SIMPLES COINCIDÊNCIA?

Publicado em Sem categoria

Sebastian Vettel abandona o GP da Austrália. Depois de imaginar um problema no cubo de roda, a Red Bull identifica: falha num disco de freio dianteiro. Sebastian Vettel roda a 15 voltas da bandeirada do GP da Espanha: problema no disco dianteiro direito de freio. Sebastian Vettel reclama de um problema de motor no GP da Itália e, no dia seguinte, a equipe diagnostica, para variar… falha nos freios dianteiros. Ora, no mundo milimétrico da F-1, basta identificar uma peça defeituosa para jogar fora todo o lote. Se ocorreu uma segunda vez, e uma terceira (e, acima de tudo, se não se repete no carro do companheiro de equipe), é de se imaginar que tem a ver com o estilo de pilotagem do alemão, que, se não fizer as correções necessárias – alterar a distribuição da frenagem entre os eixos dianteiro e traseiro, por exemplo – vai acabar perdendo outros pontos preciosos. Somados às bobagens como a de Spa, está explicada a melhor situação de Mark Webber…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *