A Savassi não é mais a mesma, mudou para pior

Leitor do blog que pediu anonimato, enviou suas impressões sobre a Savassi, o tradicional bairro da Zona Sul de BH que leva o nome da padaria que fez sucesso na Praça 13 de Maio, hoje Praça da Savassi, e que foi inaurada em 1940. Achei suas ponderações bastante razoáveis e divido com com você amigo leitor, o arrazoado do “C.A”, cidadão atento que consegue enxergar “por detrás das aparências”…

“Bom dia meu caro.
Lendo hoje sua ótima coluna sobre o descaso com a Cristiano Machado, voltei instintivamente a atenção para a Savassi, que você abordou por todos os ângulos, menos um, acredito, pela impossibilidade da acusação sem provas.
Aos fatos.
A Savassi, ao lado da Praça da Liberdade, era a atração turística de BH com lojas, bares e restaurantes oferecendo o que de melhor a cidade possuía num perímetro pequeno, que permitia a concentração de interesses diversos.
Os problemas do tráfego adensado, especialmente por veículos procurando vagas para estacionar, tiveram sua solução encaminhada para a construção de garagem subterrânea, nos moldes que você bem conhece nas principais cidades da Europa, sem nenhum custo para o poder público, uma vez que financiada pelos eventuais interessados em explorar o serviço. Tudo caminhava para um feliz desfecho quando, “do nada”, surge o “maravilhoso” projeto de construção de mais um shopping center no centro do bairro, contrariando toda a política adotada nas principais cidades do mundo, que só permitem sua construção longe dos centros urbanos. Paris criou o seu distrito La Défense, no final da linha de metrô, para ficar num só exemplo. A razão? A destruição da vida urbana, concentrando os visitantes num espaço confinado de uma edificação, resultando no fechamento do comércio de rua tradicional que determina o pulso da cidade.
Como se justificou a aprovação de um projeto desses em BH, que por seu traçado, já permitia prever um congestionamento absurdo do tráfego pela movimentação de veículos na entrada e saida de seu estacionamento pela já saturada Av. Contorno?
Minha hipótese, que dificilmente será  comprovada, mas que salta às vistas de quem sabe somar dois com dois: O grupo interessado na construção, em conluio com a prefeitura, habilmente estabeleceu um plano de ação, visando transformar o engodo em fato concreto.
Vamos à sequência dos fatos:
A prefeitura anuncia que autoriza a implantação do shopping em troca da renovação da Savassi. Magistral tática dos incorporadores! O projeto, profusamente divulgado, previa o fechamento de ruas, praticamente eliminado os poucos pontos de estacionamento disponíveis. O assunto estacionamento subterrâneo, que deveria fazer parte do projeto, sumiu! Por que? Simplesmente para obrigar quem fosse às compras a ter como quase única opção estacionar seu veículo à preço barato dentro do espaço comercial.
Jogada de mestre dos incorporadores: Investiram uns trocados numas fontes e colocaram bancos de concreto que servem hoje de cama para os sem teto que, pelo abandono do lugar, tomaram conta da Praça.
Resultado de tudo isso: matamos a fonte de renda do bairro. Espantamos os transeuntes, ameaçados pelos moradores de rua, sob o olhar benevolente das autoridades. Trocamos nossa tradição e nosso cartão de visitas por mais um shopping center.
Difícil acreditar que tudo isso tenha sido feito em prol da cidade.
Seguramente interesses inconfessáveis, somado a muito dinheiro, permitiram a destruição e o esvaziamento do bairro.
Dificil de provar, portanto inviável a acusação pela imprensa investigativa . Mais uma vitória do poder econômico no que ele tem de pior.
Desculpe o desabafo nessa madrugada de sexta feira da Paixão”.
Abraço do amigo e leitor fiel, C.A.

11 comentários em “A Savassi não é mais a mesma, mudou para pior

  1. Não é de se admirar…o interesse de poucos, sobrepondo-se ao direito da cidade e sua população!
    Ninguém está preocupado com as
    necessidades, com a situação sócio-econômica, com a qualidade de vida e dignidade dos indivíduos que habitam principalmente os grande centros. Sendo assim, ficamos à mercê da corrupção,da incompetência, do descaso, da injustiça e submetidos a assistir a deterioração da cidade em todos os seus aspectos. Revoltante é pouco!!

  2. Poderia completar o artigo uma vez que habitei aquela região por 15 anos, mas não o farei, para não tornar ainda pior a ideia de algum empresário logista investir na nossa querida savassi.

  3. A cidade vive de acordo com secretários e engenheiros que veem e vão. urbanistas de fundo de quintal, pouco se licham para o futuro mediocre que BH e a propria Savassi terão. Importa mais satisfazer aos interesses economicos de um grupo de emprendedores e a uma ideologia de quinta. Pobre cidade que muda seu piso de acordo com o tempo humano.

  4. Concordo 100%. Inclusive quando anunciaram a construção achei muito estranho, pra mim não fazia sentido, pois o BH Shopping é razoavelmente perto e com fácil acesso. Lembro-me de andar pela Savassi nos anos 80/90, realmente era muito melhor sem o shopping. Triste Brasil que se deixa destruir pelo interesse de poucos. E não aprendemos, vide o grupo que foi eleito.

  5. “…Espantamos os transeuntes, ameaçados pelos moradores de rua…”. Até parece! Puro preconceito de quem não quer “gente diferenciada” por perto.

    • “Gente diferenciada”?
      Que assalta os transeuntes em procura de dinheiro e bens pra alimentar o vício descontrolado…
      Que usa drogas como crack, maconha, cola de sapateiro, thinner…
      Transa na rua sem parar procurando procriar descontroladamente…
      Urina e caga pra tudo quanto é lado…
      Espalha lixo para as ruas e avenidas…
      Propagadores de um mal cheiro sem precedentes…
      Hospedeiros de doenças relacionadas com a indigência (do tipo escabioses, sarnas, irritações de pele diversas geralmente causadas por pulgas, percevejos e piolhos)…
      Entre outras tragédias…
      Essa “gente diferenciada” é que está literalmente DESTRUINDO nossa cidade com a conivência e irresponsabilidade da Prefeitura.

      Entre essa “gente diferenciada” e os alienígenas, prefiro a segunda opção.

  6. A Savassi já foi Savassi, hoje se encontra nas sujeiras mendigos, rips e outros ao arredor das lojas, PBH com seu prefeito de merda, não fazem nada, a não ser encher o bolso junto com vereadores e deputados em cobranças de impostos, o centro de BH, entorno dos viadutos que ligam centro, também, uma sujeira, mendigos fazem o que quer, debaixo viadutos, vimos fogo queimando cabos energia, e outras mais, ninguém faz nada, BH estar uma cidade podre e fedorenta.

  7. O Pátio Savassi matou o comércio de rua da Savassi. A debandada dos funcionários públicos, da Praça da Liberdade para a Cidade Administrativa, acabou com o que restava.
    Sobraram imóveis fechados e proprietários que querem aluguéis altíssimos, se esquecendo que a Savassi é lugar de estudantes e idosos, duas classes com pouco dinheiro, ainda que moradores e transeuntes de uma das regiões mais ricas da cidade.

    A Savassi é a praça da roça, onde tudo acontece – de jogo de futebol, passando por carnaval e agora a canalhice da rua fechada aos domingos, para tentar justificar a falta de áreas de lazer exclusivas na região.

    Quem sofre com a situação não são os transeuntes. São os moradores, que passaram a conviver com lixo e sujeira.

  8. Moro na Savassi desde 1978 e testemunhei com tristeza a transformação da praça, que era agradável, tranquila, quase só tinha casas. Depois vieram os prédios, ela se transformou em centro comercial, desapareceram as bonitas casas, as ruas se encheram de pessoas vindas de outros lugares, a praça se tornou o lugar escolhido para todos os eventos barulhentos e cheios de desordem. Não há lugar na praça, só nas ruas fechadas, moradores de rua tomam banho nos chafarizes, as ruas ficam mal-cheirosas, calçadas esburacadas (já tive uma queda numa delas). Transformou-se em império dos botecos, cujos frequentadores promovem bagunça e gritaria todas as noites. E onde ficam os moradores? Acuados em seus apartamentos, sem poder dormir, sem retorno para o elevado IPTU que pagam. O problema não é o shopping, pelo menos os que estão dentro dele não estão fazendo algazarra a noite inteira. E tem uma tal feira Modelo (????) nas noites de quinta-feira que ocupa um quarteirão da rua Tomé de Souza, que desde a tarde começa a produzir um barulho insuportável, continuando noite adentro. pergunto: Modelo de que? De desordem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *