Vaga no time do papai…

Publicado em Sem categoria
Não, o blog não enlouqueceu ou mudou de foco, que tem gente no próprio Uai que fala do assunto com muito mais propriedade. Mas como a história tem uma certa ligação com o automobilismo, vale a pena contar por aqui. Já falei em vários posts sobre Boris Rotenberg, instrutor de judô de Vladmir Putin e que se tornou um dos 100 homens mais ricos da Rússia. Ele foi o criador da equipe SMP Racing (do SMP Bank), que encheu as pistas da Europa de carros decorados com as cores da bandeira do país, mas, principalmente, lhe deu a chance de levar seu hobby adiante. E depois de montar uma base nos Alpes-Marítimos franceses onde estão as várias Ferraris 458 GT alinhadas no GT Open, WEC e ELMS, resolveu desenvolver seu próprio protótipo, o BR01, aqui apresentado (o BR é de Boris Rotenberg), e que faz os últimos testes para estrear na etapa de Imola do European Le Mans Series – a máquina foi concebida por Paolo Catone, um dos mais sensacionais projetistas de protótipos dos últimos anos.

Pois ouvia eu, na TV do trabalho, a narração dos primeiros minutos do clássico CSKA Moscou x Dynamo, pelo Campeonato Russo, e veio à tona o nome de um certo jogador, um tal de Boris Rotenberg. Pesquisa daqui, fuça dali, e não se trata de um homônimo. Boris Borisovich Rotenberg é um lateral-direito de 29 anos do Dynamo, que tem como presidente… Boris Rotenberg Sr. Sim, é o filho do dono que, está mais do que claro, não quer nada com as pistas, e preferiu mostrar algum talento com a bola nos pés. Enquanto o pai se diverte nas pistas, o herdeiro se esforça em campo. Com duas certezas: de que o salário é o que menos importa, já que dinheiro na família não falta; e que um treinador tem que ser muito corajoso para barrar o filho do dono…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *