentimentos que foram deixados de lado ao longo do ano. Aí é preciso lidar com a frustração de não ter uma família unida.

Para quem já sofre de ansiedade, o acúmulo das funções profissionais e pessoais com compromissos extras (reuniões de fim de ano com colegas de trabalho e de cursos, por exemplo) e preparativos para as festas em si (com compra de presentes e organização de ceias e almoços, entre outros detalhes) pode trazer desconforto.

A falta de um planejamento prévio transforma situações simples em desafios para o controle da ansiedade. Qualquer que seja o motivo, o enfrentamento dos sentimentos é inevitável.

Se você estiver nessa situação:

Procure ajuda especializada: profissionais da psicologia ou da psiquiatria pode ser o ponto decisivo para a manutenção da sua saúde emocional. Não tenha receio nem vergonha: peça indicações a amigos e vá de coração aberto resolver suas questões pendentes.

Não seja tão rigorosa com as metas não atingidas durante o ano que está terminando: nem sempre conseguimos fazer o que queremos dentro do período planejado, pois as circunstâncias podem alterar tudo contra a sua vontade. Recalcule sua rota e bola pra frente!

Não queira fazer tudo sozinho: decoração, elaboração do cardápio, compras de presentes… São muitas tarefas no fim do ano. Para que você comece o ano novo com a saúde mental preservada, delegue um pouco desses afazeres para amigos e parentes. E não faça comparações do tipo “eu teria feito melhor”. Relaxe.

Saiba dizer “não”, entregue e confie!

 

Esta entrada foi publicada em saúde emcional. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *