Rádios podem contribuir para um trânsito melhor em BH

A maioria dos veículos que circulam pela cidade têm seus aparelhos de rádio ligados. Além da música o rádio é fonte importantíssima de informações. Locutor de rádio é um companheiro atento aos problemas da cidade. Costumam falar o que gostaríamos mas não podemos. As rádios dedicam tempo, energia e recursos humanos ao assunto trânsito, algumas usam até helicópteros para informar onde o trânsito está melhor ou pior. Mas será que estão fazendo isso com criatividade e prestando um bom serviço para a coletividade?

É comum ouvir de locutores que o trânsito está parado por causa do “excesso de veículos”. Olhando superficialmente, eles têm razão. Saindo do lugar comum e aprofundando no tema é possível perceber que o problema não é o excesso de veículos, mas a ausência de infraestrutura em locais cuja rotina é sempre a mesma. Os engarrafamentos acontecem nos mesmos horários e locais em intervalos cada vez menores. Algumas vias estão saturadas há décadas e os exemplos são muitos.

A título de lembrança, é comum ouvir que o trânsito está completamente parado na Av. Getúlio Vargas entre Av. do Contorno e Av. Afonso Pena, em virtude do “grande volume de tráfego”. O correto seria dizer: Em virtude da falta de uma trincheira, capaz de evitar engarrafamentos no cruzamento de três vias importantes daquela região o trânsito está parado na Av.Getulio Vargas entre Av. Contorno e Av. Afonso Pena. Isso vale para centenas de vias por toda a cidade algumas delas entupidas de veículos praticamente o dia inteiro, como é o caso da Av. Pedro II e o Elevado Helena Greco.

O fato é que o volume de carros aumenta e as soluções de engenharia não acontecem no tempo que deveria. Não se vê a engenharia sendo aplicada para melhorar a fluidez do trânsito na cidade. Os sinais não são mais suficientes para organizar a demanda e não há presença física de agentes treinados capazes de intervir pró-ativamente no trânsito. O resultado são engarrafamentos, poluição, estresse e prejuízos incalculáveis. BH espera por intervenções de engenharia há 40 anos, mas elas viraram paradigma.

Ao ouvir nossos simpáticos locutores afirmando que o problema é do excesso de veículos e não da ausência do poder público gerindo ou provendo a cidade de infraestrutura necessária, as rádios acabam deixando gestores públicos com o sentimento do dever cumprido. Onde o trânsito não anda, todo mundo sabe, são os mesmos locais de sempre. O que pode ser feito para melhorar a fluidez é que deveria ser contribuição das rádios para a população.

Com respeito e apreço aos radialistas de BH, convido eles para uma reflexão e para uma mudança no formato dos programas de rádio que falam de trânsito, saindo assim do lugar comum e cobrando das autoridades atitudes concretas para o enfrentamento do problema.

José Aparecido Ribeiro

Jornalista – DRT 17.076-MG

Um comentário sobre “Rádios podem contribuir para um trânsito melhor em BH

  1. Bravo José Aparecido!!!
    EXCELENTE observação, que contribui para uma reflexão dos profissionais citados. Tomara que busquem por um conhecimento mais estreito sobre assunto, e repassem à populacao. Informação, se bem colocada, pode ser mais uma estratégia na luta por um trânsito mais saudável!!
    EU , como cidadã agradeço por você nunca desistir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *