Jornalismo mineiro perde um dos seus Ícones, Leopoldo José de Oliveira

Morreu ontem em sua terra natal e refúgio, na cidade de Paíns-MG, um ícone do jornalismo mineiro. Leopoldo José de Oliveira. Quem teve a honra da convivência sabe o quanto ele era especial. Triste notícia. 
 
Companheiro de boas prosas, Leopoldo era dono da maior memória que já conheci. O talento para o jornalismo aliou-se ao carisma em uma só pessoa. Lembrava de detalhes dos fatos que marcaram sua vida de repórter com nomes, sobrenomes e datas. 
 
Leopoldo fez história no jornalismo investigativo e de polícia. Foi assessor de imprensa na Construtora Mendes Júnior e era, assim como eu, um admirador do homem José Murilo Mendes, um dos maiores desenvolvimentistas deste país, injustiçado pela memória nacional que deixou passar em branco a  recente notícia de sua morte com notícia de rodapé, para quem merecia primeira página. 
 
Leopoldo fez carreira no Jornal O Globo, sucursal Minas e no Jornal Hoje em Dia, foi o homem mais apaixonado pela esposa que já tive notícia. Quando falava Dela, – “A minha Mulher Lêda” – não deixava de citar: que Deus a tenha, falava dela de peito estufado e orgulho de ter vivido ao lado da companheira o único e grande amor. Um deu  ao outro o que poucos casais tiveram o privilégio na vida, conheceram a verdadeira alma gêmea.
 
De certo será um reencontro daqueles, pois a vida de Leopoldo depois da morte da amada Lêda deixou de ser colorida. Ele suportava, mas não conformava. Quantas vezes ao lembrar da esposa no meio de uma prosa sobre suas peripécias no sub mundo da política mineira, marejava os olhos. Ela se foi, mas não saia da sua lembrança um único minuto.
 
Que Deus o tenha, ao lado de Lêda e de tantos que nos deixaram e que assim como você, nos foram caros.
Você já está fazendo falta caro Amigo, descanse em paz e com a certeza do dever cumprido. 
 
José Aparecido Ribeiro 

2 comentários em “Jornalismo mineiro perde um dos seus Ícones, Leopoldo José de Oliveira

  1. Pessoa marcante. Toda vez q tinha churrasco na casa do Carlinhos (Carlos Alberto Costa ) e q nos encontravamos, a mesma piada:” sentiu o cheiro da picanha lá da sua casa ne cidinha?” Kkkk

  2. Eu não o conheci, que falta de sorte a minha…
    Mas como citado, privilégio de quem teve a honra da convivência; e testemunhou os predicados que o diferenciava da maioria dos mortais.
    Fiquei muito emocionada hoje cedo. E agora, ao reler o artigo não foi diferente.
    Não consigo me conter e não deixar aqui registrado o meu encantamento com esta homenagem feita pelo autor do Blog ao seu Amigo.
    PARABÉNS José Aparecido!!
    Texto lindo!! Como tudo na vida, quando aliamos o Amor, o lado humano à outros elementos como: profissionalismo, compromisso, competência, domínio, dom… temos a completude!! Eu acredito nisso…
    Deixo aqui meus sinceros sentimentos, carinho e solidariedade à você, família e amigos. “Que Deus o tenha”!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *