População do bairro Liberdade em Neves vive em uma “ROLETA RUSSA” constante

Sair do bairro Liberdade que fica às margens da BR 040 em Ribeirão das Neves é fácil, porém voltar com vida já não é tão simples, especialmente se o morador fizer isso de carro. Explico: O único acesso ao bairro se dá pela BR 040 na altura do km 516,5, obrigando o usuário a fazer uma manobra altamente arriscada que pode terminar em tragédia. Quem vai de Belo Horizonte no sentido Ribeirão das Neves e precisa entrar no Liberdade, deve atravessar uma das pistas mais movimentadas da BR 040, ou deslocar cerca de 5 km até o trevo de Neves, aumentando o percurso em 10 km, o que praticamente é inviável. 

O acesso de fronte ao bairro Liberdade para quem chega de BH só pode ser feito pelo canteiro central da BR 040 no meio de uma reta com fluxo intenso e velocidade de 70 km/h. Ou seja, a liberdade para viver no bairro de mesmo nome existe apenas para sair e não há garantias para voltar em segurança. O martírio é diário e a qualquer do dia ou dá noite, aumentando o risco de colisões no período noturno quando o fluxo de caminhões costuma ser ainda maior. Embora o bairro esteja no território de Ribeirão das Neves, a solução não está nas mãos da Prefeitura, já virou um imbróglio que foi cair no colo do Ministério Publico Federal.  

Isso por que a solução passa pela realização de uma obra que permita atravessar a pista da rodovia em nível, por meio de um elevado ou viaduto. O problema é que a Via 040 está devolvendo o contrato de concessão, e não concorda em fazer a obra que resolveria definitivamente o assunto, embora por força de contrato seja obrigada a manter a manutenção da rodovia até a realização de um novo certame. “Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”. Governo e nem iniciativa privada querem dar cabo ao problema e enquanto isso a população conta com a sorte para chegar em casa com vida. Risco iminente e constante, numa “ROLETA RUSSA” permanente.

Ministério Público Federal entendeu o drama e faz recomendação

 Sensível e percebendo a gravidade do problema o Ministério Público Federal está tentando um paliativo, através de uma “RECOMENDAÇÃO”, assinada pelo Procurador da República em Minas Gerais, Fernando de Almeida Martins, proposta que pode evitar uma Ação Civil Pública. Até que a solução venha com a concessão da Rodovia ou a construção de uma alça que permita atravessar a pista, eliminando definitivamente o risco de colisões, o MPF está  propondo a instalação de um redutor de velocidade que obrigue usuários da BR 040 a reduzirem a velocidade para 50km/h em frente ao acesso do bairro Liberdade, debaixo da passarela de pedestres. O local tem um redutor de velocidade no modelo pardal (DESLIGADO), com velocidade de 70 km/h.

A recomendação propõe também mudanças na geometria de uma das pistas, aumentando o espaço entre o canteiro central e a pista contrária, dando ao morador maior espaço para atravessar a pista da rodovia, diminuindo um pouco o risco de colisões laterais. Com efeito, o problema pode mudar de endereço sem sair do mesmo lugar, pois a redução da velocidade provocará engarrafamentos que facilitariam os engavetamentos, já que o local tem fluxo constante e é final de uma curva em lombada.

Conclui-se que a única solução para o problema é a construção de um elevado que elimine trânsito de veículos cruzando as pistas da BR 040. Por que não fazem? Você de certo está perguntando, e a resposta eu também não tenho, mas espero ouvir do Ministério Publico Federal, da Via 040 ou do DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte, órgão federal ligado ao Ministério da Infraestrutura em Minas Gerais, que na ausência de um concessionário, representa o Governo Federal. A ANTT – Agencia Nacional de Transporte Terrestre também deve ser convidada, pois afinal ela é a responsável pela contratação de um novo concessionário para a rodovia ou a solucionar imbróglios como o que se apresenta.

jaribeirobh@gmail.com – 31-99953-7945 WhatsApp

Um comentário em “População do bairro Liberdade em Neves vive em uma “ROLETA RUSSA” constante

  1. Acredite se quiser, mas aquele acesso já foi pior. Hoje, como você disse, o risco maior é de colisão entre veículos, mas até poucos anos atrás não existia nem aquela passarela. Imagine, então, o risco para os pedestres!

    A passarela foi conquistada ao custo de muitos protestos que por várias vezes fechou completamente a BR040. Com isso a população conseguiu a construção da passarela e a troca do concessionário das linhas de ônibus que atendiam o bairro, a famigerada empresa Transimão, lembram?

    Pois é, em outro post comentei sobre a questionável solução das concessões de rodovias e como a população tem que “ir à luta” por um direito seu, mas que precisa ser conquistado todo dia. Quem aguenta, afinal? Diante de situações como essa, como criticar moradores por fecharem o trânsito em protesto? São ignorados pelas autoridades, pela concessionária, por todos!

    Essa história da Via040 devolver a concessão é outra questão inexplicável! Se alguém tem uma explicação lógica para isso, nos esclareça por favor! A BR 040 é uma das mais movimentadas, o pedágio é o dobro da Fernão Dias, é mais caro que o da concessão da BR 262, mais ou menos da mesma época e modelo de concessão, e mesmo assim não dá retorno? Essas concessões são pagas e os investimentos feitos com dinheiro público, via “mãe” BNDES. Como não dá retorno? Sinceramente, me repassem a concessão nas mesmas condições e farei melhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *