Sir Otávio Clementino despede-se do Primo Prima e da noite de BH deixando saudades

POR José Aparecido Ribeiro – Jornalista (opinião)

Uma estrela que se vai… Sir, Otávio Clementino, um Gentleman!

Tomo emprestado do poeta francês Charles Baudelaire (1821-1867), um trecho do poema que retrata a imagem do notívago, verdadeiro amante da noite, que brindava enquanto a cidade dormia. Este boêmio, de postura, gestos e olhares diferenciados, cuja passagem tantos corações alegrou, promovendo aproximações, sendo essa a sua real vocação, foi combatente feroz da tristeza e da solidão nas noites frias e quentes de Belô.

Sempre rodeado de amigos, em longa trajetória no Primo Prima Prime Club, endereço de incontáveis saideiras, como se não houvesse amanhã, fazia daquele latifúndio de apaixonados uma celebração constante pela vida. Se você não é ramo e nem da noite de certo não saberá de quem estou falando. Ele atendia pelo nome de Sir, Otávio Clementino, que vai deixar órfãos amantes da noite na capital mineira, peregrinos por quatro décadas dos carinhos que só ele oferecia.

O anfitrião cumpriu com louvor o seu dever. Alma generosa que amparava por prazer e ossos do ofício a muitas outras, independente de gêneros, posição social e bolsos. Otávio tinha nome de imperador Romano, mas era um ancião, conheceu o escaninho personalizado da paixão de milhares de clientes, amigos e frequentadores, foi cúmplice de notívagos como ele. Não gostava de ficar sozinho repetindo quando a casa estava vazia: “Eu tenho horror de gente que vai embora. Eu só gosto de gente que fica”.

Gostava das pessoas atribuindo a elas valores e cortejos personalizados, por meio de critérios próprios exaltando sempre qualidades e escondendo defeitos, dom que não se aprende em escolas de marketing nem nos divãs terapêuticos. Ele deixou exemplos de superação, modéstia e companheirismo, ao oferecer sorriso largo, trejeitos, porções de pão de ló e uísque legítimo em endereço nobre na Rua Gonçalves Dias, 926 no Funcionários, palco de estórias sem fim, e impublicáveis.

“É preciso te embriagares sem trégua. Mas de quê… De vinho, de poesia ou de virtude… A teu gosto, mas embriaga-te”.

Nossa bênção e saudade eterna do Rei da noite que dorme o sono dos justos, agora para sempre, em silêncio…

jaribeirobh@gmail.com = WhatsApp: 31-99953-7945

6 comentários em “Sir Otávio Clementino despede-se do Primo Prima e da noite de BH deixando saudades

  1. Estrelas brilham em qualquer
    lugar…
    E quem consegue ser estrela, luz em vida, no céu será uma constelação inteira a iluminar este mundo, muitas vezes tão sombrio.
    SENSACIONAL:
    “Eu tenho horror de gente que vai embora. Eu só gosto de gente que fica”, nunca me esquecerei dessa frase.
    Belíssima Homenagem!! Tocante!!
    Meus sinceros sentimentos aos familiares, amigos e à noite de BH.

  2. Zé, sabias e felizes palavras!
    Fui apresentado ao Otávio pelo querido Celio Macieira, e eu, com meus 27 anos fui exercer os primeiros passos do aprendizado da boêmia mineira.
    O Otávio foi o dos mais nobres anfitriões qie conheci.

    “MUNDO
    VASTO MUNDO
    SE EU ME CHAMASSE RAIMUNDO
    SERIA UMA RIMA
    NÃO UMA SOLUÇÃO.”
    (Carlos D. de Andrade)

    Que o nosso Otávio Raimundo,receba todos nós no seu próximo job.

    Parabéns Sir!
    Parabéns por tudo e por toda a felicidade que me proporcionou!

    I wilk see you!
    Regards
    Cláudio Marinho

  3. Meu primo Otávio era daquelas pessoas de personalidade genuína, que a gente tem a felicidade de encontrar e de nunca mais se esquecer. Otávio vivificava o glamour que já não existe mais e tampouco valorizado nos dias de hoje. Otávio era alegria e boêmia, sofisticação e simplicidade. Um ser humano na melhor da sua criação. Marcou uma geração e sua ausência na noite de BH será sentida e rememorada por todos seus amigos.

  4. Parece que fiquei órfão, sem as noites memoráveis de sexta-feira no Primo Prima, onde vou espantar meus males sem aquela seleção de músicas memoráveis deixando a tristeza de fora ao passar pela porta do Primo. Como esquecer do Otavio, das noites incansáveis de alegria pura e felicidade nata como poucos, como esquecer da noite que tive o privilégio de dançar nos seus braços a eterna New York New York, e as reuniões de escola de sua neta e de minha filha onde batíamos altos papos, eternas saudades do Primo e de você, foi um prazer conhecê-lo e compartilhar de sua “sala de estar” como se referia ao Primo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *